PAREXEL

ZODIAC

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Parexel

cada frasco-ampola contém: paclitaxel 30 mg,veículo (Cremophor EL, Álcool anidro) q.s.p. 5 ml.

Posologia e Administração de Parexel

informação geral: os pacientes que receberam paclitaxel anteriormente devem ser supervisionados por um médico experiente em quimioterapia1 contra o câncer2. Recomenda-se que os pacientes estejam sob contínua observação durante os primeiros 30 minutos da infusão e em intervalos freqüentes posteriormente. Devem estar imediatamente disponíveis o equipo e medicamentos (incluindo adrenalina3 e oxigênio) necessários para o tratamento de uma possível reação anafilática4. A agulha deve ser colocada cuidadosamente na veia para evitar extravasamento com resultante flebite5 e celulite6. Sintomas7 de hipersensibilidade leve: rubor, reações cutâneas8, dispnéia9, hipotensão10, taquicardia11 (não requerem a interrupção da terapia com paclitaxel). Porém, as reações severas (hipotensão10 requerendo tratamento, dispnéia9 requerendo broncodilatadores12, angioedema13 ou urticária14 generalizada) requerem a imediata descontinuação do tratamento com paclitaxel e uma terapia sintomática15 agressiva. Recomenda-se, geralmente, que a administração de paclitaxel não seja repetida em pacientes que apresentaram severas reações de hipersensibilidade à medicação. Porém, em pacientes com respostas tumorais objetivas e sem outras opções à terapia com paclitaxel, um novo tratamento pode ser administrado com extrema cautela e com medicação agressiva indicada por médicos experientes. Se ocorrer severa neuropatia16, recomenda-se que a dose subseqüente de paclitaxel seja reduzida em 20%. Se ocorrerem anormalidades significativas da condução cardíaca durante a administração de paclitaxel, recomenda-se terapia adequada conjuntamente com monitorização cardíaca contínua durante a administração subseqüente de paclitaxel. Se ocorrer neutropenia17 severa (contagem de neutrófilos18 menor que 500 cel/mm3 durante 7 dias ou mais) durante um curso de paclitaxel, recomenda-se que a dose de paclitaxel para os cursos posteriores seja reduzida em 20%. Os pacientes que desenvolvem leucopenia19 devem ser observados cuidadosamente quanto a sinais20 de infecção21. Pode ser necessário tratamento com antibióticos. Nos pacientes neutropênicos que desenvolvem febre22, deve iniciar-se cobertura com antibióticos de amplo espectro, no aguardo de culturas bacterianas e provas diagnósticas adequadas. Recomendam-se precauções especiais em pacientes que desenvolvem trombocitopenia23. Em particular, extremo cuidado na realização de procedimentos invasores; inspeção24 regular de venopunções, pele25 (incluindo área perirretal) e superfícies de membranas mucosas26 referentes a sinais20 de hemorragia27 ou hematomas28. Limitar a freqüência de venopunções e evitar injeções intramusculares; realizar provas de urina29, êmese30, fezes e secreções relativas a sangue31 oculto; uso cuidadoso de escova e fio dental, palitos de dente32, tesoura de unhas33; evitar constipação34 e prevenir quedas e outras lesões35. Tais pacientes devem evitar bebidas alcoólicas e aspirina devido ao risco de hemorragia27 gastrintestinal. Pode requerer-se transfusões de plaquetas36. Cuidados