NASTERID A

ATIVUS

Atualizado em 09/12/2014

Nasterid A
Finasterida

   

Forma Farmacêutica e Apresentação de Nasterid a

Comprimidos revestidos de 1mg - caixa contendo 30 comprimidos revestidos.

USO ADULTO

Composição de Nasterid a

Comprimidos revestidos de 1mg: cada comprimido revestido contém:

Finasterida 1 mg

Excipientes: Amido de Milho, Estearato de Magnésio, Talco, Polietilenoglicol, Dióxido de Titânio, Corante, Copolímero Ácido Metacrílico.

Informações ao Paciente de Nasterid a

A Finasterida inibe a conversão de testosterona em diidrotestosterona pela inibição da enzima1 5-a-redutase. A diidrotestosterona é um potente hormônio2 masculino responsável pelo surgimento de certo tipo de calvície3, denominada calvície3 de padrão masculino ou alopecia4 androgenética. A redução dos níveis de diidrotestosterona devido ao uso de Finasterida reverte o quadro de calvície3.

Cuidados na Conservação: O medicamento deve ser conservado ao abrigo da luz, calor e umidade em temperatura entre 15 e 30°C.


Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação.

Verifique a data de fabricação no cartucho.

Não use medicamento com prazo de validade vencido.


Gravidez5 e Lactação6: Mulheres de pacientes em tratamento com NASTERID-A (Finasterida) que estão ou possam vir a ficar grávidas devem evitar a manipulação dos comprimidos, bem como a exposição ao sêmen7. O uso de NASTERID-A (Finasterida) está contra-indicado em mulheres amamentando.Informe seu médico a ocorrência de gravidez5 na vigência do tratamento ou após seu término. Informe ao médico se estiver amamentando.


Cuidados na administração: Finasterida deve ser administrada por via oral, com ou sem alimentos.

É importante seguir a orientação do seu médico. Na maioria das vezes a melhora da alopecia4 se nota após 3 meses de tratamento e a suspensão deste acarreta em possível retorno do quadro em 12 meses.

Siga a orientação de seu médico respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.


NÃO INTERROMPER O TRATAMENTO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO

Reações Adversas: A Finasterida, em doses de 1mg ao dia, não costuma desenvolver sintomas8 desagradáveis, porém, caso ocorra: impotência9 sexual, diminuição do volume de ejaculação10 e diminuição da libido11, informe ao seu médico.


TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

Contra-indicações e Precauções: NASTERID-A (Finasterida) está contra-indicado em pacientes com antecedentes de hipersensibilidade a quaisquer componentes da fórmula.


NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE12

Informações Técnicas de Nasterid a

A Finasterida é um componente 4-azasteróide sintético, um potente inibidor da 5-a-redutase, enzima1 intracelular responsável pela conversão da testosterona em diidrotestosterona (DHT). A DHT é um potente hormônio2 masculinizante e sua ação se faz no estímulo do crescimento da glândula13 prostática, na secreção de gordura14 pelas glândulas sebáceas15 e no crescimento de pêlos.

A DHT induz efeitos androgênicos16 pela ligação ao andrógeno17 receptor no núcleo da célula18 deste órgão. A Finasterida é um inibidor competitivo específico da 5-a-redutase. Isto foi demonstrado "in vivo"e "in vitro". Seu uso reduz significativamente a concentração de DHT no soro19 e nos tecidos. A Finasterida não tem afinidade pelo andrógeno17 receptor. No homem, o metabólito20 da 5-a-redutase no sangue21 e urina22 diminui depois da administração de Finasterida.

Doses maiores de Finasterida (5mg) produzem uma rápida redução na concentração de DHT sérica, com observação do efeito máximo em 8 horas após a primeira dose. A supressão de DHT é mantida por 24 horas no intervalo de horas e com continuação do tratamento. Doses diárias de Finasterida têm demonstrado reduzir a concentração sérica de DHT a aproximadamente 70%. O nível de circulação23 mediana de testosterona diminui ao redor de 10%, mas se mantém com a média fisiológica24.

