Preço de Miocalven D em Ann Arbor/SP: R$ 72,53

Miocalven D

CHIESI FARMACÊUTICA LTDA

Atualizado em 19/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Miocalven® D
citrato de cálcio + colecalciferol (vitamina1 D)
Pó para suspensão

APRESENTAÇÕES

Pó para suspensão
Envelope com 4,0 g de pó em cartuchos contendo 30 ou 60 envelopes

USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 3 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada envelope contém:

citrato de cálcio (equivalente a 500 mg de cálcio elementar) 2.370 mg
colecalciferol (vitamina1 D) 200 UI
excipiente q.s.p. 1 envelope

Excipientes: sacarose, ascorbato de sódio, triglicérides2 de cadeia média, racealfatocoferol, amido, lactose3 monoidratada, aroma de limão, aspartamo, dióxido de silício e celulose microcristalina.

Porcentagem da Ingestão Diária Recomendada (IDR) na posologia máxima diária para adultos (2 envelopes):

 

Adultos

Criança 
1 - 3 anos

Criança
4 - 6 anos

Criança
7 - 10 anos

cálcio 1.000 mg 100% 200% 166,70% 142,90%
vitamina1 D 400 UI* 200% 200% 200% 200%

* UI: Unidades Internacionais.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Miocalven® D é um suplemento vitamínico e mineral utilizado para situações em que aumentam as necessidades de cálcio e vitamina1 D no organismo. É também utilizado na prevenção e tratamento auxiliar na desmineralização óssea pré e pós-menopausa4.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Miocalven® D aumenta a absorção de cálcio pelos ossos, auxiliando na calcificação5 óssea e diminuindo a tendência à fraturas.

Este medicamento é um medicamento de uso contínuo. Para que seus efeitos sejam observados, é necessário seguir a posologia correta, pelo tempo determinado pelo seu médico.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve utilizar este medicamento em caso de hipersensibilidade (alergia6) conhecida a qualquer componente da fórmula.

Você não deverá usar Miocalven® D caso apresente insuficiência renal7 grave, hipercalciúria8 grave (eliminação elevada de cálcio na urina9), hipercalcemia (excesso de cálcio no sangue10) e hipervitaminose D (acúmulo tóxico de altos níveis de vitamina1 D no organismo).

Este medicamento é contraindicado para uso por fenilcetonúricos11. Este medicamento é contraindicado para menores de 3 anos. Atenção fenilcetonúricos11: contém fenilalanina12 (aspartamo).

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes portadores de insuficiência renal7 grave, hipercalciúria8 grave ou hipervitaminose D.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso seu tratamento com Miocalven® D seja realizado por um tempo prolongado, seu médico poderá solicitar uma monitorização dos níveis sanguíneos de cálcio.

Se você fizer uso de outros medicamentos juntamente com Miocalven® D é recomendado que seja calculada a ingestão diária total de vitamina1 D para evitar a hipervitaminose, que seria o excesso de vitamina1 D.

Se você tiver uma doença chamada sarcoidose13 (doença inflamatória autoimune14) é necessário comunicar seu médico, pois o medicamento Miocalven® D deverá ser usado com cuidado nesses pacientes devido à possibilidade do aumento da atividade da vitamina1 D. Nestes casos, o médico deverá controlar os níveis plasmáticos (no sangue10) e urinários de cálcio.

Normalmente, esse produto deve ser administrado com cuidado em pacientes com cálculos renais (pedras nos rins15) ou que já tenham apresentado essa doença no passado.

Atenção: este medicamento contém açúcar16, portanto, deve ser usado com cautela em portadores de Diabetes17.

Gravidez18:

Informe seu médico a ocorrência de gravidez18 durante o tratamento ou após o seu término. Informe também se estiver amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações medicamentosas

Miocalven® D pode reduzir a absorção de alguns bisfosfonatos (alendronato, tiludronato), fluoretos (nesta forma, o flúor é incorporado na estrutura do osso e dos dentes), fluoroquinolonas (medicamentos com capacidade de destruir bactérias) e tetraciclinas (antibióticos). Em caso de terapia simultânea, seu médico poderá solicitar que se faça um intervalo de pelo menos 3 horas entre as doses desses medicamentos.