para manuseio e administração: cuidados de antissepsia durante a reconstituição e diluição de medicamentos parenterais, incluindo o uso de luvas e máscaras cirúrgicas descartáveis; uso de técnica adequada para prevenção de contaminação da medicação, da área de trabalho e do operador durante a transferência entre recipientes; descarte prudente e adequado de agulhas, seringas, frascos-ampola, ampolas e sobras de medicação. Devido à sua toxicidade37, Parexel deve ser manuseado com luvas. Evitar o contato do produto com a pele25 e mucosas26. Se a solução de paclitaxel entrar em contato com a pele25, lavar imediatamente com água e sabão. Se houver contato com as mucosas26, recomenda-se lavar abundantemente com água. Com o objetivo de minimizar a exposição do paciente ao DEHP [di-(2-etil-hexil)ftalato], material contido nos frascos de PVC, a solução diluída de paclitaxel deve ser preparada e armazenada em frascos de vidro ou polipropileno, e ser administrada através de equipo de polietileno. Parexel deverá ser administrado com um filtro com uma membrana de microporos não maiores que 0,22 micra. Todos os pacientes devem ser pré-medicados para evitar reações de hipersensibilidade severa conforme descrito a seguir: dexametasona 20 mg via oral 12 e 6 horas antes; difenidramina (ou equivalente) 50 mg EV 30 a 60 minutos antes e cimetidina (300 mg) ou ranitidina (50 mg) EV 30 a 60 minutos antes do paclitaxel. O conteúdo do frasco-ampola deve ser diluído antes da administração. Posologia recomendada (adultos): no caso de pacientes já previamente submetidos à quimioterapia1 para tratamento de carcinoma38 metastático de ovário39, apesar do esquema ideal de tratamento ainda não ter sido determinado, a dose utilizada, em diversos estudos clínicos, foi de 135 ou 175 mg/m2 por infusão endovenosa durante, no mínimo, 3 horas a cada 3 semanas. Para pacientes40 com carcinoma38 metastático de mama41, após o insucesso da terapêutica42 de primeira linha, a dose utilizada em diversos estudos clínicos foi de 175 mg/m2, administrada por infusão endovenosa durante, no mínimo, 3 horas, em intervalos de 3 semanas. O paclitaxel foi também utilizado por diversos investigadores através de infusão endovenosa por 24 horas. Preparação para administração endovenosa: Parexel deve ser diluído a uma concentração de 0,3 a 1,2 mg/ml em solução fisiológica43 de cloreto de sódio a 0,9%, glicose44 a 5% ou solução de Ringer em glicose44 a 5%. Cuidados de armazenamento/estabilidade: as soluções diluídas de paclitaxel são estáveis por 24 horas à temperatura ambiente sob condições normais de iluminação. Os frascos-ampola fechados devem ser armazenados sob refrigeração (2º - 8º). O produto não sofre alteração se congelado. Após resfriamento, pode ocorrer precipitação ou turvação. Caso isso ocorra, esperar até que o produto alcance novamente a temperatura ambiente e, se necessário, agitar suavemente. Se persistir a turvação do meio ou a formação de precipitado, o produto deverá ser descartado. Superdosagem: não se conhece antídoto45 para a superdosagem de paclitaxel. A complicação primária da superdosagem consiste de supressão da medula óssea46, neuropatia periférica47 e mucosite48. Recomenda-se terapia sintomática15 e medidas de suporte clínico.

