Preço de Spiriva Respimat em Wilmington/SP: R$ 359,01

Spiriva Respimat

BOEHRINGER INGELHEIM DO BRASIL QUÍMICA E FARMACÊUTICA LTDA.

Atualizado em 27/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Spiriva® Respimat®
brometo de tiotrópio monoidratado
Solução para inalação oral

APRESENTAÇÃO

Solução para inalação com liberação em dose (puff)
Frasco de 4 mL (60 doses liberadas – 60 puffs –) que equivalem a um mês de tratamento). Acompanha inalador Respimat.

INALAÇÃO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO A PARTIR DE 6 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada dose (puff) contém:

tiotrópio
(correspondentes a 3,1 mcg de brometo de tiotrópio monoidratado)
2,5 mcg
excipiente q.s.p. 1 puff

Excipientes: cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, ácido clorídrico1, água purificada.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Spiriva Respimat é indicado para o tratamento de manutenção de pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) que, caracterizada por tosse, catarro e falta de ar, ocorre principalmente em decorrência da inalação da fumaça de cigarro, incluindo também bronquite crônica2 e enfisema3 pulmonar (irritação respiratória crônica), associada à dispneia4 (falta de ar), melhora da qualidade de vida e redução dos episódios de exacerbação (crises de agravamento) da doença.

Spiriva Respimat é indicado também como tratamento adicional de manutenção para melhora dos sintomas5 da asma6 (cansaço, falta de ar, chiado no peito7 e tosse), qualidade de vida e redução das exacerbações em pacientes a partir de 6 anos de idade com asma6 moderada tratados com pelo menos corticosteroides inalatórios ou asma6 grave tratados com corticosteroides inalatórios e agonistas beta-adrenérgicos8 de longa duração que permaneçam sintomáticos.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Spiriva Respimat atua dilatando os brônquios9 (broncodilatador10), facilitando assim a passagem de ar pelos pulmões11. O efeito se inicia em até 30 minutos após a inalação e dura 24 horas.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve usar Spiriva Respimat se tiver alergia12 à atropina ou seus derivados (como ipratrópio ou oxitrópio) ou a qualquer um dos componentes da fórmula.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Spiriva Respimat é um broncodilatador10 para tratamento crônico13, com dose única diária, e não se destina ao tratamento inicial de casos agudos de estreitamento dos brônquios9 (episódios de falta de ar) ou para o alívio de sintomas5 agudos. No caso de um ataque agudo14, um beta-2-agonista15 de ação rápida (como fenoterol ou salbutamol16) deve ser usado sob orientação médica. Caso não observe melhora do ataque agudo14 ou em caso de dúvidas, procure um médico ou serviço de emergência17 imediatamente.

Spiriva Respimat não deve ser usado como primeira linha para o tratamento da asma6.

Pacientes asmáticos devem ser orientados a continuar com o tratamento usual, por exemplo, corticosteroides inalatórios sem necessidade de alterá-lo após a introdução de Spiriva Respimat, mesmo após os sintomas5 da asma6 terem melhorado.

Após administração de Spiriva Respimat, podem ocorrer reações alérgicas imediatas.

Spiriva Respimat deve ser usado com cuidado se você tiver glaucoma18 de ângulo fechado (aumento da pressão dentro do olho19), aumento da próstata20 ou obstrução do colo21 da bexiga22. Caso você apresente uma destas condições, avise o seu médico.

Pode ocorrer broncoespasmo23 (estreitamento dos brônquios9) induzido pela inalação.

Spiriva Respimat é eliminado predominantemente pelos rins24. Se você tiver alguma doença que afete a função dos rins24, é necessário o acompanhamento cuidadoso do médico. Portanto, informe seu médico se tiver algum problema nos rins24.

Evite contato do medicamento com os olhos25. Dor nos olhos25, visão26 embaçada, visão26 de halos ou imagens coloridas com olhos25 avermelhados podem ser sinais27 de glaucoma18. Nestes casos, procure um oftalmologista28 imediatamente. Colírios para contrair a pupila não são considerados um tratamento eficaz.

