Preço de Fibrinase com Cloranfenicol (Pomada 666 UI/g + 1 UI/g + 10 mg/g) em Fairfield/SP: R$ 27,97

Fibrinase com Cloranfenicol (Pomada 666 UI/g + 1 UI/g + 10 mg/g)

CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA.

Atualizado em 31/08/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

fibrinase com cloranfenicol
fibrinolisina, desoxirribonuclease e cloranfenicol
Pomada 666 UI/g + 1 UI/g + 10 mg/g

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Pomada dermatológica
Embalagem com 1 bisnaga de 10 g e 30 g.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO: TÓPICO1 (no local da lesão2)
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO:

Cada 1 g da pomada dermatológica contém:

desoxirribonuclease 666U
fibrinolisina 1U
cloranfenicol 0,01 g
excipiente q.s.p 1,0 g

Excipiente: gel de petrolato e polietileno.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Fibrinase (fibrinolisina, desoxirribonuclease e cloranfenicol) pomada é indicada no tratamento de lesões3 cutâneas4 infectadas (lesões3 na pele5 com infecção6) tais como queimaduras, úlceras7 (lesões3 superficiais da pele5) e feridas.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Fibrinase (fibrinolisina, desoxirribonuclease e cloranfenicol) é uma associação de enzimas ativas (substâncias que ativam uma reação química, neste caso acelerando a destruição das células8 agredidas pela inflamação9, infecção6 ou cauterização10) e um antibiótico bacteriostático11 (tipo de antibióticos que impedem que as bactérias se reproduzam, mas não as mata diretamente).
Esta associação age duplamente como agente debridante (remove substâncias depositadas na superfície da pele5) e antibiótico tópico1, mantendo a região limpa para que a cicatrização possa ocorrer adequadamente.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Fibrinase (fibrinolisina, desoxirribonuclease e cloranfenicol) é contraindicada a pacientes que apresentam reações de hipersensibilidade (alergia12) a qualquer componente da fórmula.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não há estudos controlados adequados sobre o efeito do cloranfenicol (antibiótico que compõe a fórmula da Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol). Estudos com animais que usaram este antibiótico durante a gestação observaram alterações na formação dos embriões.
Também há a possibilidade de reações adversas sérias relacionadas ao uso do cloranfenicol em lactentes13 (crianças em amamentação14).
Portanto, Fibrinase (fibrinolisina, desoxirribonuclease e cloranfenicol) deve ser utilizado durante a gravidez15 somente se o médico entender que os benefícios do uso superam esses riscos. Em relação ao uso durante o período em que a mulher está amamentando recomenda-se descontinuar a amamentação14 ou o tratamento com Fibrinase (fibrinolisina, desoxirribonuclease e cloranfenicol), levando em consideração a importância do medicamento para a mãe.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.
Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez15 na vigência do tratamento ou após o seu término.
Informe ao seu médico se estiver amamentando.

Sempre avise ao seu médico todas as medicações que você toma quando ele for prescrever uma medicação nova.
O médico precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a ação, uma da outra; isso se chama interação medicamentosa. Não há relatos sobre a interação de Fibrinase (fibrinolisina, desoxirribonuclease e cloranfenicol) com outros medicamentos.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde16.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação 

Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). Conservar a embalagem do produto fechada.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.

Características físicas e organolépticas do produto

Pomada macia, isenta de grumos e partículas estranhas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) é indicada somente para uso tópico1 (sobre a pele5 lesionada).

Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) não deve ser utilizada nos olhos17 ou nas áreas próximas aos olhos17.

Considerando-se a grande variação da intensidade dos casos nos quais se indica o uso de Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol), o médico deverá ajustar devidamente as aplicações para cada caso.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Instruções para uso

Para o sucesso do uso de debridamento18 enzimático, vários fatores devem ser considerados.

  • Remova cirurgicamente qualquer escara19 seca e compacta antes do debridamento18 enzimático ser realizado;
  • A enzima20 deve estar em contato constante com o substrato;
  • Debris necróticos acumulados devem ser removidos periodicamente;
  • A enzima20 deve ser aplicada no mínimo uma vez ao dia; sendo que a aplicação a cada 6 ou 8 horas proporciona um melhor resultado do tratamento.
  • Após ter sido obtido o debridamento18 ótimo, assim que possível, é necessário empregar a cicatrização secundária ou enxerto21 de pele5. É primordial que a técnica de curativo seja realizada em condições assépticas e que sejam administrados concomitantemente antibióticos de ação sistêmica adequada se, na opinião do médico, forem indicados.

A aplicação local deve ser repetida em intervalos regulares durante o período que é desejado a ação enzimática do produto.
Após a aplicação, a atividade de Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) diminui rápida e progressivamente e se extingue provavelmente no fim de 24 horas.

Recomendações para a aplicação de Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol)

  • Para sua segurança esta bisnaga está hermeticamente lacrada. Esta embalagem não requer o uso de objetos cortantes.
  • Retire a tampa da bisnaga.
  • Perfure o lacre da bisnaga, introduzindo o bico perfurante da tampa.
  • Aplique uma fina camada de Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol).
  • Cubra com gaze ou outro tipo de curativo não aderente.
  • Troque o curativo no mínimo uma vez ao dia, de preferência duas ou três vezes ao dia. A frequência de aplicação mais importante que a quantidade de Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) utilizada.
  • Remova os debris necrótico e exudato fibrinoso com soro22 fisiológico23 ou água morna para que Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) seja aplicada novamente em contato direto com o substrato.
  • Lime a ferida com água, sabão ou soro22 fisiológico23 e seque a área cuidadosamente. Se esta escara19 seca compacta estiver presente, esta deve ser removida cirurgicamente antes da aplicação da Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol).

