ULCOREN Comprimidos

MEDLEY

Atualizado em 09/12/2014

ULCORENâ
Ranitidina, cloridrato

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Ulcoren Comprimidos

ULCOREN 150: embalagem com 20 e 200 comprimidos revestidos.ULCOREN 300: embalagens com 10 e 200 comprimidos revestidos.

USO ADULTO

Composições de Ulcoren Comprimidos

Cada comprimido revestido contém:

 Ranitidina (na forma de cloridrato)    150 mg    300 mg
Excipientes q.s.p    1 comprimido revestido    1 comprimido revestido
(celulose microcristalina, estearato de magnésio, Eudragit E 100, acetona, álcool isopropílico, talco, dióxido de titânio, dióxido de silício coloidal, polietilenoglicol, corante)

Informações ao Paciente de Ulcoren Comprimidos

·    Ação esperada do medicamento: Ulcoren contém ranitidina, um antiulceroso indicado no tratamento da úlcera duodenal1, úlcera gástrica2, úlcera3 pós-operatória, esofagite de refluxo4, síndrome de Zollinger-Ellison5 e outras condições onde é necessário reduzir a secreção e a produção de ácido gástrico6.·    Cuidados de armazenamento: Conservar o produto em temperatura ambiente (entre 15 e 30 ºC), ao abrigo da luz e umidade.
·    Prazo de validade: Não utilize o produto se o seu prazo de validade estiver vencido, o que pode ser verificado na embalagem externa do produto.
·    Gravidez7 e lactação8: Informe o médico a ocorrência de gravidez7 durante o tratamento ou após seu término e se estiver amamentando.
·    Cuidados de administração: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
·    Interrupção do tratamento: Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
·    Reações adversas: Informe o médico a ocorrência de efeitos desagradáveis, tais como: cefaléia9, erupção10 cutânea11, tonturas12, constipação13, diarréia14 e náuseas15.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
·    Ingestão com outras substâncias: Ulcoren pode ser administrado com alimentos ou com antiácidos16.
·    Contra-indicações e Precauções: Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento. Ulcoren é contra-indicado a pacientes com hipersensibilidade à ranitidina, cimetidina e famotidina.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE  SER  PERIGOSO PARA SUA SAÚDE17.

Informações Técnicas de Ulcoren Comprimidos

Características:
ULCOREN é um antagonista18 específico dos receptores H2 da histamina19, de rápido início de ação e capaz de inibir a secreção basal ou estimulada de ácido gástrico6, tanto através da redução do volume da secreção como de seu conteúdo em ácido e pepsina.
O tempo de ação de ULCOREN é relativamente prolongado, de modo que uma única dose oral de 150 mg ou 300 mg é capaz de suprimir eficazmente a secreção de ácido gástrico6 durante 12 e 24 horas, respectivamente.
Farmacocinética:
A absorção da ranitidina após administração oral é rápida, proporcionando geralmente a obtenção de picos plasmáticos nas duas horas que se seguem a sua administração. A absorção não é prejudicada significativamente por alimentos ou antiácidos16. A meia-vida de eliminação da ranitidina é de aproximadamente duas horas.
A substância é excretada pelos rins20, principalmente sob forma inalterada e, em pequenas quantidades, sob a forma de metabólitos21. Seu principal metabólito22 é a N-óxido-ranitidina, seguindo-se, em menores proporções, a S-óxido e a desmetil-ranitidina.
Após a administração oral, recupera-se na urina23 de 24 horas, cerca de 40% da droga, tanto sob a forma livre como a metabolizada.

Indicações de Ulcoren Comprimidos

ULCOREN comprimidos está indicado no tratamento da úlcera duodenal1, úlcera gástrica2, úlcera3 pós-operatória, esofagite de refluxo4, síndrome de Zollinger-Ellison5 e nas seguintes condições nas quais é de conveniência reduzir a secreção gástrica e a produção de ácido: prevenção de hemorragia24 gastrintestinal por úlcera3 de estresse em pacientes graves, profilaxia de sangramento recorrente em portadores de úlceras25 pépticas hemorrágicas26 e antes da anestesia27 geral em pacientes propensos à aspiração ácida (Síndrome de Mendelson28), especialmente pacientes obstétricos em trabalho de parto.

Contra-Indicações de Ulcoren Comprimidos

O uso do produto está contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade à ranitidina, cimetidina e famotidina.