Adultos do sexo masculino que tenham como herança genética a deficiência de 5-a-redutase também tem diminuição do nível de DHT. Com exceção da associação na presença de defeitos urogenitais de nascimento, nenhuma outra anormalidade clínica relacionada à deficiência de 5-a-redutase também tem sido observada nestes indivíduos.

Após uma única dose de 1mg de Finasterida, temos um pico plasmático em 2 horas, com concentração plasmática máxima de 9,2ng/ml de plasma25, sua excreção se faz em 39% pela urina22 na forma de metabólitos26 (devido a ação do citocromo P450), 57% é excretada nas fezes e pequena quantidade de Finasterida pode ser identificada no líquido seminal27. Sua depuração plasmática é de 165ml/min. Sua biodisponibilidade é de 80%, sendo que os alimentos não interferem na sua taxa de absorção. Aproximadamente 90% da Finasterida está ligada às proteínas28 plasmáticas e seu volume de distribuição é de 76 litros.
   

Indicações de Nasterid a

NASTERID-A (Finasterida) é indicado para o tratamento da alopecia4 androgenética, para aumentar o crescimento do cabelo29 e para prevenir queda adicional de cabelo29.

Contra-Indicações de Nasterid a

Finasterida é contra-indicada para crianças e pacientes com história de hipersensibilidade à Finasterida ou a quaisquer um dos componentes da formulação. Uso na gravidez5: NASTERID-A (Finasterida) é contra-indicado em mulheres grávidas ou que possam vir a ficar grávidas. Devido à capacidade dos inibidores da 5-a-redutase, como a Finasterida, de inibir a conversão de testosterona em diidrotestosterona, essas drogas podem causar anormalidades na genitália30 externa dos fetos do sexo masculino quando administrada a uma mulher grávida. Mulheres grávidas não devem manusear Finasterida pelo alto risco subseqüente para o feto31 do sexo masculino. A Finasterida pode ser encontrada no ejaculado de homens em tratamento de alopecia4. Dessa forma, quando a parceira sexual de um paciente em tratamento estiver grávida ou puder engravidar, o paciente deverá evitar a exposição da sua parceira ao sêmen7 ou descontinuar o tratamento.

Precauções de Nasterid a

Deve-se levar em conta que a Finasterida age na próstata32 e que seu uso pode reduzir em até 50% os valores de PSA (Antígeno33 Prostático Específico). Logo, isto deve ser valorizado em pacientes com patologias prostática. Insuficiência hepática34: Não existe informação sobre a farmacocinética e a tolerância à Finasterida em indivíduos com insuficiência hepática34. Insuficiência renal35: Não é necessário ajuste posológico em pacientes com graus variados de insuficiência renal35 (depuração de creatinina36 de até 9ml/min), pois os estudos de farmacocinética não indicaram qualquer alteração da biodisponibilidade da droga. Mulheres amamentando: Não se tem trabalhos mostrando se a Finasterida é excretada no leite.

Interações Medicamentosas de Nasterid a

Na dose de 1mg ao dia de Finasterida não se observou interação medicamentosa com as seguintes substâncias: propranolol, digoxina, varfarina, antipirina, teofilina, inibidores da ECA, a-bloqueadores, b-bloqueadores, bloqueadores dos canais de cálcio, nitratos cardíacos, diuréticos37, antagonistas H2, inibidores da HMG-CoA redutase, antiinflamatórios não-esteróides, quinolonas, benzodiazepínicos, analgésicos38 e anticonvulsivantes. Não se observa interação com outras drogas que tenham o citocromo P450 como local de metabolização.

Reações Adversas de Nasterid a

Na dose de 1mg a Finasterida é bem tolerada. Os efeitos adversos mais freqüentemente relatados estavam relacionados com a função sexual. Os seguintes efeitos colaterais39 foram observados: impotência9 (1,7%), redução da libido11 (1,8%) e redução no volume do ejaculado (0,8%). O perfil de efeitos adversos nestes pacientes não foi significativamente maior que o grupo placebo40. A incidência41 de efeitos colaterais39 sexuais relacionados à droga diminuiu ao longo do tempo de tratamento, sendo que em mais de 60% dos pacientes que apresentaram esses efeitos adversos, o problema foi solucionado com a continuidade da terapia. Podem ocorrer raros casos de reações de hipersensibilidade, incluindo edema42 labial e erupções cutâneas43.