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você esqueça-se de usar Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) no horário estabelecido pelo seu médico, faça-o assim que lembrar.

Entretanto, se já estiver perto do horário de usar a próxima dose, pule a aplicação esquecida e faça à próxima, continuando normalmente o esquema de aplicações recomendado pelo seu médico. Neste caso, não use o medicamento em dobro para compensar as aplicações esquecidas.

O esquecimento de dose pode comprometer a eficácia do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Podem ocorrer reações de sensibilidade idênticas a outras preparações tópicas.

Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis e mantenha-o informado se elas piorarem – tais como: coceira, ardência, edema angioneurótico24 (inchaços que podem acometer lugares diversos, como membros, ouvido, nariz25, garganta26, aparelho digestivo27, etc.), urticária28 (lesões3 alérgicas na pele5 geralmente avermelhadas, elevadas que coçam muito), dermatite29 vesicular (inflamação9 da pele5 caracterizada por pequenas bolhas), dermatite29 maculopapular30 (inflamação9 da pele5 caracterizada por manchas vermelhas) e discrasias sanguíneas (alterações dos componentes do sangue31). Se essas reações ocorrerem, o tratamento deve ser descontinuado.

Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) deve ser administrada com cautela em pacientes com história de alergia12 a produtos de origem bovina.

Se aparecerem novas infecções32 durante o tratamento, o médico deve ser informado.

Não foram relatados efeitos colaterais33 com o uso de Fibrinase com cloranfenicol (fibrinolisina, desoxirribonuclease, cloranfenicol) nas doses e indicações recomendadas. Mesmo em altas concentrações, apenas reações adversas muito leves foram observadas, consistindo apenas em hiperemia34 local.

Foram relatados casos de hipoplasia35 da medula óssea36, incluindo anemia37 aplástica e morte, após a aplicação local de cloranfenicol.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não há relato de superdosagem com Fibrinase com cloranfenicol (desoxirribonuclease, fibrinolisina e cloranfenicol).

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA
 

MS N.º 1.0298.0017
Farm. Resp.: Dr. José Carlos Módolo – CRF-SP N.º 10.446

Registrado por:
CRISTÁLIA- Prod. Quím. Farm. Ltda. Rod. Itapira-Lindóia, km 14 - Itapira-SP
CNPJ nº 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira

Comercializado por:
SUPERA RX MEDICAMENTOS LTDA.
Rua: Guará Qd 04/05/06 - Aparecida de Goiânia - GO


SAC 0800 708 1818

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
2 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
4 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
5 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
10 Cauterização: Queima ou coagulação de tecidos de diferentes órgãos para deter uma hemorragia ou eliminar um tecido de crescimento anormal.
11 Antibiótico bacteriostático: Impede o crescimento das bactérias, detendo sua multiplicação. Mas não elimina a bactéria, não a mata.
12 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
13 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
14 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
17 Olhos:
18 Debridamento: 1. Debridamento ou desbridamento é o ato ou efeito de soltar(-se) da brida ou bridão (o animal). 2. Em medicina, é a retirada de tecido desvitalizado ou de corpo estranho de uma ferida.
19 Escara: Úlcera produzida nas áreas cutâneas que sofrem maior pressão (úlcera de decúbito).
20 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
21 Enxerto: 1. Na agricultura, é uma operação que se caracteriza pela inserção de uma gema, broto ou ramo de um vegetal em outro vegetal, para que se desenvolva como na planta que o originou. Também é uma técnica agrícola de multiplicação assexuada de plantas florais e frutíferas, que permite associar duas plantas diferentes, mas gerações próximas, muito usada na produção de híbridos, na qual uma das plantas assegura a nutrição necessária à gema, ao broto ou ao ramo da outra, cujas características procura-se desenvolver; enxertia. 2. Na medicina, é a transferência especialmente de células ou de tecido (por exemplo, da pele) de um local para outro do corpo de um mesmo indivíduo ou de um indivíduo para outro.
22 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
23 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
24 Edema angioneurótico: Ataques recidivantes de edema transitório que aparecem subitamente em áreas da pele, membranas mucosas e ocasionalmente nas vísceras, geralmente associadas com dermatografismo, urticária, eritema e púrpura.
25 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
26 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
27 Aparelho digestivo: O aparelho digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
28 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
29 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
30 Maculopapular: Erupção cutânea que se caracteriza pelo aparecimento de manchas e de pápulas de tonalidade avermelhada, geralmente observada no sarampo ou na rubéola.
31 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
32 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
33 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
34 Hiperemia: Congestão sanguínea em qualquer órgão ou parte do corpo.
35 Hipoplasia: Desenvolvimento defeituoso ou incompleto de tecido ou órgão, geralmente por diminuição do número de células, sendo menos grave que a aplasia.
36 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
37 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre Fibrinase com Cloranfenicol (Pomada 666 UI/g + 1 UI/g + 10 mg/g)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.