Preço de CODEIN 30MG/ML-25ap. 2ml em Houston/SP: R$ 49,88

CODEIN 30MG/ML-25ap. 2ml

CRISTALIA

Atualizado em 08/12/2014

CODEIN 30MG/ML-25ap. 2ml

CODEIN
Fosfato de Codeína

Forma Farmacêutica de Codein

Solução Injetável - 30 mg/ml

Apresentação de Codein

Caixa com 25 ampolas de 2 ml
USO PEDIÁTRICO OU ADULTO

Composição de Codein

Cada ml de solução injetável contém:Fosfato de Codeína (DCB 0340.06.5) .................... 30 mg
Veículo estéril qsp .................... 1 ml
(Veículo: acetato de sódio, ácido acético, clorobutanol, edetato de sódio, metabissulfito de sódio, água para injetáveis)

Informação ao Paciente de Codein

Conserve a embalagem fechada, à temperatura ambiente, entre 15 e 30oC, protegida da luz. O produto não deve ser congelado.
O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação, impressa na embalagem.
Não administre medicamento com o prazo de validade vencido.
Informe seu médico se houver suspeita de gravidez1, se estiver grávida ou amamentando, durante o tratamento com este medicamento, pois o mesmo pode causar dependência na criança.
O produto não deve ser usado se houver conhecimento de hipersensibilidade aos opióides ou por pacientes dependentes de drogas ou do álcool.
Tanto a administração como a suspensão do tratamento, somente deverão ser feitas sob orientação médica. O tratamento não pode ser interrompido abruptamente, pois pode desenvolver síndrome2 de abstinência.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Pacientes em tratamento com o medicamento devem ter cuidado para não dirigir veículos, operar máquinas, ingerir bebidas alcoólicas; o produto pode provocar sonolência e tonturas3.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE4.

Informação Técnica de Codein

Os analgésicos5 opióides ligam-se aos receptores estereoespecíficos em vários sítios do SNC6 para alterar processos que afetam tanto a percepção da dor como a resposta emocional à mesma.Embora não tenha sido determinado completamente os sítios precisos ou os mecanismos de ação, as alterações na liberação de vários neurotransmissores dos nervos aferentes sensitivos aos estímulos da dor, podem ser responsáveis pelos efeitos analgésicos5.
Quando estes medicamentos são usados como adjuvantes na anestesia7, as ações analgésicas podem proporcionar proteção dose-relacionada contra as respostas hemodinâmicas ao estresse cirúrgico.
Foi proposta a existência de múltiplos subtipos de receptores opióides, cada um mediando vários efeitos terapêuticos e/ou reações adversas das drogas opióides. Estas ações dependem da afinidade de ligação pelo tipo receptor e se sua ação é como um agonista8 pleno ou parcial ou se é inativo em cada tipo de receptor.
Pelo menos dois tipos de receptores de opióides (mu e kappa) mediam a analgesia.
A codeína exerce sua atividade agonista8 primariamente no receptor mu. Os receptores mu são amplamente distribuídos através do SNC6, especialmente no sistema límbico (córtex frontal, córtex temporal, amígdala9 e hipocampo10), tálamo11, striatum, hipotálamo12 e mesencéfalo13 assim como as lâminas I, II, IV e V do corno dorsal e na coluna vertebral14. Os receptores kappa estão localizados primariamente na coluna vertebral14 e no córtex cerebral.
A codeína liga-se muito fracamente as proteínas15.
A codeína possui meia vida de 2,5 a 4 horas que pode ser aumentada em pacientes geriátricos devido a diminuição do clearance.
Cerca de 10% da dose é desmetilada para morfina no fígado16, o que pode contribuir para ação terapêutica17.
A eliminação primária é essencialmente renal18 (5 - 15%), sendo que cerca de 10% são excretadas sem modificação.
O início da ação analgésica por via intramuscular ocorre entre 10 a 30 minutos e a duração da ação é de 4 horas, sendo que o pico do efeito analgésico19 é obtido entre 30 a 60 minutos.
O início da ação analgésica por via subcutânea20 ocorre entre 10 a 30 minutos e a duração da ação é por 4 horas.
Equivalência:- 200 mg de codeína por via oral e 120 mg de codeína por via intramuscular equivalem a 10 mg de morfina intramuscular.

Indicações de Codein

A codeína é um analgésico19 derivado do ópio, usada para o alívio da dor moderada.
Administrada por via parenteral age como uma medicação pré-cirúrgica promovendo analgesia, efeito sedativo e diminuição da ansiedade.