Precauções de Parexel

os pacientes devem ser pré-tratados com corticosteróides (como dexametasona), difenidramina e antagonistas H2 (como cimetidina ou ranitidina) antes de receberem paclitaxel. As reações de hipersensibilidade graves caracterizadas por dispnéia9 e hipotensão10 necessitam de tratamento; ocorreu angioedema13 e urticária14 generalizada. Estas reações são, provavelmente, mediadas pela histamina49. Os pacientes que apresentaram reações de hipersensibilidade não devem receber novamente o fármaco50. A supressão da função da medula óssea46 (neutropenia17 inicialmente) é dose-dependente e é o fator de toxicidade37 limitante da dose. A diminuição dos neutrófilos18 atinge seu ponto máximo em média no 11º dia após administração do paclitaxel. Deve-se realizar monitorização freqüente do hemograma durante o tratamento com paclitaxel. Os pacientes não devem receber ciclos subseqüentes de paclitaxel até que os neutrófilos18 estejam acima de 1.500 cel/mm3 e as plaquetas36 superiores a 100.000 cel/mm3. Foram observadas anormalidades graves da condução do impulso elétrico cardíaco em 2 pacientes. No caso de neutropenia17 severa (< 500 cel/mm3 por 7 dias ou mais) durante um curso de paclitaxel, recomenda-se uma diminuição da dose de 20% para os cursos subseqüentes. Os pacientes com antecedentes de quimioterapia1 apresentam maior grau de mielossupressão. Existem poucos relatos com estes pacientes com doses superiores a 135 mg/m2. Pacientes com história de reação de hipersensibilidade a produtos que contém Cremophor EL não devem receber paclitaxel. Os sintomas7 menores, tais como, vermelhidão facial, reações cutâneas8, dispnéia9, hipertensão51 ou taquicardia11 não necessitam de interrupção do tratamento. Todavia, as reações severas como hipertensão51 que requer tratamento, dispnéia9 que necessita de broncodilatadores12, angioedema13 ou urticária14 generalizada, requerem interrupção imediata do tratamento com paclitaxel e um tratamento sintomático52 agressivo. Embora a aparição de neuropatia periférica47 seja freqüente, o desenvolvimento de sintomatologia grave é raro e requer redução em 20% da dose em todos os ciclos subseqüentes de paclitaxel. Não existe evidência de que a toxicidade37 de paclitaxel aumente em pacientes com enzimas hepáticas53 elevadas, porém não existe informação disponível para pacientes40 com colestase54 severa prévia. Uma vez que o paclitaxel é metabolizado pelo fígado55, recomenda-se cautela quando é administrado a pacientes com comprometimento hepático severo. Deve-se evitar o contato da solução concentrada sem prévia diluição com equipos plásticos de PVC utilizados para preparar soluções. Com o objetivo de minimizar a exposição do paciente ao DEHP [di-(2-etil-hexil)-ftalato], material contido nos frascos de PVC, a solução diluída de paclitaxel deve ser armazenada em frascos de vidro ou polipropileno e ser administrada através de equipo de polietileno. Paclitaxel deverá ser administrado com um filtro com uma membrana de microporos não maiores que 0,22 micra. - Gravidez56 e lactação57: Paclitaxel pode determinar dano fetal quando administrado a mulheres grávidas. Outros riscos para o feto58 incluem as reações adversas observadas em adultos. Paclitaxel demonstrou embriotoxicidade e fetotoxicidade em ratos e coelhos. Não existem estudos em mulheres grávidas. Paclitaxel não deve ser usado durante a gravidez56 ou, se engravidar durante o tratamento, a paciente deverá ser informada sobre os riscos potenciais. Recomenda-se o uso de contraceptivos durante o tratamento com paclitaxel. Não se sabe se paclitaxel