UNASYN Injetável

PFIZER

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Unasyn Injetável

Unasyn Injetável 1,5 g: cada frasco-ampolacontém o equivalente a 0,5 g de sulbactam e 1,0 g de ampicilina. Unasyn Injetável 3,0 g: cada frasco-ampola contém o equivalente a 1,0g de sulbactam e 2,0g de ampicilina.

Posologia e Administração de Unasyn Injetável

a dose usual de Unasyn Injetável varia de 1,5 g a 12 g por dia em doses divididas a cada 6 ou 8 horas até a dose máxima diária de 4 g de sulbactam. Infecções1 menos severas podem ser tratadas a cada 12 horas. Infecção2 leve: 1,5 até 3,0 (0,5+1,0 até 1,0+2,0); infecção2 moderada: até 6,0 (2,0+4,0); infecção2 severa: até 12,0 (4,0+8,0). A dose de Unasyn Injetável para a maioria das infecções1 em recém-nascidos, na primeira infância e em crianças é de 150 mg/kg/dia (correspondente a 50 mg/kg/dia de sulbactam e 100 mg/kg/dia de ampicilina). Em recém-nascidos, na primeira infância e em crianças a dose é usualmente administrada a cada 6 ou 8 horas de acordo com a prática usual para ampicilina. Em recém-nascidos durante a primeira semana de vida (especialmente prematuros), a dose é usualmente administrada a cada 12 horas. Maior ou menor frequência da dose pode ser indicada dependendo da severidade da doença e da função renal3 do paciente. O tratamento é mantido normalmente até 48 horas após febre4 e outros sintomas5 anormais terem desaparecido. O tratamento é administrado normalmente por 5 a 14 dias, mas o período de tratamento pode estender-se e nos casos de doenças mais severas ampicilina adicional pode ser administrada. No tratamento de pacientes com dieta restritiva de sódio deve-se notar que 1,5 g de Unasyn Injetável contém aproximadamente 115 mg (5 mmol) de sódio. Na profilaxia de infecções1 cirúrgicas a dose de 1,5 a 3,0g de Unasyn Injetável deve ser administrada no início da anestesia6, o que permite tempo suficiente para atingir níveis séricos efetivos e concentração nos tecidos durante a cirurgia. A dose pode ser repetida a cada 6-8 horas. A administração é usualmente interrompida 24 horas após a maioria dos procedimentos cirúrgicos, a menos que a continuidade do tratamento com Unasyn Injetável seja indicada. Pacientes com insuficiência renal7: em pacientes com insuficiência renal7 grave (clearance de creatinina8 < 30ml/min), a cinética9 de eliminação do sulbactam e ampicilina é afetada de maneira similar e, desta maneira, a razão plasmática entre uma e outra droga deverá permanecer constante. A dose de Unasyn Injetável em tais pacientes deve ser administrada com menos freqüência, de acordo com a prática usual para ampicilina e de acordo com as seguintes recomendações: dose para pacientes10 com insuficiência renal7: clearance de creatinina8 > 30 ml/min: meia-vida de sulbactam/ampola: 1 hora, dose recomendada: 1,5-3,0 g a cada 6 ou 8 horas; clearance de creatinina8 15-29 ml/min: meia-vida de sulbactam/ampola: 5 hora, dose recomendada: 1,5-3,0 g a cada 12 horas; clearance de creatinina8 5-14 ml/min: meia-vida de sulbactam/ampola: 9 horas, dose recomendada: 1,5-3,0 g a cada 24 horas. Quando apenas os valores da creatinina8 sérica forem disponíveis, a seguinte fórmula (baseada em sexo, peso e idade do paciente) pode ser usada para converter este valor em clearance da creatinina8. A creatinina8 sérica representaria o steady state da função renal3. Homens: peso (kg) x (140 idade) / 72 x creatinina8 sérica. Mulheres: 0,85 x valor acima. No tratamento de gonorréia11 não complicada Unasyn Injetável deve ser administrado em dose única de 1,5 g. Concomitantemente deve ser administrado 1,0 g de probenecida por via oral a fim de permitir concentrações plasmáticas de sulbactam e ampicilina por períodos mais prolongados. Conduta em reações severas: reações neurológicas adversas, incluindo convulsão12, podem ocorrer como resultado de altos níveis de betalactâmicos no líquor13. A ampicilina pode ser removida da circulação14 por hemodiálise15. O peso molecular, grau de ligação às proteínas16 e perfil farmacocinético do sulbactam sugerem que o mesmo pode também ser removido por hemodiálise15. Reações anafiláticas17 severas requerem tratamento de emergência18 com adrenalina19. Oxigênio, esteróides intravenosos e controle das vias aéreas, incluindo intubação, devem ser administrados como indicado. Unasyn Injetável pode ser administrado via intramuscular e via intravenosa. Para maiores informações sobre a administração do produto, consulte a bula. Estabilidade: as soluções diluídas de Unasyn Injetável devem ser administradas dentro de 8 horas se mantidas em temperatura ambiente e dentro de 48 horas se mantidas sob refrigeração. A solução concentrada para administração intramuscular deve ser usada dentro de uma hora após reconstituição. Para infusão intravenosa deve se utilizar a tabela estabilidade/compatibilidade. Para administração intravenosa, Unasyn Injetável deve ser reconstituído com o diluente que acompanha a embalagem (água estéril para injeção20), ou com aqueles relacionados no item estabilidade/compatibilidade, observando dissolução completa do pó. A dose deve ser administrada por injeção20 em bolo num período mínimo de 3 minutos ou pode ser usada em diluições maiores também em bolo ou como infusão intravenosa durante 15 a 30 minutos. Unasyn Injetável pode também ser administrado por injeção intramuscular21 profunda. Para administração intramuscular Unasyn Injetável deve ser reconstituído com o diluente que acompanha a embalagem (água estéril para injeção20). Caso ocorra dor local, pode-se usar uma solução de cloridrato de lidocaína anidro 0,5% em água estéril para injeção20 na reconstituição do pó. Estabilidade e compatibilidade: Sulbactam sódico é compatível com a maioria das soluções intravenosas, mas o mesmo não é observado com a ampicilina sódica, e desta maneira Unasyn Injetável é pouco estável em soluções contendo glicose22 e outros carboidratos, não devendo ser misturado com produtos sangüíneos ou hidrolisados de proteínas16. Ampicilina, e desta maneira Unasyn Injetável, é incompatível com aminoglicosídeos e não deve ser fisicamente misturada no mesmo frasco.