Precauções de Ulcoren Comprimidos

O tratamento com antagonista18 dos receptores H2 da histamina19 pode mascarar sintomas29 associados a carcinoma30 gástrico e assim retardar o diagnóstico31 da doença.Desta maneira, diante da suspeita de úlcera gástrica2, deve ser excluída a possibilidade de afecção32 maligna, antes de instituir-se a terapia com ULCOREN.
Por ser a ranitidina excretada pelos rins20, é de se prever elevação dos níveis plasmáticos da droga em pacientes com insuficiência renal33. Em tais circunstâncias, recomenda-se ajuste posológico de acordo com o "clearance" de creatinina34. Assim, a dose oral poderá ser reduzida para 1 comprimido de 150 mg à noite durante 4 a 8 semanas. A mesma posologia pode ser usada a título de terapia de manutenção, se necessário. Caso a úlcera3 não cicatrize após terapia por 4 a 8 semanas, e se a condição do paciente assim o requerer, pode ser instituída a posologia padrão de 300 mg ao dia, seguida, se preciso, do tratamento de manutenção com 1 comprimido de 150 mg à noite. Embora a incidência35 de efeitos adversos, conforme constatado pela já ampla experiência clínica, seja bastante reduzida, é aconselhável a realização de exames periódicos nos pacientes submetidos a tratamento prolongado, a título de salvaguarda contra a ocorrência de fenômenos imprevistos.
Gravidez7 e lactação8: A exemplo de outros medicamentos, ULCOREN só deve ser administrado durante a gravidez7 e a lactação8 em casos de comprovada necessidade. Apesar de a ranitidina atravessar a barreira placentária, a administração de doses terapêuticas a pacientes em trabalho de parto ou durante cesária não desencadeou qualquer efeito adverso para o procedimento obstétrico ou para o desenvolvimento neonatal.
ULCOREN é excretado também no leite materno, razão pela qual recomenda-se precaução quanto ao seu uso por lactantes36, até que a experiência clínica seja conclusiva a respeito.

Interações Medicamentosas de Ulcoren Comprimidos

A ranitidina não inibe o sistema hepático da oxigenase de função mista ligada ao citocromo P450, não potencializando desta maneira as ações de drogas inativadas por esta enzima37, tais como: diazepam, warfarina, propranolol, fenitoína, lidocaína e teofilina.

Reações Adversas de Ulcoren Comprimidos

Cefaléia9, erupção10 cutânea11, tontura38, constipação13, diarréia14 e náusea39 têm sido reportadas em pequeno número de casos. Os mesmos sintomas29  foram, contudo, igualmente assinalados em pacientes sob uso de placebo40.Alguns poucos pacientes tiveram recorrência41 de erupção10 cutânea11 ou de cefaléia9 ao receberem novo curso de tratamento com ULCOREN.
Alguns episódios de elevação das transaminases séricas e da gamaglutamil-transpeptidase foram reportados. Todas as alterações, todavia, retornaram à normalidade, fosse com a continuação do tratamento, fosse com a interrupção da droga.
Estudos controlados com placebo40 e envolvendo 2500 pacientes não revelaram qualquer diferença entre a incidência35 de elevação das taxas de SGOT e /ou SGPT nos pacientes tratados com ULCOREN ou com placebo40.
Foram reportados raros casos de hepatite42 de natureza transitória, sem que contudo se estabelecesse qualquer relação causal com o medicamento.
Provas hematológicas e renais não revelaram quaisquer anormalidades relacionadas ao emprego de ULCOREN. Não foi relatada qualquer interferência clínica significativa da droga com a funcionalidade endócrina ou gonadal.
Os índices de cicatrização verificados em estudos clínicos com pacientes com mais de 65 anos não diferiram dos obtidos com pacientes mais jovens. Do mesmo modo, a incidência35 de efeitos adversos não mostrou diferença entre pacientes jovens e idosos.
A ranitidina tem sido empregada em pacientes com transplante renal43, sem relatos de efeitos adversos.

Posologia de Ulcoren Comprimidos

Adultos: A dose usual é de 1 comprimido de 150 mg duas vezes ao dia, pela manhã e à noite, ou apenas 1 comprimido de 300 mg administrado à noite ao deitar. O tempo de ação de ULCOREN é prolongado, de modo que uma única dose de 300 mg à noite é capaz de reduzir a secreção de ácido gástrico6 durante mais de 12 horas. Não é necessário relacionar a dose às refeições. Na maioria dos casos de úlcera duodenal1, úlcera gástrica2 benigna e úlcera3 pós-operatória, a cicatrização ocorre em quatro semanas.
Os pacientes cujas úlceras25 não cicatrizam completamente neste período, geralmente, respondem satisfatoriamente após tratamento suplementar de mais quatro semanas. Normalmente, as recidivas44 são evitadas com um tratamento de manutenção à base de 1 comprimido de 150 mg, ao deitar.

Esofagite de Refluxo4: Recomenda-se a administração de ULCOREN na posologia de 1 comprimido de 150 mg duas vezes ao dia, durante o período de até 8 semanas.