A dose recomendada de Spiriva Respimat é 2 doses liberadas (2 puffs) consecutivas, uma vez ao dia. Você não deve usar Spiriva Respimat mais de uma vez ao dia. O frasco de Spiriva só deve ser utilizado com o inalador Respimat que acompanha o produto.

A ocorrência de tontura29 ou visão26 embaçada pode prejudicar a habilidade de dirigir e operar máquinas.

Fertilidade, gravidez30 e amamentação31

O uso de Spiriva Respimat não é recomendado durante a gravidez30 e amamentação31. Existem dados limitados do uso deste medicamento durante a gravidez30. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações Medicamentosas

A administração crônica de outros medicamentos anticolinérgicos (como atropina, biperideno, ipratrópio, glicopirrônio, umeclidínio) com Spiriva Respimat não é recomendada.

Corticosteroides inalatórios (como budesonida, fluticasona, mometasona) e suas combinações com LABA (por exemplo, formoterol, salmeterol); as quais são medicações concomitantes comumente usadas por pacientes com DPOC, não demonstraram alterar a exposição ao tiotrópio.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde32.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Mantenha em temperatura ambiente (15 ºC a 30 ºC). Não congelar.

Descartar o conjunto frasco + inalador Respimat após 3 meses da inserção do frasco no inalador Respimat. Este dispositivo inalatório não deve ser reutilizado.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas 

Spiriva é uma solução transparente e incolor para ser usada com o inalador Respimat.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Vide instruções de uso no final da bula.

POSOLOGIA

1 dose liberada (puff) = conteúdo expelido após apertar 1 vez o botão do inalador Respimat.

Dose terapêutica33 diária = 5 mcg, ou seja, 2 doses liberadas (2 puffs consecutivos).

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

População adulta:
A dose terapêutica33 diária recomendada de Spiriva Respimat é a inalação de 5 mcg, ou seja, 2 doses liberadas (2 puffs) consecutivas uma vez ao dia pelo inalador Respimat, no mesmo horário do dia.
*DPOC não ocorre normalmente em crianças.

Asma6

População adulta e pediátrica a partir de 6 anos de idade:
A dose terapêutica33 diária recomendada de Spiriva Respimat é a inalação de 5 mcg, ou seja, 2 doses liberadas (2 puffs) consecutivas, uma vez ao dia pelo inalador Respimat, no mesmo horário do dia. No tratamento da asma6, os benefícios aparecem após diversas doses de Spiriva Respimat.

*a eficácia e segurança de Spiriva Respimat em crianças com idade inferior a 6 anos de idade com asma6 não foram estabelecidas.

População especial:

Pacientes idosos ou com alterações da função do fígado34 podem utilizar Spiriva Respimat na dose recomendada.

Pacientes com comprometimento moderado a grave da função dos rins24 podem utilizar Spiriva Respimat na dose recomendada, mas devem ser acompanhados de perto.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Continue inalando as próximas doses regularmente no horário habitual. Não duplique a dose na próxima inalação.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico ou cirurgião dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Reações incomuns: tontura29, insônia, palpitações35, tosse, faringite36, disfonia37 (rouquidão), broncoespasmo23 (estreitamento dos brônquios9), boca38 seca, candidíase39 orofaríngea40 (sapinho), erupção41 cutânea42 (rash43).

Reações raras: epistaxe44 (sangramento nasal), constipação45, gengivite46 (inflamação47 da gengiva), estomatite48, prurido49 (coceira), edema angioneurótico50 (alergia12 com inchaço51 da língua52, lábios e garganta53), urticária54, hipersensibilidade (inclusive reações imediatas), infecção55 do trato urinário56.