O uso simultâneo de vitamina1 D aumenta a absorção de cálcio.

Quando usado em altas doses juntamente com a vitamina1 D, o cálcio pode reduzir a resposta aos medicamentos bloqueadores dos canais de cálcio (usados no tratamento de pressão alta e de espasmos19 cerebrovasculares).

Caso você utilize medicamentos digitálicos (usados no tratamento de doenças do coração20), fale com seu médico, pois o uso de altas doses de cálcio pode aumentar o risco de arritmias21 cardíacas. É essencial supervisão cuidadosa pelo seu médico, e se necessário, acompanhamento com eletrocardiograma22 (ECG) e monitorização de cálcio no sangue10.

Miocalven® D com diuréticos23 tiazídicos (que agem no rim24 aumentando a eliminação de cloreto de sódio, água e potássio) aumenta o risco de hipercalcemia (aumento de cálcio no sangue10). Nestes casos, aconselha-se a monitorização de cálcio no sangue10.

Interações com alimentos

A absorção de cálcio pelo aparelho digestivo25 pode ser diminuída pela ingestão simultânea de determinados alimentos, como por exemplo, espinafre, leite e seus derivados. Assim, se ingeridos separadamente, o cálcio poderá ser melhor aproveitado pelo organismo.

Não há interações conhecidas até o momento com álcool. Entretanto, o álcool poderá interferir com a absorção de medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Miocalven® D deve ser conservado em temperatura ambiente (15ºC a 30ºC), ao abrigo da luz e da umidade.
Depois de preparado, este medicamento deve ser utilizado imediatamente.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas 

Miocalven® D é um pó branco, fino, com leve cheiro e sabor de limão. Após sua reconstituição, Miocalven® D torna-se uma suspensão branca leitosa, com aroma de limão e sabor levemente cítrico e adocicado.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Modo de usar

Dissolva o conteúdo do envelope em meio copo de água filtrada (aproximadamente 100 mL), agitando com uma colher. A concentração final aproximada de cálcio elementar é de 5 mg/mL e a concentração aproximada de colecalciferol (vitamina1 D) é de 2 UI/mL.

Posologia

A dose diária recomendada é de 1 envelope de Miocalven® D de 12 em 12 horas (2 vezes ao dia), que equivale a 1.000 mg de cálcio elementar e 400 UI de colecalciferol (vitamina1 D), ou conforme recomendação médica.

Uso Geriátrico
Miocalven® D pode ser usado em pacientes acima de 65 anos, desde que sejam observadas as contraindicações, precauções e interações medicamentosas.

O limite máximo diário de administração recomendado é de 1.000 mg de cálcio elementar e 400 UI de vitamina1 D, ou seja, 2 envelopes de Miocalven® D ao dia.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas26, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

Este medicamento não deve ser utilizado por crianças de 1 a 3 sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico, pois os efeitos terapêuticos podem não ocorrer conforme o esperado.

Se você se esquecer de tomar uma dose do medicamento, tome-o tão logo quando se lembrar. Se estiver próximo da hora da próxima dose, espere e tome o medicamento “pulando” a dose esquecida. A dose não deve ultrapassar a quantidade diária recomendada pelo médico.

Em caso de dúvidas, procure a orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião- dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Sais de cálcio, dados por via oral, podem causar irritações gastrintestinais.

Embora a incidência27 de reações adversas seja baixa, podem ocorrer raros casos de constipação28 intestinal (prisão de ventre) e de cálculos renais com o uso do citrato de cálcio.