Contra-Indicações de Codein

É contra-indicado em casos de diarréia21 associada a colite22 pseudomembranosa causada por cefalosporina, lincomicina ou penicilina.Em casos de diarréia21 causada por envenenamento, uma vez que a codeína diminui a eliminação do material tóxico, prolongando a diarréia21.
É contra-indicado em pacientes alérgicos a codeína ou outros opióides.
Nos casos de depressão respiratória, especialmente em presença de cianose23 e excessiva secreção brônquica.
É contra-indicado quando há dependência a drogas, inclusive alcoolismo; instabilidade emocional ou tentativa de suicídio, condições onde há aumento da depressão intracraniana, arritmia24 cardíaca, convulsão25, função hepática26 ou renal18 prejudicada, inflamação27 intestinal, hipertrofia28 ou obstrução prostática, hipotireoidismo29, cirurgia recente do trato intestinal ou urinário.

Precauções e Cuidados de Codein

Podem ocorrer irritação local, dor e endurecimento após injeções subcutâneas repetidas.
GRAVIDEZ1:- Deve ser considerado o risco-benefício, uma vez que o analgésico19 opióide atravessa a placenta. O uso regular durante a gravidez1 pode causar dependência física ao feto30, causando ao recém-nascido: convulsão25, irritabilidade, choro excessivo, tremores, febre31, vômitos32, diarréia21.
TRABALHO DE PARTO:- O uso do analgésico19 durante o trabalho de parto pode resultar na depressão respiratória do recém-nascido.
AMAMENTAÇÃO33:- O Fosfato de Codeína é excretado no leite materno. Os efeitos no lactente34 são ainda desconhecidos. A relação risco-benefício deve ser considerada.
USO PEDIÁTRICO:- Crianças até 2 anos de idade são mais susceptíveis aos efeitos, principalmente os de depressão respiratória.
USO EM IDOSOS:- Pacientes idosos são mais susceptíveis a efeito de depressão respiratória, pois metabolizam e eliminam o medicamento de forma mais lenta.
Para estes pacientes são recomendadas baixas doses ou longo intervalo entre as doses.
Pacientes idosos geralmente com hipertrofia28 ou obstrução prostática e enfraquecimento da função renal18, apresentam retenção urinária35 quando fazem uso de analgésico19 opióide.
ODONTOLOGIA:- Analgésico19 opióide diminui ou inibe a formação de saliva, contribuindo para o desenvolvimento da cárie, doença periodontal36, candidíase37 oral e certo desconforto.

Interações Medicamentosas de Codein

Os efeitos depressores da codeína são potencializados pela administração concomitante de outros depressores do SNC6 como o álcool, sedativos, anti-histamínicos ou drogas psicotrópicas (IMAO38 e antidepressivos tricíclicos).

Reações Adversas / Colaterais de Codein

Com mais freqüência podem ocorrer constipação39 e sonolência.
São também relatados embora em menor freqüência os seguintes efeitos colaterais40:
•  Reações alérgicas como erupção41 na pele42 e inchaço43 da face44.
•  Depressão respiratória, broncoespasmo45, edema46 e espasmo47 da laringe48.
•  Estimulação do SNC6 paradoxal49, especialmente em crianças.
•  Confusão podendo incluir sensação de despersonalização ou irregularidade.
•  Alteração na pulsação.
•  Liberação da histamina50, havendo diminuição da pressão arterial51, aumento da pulsação, face44 avermelhada, respiração ofegante.
•  Efeito antidiurético, havendo necessidade de atenção médica somente se for de modo contínuo e incômodo.
•  Visão52 dupla ou nublada ou outras formas de visão52.
•  Secura da boca53.
•  Sensação geral de desconforto.
•  Hipotensão54.
•  Perda de apetite.
•  Náuseas55 e vômitos32, sendo mais freqüente nas primeiras doses.
•  Vermelhidão, inchaço43, dor, queimadura no local da injeção56.
•  Espasmo47 uretral57.
•  Tontura58, sensação de desmaio.
•  Falsa sensação de bem estar.
Raramente ocorrem efeitos colaterais40 como: convulsão25, alucinações59, depressão mental, rigidez muscular especialmente músculo respiratório, paralisia60 do ílio61, espasmo47 biliar, perda do controle dos músculos62 do movimento, perturbação do sono, pesadelo.
As síndromes de abstinência são menos graves que as produzidas por analgésicos5 opióides agonistas mais fortes.

Posologia de Codein

Para obtenção de efeito analgésico19 em adulto, por via intramuscular ou subcutânea20 a dose recomendada está compreendida entre 15 mg a 60 mg (em média 30 mg) a cada 4 a 6 horas.O uso da codeína por via parenteral em criança prematura ou recém-nascido não é recomendado.
Para crianças maiores a dosagem por via intramuscular ou subcutânea20 é de 0,5 mg/kg/peso corporal ou 15 mg/m² de superfície corporal a cada 4 a 6 horas.
Não use o injetável se apresentar precipitado ou coloração.