Reações com frequência desconhecida: desidratação57, glaucoma18, aumento da pressão intraocular58, visão26 borrada, alterações nos batimentos do coração59 (como fibrilação atrial, taquicardia60 supraventricular, taquicardia60), laringite61 (inflamação47 da laringe62), sinusite63, disfagia64 (dificuldade para engolir), refluxo gastroesofágico65 (doença do refluxo), glossite66 (inflamação47 da língua52), obstrução intestinal inclusive íleo paralítico67 (obstrução do intestino interrompendo a passagem das fezes), infecção55 e úlcera68 cutânea42 (na pele69), pele69 seca, inchaço51 das articulações70, retenção urinária71 (geralmente em homens com fatores de predisposição), disúria72 (dificuldade e dor para urinar).

A frequência, tipo e gravidade das reações adversas na população pediátrica são similares às de adultos.

Atenção: este produto é um medicamento que possui uma nova indicação terapêutica33 no país e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Altas doses de Spiriva Respimat podem acelerar os batimentos cardíacos, alterar a movimentação do estômago73 e intestinos74 e reter urina75. Não foram observados eventos adversos relevantes, além de boca38, garganta53 e nariz76 secos.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS 1.0367.0137
Farm. Resp.: Dímitra Apostolopoulou – CRF-SP 08828

Importado por:
Boehringer Ingelheim do Brasil Quím. e Farm. Ltda.
Rod. Régis Bittencourt, km 286
Itapecerica da Serra – SP
CNPJ 60.831.658/0021-10

Fabricado por:
Boehringer Ingelheim Pharma GmbH & Co. KG.
Ingelheim am Rhein – Alemanha


SAC 0800 701 6633

 

Instruções de uso

Leia estas instruções antes de começar a usar Spiriva Respimat. Crianças devem usar Spiriva Respimat com a assistência de um adulto.

Você precisará usar esse inalador apenas UMA VEZ AO DIA. Cada vez que você utilizá-lo inale duas doses liberadas (2 PUFFS) consecutivas.

  • Se Spiriva Respimat não for utilizado por mais de 7 dias, liberar uma dose liberada (1 puff) em direção ao chão.
  • Se Spiriva Respimat não for utilizado por mais de 21 dias, repita os passos 4-6 em “Preparar para uso pela primeira vez” até que uma nuvem seja visível. Em seguida, repita os passos 4 a 6 mais 3 vezes.

Como cuidar do seu Spiriva Respimat

Limpe o bocal, inclusive a parte metálica dentro dele, apenas com um pano úmido ou um lenço, pelo menos uma vez por semana.

Uma pequena descoloração do bocal não afeta o funcionamento do seu inalador Spiriva Respimat.

Quando providenciar um novo Spiriva Respimat

  • Seu inalador Spiriva Respimat contém 60 doses liberadas (60 puffs) se usado conforme indicado, ou seja, duas doses liberadas (2 puffs) uma vez ao dia.
  • O indicador mostra aproximadamente quanto de medicação resta no frasco.
  • Quando o indicador entrar na área vermelha da escala você precisa de uma nova prescrição médica; existe medicação para aproximadamente mais 7 dias, ou seja, 14 doses liberadas (14 puffs).
  • Uma vez que o indicador de doses tenha atingido o final da escala vermelha, seu Spiriva Respimat se travará automaticamente e não haverá mais doses a serem liberadas. Neste momento, a base não poderá mais ser girada.
  • Três meses depois do primeiro uso, Spiriva Respimat deverá ser descartado mesmo se todo o medicamento não tiver sido utilizado.

Preparar para uso pela primeira vez

1. Remover a base transparente

  • Mantenha a tampa fechada.
  • Pressione o dispositivo de segurança e ao mesmo tempo retire a base transparente com sua outra mão77.

2. Inserir o frasco

  • Insira o lado estreito do frasco no inalador.
  • Coloque o inalador sobre uma superfície firme (por exemplo, uma mesa) e pressione para baixo com firmeza até que o frasco se encaixe.

3. Retornar a base transparente

  • Coloque a base transparente de volta ao seu lugar até ouvir um clique.

4. Virar

  • Mantenha a tampa fechada.
  • Vire a base transparente na direção das setas do rótulo até ouvir um clique (meia volta).

