Preço de TEMODAL em Ann Arbor/SP: R$ 249,46

TEMODAL

Schering Plough

Atualizado em 09/12/2014

TEMODAL*
temozolomida
cápsulas
5 mg, 20 mg, 100 mg ou 250 mg

Apresentações/Composições de Temodal

TEMODAL* cápsulas 5 mg, 20 mg, 100 mg ou 250 mg é apresentado em frascos contendo 5 cápsulas.

USO ADULTO E PEDIÁTRICOCada cápsula de TEMODAL* 5 mg, 20 mg, 100 mg ou 250 mg contém respectivamente 5 mg, 20 mg, 100 mg ou 250 mg de temozolomida.
Excipientes: lactose1 anidra, glicolato sódico de amido, ácido tartárico, ácido esteárico e dióxido de silício coloidal.

Informação ao Paciente de Temodal

Este produto deve ser mantido em sua embalagem original, em temperaturas entre 2 e 30 C.

O prazo de validade deste produto é de 24 meses e encontra-se gravado na embalagem externa. Em caso de vencimento, inutilize o produto.

Informe seu médico a ocorrência de gravidez2 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.


Informe o seu médico o aparecimento de reações desagradáveis,
como distúrbios gastrintestinais, principalmente náuseas3 e vômitos4.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

TEMODAL deve ser administrado em jejum ou pelo menos uma hora antes da refeição.

TEMODAL está contra-indicado em pacientes com histórico de hipersensibilidade a seus componentes ou à dacarbazina e durante a gravidez2. Informe a seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Não deve ser utilizado durante a gravidez2 e a lactação5.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE6.

Informação Técnica de Temodal

Descrição

TEMODAL* é um agente alquilante imidazotetracênico, com atividade antitumoral, que sofre transformação química rápida na circulação7 sistêmica em pH fisiológico8, formando o composto ativo MTIC (monometil-triaceno-imidazol-carboxamida). Considera-se que a citotoxicidade do MTIC deva-se principalmente à alquilação na posição O6 da guanina, ocorrendo também alquilação adicional na posição N7. Acredita-se que as lesões9 citotóxicas que se desenvolvem posteriormente impliquem em uma reparação anormal do adutor metílico.

Farmacologia10 clínicaOs dados pré-clínicos sugerem que a temozolomida atravessa a barreira hematoencefálica e está presente no líquido cérebro11-espinhal. Em pacientes adultos, TEMODAL* por via oral, é rapidamente absorvido, apresentando concentração máxima cerca de 20 minutos após a dose (tempo médio entre 30 e 90 minutos). A concentração plasmática aumenta de acordo com a dose. A depuração plasmática, o volume de distribuição e a meia-vida são independentes da dose. TEMODAL* demonstra baixa ligação protéica (10% a 20%) e, desse modo, não se espera que interaja com agentes altamente ligantes às proteínas12 plasmáticas. Após a administração oral da temozolomida marcada com C14, a média fecal de C14 após 7 dias foi de 0,8%, indicando absorção completa. Após 24 horas da administração oral, aproximadamente 5% a 10% da dose é encontrada inalterada na urina13 e o restante, excretado como AIC (4-amino 5-imidazol-cloridrato de carboxamida) ou metabólitos14 polares não identificados.
A análise da população baseada na farmacocinética de TEMODAL* revelou que sua concentração plasmática não é dependente de idade, função renal15 ou hábito de fumar.
Pacientes pediátricos tiveram maior área sob a curva (AUC) do que pacientes adultos. Entretanto, a dose máxima tolerada foi de 1.000 mg/m2 por ciclo para ambos (crianças e adultos).

Indicações de Temodal

TEMODAL* está indicado no tratamento de pacientes com glioma maligno recidivante16, como glioblastoma multiforme ou astrocitoma anaplásico17.

TEMODAL* também é indicado no tratamento de pacientes com melanoma18 maligno metastático em estágio avançado.

Contra-Indicações de Temodal

TEMODAL* está contra-indicado em pacientes com histórico de hipersensibilidade a seus componentes ou a dacarbazina (DTIC).TEMODAL* está contra-indicado durante a gravidez2 (ver "Uso durante gravidez2 e lactação5").
TEMODAL* é contra-indicado para pacientes19 com mielossupressão grave.

Precauções e Advertências de Temodal

Pacientes que apresentam vômitos4 graves (de grau 3 ou 4) podem necessitar de terapia antiemética antes de iniciar o tratamento com TEMODAL*.