é excretado pelo leite humano. Como muitas drogas são excretadas pelo leite humano e devido ao potencial de reações adversas aos lactentes59, recomenda-se suspender a amamentação60 natural quando se recebe paclitaxel. - Uso pediátrico: a segurança e eficácia do uso de paclitaxel em crianças não foi estabelecida. Carcinogênese e mutagênese: carcinogênese: não foram realizados estudos com paclitaxel. As neoplasias61 secundárias são efeitos potenciais em longo prazo de muitos agentes antineoplásicos, embora não tenha sido esclarecido se o efeito está relacionado com a ação mutagênica ou imunossupressora. O efeito da dose e duração do tratamento são desconhecidos, porém o risco parece aumentar com o uso a longo prazo. A informação disponível é limitada e parece indicar que o risco carcinogênico é maior com os agentes alquilantes. Mutagênese: Paclitaxel é mutagênico in vitro (aberrações cromossômicas em linfócitos humanos) e in vivo através de prova de micronúcleos em ratos (sistema de prova em mamíferos). Porém, o paclitaxel não foi mutagênico na prova de AMES ou de mutação62 de genes CHO/HGPRT. - Interferência com exames laboratoriais: fosfatase alcalina63, aspartato aminotransferase, bilirrubina64, triglicérides65: os valores séricos podem estar aumentados. Deve ser considerado o risco/benefício quando existirem os seguintes problemas médicos: depressão da medula66-óssea: não se recomenda o uso de paclitaxel se a contagem de neutrófilos18 for inferior a 1.500 cel/mm3. Novos cursos só podem ser administrados após a contagem de neutrófilos18 tornar-se superior a 1.500 cel/mm3 e contagem de plaquetas36 superior a 100.000 cel/mm3. Insuficiência cardíaca67, incluindo: angina68; anormalidades da condução cardíaca; insuficiência cardíaca congestiva69; história de infarto70 de miocárdio71 nos últimos 6 meses; varicela72, existente ou recente; herpes-zóster. Infecção21; deve ser utilizado com cautela em pacientes que tenham recebido terapia prévia com quimioterápicos citotóxicos73 ou terapia por radiação. - Monitorização do paciente: os seguintes exames e testes laboratoriais estão recomendados durante o tratamento com paclitaxel: hematócrito74 ou hemoglobina75; leucograma completo; plaquetometria; controle dos sinais vitais76. - Interações medicamentosas: nos estudos da Fase 1, utilizando doses crescentes de paclitaxel (110 - 200 mg/m2) e cisplatina (50 a 75 mg/m2) administradas sob infusão seqüencial, a mielossupressão foi mais acentuada quando paclitaxel foi dado após cisplatina. Os estudos farmacocinéticos destes pacientes demonstraram uma diminuição no clearance de aproximadamente 33% quando paclitaxel foi administrado após cisplatina. Baseado em dados in vitro existe a possibilidade de uma inibição no metabolismo77 de paclitaxel em pacientes tratados com cetoconazol. Portanto, recomenda-se cautela quando administra-se paclitaxel a pacientes recebendo concomitantemente cetoconazol. O uso concomitante de paclitaxel com outras drogas que causem discrasias sangüíneas78 pode exacerbar os efeitos de leucopenia19 e/ou trombocitopenia23. Neste caso, recomenda-se ajuste da dose de paclitaxel de acordo com as contagens sangüíneas. Vacinas: não se recomenda a administração de vacinas durante o tratamento com paclitaxel, pois a resposta de anticorpos79 do paciente à vacina80 pode estar reduzida. A vacinação destes pacientes depende de criteriosa avaliação médica do quadro hematológico. Estima-se um período de 3 meses a 1 ano, após a descontinuação do tratamento, para restauração da capacidade de resposta do paciente à vacina80.