Precauções de Unasyn Injetável

uso na gravidez23 e lactação24: estudos de reprodução25 animal não têm revelado evidência de alterações na fertilidade ou danos ao feto26 devido a sulbactam e ampicilina. Entretanto, a segurança para uso durante a gravidez23 e lactação24 não foi estabelecida. Assim como qualquer preparação antibiótica, é essencial a constante observação de sinais27 de crescimento de organismos não suscetíveis, incluindo fungos. Caso ocorra superinfecção28, a droga deve ser descontinuada e/ou terapia apropriada instituída. Assim como qualquer agente sistêmico29 potente, recomenda-se observação periódica para as possíveis disfunções orgânicas sistêmicas durante a terapia prolongada, o que inclui os sistemas renal3, hepático e hematopoiético. Isto é particularmente importante em recém-nascidos, especialmente prematuros, e na primeira infância.

Reações Adversas de Unasyn Injetável

assim como com outros antibióticos parenterais, o principal efeito adverso observado é dor no local da aplicação, especialmente associada com a administração intramuscular. Um pequeno número de pacientes pode desenvolver flebite30 após administração intravenosa. Gastrintestinais: as mais comuns são náusea31, vômito32 e diarréia33. Pele34/estruturas cutâneas35: as mais comuns são rash36, prurido37 e outras reações cutâneas35. Sistemas hematopoiético e linfático38: anemia39, trombocitopenia40, eosinofilia41 e leucopenia42 têm sido reportadas durante terapia com sulbactam sódico/ampicilina sódica. Estas reações são reversíveis com a descontinuação da terapia e acredita-se que sejam reações de sensibilidade. Hepáticas43: elevações transitórias de alanina e das transaminases aspárticas têm sido observadas. Como a mononucleose infecciosa44 é de origem viral, a ampicilina não deve ser usada no tratamento. Uma alta porcentagem de pacientes com mononucleose45 que recebem ampicilina desenvolvem rash36 cutâneo46. Reações adversas associadas ao uso da ampicilina podem ser ocasionalmente observadas.