Parâmetros laboratoriais:
Antes da administração, devem-se satisfazer aos seguintes parâmetros laboratoriais: contagem absoluta de neutrófilos20 (CAN) > 1,5 x 109/L e plaquetas21 > 100 x 109/L. Deve-se realizar hemograma completo no dia 22 (21 dias depois da administração da primeira dose) ou dentro de 48 horas após os 21 dias e semanalmente até se obter uma CAN que tenha ultrapassado 1,5 x 109/L e uma contagem de plaquetas21 que exceda 100 x 109/L. Se o valor da CAN cair para menos de 1,0 x 109/L ou a contagem de plaquetas21 for < 50 x 109/L durante qualquer ciclo, o nível posológico deverá ser reduzido no ciclo seguinte. Os níveis posológicos incluem 100 mg/m2, 150 mg/m2 e 200 mg/m2. A menor dose recomendada é de 100 mg/m2.

Uso em pacientes com disfunção renal15 ou hepática22:
A farmacocinética de temozolomida em pacientes com função hepática22 normal comparada com a de pacientes com disfunção hepática22 (leve a moderada) mostraram-se semelhantes.
Não há relatos de estudos de tratamento de TEMODAL* em pacientes com disfunção hepática22 grave (Classe 3 em crianças) ou com disfunção renal15. Baseado nas propriedades farmacocinéticas da temozolomida, é desnecessária a redução da dose em pacientes com disfunção hepática22 grave ou renal15. Porém, atenção especial deve ser tomada nestes casos.

Uso pediátrico:
Glioblastoma multiforme: Não se dispõe de experiência clínica com o uso de TEMODAL* em crianças menores de 3 anos de idade.
Há poucos estudos de Glioma em crianças acima de 3 anos de idade.
Melanoma18: Não há experiência clínica em pacientes menores que  18 anos de idade.

Uso em Pacientes Idosos
Em pacientes idosos (maiores que 70 anos de idade), o uso de TEMODAL parece aumentar o risco do surgimento de neutropenia23 e trombocitopenia24, se comparado este risco com o uso  em pacientes jovens.

Uso durante gravidez2 e lactação5:
Não foram realizados estudos em mulheres grávidas. Em estudos pré-clínicos com ratas e coelhas que receberam 150 mg/m2, demonstrou-se teratogenicidade e/ou toxicidade25 fetal. Portanto, TEMODAL* não deve ser normalmente administrado em mulheres grávidas. Caso o medicamento seja administrado em mulheres grávidas, estas devem ser conscientizadas do risco potencial ao feto26. É importante aconselhar às mulheres com potencial de gravidez2 que evitem engravidar enquanto estiverem recebendo TEMODAL* e durante os seis meses seguintes à suspensão do tratamento. Não se sabe se TEMODAL* é excretado no leite humano, razão pela qual TEMODAL* não deve ser administrado em mães que estejam amamentando.
Os homens em tratamento com TEMODAL* devem sempre utilizar método contraceptivo eficaz.

Uso em homens:
Homens sob tratamento com TEMODAL*, devem ser alertados sobre os riscos em caso de gravidez2 de sua parceira. Devem sempre utilizar método contraceptivo eficaz, pois temozolomida pode causar efeitos genotóxicos. Portanto, homens sob tratamento com TEMODAL* devem ser conscientizados a não fecundarem durante e até 6 meses após a interrupção do tratamento, assim como obter maiores informações a respeito da crioconservação de esperma27 antes do início do tratamento devido à possibilidade de ocorrer infertilidade28 irreversível devido ao tratamento a base de temozolomida.

Interações Medicamentosas de Temodal

A administração de TEMODAL* com ranitidina ou junto com as refeições não causa alterações clinicamente significativas no grau de absorção da temozolomida. A administração concomitante de dexametasona, proclorperazina, fenitoína, carbamazepina, ondansetron, antagonistas de receptores H2 ou fenobarbital não altera a depuração de TEMODAL*. A administração concomitante com ácido valpróico está associada a uma redução pequena, mas estatisticamente significativa na depuração da temozolomida.
O uso de TEMODAL* em associação com outros agentes mielossupressores pode aumentar a probabilidade de ocorrência de mielossupressão.

Reações Adversas de Temodal

Em estudos clínicos, os efeitos indesejáveis que ocorreram com maior freqüência foram distúrbios gastrintestinais, principalmente náuseas3 (43%) e vômitos4 (36%). Esses efeitos foram em geral considerados de grau 1 a 2 (leve a moderado) e tiveram resolução espontânea ou foram facilmente controlados com antieméticos29 de uso comum. A incidência30 de náuseas3 e vômitos4 graves foi de 4%.

