VANCOMICINA 500 mg

ARISTON

Atualizado em 09/12/2014

Composição da Vancomicina

cada frasco-ampola contém: cloridrato devancomicina equivalente a 500 mg de vancomicina base. Cada ampola de diluente contém: 10 ml de água para injeção1.

Posologia e Administração da Vancomicina

adultos: a dose intravenosa usual diária é de 2000 mg divididos em 500 mg a cada 6 horas ou 1000 mg a cada 12 horas. Crianças: a dose intravenosa usual é de 10 mg/kg a cada 6 horas. Recém-nascidos e lactentes2: uma dose inicial de 15 mg/kg, seguida de 10 mg/kg a cada 12 horas na primeira semana de vida e a cada 8 horas até 1 mês de idade. Pacientes com insuficiência renal3 e idosos: uma redução na dose acima pode ser necessária. Para preparação da diluição inicial por via intravenosa adicionar 10 ml de água para injeção1 ao frasco de 500 mg. Para infusão intravenosa a solução resultante (500 mg/10 ml) deve-se diluir de novo em 100 a 200 ml de soluções como: soro4 glicosado a 5%, soro4 fisiológico5 (cloreto de sódio a 0,9%); glicose6 a 5% e cloreto de sódio a 0,9%; lactato7 de Ringer; lactato7 de Ringer e glicose6 a 5%; acetato de Ringer. As doses administradas por infusão intravenosa intermitente8 deve ser por um período de pelo menos 60 minutos. Administração oral: a Vancomicina administrada por via oral é usada no tratamento da colite9 pseudomembranosa causada por Clostridium difficile e enterocolite estafilocócica, relacionadas com o uso de antibióticos. A Vancomicina por via oral não é eficaz para outros tipos de infecções10. Adultos: a dose usual diária é de 500 mg a 2 g, administrada em 3 ou 4 vezes por 7 a 10 dias. Crianças: dose total diária é de 40 mg/kg divididos em 3 ou 4 vezes por 7 e 10 dias. A dose total diária não deve exceder a 2 g. A dose apropriada (500 mg) pode ser diluída em 30 ml de água e dada ao paciente para beber. Pode ser adicionado xarope comum aromatizado para melhorar o gosto ou administrar por tubo nasogástrico. - Superdosagem: a Vancomicina é muito pouco removida por diálise11. No tratamento da superdosagem, considerar a possibilidade de múltiplas drogas, interação entre drogas e cinéticas12 diferentes no paciente.

Precauções da Vancomicina

recomenda-se verificar cuidadosamente a sensibilidade do paciente a esse antibiótico. Não deve ser usada durante a gravidez13 e durante a lactação14, a menos que seja absolutamente necessário. O uso prolongado pode resultar no crescimento de microorganismos resistentes. Deve ser feita uma monitorização contínua da função renal15 em pacientes com insuficiência renal3 ou que estejam recebendo terapia concomitante com aminoglicosídeos. Testes seriados da função auditiva podem ser úteis para minimizar o risco de ototoxicidade16. Pacientes que estejam em tratamento prolongado ou que estejam recebendo concomitantemente drogas neutropênicas devem ter monitorização periódica na contagem de leucócitos17. Em pacientes geriátricos a diminuição natural na filtração glomerular pode levar a uma elevação da concentração sérica se a dose não for ajustada. - Interações medicamentosas: a administração concomitante com anestésicos tem sido associada com eritema18 e rubor tipo histamina19 e reações anafilactóides. O uso simultâneo e/ou seqüencial de outras drogas pode aumentar a possibilidade de se produzir ototoxicidade16 e/ou nefrotoxicidade20, tais drogas são à anfotericina B, aminoglicosídeos, bacitracina, polimixina B, cisplatina e furosemida. Nesses casos deve-se requerer cuidadosa monitorização.

Reações Adversas da Vancomicina

entre as reações de hipersensibilidade que têm sido produzidas pela Vancomicina estão as erupções cutâneas21 maculares e anafilaxia22. Flebite23 e dor no local da injeção1 venosa são relativamente pouco comuns. Podem ocorrer calafrios24 e febre25, bem como uma reação semelhante ao estado de choque26, durante o curso da infusão venosa. As reações secundárias adversas mais significativas envolvem ototoxicidade16 e nefrotoxicidade20.

Contra-Indicações da Vancomicina

em pacientes com hipersensibilidade à droga.

Indicações da Vancomicina

tratamento de infecções10 ósseas (incluindo osteomielite27), septicemias e endocardite28 bacteriana causada por espécies de estafilococos incluindo cepas29 resistentes à meticilina. Indicado em pacientes alérgicos à penicilina, ou em pacientes que não responderam ao tratamento com penicilinas ou cefalosporinas. A Vancomicina tem sido usada com sucesso em combinação com rifampicina e aminoglicosídeos. Para tratamento da colite9 pseudomembranosa causada por Clostridium difficile secundária ao uso de antibiótico, pode-se administrar por via oral a forma parenteral de Vancomicina.

Apresentação da Vancomicina

liofilizado30 500 mg. Caixa com 20 frascos-ampola + diluente de 10 ml.


VANCOMICINA 500 mg - Laboratório

ARISTON
Rua Adherbal Stresser, 84
São Paulo/SP - CEP: 05566-000
Tel: (011 )810-1079
Fax: (011 )810-2894
Site: http://www.ariston.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ARISTON"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
3 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
4 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
5 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
6 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
7 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
8 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
9 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
12 Cinéticas: Ramo da física que trata da ação das forças nas mudanças de movimento dos corpos.
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
15 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
16 Ototoxicidade: Dano causado aos sistemas coclear e/ou vestibular resultante de exposição a substâncias químicas.
17 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
18 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
19 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
20 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
21 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
22 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
23 Flebite: Inflamação da parede interna de uma veia. Pode ser acompanhada ou não de trombose da mesma.
24 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
25 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
26 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
27 Osteomielite: Infecção crônica do osso. Pode afetar qualquer osso da anatomia e produzir-se por uma porta de entrada local (fratura exposta, infecção de partes moles) ou por bactérias que circulam através do sangue (brucelose, tuberculose, etc.).
28 Endocardite: Inflamação aguda ou crônica do endocárdio. Ela pode estar preferencialmente localizada nas válvulas cardíacas (endocardite valvular) ou nas paredes cardíacas (endocardite parietal). Pode ter causa infecciosa ou não infecciosa.
29 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
30 Liofilizado: Submetido à liofilização, que é a desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas, usada especialmente na conservação de alimentos, em medicamentos, etc.

Tem alguma dúvida sobre VANCOMICINA 500 mg?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.