Reações Adversas de Parexel

a neutropenia17 é o principal efeito limitante da dose. Reações adversas que indicam a necessidade de atenção médica: incidência81 mais freqüente: anemia82 (usualmente assintomática); reação de hipersensibilidade (rubor facial, erupção83 cutânea84, dispnéia9; em raras ocasiões - mesmo com adequada pré-medicação - dispnéia9 severa, reação cutânea84 severa); leucopenia19 ou neutropenia17 com ou sem infecção21 (febre22 ou calafrios85, tosse, dor no dorso86 ou lateral do tórax87, micção88 dolorosa ou dificultada); trombocitopenia23 assintomática; com menor freqüência: hemorragia27 não usual ou hematomas28, melena89, sangue31 na urina29 ou nas fezes, petéquias90. A incidência81 e severidade da anemia82 parecem aumentar com o incremento da dose de paclitaxel. Com pré-medicação adequada, as reações de hipersensibilidade são habitualmente leves (rubor facial, erupção83 cutânea84, dispnéia9). Podem, porém, ocorrer reações severas (hipotensão10 que requer tratamento, dispnéia9 que requer broncodilatadores12, angioedema13 ou urticária14 generalizada, dor torácica), mesmo com pré-medicação e ser necessária a imediata descontinuação do tratamento com paclitaxel e tratamento sintomático52 agressivo. Os sintomas7 severos ocorrem habitualmente durante os primeiros 10 minutos de infusão de paclitaxel, depois da primeira ou segunda dose. Em um paciente houve uma reação fatal por não haver sido pré-medicado. No geral recomenda-se que paclitaxel não seja administrado a pacientes que tenham experimentado uma severa reação de hipersensibilidade. Porém, em pacientes com respostas tumorais objetivas ou sem outras opções à terapia de paclitaxel, pode-se tentar um novo tratamento, com extrema cautela e pré-medicação agressiva controlada por médicos experientes. A neutropenia17 severa (contagem de neutrófilos18 inferior a 500 cel/mm3) é comum, porém somente infreqüentemente persiste durante mais de 7 dias. O ponto mais baixo da contagem de neutrófilos18 ocorre, comumente, em próximo ao 11º dia de terapia com paclitaxel. No geral, a neutropenia17 é rapidamente reversível com recuperação para o 15º a 21º dia. A neutropenia17 acumulativa não ocorre. As infecções91 mais comuns associadas com neutropenia17 são infecções91 do trato urinário92, respiratório superior e sepse93. Têm ocorrido casos fatais devido à sepse93 relacionada com neutropenia17. Na trombocitopenia23, o ponto mais baixo da contagem ocorre habitualmente no 8º ou 9º dia após a terapia com paclitaxel. A contagem de plaquetas36 geralmente não cai abaixo de 100.000 cel/mm3. Os episódios hemorrágicos94 também podem estar relacionados com a enfermidade. Incidência81 menos freqüente: efeitos cardiovasculares, incluindo bradicardia95, hipotensão10 ou ECG anormal (habitualmente assintomáticos); elevação de enzimas hepáticas53 no soro96 (assintomático). Os efeitos cardiovasculares também têm incluído bloqueio atrioventricular mais severo (AV), resultando, ocasionalmente, em bloqueio de terceiro grau que obriga a aplicação de um marca-passo97. Dores torácicas atípicas e infarto70 de miocárdio71 fatal também têm ocorrido, assim como bloqueio do ramo assintomático e taquicardia11 ventricular transitória; não obstante, se desconhece a relação exata com paclitaxel. Incidência81 rara: extravasamento com flebite5 ou celulite6 (dor ou enrijecimento no local da injeção98); mucosite48, feridas na boca99 e nos lábios. A mucosite48 orofaríngea100 está relacionada com a dose; é infreqüente ou leve com as doses usuais recomendadas e usualmente se resolve aos 5 a 7 dias após o tratamento. Existem, porém, relatos sobre necrose101 do epitélio102 esofágico e intestinal e ulcerações103. Reações adversas que indicam a necessidade de atenção médica somente se persistem ou incomodam: incidência81 mais freqüente: artralgias104 ou mialgias105 (dor nas articulações106 ou músculos107, especialmente nos braços e pernas), diarréia108, náuseas109 e vômitos110, neuropatia periférica47 incluindo leve parestesia111 (falta de sensibilidade, ardor112 e prurido113 nas mãos114 ou pernas). - Nota: artralgias104 ou mialgias105 começam, geralmente, 2 ou 3 dias após o tratamento e desaparecem no prazo de 5 dias. A dor é habitualmente aliviada com analgésicos115, mas ocasionalmente pode ser severa o suficiente para requerer narcóticos. Náuseas109 e vômitos110 são habitualmente leves ou moderados. A incidência81 e severidade da neuropatia periférica47 está relacionada com as doses habituais, podendo ocorrer neuropatia16 sensitiva distribuída em forma de luvas e botas. Somente em raras ocasiões é necessária a descontinuação do tratamento com paclitaxel. Doses altas (maiores que 250 mg/m2 de superfície corporal) podem causar disfunção motora e autonômica limitante da dose, especialmente em pacientes com neuropatias preexistentes, que podem apresentar-se entre 24 a 72 horas depois do tratamento. Reações adversas que não requerem atenção médica: incidência81 mais freqüente: alopecia116. A perda total dos cabelos ocorre geralmente entre 14 e 21 dias, mas é reversível após término da terapia.

Contra-Indicações de Parexel

hipersensibilidade ao princípio ativo ou ao Cremophor EL e em pacientes com neutropenia17 ( < 1500 cel/mm3).

Indicações de Parexel

terapêutica42 antineoplásica para o tratamento do câncer2 de ovário39 ou de mama41 metastático após fracasso da terapêutica42 de primeira linha ou dos quimioterápicos subseqüentes.

Apresentação de Parexel

caixas com 1 frasco-ampola de 30 mg.


