ZOMIG e ZOMIG OD

AstraZeneca

Atualizado em 09/12/2014

ZOMIG®  e  ZOMIG® OD
zolmitriptana
2,5 mg

Forma Farmacêutica e Apresentação de Zomig e Zomig Od

ZOMIG:          -  Comprimidos revestidos. Embalagem com 2.ZOMIG OD:   -  Comprimidos orodispersíveis. Embalagem com 2.

USO ADULTO

Composição de Zomig e Zomig Od

Cada comprimido revestido de ZOMIG contém:
zolmitriptana .................... 2,5 mg
Excipientes q.s.p. ....................  1 comprimido
Excipientes: lactose1, celulose microcristalina, amido glicolato de sódio, estearato de magnésio, metilhidroxipropilcelulose, dióxido de titânio, macrogol  e óxido de ferro amarelo.

Cada comprimido orodispersível de ZOMIG OD contém:
zolmitriptana .................... 2,5 mg  
Excipientes q.s.p. ....................  1 comprimido
Excipientes: manitol, celulose microcristalina, crospovidona, aspartamo, bicarbonato de sódio, ácido cítrico, dióxido de silício coloidal, aroma de laranja, estearato de magnésio.
ATENÇÃO: Cada comprimido de ZOMIG OD contém 2,81 mg de fenilalanina2.

Informações ao Paciente de Zomig e Zomig Od

Ação esperada do medicamento: O alívio dos sintomas3 ocorre, geralmente, dentro de uma hora após a ingestão de ZOMIG comprimidos revestidos ou de ZOMIG OD.

Cuidados de armazenamento: Conservar em temperatura inferior a 30ºC. Proteger da luz e umidade.

Prazo de validade: vide cartucho. Não use medicamento com prazo de validade vencido.

Gravidez4 e lactação5: Informe seu médico a ocorrência de gravidez4 na vigência do tratamento ou após seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Cuidados de administração: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Reações adversas: Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis. Podem ocorrer: náusea6, tontura7, sonolência, sensação de calor, astenia8 e boca9 seca. Também podem ocorrer peso, aperto ou pressão na garganta10, pescoço11, membros e peito12, bem como, mialgia13, fraqueza muscular, parestesia14, disestesia15, e, raramente, angina16 pectoris e infarto do miocárdio17.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias: ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD podem ser tomados mesmo que você tenha tomado outros medicamentos para prevenir a enxaqueca18 (por exemplo: beta-bloqueadores, diidroergotamina, pizotifeno).

Contra-Indicações e Precauções de Zomig e Zomig Od


ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD são contra-indicados em pacientes com hipersensibilidade conhecida a qualquer componente de sua fórmula, hipertensão19 não controlada, doença cardíaca isquêmica e vasoespasmo coronário / angina16 de Prinzmetal. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando antes do início ou durante o tratamento, especialmente inibidores da MAO20 (como moclobemida), cimetidina, fluvoxamina e antibióticos do grupo das quinolonas, como ciprofloxacina.
ATENÇÃO Fenilcetonúricos21: cada comprimido de ZOMIG OD contém 2,81 mg de fenilalanina2.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir autos e operar máquinas: Não houve alteração significativa da performance em testes psicomotores com doses de até 20 mg de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD. Seu uso provavelmente não resultará em prejuízo da capacidade dos pacientes para dirigir ou operar máquinas. No entanto, deve-se levar em consideração que pode ocorrer sonolência.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE22.

Informações Técnicas de Zomig e Zomig Od

Características de Zomig e Zomig Od

Propriedades FarmacodinâmicasEm estudos pré-clínicos, o zolmitriptana mostrou ser um agonista23 seletivo para os subtipos  5-HT1D alfa e 5-HT1D beta de receptor vascular24 recombinante humano. O zolmitriptana é um agonista23 com alta afinidade para receptor agonista23 5-HT1D e uma afinidade modesta para receptores 5-HT1A. Zolmitriptana não tem uma afinidade significante (medida por ensaios de ligação radioligante) ou uma atividade farmacológica nos receptores 5-HT2 - 5-HT3 - 5-HT4 - alfa1 - alfa2 ou beta1 adrenérgicos25, H1 - H2 histamínicos, muscarínicos, dopaminérgico 1 ou dopaminérgico 2.
Demonstrou-se que as estruturas sensíveis à dor da cavidade craniana humana são os vasos sangüíneos26 e a rede vascular24 da dura-máter27. Estes tecidos são inervados pelas fibras aferentes trigeminais. Em modelos animais, a administração de zolmitriptana, com sua atividade agonista23 sobre os receptores vasculares28 5HT1, causa vasoconstrição29 associada à inibição da liberação de peptídeo relacionado ao gene da calcitonina30 (CGRP), peptídeo intestinal vasoativo (VIP) e substância P. Estes dois eventos, a vasoconstrição29 e a inibição da liberação de neuropeptídeos, são considerados como sendo os causadores do alívio da crise de enxaqueca18, conforme evidenciado pelo início do alívio da dor dentro de 1 hora após a administração e do alívio da náusea6, vômito31, fotofobia32 e fonofobia associadas à enxaqueca18. Além destas ações periféricas, o zolmitriptana tem ação no sistema nervoso central33 permitindo o acesso tanto ao centro periférico quanto ao centro da enxaqueca18 no tronco cerebral34, o que pode explicar o efeito consistente sobre uma série de crises em um único paciente. A vasodilatação é obtida com a ativação de uma via reflexa mediada pelas fibras ortodrômicas trigeminais e  pela inervação parassimpática da circulação35 cerebral através da liberação de VIP como principal transmissor efetor. O zolmitriptana bloqueia esta via reflexa e a liberação de VIP.