Síndrome de Zollinger-Ellison5 - recomenda-se a dose inicial de 150 mg três vezes ao dia, podendo ser gradativamente aumentada até 1,2 g/dia.
Para a profilaxia de hemorragia24 por úlcera3 de estresse em pacientes graves ou para a profilaxia de sangramento recorrente em portadores de ulceração45 péptica hemorrágica46, recomenda-se a administração de ULCOREN 150 mg 2 vezes ao dia, tão logo o paciente esteja em condições de receber alimentação oral. Nos pacientes admitidos como propensos à síndrome47 de aspiração ácida, recomenda-se administrar 1 comprimido de 150 mg duas horas antes da indução anestésica.
Nas pacientes em início de trabalho de parto, pode ser administrada uma dose inicial de 150 mg, repetida a intervalos de 6 horas. Tanto o esvaziamento gástrico como a absorção de medicamentos estão comprometidos no trabalho de parto.
Assim sendo, caso alguma dessas pacientes necessite de anestesia27 de emergência48 em menos de duas horas após o último comprimido de ULCOREN, recomenda-se administrar adicionalmente um antiácido49 que não forme partículas (sob a forma de gel, por exemplo), antes da indução da anestesia27.
Devem ser tomadas também as precauções usuais para evitar a aspiração de ácido.

Crianças: Apesar da ranitidina ter sido administrada sem problemas a pacientes de 8 a 18 anos, em doses de 150 mg duas vezes ao dia, a experiência clínica ainda é limitada e não autoriza o uso irrestrito de ULCOREN a pacientes pediátricos.

Superdose de Ulcoren Comprimidos

Devido à elevada especificidade de ação da ranitidina, não é de se esperar a ocorrência de problemas significativos diante da eventual superdose com ULCOREN. Se necessário, no entanto, pode ser instituída terapia sintomática50 e de suporte, assim como a remoção da droga por hemodiálise51.

Pacientes Idosos de Ulcoren Comprimidos

Embora não terem sido realizados estudos apropriados sobre a relação entre a idade e os efeitos da ranitidina em pacientes idosos, nenhum problema específico a geriatria foi documentado. Entretanto, complicações são mais prováveis de ocorrer em pacientes idosos com disfunção hepática52 ou renal43.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

ULCOREN Comprimidos - Laboratório

MEDLEY
Rua Macedo Costa, 55
Campinas/SP - CEP: 13080-180
Tel: (19 )744-8324
Fax: (019) 744-8227
Site: http://www.medley.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MEDLEY"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Úlcera duodenal: Lesão na mucosa do duodeno – parte inicial do intestino delgado.
2 Úlcera gástrica: Lesão na mucosa do estômago. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100 % dos casos.
3 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
4 Esofagite de refluxo: É uma inflamação na mucosa do esôfago (camada que reveste o esôfago) causada pelo refluxo (retorno) do conteúdo gástrico ao esôfago. Se não tratada pode causar danos, desde o estreitamento (estenose) do esôfago - o que irá causar dificuldades na deglutição dos alimentos - até o câncer. Portadores de hérnia do hiato (projeção do estômago para o tórax), obesos, sedentários, fumantes, etilistas, pessoas tensas ou ansiosas têm maior predisposição à esofagite de refluxo.
5 Síndrome de Zollinger-Ellison: Doença caracterizada pelo aumento de produção de gastrina devido à presença de gastrinoma. O gastrinoma (tumor produtor de gastrina) está localizado na maioria das vezes no pâncreas. A hipersecreção de gastrina produz úlceras pépticas, má digestão, esofagite, duodenojejunite e/ou diarréia. Em 20% dos casos está relacionada com neoplasia endócrina múltipla tipo I (NEM I), que acompanha-se na maioria das vezes de hiperparatireiodismo (80%) e em alguns raros casos de insulinomas, glucagomas, VIPomas ou outros tumores.
6 Ácido Gástrico: Ácido clorídrico presente no SUCO GÁSTRICO.
7 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
8 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
9 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
10 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
11 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
12 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
13 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
14 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
15 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
16 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
17 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
18 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
19 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
20 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
21 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
22 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
23 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
24 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
25 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
26 Hemorrágicas: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
27 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
28 Síndrome de Mendelson: Síndrome da aspiração ácida, pneumonite por broncoaspiração ou Síndrome de Mendelson é uma pneumonite química. Refere-se à lesão pulmonar aguda causada por aspiração de substâncias tóxicas às vias aéreas inferiores.
29 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
30 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
31 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
32 Afecção: Qualquer alteração patológica do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
33 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
34 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
35 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
36 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
37 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
38 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
39 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
40 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
41 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
42 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
43 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
44 Recidivas: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
45 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
46 Hemorrágica: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
47 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
48 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
49 Antiácido: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
50 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
51 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
52 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.

Tem alguma dúvida sobre ULCOREN Comprimidos?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.