5. Abrir

  • Abra a tampa até que fique travada completamente na posição aberta.

 

6. Pressionar

  • Aponte o inalador em direção ao chão.
  • Pressione o botão de aplicação.
  • Feche a tampa.
  • Repita os passos 4 a 6 até que seja visível uma nuvem.
  • Após visualizar a nuvem, repita os passos 4 a 6 mais três vezes.

 

 

Uso diário

VIRE

  • Mantenha a tampa fechada.
  • VIRE a base transparente na direção das setas do rótulo até ouvir um clique (meia volta).

ABRA

  • ABRA a tampa até que fique travada completamente na posição aberta.

PRESSIONE

  • Expire (solte o ar) lenta e totalmente.
  • Coloque os lábios em torno do bocal, sem cobrir as entradas de ar.
  • Enquanto inspira (enche o peito7 de ar) lenta e profundamente pela boca38, PRESSIONE o botão de aplicação e continue inspirando.
  • Prenda a respiração por 10 segundos ou o quanto puder com conforto e, em seguida, volte a respirar normalmente.
  • Repita os passos VIRE, ABRA e PRESSIONE para um total de 2 puffs.

RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

É difícil inserir o frasco até o final

Você virou a base transparente acidentalmente antes de inserir o frasco? Abra a tampa, pressione o botão de aplicação, então insira o frasco.

Você inseriu o frasco pelo lado mais largo? Insira o frasco pelo lado mais estreito.

Eu não consigo pressionar o botão de aplicação

Você virou a base transparente? Se não, vire a base transparente em movimento contínuo até ouvir um clique (meia volta).

O indicador de dose de Spiriva Respimat está sinalizando 0 (zero)? O inalador Spiriva Respimat é bloqueado após 60 doses liberadas (puffs). Neste caso, prepare e use um novo inalador Spiriva Respimat.

Não consigo virar a base transparente

Você já virou a base transparente? Se a base transparente já foi virada, siga os passos “ABRA” e “PRESSIONE” conforme instruções contidas em “Uso diário” para administrar seu medicamento.

O indicador de dose de Spiriva Respimat está sinalizando 0 (zero)? O inalador Spiriva Respimat é bloqueado após 60 doses liberadas (puffs). Neste caso, prepare e use um novo inalador Spiriva Respimat.

O indicador de dose do Spiriva Respimat atinge o 0 (zero) muito rápido.

Você usou Spiriva Respimat conforme indicado, ou seja, 2 doses liberadas (puffs), uma vez ao dia? Spiriva Respimat durará 30 dias se usado corretamente, ou seja, 2 doses liberadas (puffs), uma vez ao dia. Você virou a base transparente antes de inserir o frasco? O indicador de dose conta cada giro da base transparente, independentemente se um frasco foi inserido ou não.

Você disparou Spiriva Respimat mais vezes que o necessário, para verificar se está funcionando? Uma vez que você tenha preparado Spiriva Respimat, nenhum novo teste é necessário, se usado diariamente.

Você inseriu o frasco num Spiriva Respimat usado? Sempre insira um novo frasco num Spiriva Respimat novo.

Meu Spiriva Respimat dispara automaticamente.

A tampa estava aberta quando você virou a base transparente? Feche a tampa, então vire a base transparente.

Você pressionou o botão de aplicação quando virou a base transparente? Feche a tampa para o botão de aplicação ficar coberto, então vire a base transparente.

Você parou antes do “clique”, quando virava a base transparente? Vire a base transparente num movimento contínuo até ouvir um “clique” (meia volta).

Meu Spiriva Respimat não dispara

Você inseriu o frasco? Se não, insira o frasco.

Você repetiu os passos VIRE, ABRA, PRESSIONE menos de 3 vezes após inserir o frasco? Repita os passos VIRE, ABRA, PRESSIONE 3 vezes após inserir o frasco, conforme demonstrado nos passos 4 a 6 na seção “Preparar para uso pela primeira vez”.