Contra-Indicações de Unasyn Injetável

o uso da combinação é contra-indicado em pacientes com história de reação alérgica47 a qualquer penicilina. - Advertências: reações severas e ocasionalmente fatais de hipersensibilidade (anafiláticas) têm sido reportadas em pacientes sob terapia com penicilinas. Estas reações são mais prováveis de ocorrer indivíduos com história de hipersensibilidade a penicilinas e/ou reações de hipersensibilidade a múltiplos alérgenos48. Têm sido relatados indivíduos com história de hipersensibilidade a penicilinas que experimentaram reações severas quando tratados com cefalosporinas. Antes da terapia com penicilinas, cuidadosa pesquisa deve ser feita a respeito de prévias reações de hipersensibilidade a penicilinas, cefalosporinas e outros alérgenos48. Se reação alérgica47 ocorrer, a droga deve ser descontinuada e terapia apropriada instituída.

Indicações de Unasyn Injetável

infecções1 causadas por microorganismos suscetíveis. As indicações mais comuns são as infecções1 do trato respiratório inferior e superior incluindo sinusite49, otite média50 epiglotite; pneumonias bacterianas; infecções1 do urinário e pielonefrite51; infecções1 intra-abdominais incluindo peritonite52, colecistite53, endometrite e celulite54 pélvica55; septicemia56 bacteriana; infecções1 da pele34 e tecidos moles, infecções1 do osso e articulações57 e infecções1 gonocócicas. Unasyn Injetável pode ser administrado também no perioperatório para reduzir a incidência58 de infecções1 em ferimentos pós-operatórios em pacientes submetidos à cirurgia pélvica55 e abdominal, nos casos em que a contaminação peritoneal pode estar presente. No trabalho de parto ou cesárea, Unasyn Injetável pode ser usado profilaticamente para reduzir a infecção2 pós-operatória.

Apresentação de Unasyn Injetável

embalagens com 20 frascos-ampola acompanhados de 20 diluentes.


UNASYN Injetável - Laboratório

PFIZER
Av. Presidente Tancredo de Almeida Neves, 1555
Guarulhos/SP - CEP: 07112-070
Tel: 0800-16-7575
Site: http://www.pfizer.com.br
CNPJ n° 46.070.868/0001-69

Ver outros medicamentos do laboratório "PFIZER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
7 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
8 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
9 Cinética: Ramo da física que trata da ação das forças nas mudanças de movimento dos corpos.
10 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
11 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
12 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
13 Líquor: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
14 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
15 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
16 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
17 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
18 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
19 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
20 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
21 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
22 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
23 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
24 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
25 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
26 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
27 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
28 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.
29 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
30 Flebite: Inflamação da parede interna de uma veia. Pode ser acompanhada ou não de trombose da mesma.
31 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
32 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
33 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
34 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
35 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
36 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
37 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
38 Linfático: 1. Na histologia, é relativo à linfa, que contém ou que conduz linfa. 2. No sentido figurado, por extensão de sentido, a que falta vida, vigor, energia (diz-se de indivíduo); apático. 3. Na história da medicina, na classificação hipocrática dos quatro temperamentos de acordo com o humor dominante, que ou aquele que, pela lividez das carnes, flacidez dos músculos, apatia e debilidade demonstradas no comportamento, atesta a predominância de linfa.
39 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
40 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
41 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
42 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
43 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
44 Mononucleose infecciosa: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
45 Mononucleose: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
46 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
47 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
48 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
49 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
50 Otite média: Infecção na orelha média.
51 Pielonefrite: Infecção dos rins produzida em geral por bactérias. A forma de aquisição mais comum é por ascensão de bactérias através dos ureteres, como complicação de uma infecção prévia de bexiga. Seus sintomas são febre, dor lombar, calafrios, eliminação de urina turva ou com traços de sangue, etc. Deve ser tratada cuidadosamente com antibióticos pelo risco de lesão permanente dos rins, com perda de função renal.
52 Peritonite: Inflamação do peritônio. Pode ser produzida pela entrada de bactérias através da perfuração de uma víscera (apendicite, colecistite), como complicação de uma cirurgia abdominal, por ferida penetrante no abdome ou, em algumas ocasiões, sem causa aparente. É uma doença grave que pode levar pacientes à morte.
53 Colecistite: Inflamação aguda da vesícula biliar. Os sintomas mais freqüentes são febre, dor na região abdominal superior direita (hipocôndrio direito), náuseas, vômitos, etc. Seu tratamento é cirúrgico.
54 Celulite: Inflamação aguda das estruturas cutâneas, incluindo o tecido adiposo subjacente, geralmente produzida por um agente infeccioso e manifestada por dor, rubor, aumento da temperatura local, febre e mal estar geral.
55 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
56 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
57 Articulações:
58 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre UNASYN Injetável?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.