PAREXEL - Laboratório

ZODIAC
Rua Traipu, 755
São Paulo/SP - CEP: 01235-000
Tel: (11 )263-6166
Fax: (11 3)676-0524

Ver outros medicamentos do laboratório "ZODIAC"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
4 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
5 Flebite: Inflamação da parede interna de uma veia. Pode ser acompanhada ou não de trombose da mesma.
6 Celulite: Inflamação aguda das estruturas cutâneas, incluindo o tecido adiposo subjacente, geralmente produzida por um agente infeccioso e manifestada por dor, rubor, aumento da temperatura local, febre e mal estar geral.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
9 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
10 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
11 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
12 Broncodilatadores: São substâncias farmacologicamente ativas que promovem a dilatação dos brônquios.
13 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
14 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
15 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
16 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
17 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
18 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
19 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
20 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
21 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
22 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
23 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
24 Inspeção: 1. Ato ou efeito de inspecionar; exame, vistoria, inspecionamento. 2. Ato ou efeito de fiscalizar; fiscalização, supervisão, observação. 3. Exame feito por inspetor (es).
25 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
26 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
27 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
28 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
29 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
30 Êmese: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Sinônimo de vômito. Pode ser classificada como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
32 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
33 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
34 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
35 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
36 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
37 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
38 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
39 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
40 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
41 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
42 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
43 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
44 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
45 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
46 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
47 Neuropatia periférica: Dano causado aos nervos que afetam os pés, as pernas e as mãos. A neuropatia causa dor, falta de sensibilidade ou formigamentos no local.
48 Mucosite: Inflamação de uma membrana mucosa, produzida por uma infecção ou lesão secundária à radioterapia, quimioterapia, carências nutricionais, etc.
49 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
50 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
51 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
52 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
53 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
54 Colestase: Retardamento ou interrupção do fluxo nos canais biliares.
55 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
56 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
57 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
58 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
59 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
60 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
61 Neoplasias: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
62 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
63 Fosfatase alcalina: É uma hidrolase, ou seja, uma enzima que possui capacidade de retirar grupos de fosfato de uma distinta gama de moléculas, tais como nucleotídeos, proteínas e alcaloides. Ela é sintetizada por diferentes órgãos e tecidos, como, por exemplo, os ossos, fígado e placenta.
64 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
65 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
66 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
67 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
68 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
69 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
70 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
71 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
72 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
73 Citotóxicos: Diz-se das substâncias que são tóxicas às células ou que impedem o crescimento de um tecido celular.
74 Hematócrito: Exame de laboratório que expressa a concentração de glóbulos vermelhos no sangue.
75 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
76 Sinais vitais: Conjunto de variáveis fisiológicas que são pressão arterial, freqüência cardíaca, freqüência respiratória e temperatura corporal.
77 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
78 Discrasias sangüíneas: Qualquer alteração envolvendo os elementos celulares do sangue, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.
79 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
80 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
81 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
82 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
83 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
84 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
85 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
86 Dorso: Face superior ou posterior de qualquer parte do corpo. Na anatomia geral, é a região posterior do tronco correspondente às vértebras; costas.
87 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
88 Micção: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
89 Melena: Eliminação de fezes de coloração negra, alcatroada. Relaciona-se com a presença de sangue proveniente da porção superior do tubo digestivo (esôfago, estômago e duodeno). Necessita de uma avaliação urgente, pois representa um quadro grave.
90 Petéquias: Pequenas lesões da pele ou das mucosas, de cor vermelha ou azulada, características da púrpura. São lesões hemorrágicas, que não desaparecem à pressão, cujo tamanho não ultrapassa alguns milímetros.
91 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
92 Trato Urinário:
93 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
94 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
95 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
96 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
97 Marca-passo: Dispositivo implantado no peito ou no abdômen com o por objetivo de regular os batimentos cardíacos.
98 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
99 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
100 Orofaríngea: Relativo à orofaringe.
101 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
102 Epitélio: Epitélio ou tecido epitelial é um tecido constituído por células justapostas, ou seja, intimamente unidas entre si. Sua principal função é revestir a superfície externa do corpo, os órgãos e as cavidades corporais internas. Os epitélios são eficientes barreiras contra a entrada de agentes invasores e a perda de líquidos corporais. Eles têm também funções secretoras, sensoriais e de absorção. O tecido epitelial é um dos quatro tipos de tecidos básicos do nosso organismo, juntamente com os tecidos conjuntivo, muscular e nervoso.
103 Ulcerações: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
104 Artralgias: Dor em articulações.
105 Mialgias: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
106 Articulações:
107 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
108 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
109 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
110 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
111 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
112 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
113 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
114 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
115 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
116 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.

Tem alguma dúvida sobre PAREXEL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.