Outras reações adversas relatadas com freqüência incluíram fadiga31 (22%), constipação32 (17%) e cefaléia33 (14%). Também foram relatadas anorexia34 (11%), diarréia35 (8%), erupção36 cutânea37, febre38, astenia39 e sonolência (6% cada um). Menos freqüentes (2% a 5%) e em ordem decrescente de freqüência, foram relatados: dor abdominal, dor, tontura40, perda de peso, dispnéia41, alopecia42, rigidez, prurido43, mal-estar, dispepsia44, alteração do paladar45, parestesia46 e petéquias47.

Resultados Laboratoriais:
Trombocitopenia24 e neutropenia23 de graus 3 ou 4 ocorreram em 19% e 17% dos pacientes tratados por glioma, respectivamente e em 20% e 22% dos pacientes tratados por melanoma18 metastático,  respectivamente. Este fato causa hospitalização e/ou descontinuação de TEMODAL em 8% e 4% dos pacientes com glioma, respectivamente e em , 3% e 1,3% dos pacientes com melanoma18, respectivamente. A mielossupressão foi previsível (normalmente dentro dos primeiros ciclos, com a concentração no nadir entre o 21º e 28º dia de tratamento), e a recuperação foi rápida, normalmente dentro de 1-2 semanas. Nenhuma evidência de mielossupressão acumulativa foi observada.

Posologia de Temodal

Pacientes adultos: Em pacientes não tratados anteriormente com quimioterapia48, TEMODAL* é administrado por via oral em dose de 200 mg/m2 uma vez ao dia durante 5 dias, em ciclos de 28 dias. Para os pacientes anteriormente tratados com quimioterapia48, a dose inicial é de 150 mg/m2 uma vez ao dia, que é aumentada no segundo ciclo para 200 mg/m2 diariamente, para proporcionar contagem absoluta de neutrófilos20 (CAN) maior ou igual a 1,5 x 109/L e a de plaquetas21 for maior ou igual a 100 x 109/L no dia 1 do ciclo seguinte.


Pacientes pediátricos:

Em pacientes de 3 anos de idade ou maiores, TEMODAL* é administrado por via oral na dose de 200 mg/m2 uma vez ao dia durante 5 dias, em ciclos de 28 dias. Os pacientes pediátricos anteriormente tratados com quimioterapia48 devem receber uma dose inicial de 150 mg/m2 uma vez por dia durante 5 dias, aumentando até 200 mg/m2 uma vez ao dia no ciclo seguinte, se não for observada toxicidade25 hematológica.
O tratamento pode continuar até que ocorra progressão da doença por no máximo 2 anos.
TEMODAL* deve ser administrado em jejum ou pelo menos uma hora antes da refeição.

O tratamento antiemético49 pode ser administrado antes ou depois da administração de TEMODAL*. Caso venha a ocorrer vômitos4 após a administração, uma segunda dose deve ser administrada neste dia.
As cápsulas de TEMODAL* não devem ser abertas nem mastigadas, devendo ser deglutidas inteiras com um copo de água. Se a cápsula for danificada, evite o contato do pó com a pele50 ou membranas mucosas51.

Superdosagem de Temodal

Se o paciente tiver tomado até 1.000 mg/m2 na forma de uma dose única, deve-se observar apenas os efeitos previstos de neutropenia23 e trombocitopenia24. Em caso de superdose, recomenda-se a avaliação hematológica e a instituição de medidas gerais de suporte de acordo com a necessidade.

Pacientes Idosos de Temodal

Vide item "Precauções e advertências".


ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA, QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.

TEMODAL - Laboratório

Schering Plough
Rua Alexandre Dumas, 2220 - 7°
São Paulo/SP - CEP: 04717004
Tel: (11 5)181-7505
Fax: (11 5)181-2769

Ver outros medicamentos do laboratório "Schering Plough"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
4 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
5 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
8 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
9 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
11 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
12 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
13 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
14 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
15 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
16 Recidivante: Característica da doença que recidiva, que acontece de forma recorrente ou repetitiva.
17 Anaplásico: Relativo à anaplasia, ou seja, à perda de diferenciação estrutural que se observa na maioria dos casos de câncer.
18 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
19 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
20 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
21 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
22 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
23 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
24 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
25 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
26 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
27 Esperma: Esperma ou sêmen. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O esperma é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
28 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
29 Antieméticos: Substância que evita o vômito.
30 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
31 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
32 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
33 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
34 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
35 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
36 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
37 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
38 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
39 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
40 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
41 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
42 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
43 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
44 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
45 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
46 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
47 Petéquias: Pequenas lesões da pele ou das mucosas, de cor vermelha ou azulada, características da púrpura. São lesões hemorrágicas, que não desaparecem à pressão, cujo tamanho não ultrapassa alguns milímetros.
48 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
49 Antiemético: Substância que evita o vômito.
50 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
51 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.

Tem alguma dúvida sobre TEMODAL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.