O indicador de dose no Spiriva Respimat está indicando 0 (zero)? Se o indicador de dose indicar 0 (zero), você utilizou todo o medicamento e o inalador foi travado.

Uma vez que o Spiriva Respimat é montado, não remova a base transparente ou o frasco. Sempre insira um novo frasco num Spiriva Respimat novo.


 

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
2 Bronquite crônica: Inflamação persistente da mucosa dos brônquios, em geral produzida por tabagismo, e caracterizada por um grande aumento na produção de muco bronquial que produz tosse e expectoração durante pelo menos três meses consecutivos durante dois anos.
3 Enfisema: Doença respiratória caracterizada por destruição das paredes que separam um alvéolo de outro, com conseqüente perda da retração pulmonar normal. É produzida pelo hábito de fumar e, em algumas pessoas, pela deficiência de uma proteína chamada Antitripsina.
4 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
7 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
8 Adrenérgicos: Que agem sobre certos receptores específicos do sistema simpático, como o faz a adrenalina.
9 Brônquios: A maior passagem que leva ar aos pulmões originando-se na bifurcação terminal da traquéia. Sinônimos: Bronquíolos
10 Broncodilatador: Substância farmacologicamente ativa que promove a dilatação dos brônquios.
11 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
12 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
13 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
14 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
15 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
16 Salbutamol: Fármaco padrão para o tratamento da asma. Broncodilatador. Inibidor do trabalho de parto prematuro.
17 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
18 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
19 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
20 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
21 Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMÓIDE.
22 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
23 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
24 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
25 Olhos:
26 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
27 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
28 Oftalmologista: Médico especializado em diagnosticar e tratar as doenças que acometem os olhos. Podem prescrever óculos de grau e lentes de contato.
29 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
30 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
31 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
32 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
33 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
34 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
35 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
36 Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos ou não.
37 Disfonia: Alteração da produção normal de voz.
38 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
39 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
40 Orofaríngea: Relativo à orofaringe.
41 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
42 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
43 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
44 Epistaxe: Hemorragia de origem nasal.
45 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
46 Gengivite: Condição em que as gengivas apresentam-se com sinais inflamatórios e sangramentos.
47 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
48 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
49 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
50 Edema angioneurótico: Ataques recidivantes de edema transitório que aparecem subitamente em áreas da pele, membranas mucosas e ocasionalmente nas vísceras, geralmente associadas com dermatografismo, urticária, eritema e púrpura.
51 Inchaço: Inchação, edema.
52 Língua:
53 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
54 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
55 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
56 Trato Urinário:
57 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
58 Pressão intraocular: É a medida da pressão dos olhos. É a pressão do líquido dentro do olho.
59 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
60 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
61 Laringite: Inflamação da mucosa que recobre a laringe. É muito freqüente durante os meses frios, e é produzida por uma infecção viral. Apresenta-se com dor, alterações da fonação (disfonia), tosse e febre.
62 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
63 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
64 Disfagia: Sensação consciente da passagem dos alimentos através do esôfago. Pode estar associado a doenças motoras, inflamatórias ou tumorais deste órgão.
65 Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).
66 Glossite: Inflamação da mucosa que reveste a língua, produzida por infecção viral, radiação, carências nutricionais, etc.
67 Íleo paralítico: O íleo adinâmico, também denominado íleo paralítico, reflexo, por inibição ou pós-operatório, é definido como uma atonia reflexa gastrintestinal, onde o conteúdo não é propelido através do lúmen, devido à parada da atividade peristáltica, sem uma causa mecânica. É distúrbio comum do pós-operatório podendo-se afirmar que ocorre após toda cirurgia abdominal, como resposta “fisiológica“ à intervenção, variando somente sua intensidade, afetando todo o aparelho digestivo ou parte dele.
68 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
69 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
70 Articulações:
71 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
72 Disúria: Dificuldade para urinar. Pode produzir ardor, dor, micção intermitente, etc. Em geral corresponde a uma infecção urinária.
73 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
74 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
75 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
76 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
77 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.

Tem alguma dúvida sobre Spiriva Respimat?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.