Excessivas quantidades de sais de cálcio podem causar hipercalcemia (aumento da quantidade de cálcio na corrente sanguínea). Esta complicação é usualmente associada com a via de administração parenteral (utilização por meio da administração direta nas veias29), mas pode ocorrer após administração oral, comumente em pacientes com insuficiência renal7 ou recebendo, concomitantemente, altas doses de vitamina1 D. Os sintomas26 de hipercalcemia podem incluir anorexia30 (sensação de apetite diminuído e consequente perda de peso), náuseas31, vômitos32, constipação28, dor abdominal, fraqueza muscular, distúrbios mentais, polidipsia33 (sensação de muita sede), poliúria34 (aumento do volume urinário), nefrocalcinose (depósito de cálcio nos túbulos renais), cálculos renais, depósito de cálcio nos tecidos moles e, em casos severos, arritmia35 cardíaca e coma36.

Caso você tenha problemas nos rins15 e use altas doses de vitamina1 D juntamente com esse produto, seu médico poderá solicitar exames para monitorar com atenção a concentração de cálcio no seu sangue10.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Quantidades excessivas de cálcio podem levar à hipercalcemia, complicação frequentemente associada com o uso parenteral de sais de cálcio, mas que pode ocorrer com o uso por via oral, principalmente em pacientes com insuficiência renal7.

Os sintomas26 de hipercalcemia podem incluir anorexia30 , náuseas31, vômitos32, constipação28, dor abdominal, fraqueza muscular, polidipsia33, poliúria34, nefrocalcinose, nefrolitíase (cálculos renais na pélvis ou ureter37), distúrbios mentais, e em casos graves, arritmia35 cardíaca e coma36. Deve ser iniciado o tratamento dos sintomas26 ou tratamento adequado, de acordo com cada caso.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas26 procure orientação médica.
 

Reg. M.S.: 1.0058.0098
Farm. Resp.: Dra. C. M. H. Nakazaki CRF-SP nº 12.448

Registrado e fabricado por:
CHIESI Farmacêutica Ltda.
Uma empresa do Grupo Chiesi Farmaceutici S.p.A.
Rua Dr. Giacomo Chiesi nº 151 - Estrada dos Romeiros km 39,2
Santana de Parnaíba - SP
CNPJ nº 61.363.032/0001-46
Indústria Brasileira

Embalado por:
Laborpack Embalagens Ltda.
Rua João Santana Leite nº 360 - Santana de Parnaíba – SP


SAC 0800 11 45 25

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
3 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
4 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
5 Calcificação: 1. Ato, processo ou efeito de calcificar(-se). 2. Aplicação de materiais calcíferos básicos para diminuir o grau de acidez dos solos e favorecer seu aproveitamento na agricultura. 3. Depósito de cálcio nos tecidos, que pode ser normal ou patológico. 4. Acúmulo ou depósito de carbonato de cálcio ou de carbonato de magnésio em uma camada de profundidade próxima a do limite de percolação da água no solo, que resulta em certa mobilidade deste e alteração de suas propriedades químicas.
6 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
7 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
8 Hipercalciúria: Eliminação de quantidade anormalmente grande de cálcio na urina.
9 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
10 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
11 Fenilcetonúricos: Portadores da doença fenilcetonúria.
12 Fenilalanina: É um aminoácido natural, encontrado nas proteínas vegetais e animais, essencial para a vida humana.
13 Sarcoidose: Sarcoidose ou Doença de Besnier-Boeck é caracterizada pelo aparecimento de pequenos nódulos inflamatórios (granulomas) em vários órgãos. A doença pode afetar qualquer orgão do corpo, mas os mais atingidos são os pulmões , os gânglios linfáticos (ínguas ), o fígado, o baço e a pele.
14 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
15 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
16 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
17 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
18 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
19 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
20 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
21 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
22 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
23 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
24 Rim: Os rins são órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
25 Aparelho digestivo: O aparelho digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
26 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
27 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
28 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
29 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
30 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
31 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
32 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
33 Polidipsia: Sede intensa, pode ser um sinal de diabetes.
34 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
35 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
36 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
37 Ureter: Estrutura tubular que transporta a urina dos rins até a bexiga.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre Miocalven D?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.