PERSANTIN Drágeas

Boehringer Ingelheim

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Persantin Drágeas1

cada drágea2 de 75 mg contém: dipiridamol 75 mg.Excipientes: fosfato ácido de cálcio anidro, amido de milho, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, sacarose, talco, goma arábica em pó, dióxido de titânio, polietilenoglicol 6000, cera branca, cera de carnaúba, corante amarelo laranja S (85%), água purificada, etanol a 96% desnaturalizado com metiletilcetona. Cada drágea2 de 100 mg contém: dipiridamol 100 mg. Excipientes: fosfato ácido de cálcio anidro, amido de milho, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, sacarose, talco, goma arábica em pó, dióxido de titânio, polietilenoglicol 6000, cera branca, cera de carnaúba, água purificada, etanol a 96% desnaturalizado com metiletilcetona.

Posologia e Administração de Persantin Drágeas1

uso oral: na insuficiência3 coronariana, 150 a 225 mg ao dia, em doses fracionadas. O tratamento deve ser gradual, aumentando-se a dose conforme a necessidade e a tolerabilidade. Nas condições em que for desejável uma inibição da agregação plaquetária, recomendam-se doses entre 300 e 450 mg/dia, em administração fracionada. Em casos graves, a dose diária total poderá ser aumentada até 600 mg. - Superdosagem: sintomas4: sensação de calor, falta de ar, sudorese5, taquicardia6, inquietação, astenia7 e vertigem8, hipotensão9 e sintomatologia anginosa. Tratamento: medidas gerais de suporte. Como os derivados da xantina agem contra a atividade vasodilatadora de Persantin, pode ser útil à administração endovenosa lenta de aminofilina (50-100 mg durante 30-60 segundos). Caso não se consiga com 250 mg de aminofilina um alívio da sintomatologia anginosa, pode-se administrar nitroglicerina sublingual.

Precauções de Persantin Drágeas1

Persantin é um vasodilatador muito ativo e deve ser utilizado com prudência em pacientes com arteriopatia coronária grave (por exemplo, angina10 instável ou infarto do miocárdio11 recente), em casos de estenose12 aórtica subvalvular ou de instabilidade hemodinâmica13 (por exemplo, insuficiência cardíaca14 descompensada). Em pacientes com miastenia15 grave, pode ser necessário um reajuste da terapêutica16 durante o emprego de dipiridamol. Interações medicamentosas: quando do uso concomitante de anticoagulantes17 ou de ácido acetilsalicílico, deve-se ter em conta as precauções e advertências válidas para estes medicamentos. Dipiridamol pode potencializar o efeito hipotensor de fármacos anti-hipertensivos. Dipiridamol pode atuar contra os efeitos anticolinesterásicos18 dos inibidores da colinesterase. Derivados da xantina (encontrados, por exemplo, no café e no chá preto) podem atenuar os efeitos de dipiridamol e, portanto, devem ser evitados durante a administração de Persantin. - Gravidez19 e lactação20: como ocorre com todos os fármacos, durante a gravidez19 e o período de lactação20, Persantin somente deverá ser administrado em caso de absoluta necessidade.

Reações Adversas de Persantin Drágeas1

reações adversas a doses terapêuticas de Persantin, em geral são leves e passageiras. Têm sido observados vômitos21, diarréia22, sintomas4 subjetivos, tais como, vertigem8, náuseas23, cefaléia24 e mialgia25. Na maioria das vezes, estes efeitos desaparecem durante tratamentos em longo prazo. As propriedades vasodilatadoras de Persantin podem determinar hipotensão9, sensação de falta de ar e taquicardia6. Em casos excepcionais, observou-se uma piora da cardiopatia coronariana. Existem relatos de reações de hipersensibilidade, tais como, ocorrência de exantemas26 e urticária27. Raramente ocorreu um maior grau de hemorragia28 durante ou após cirurgias.

Contra-Indicações de Persantin Drágeas1

hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

Indicações de Persantin Drágeas1

todos os quadros nos quais se pode esperar um benefício terapêutico pela redução da adesividade e agregação plaquetária, como, por exemplo, na insuficiência3 coronariana, antes e durante cirurgias cardiovasculares e, sobretudo, como coadjuvante29 de anticoagulantes17 orais na profilaxia de tromboses30 decorrentes de próteses de válvulas cardíacas; em combinação com ácido acetilsalicílico na prevenção secundária do infarto do miocárdio11, acidentes cerebrovasculares, enfermidades arteriais periféricas, microangiopatias trombóticas31, tais como, retinopatia diabética32 e após terapêutica16 trombolítica, na cirurgia vascular33 e nas cirurgias de revascularização do miocárdio34.

Apresentação de Persantin Drágeas1

embalagens com 40 e 200 drágeas1 de 75 mg; embalagens com 50 drágeas1 de 100 mg.


PERSANTIN Drágeas - Laboratório

Boehringer Ingelheim
Av. Maria Coelho Aguiar,215-Bl. F - 3ºand
São Paulo/SP - CEP: 05804-970
Tel: 55 (011) 3741-2181
Fax: 55 (011) 3741-1648
Site: http://www.boehringer-ingelheim.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "Boehringer Ingelheim"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Drágeas: Comprimidos ou pílulas contendo preparado farmacêutico.
2 Drágea: Comprimido ou pílula contendo preparado farmacêutico.
3 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Sudorese: Suor excessivo
6 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
7 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
8 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
9 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
10 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
11 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
12 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
13 Hemodinâmica: Ramo da fisiologia que estuda as leis reguladoras da circulação do sangue nos vasos sanguíneos tais como velocidade, pressão etc.
14 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
15 Miastenia: Perda das forças musculares ocasionada por doenças musculares inflamatórias. Por ex. Miastenia Gravis. A debilidade pode predominar em diferentes grupos musculares segundo o tipo de afecção (debilidade nos músculos extrínsecos do olho, da pelve, ou dos ombros, etc.).
16 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
17 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
18 Anticolinesterásicos: Os agentes anticolinesterásicos inibem de modo aproximadamente igual a acetilcolinesterase e a pseudo-acetilcolinesterase. A acetilcolinesterase é uma enzima existente principalmente nas hemácias, sinapses (terminações nervosas) e músculos estriados. A pseudo-acetilcolinesterase é uma enzima existente principalmente no fígado, no plasma, no pâncreas e no intestino delgado.
19 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
20 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
21 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
22 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
23 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
24 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
25 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
26 Exantemas: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
27 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
28 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
29 Coadjuvante: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
30 Tromboses: Formações de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Podem ser venosas ou arteriais e produzem diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
31 Trombóticas: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
32 Retinopatia diabética: Dano causado aos pequenos vasos da retina dos diabéticos. Pode levar à perda da visão. Retinopatia não proliferativa ou retinopatia background Caracterizada por alterações intra-retinianas associadas ao aumento da permeabilidade capilar e à oclusão vascular que pode ou não ocorrer. São encontrados microaneurismas, edema macular e exsudatos duros (extravasamento de lipoproteínas). Também chamada de retinopatia simples.
33 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
34 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração

Tem alguma dúvida sobre PERSANTIN Drágeas?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.