Superdosagem de Codein

A superdosagem é caracterizada pela depressão respiratória com ou sem depressão do SNC6 além de outros sintomas63 como sonolência, erupção41 na pele42, vômitos32, coceira, inchaço43 da pele42.
O tratamento para superdosagem de analgésico19 opióide consiste em assegurar e manter as vias aéreas livres, auxiliar a ventilação64 com oxigênio e/ou sistema de ventilação64 assistida ou controlada.
O antídoto65 específico é a Naloxona, na dose de 0,4 a 2 mg administrado intravenosamente e com respiração assistida. A dose de Naloxona pode ser repetida num intervalo de 2 a 3 minutos se necessário.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
ATENÇÃO: "PODE CAUSAR DEPENDÊNCIA FÍSICA OU PSÍQUICA"

Número de Lote, Data de Fabricação e Validade: Vide cartucho
Reg. MS N.º 1.0298.0199
Farm. Resp.: Dr. Joaquim A. dos Reis - CRF-SP N.º 5061

SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente): 0800-7011918

CRISTÁLIA - Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda.
Rod. Itapira-Lindóia, km 14 - Itapira - SP
CNPJ N.º 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira

REVISADO EM 18/09/01

CODEIN 30MG/ML-25ap. 2ml - Laboratório

CRISTALIA
Escritório central - Unidade II: Av. Paoletti, 363 - Nova Itapira
Itapira/SP - CEP: 13970-000
Tel: (19) 3863-9500
Fax: (19) 3863-9500
Site: http://www.2cristalia.com.br/fale_conosco.php
Escritório comercial
Av. Corifeu de Azevedo Marques, 1847 - Butantã
São Paulo /SP
CEP: 05581-001
Tel./Fax: (11) 3723-6400

Unidade I
Rod. Itapira-Lindóia, Km 14 - Ponte Preta
Itapira /SP
CEP: 13970-000
Tel./Fax: (19) 3843-9500

Unidade III
Av. Nossa Senhora Assunção, 574 - Butantã
São Paulo /SP
CEP: 05359-001
Tel./Fax: (11) 3732-2250

Ver outros medicamentos do laboratório "CRISTALIA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
6 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
7 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
8 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
9 Amígdala: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
10 Hipocampo: Elevação curva da substância cinzenta, que se estende ao longo de todo o assoalho no corno temporal do ventrículo lateral (Tradução livre de Córtex Entorrinal; Via Perfurante;
11 Tálamo: Corpos pareados (contendo principalmente substância cinzenta), que formam uma parte da parede lateral do terceiro ventrículo do cérebro. O tálamo é a maior porção do diencéfalo, sendo geralmente dividido em agregados celulares (conhecidos como grupos nucleares).
12 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
13 Mesencéfalo: O meio das três vesículas cerebrais primitivas no encéfalo embrionário. Sem outra subdivisão, o mesencéfalo se desenvolve em uma porção curta e estreita, unindo a PONTE e o DIENCÉFALO. O mesencéfalo contém duas partes principais Sinônimos: Cérebro Médio
14 Coluna vertebral:
15 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
16 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
17 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
18 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
19 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
20 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
21 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
22 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
23 Cianose: Coloração azulada da pele e mucosas. Pode significar uma falta de oxigenação nos tecidos.
24 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
25 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
26 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
27 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
28 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
29 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
30 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
31 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
32 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
33 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
34 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
35 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
36 Periodontal: Relativo ao ou próprio do tecido em torno dos dentes, o periodonto. O periodonto é o tecido conjuntivo que fixa o dente no alvéolo.
37 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
38 IMAO: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
39 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
40 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
41 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
42 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
43 Inchaço: Inchação, edema.
44 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
45 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
46 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
47 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
48 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
49 Paradoxal: Que contém ou se baseia em paradoxo(s), que aprecia paradoxo(s). Paradoxo é o pensamento, proposição ou argumento que contraria os princípios básicos e gerais que costumam orientar o pensamento humano, ou desafia a opinião consabida, a crença ordinária e compartilhada pela maioria. É a aparente falta de nexo ou de lógica; contradição.
50 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
51 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
52 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
53 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
54 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
55 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
56 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
57 Uretral: Relativo ou pertencente à uretra.
58 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
59 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
60 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
61 Ílio:
62 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
63 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
64 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
65 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.

Tem alguma dúvida sobre CODEIN 30MG/ML-25ap. 2ml?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.