Posologia de Nasterid a

A dose recomendada é de 1mg ao dia com ou sem os alimentos, sendo que o tempo de melhora clínica é em torno de 3 meses. A duração total do tratamento deverá ser determinada mediante a resposta do paciente.

Superdose de Nasterid a

Alguns pacientes receberam doses únicas de Finasterida de até 400mg e doses múltiplas de até 80mg/dia durante 3 meses, sem efeitos adversos. Não há terapia específica recomendada na superdose de Finasterida.

Advertência e Recomendações Para Pacientes44 com Idade Superior à 65 Anos de Nasterid a

Não existe nenhuma restrição para o uso do medicamento nesta faixa etária. Embora alguns estudos de farmacocinética tenham demonstrado que a eliminação da Finasterida é diminuída em pacientes com mais de 70 anos de idade, sua posologia deve ser a mesma.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

NASTERID A - Laboratório

ATIVUS
Rua Fonte Mécia, 2050 - São Pedro
Valinhos/SP - CEP: 13270-000
Tel: (19) 3849 8600
Site: http://www.ativus.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ATIVUS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
2 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
3 Calvície: Também chamada de alopécia androgenética é uma manifestação fisiológica que ocorre em indivíduos geneticamente predispostos, sendo que a herança genética pode vir do lado paterno ou materno. É resultado da estimulação dos folículos pilosos por hormônios masculinos que começam a ser produzidos na adolescência (testosterona). Ao atingir o couro cabeludo de pacientes com tendência genética para a calvície, a testosterona sofre a ação de uma enzima, a 5-alfa-redutase, e é transformada em diidrotestosterona (DHT). É a DHT que vai agir sobre os folículos pilosos promovendo a sua diminuição progressiva. O resultado final deste processo de diminuição e afinamento dos fios de cabelo é a calvície.
4 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
7 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
10 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
11 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
14 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
15 Glândulas Sebáceas: Órgãos formados por pequenas bolsas, localizados na DERME. Cada glândula apresenta um único ducto que emerge de um grupo de alvéolos ovais. Cada alvéolo é constituído por uma membrana basal transparente, encerrando células epiteliais. Os ductos da maior parte das glândulas sebáceas se abrem nos folículos pilosos, porém alguns se abrem na superfície da PELE. Glândulas sebáceas secretam SEBO.
16 Androgênicos: Relativos à androgenia e a androgênios. Androgênios são hormônios esteroides, controladores do crescimento dos órgãos sexuais masculinos. O hormônio natural masculino é a testosterona.
17 Andrógeno: Termo genérico para qualquer composto natural ou sintético, geralmente um hormônio esteróide, que estimula ou controla o desenvolvimento e manutenção das características masculinas em vertebrados ao ligar-se a receptores andrógenos. Isso inclui a atividade dos órgãos sexuais masculinos acessórios e o desenvolvimento de características sexuais secundárias masculinas. Também são os esteróides anabólicos originais. São precursores de todos os estrógenos, os hormônios sexuais femininos. São exemplos de andrógeno: testosterona, dehidroepiandrosterona (DHEA), androstenediona (Andro), androstenediol, androsterona e dihidrotestosterona (DHT).
18 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
19 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
20 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
21 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
22 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
23 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
24 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
25 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
26 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
27 Líquido seminal: Líquido seminal é um líquido pré-ejaculatório, que limpa o canal da uretra, neutralizando o pH e matando possíveis micro-organismos, para que o esperma não seja contaminado.
28 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
29 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
30 Genitália: Órgãos externos e internos relacionados com a reprodução. Sinônimos: Órgãos Sexuais Acessórios; Órgãos Genitais; Órgãos Acessórios Sexuais
31 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
32 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
33 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
34 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
35 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
36 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
37 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
38 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
39 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
40 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
41 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
42 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
43 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
44 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.

Tem alguma dúvida sobre NASTERID A?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.