Propriedades Farmacocinéticas
Após a administração oral de ZOMIG comprimidos revestidos, zolmitriptana é absorvido rapidamente (no mínimo 64%). A biodisponibilidade absoluta média do composto-mãe é de aproximadamente 40%. Há um metabólito36 ativo (183C91, o metabólito36 N-desmetil) que é também um agonista23 de 5HT1B/1D e é de 2 a 6 vezes tão potente, em modelos de animais, quanto o zolmitriptana. Em indivíduos saudáveis, quando administrado em dose única, o zolmitriptana e seu metabólito36 ativo 183C91 apresentam uma AUC e Cmáx proporcionais à faixa de dose de  2,5 a 50 mg. A absorção é rápida com 75% de Cmáx alcançada em 1 hora e as concentrações plasmáticas são mantidas subseqüentemente por 4 a 6 horas. A absorção do zolmitriptana não é afetada pela presença de alimento. Não há evidência de acúmulo em doses múltiplas de zolmitriptana.
A formulação de ZOMIG OD dispersível oralmente é bioequivalente aos comprimidos revestidos em relação a AUC e Cmáx para zolmitriptana e seu metabólito36 ativo (183C91). O tempo para a concentração plasmática máxima do metabólito36 ativo (183C91) após a administração de ZOMIG OD é similar aquele de ZOMIG comprimidos revestidos, mas pode ser prolongado para o zolmitriptana com esta formulação em relação ao comprimido revestido.
Em estudos de farmacologia37 clínica para comparar as duas formulações, para o metabólito36 ativo 183C91, o tmáx variou de 0,75 à 5 horas (média de 3  horas) para o comprimido revestido, e de 1 à 6 horas (média de 3 horas) para o comprimido orodispersível, enquanto para o zolmitriptana variou entre 0,5 à 3 horas (média de 1,5 horas) e 0,6 à 5 horas (média de 3 horas), respectivamente. Entretanto, as concentrações plasmáticas de zolmitriptana para a formulação dispersível oralmente e o comprimido revestido são similares até 45 minutos após a dose, o período mais importante para absorção inicial após a administração.
O zolmitriptana é amplamente eliminado pela biotransformação hepática38 seguida da excreção urinária dos metabólitos39. Existem três metabólitos39 principais: ácido indolacético (principal metabólito36 no plasma40 e na urina41) e os análogos N-óxido e N-desmetil. O metabólito36 N-desmetilado (183C91) é ativo, enquanto os outros não são. As concentrações plasmáticas de 183C91 são aproximadamente metade daquelas da droga-mãe, esperando-se assim que ele contribua para a ação terapêutica42 de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD. Mais de 60% de uma dose oral única é excretada na urina41 (principalmente como metabólito36 ácido indolacético) e 30% nas fezes principalmente na forma inalterada.
Um estudo para avaliar o efeito de patologia43 hepática38 na farmacocinética de zolmitriptana mostrou que a AUC e Cmáx aumentaram 94% e 50%, respectivamente, em pacientes com patologia43 hepática38 moderada e  226% e 47% em pacientes com patologia43 hepática38 grave comparada com voluntários sadios. A exposição aos metabólitos39, incluindo o metabólito36 ativo, foi diminuída. Para o metabólito36 183C91, AUC e Cmáx foram reduzidos em 33% e 44% em pacientes com patologia43 hepática38 moderada e em 82% e 90% em pacientes com patologia43 hepática38 grave.
A meia-vida plasmática (t1/2) de zolmitriptana foi de 4,7 horas em voluntários sadios, 7,3 horas em pacientes com doença hepática38 moderada e 12 horas naqueles com doença hepática38 grave. Os valores correspondentes de t1/2 para o metabólito36 183C91 foram 5,7 horas, 7,5 horas e 7,8 horas respectivamente.
Após a administração intravenosa, o clearance plasmático total médio é aproximadamente, 10 ml/min/kg, sendo um terço clearance renal44, o qual é maior que a taxa de filtração glomerular sugerindo secreção tubular renal44. O volume de distribuição após administração i.v. é 2,4 l/kg. A ligação à proteína plasmática é baixa (aproximadamente 25%). A meia-vida média de eliminação do zolmitriptana é 2,5 a 3 horas. As meias-vidas de seus metabólitos39 são similares, sugerindo que a sua eliminação é limitada pela taxa de formação.
O clearance renal44 do zolmitriptana e seus metabólitos39 é reduzido (7-8 vezes) em pacientes com insuficiência renal45 moderada a grave quando comparado com indivíduos saudáveis, embora as AUC da droga-mãe e do metabólito36 ativo sejam apenas ligeiramente maiores (16 e 35% respectivamente), com aumento de 1 hora na meia-vida para 3 a 3,5 horas. Estes parâmetros estão dentro dos limites observados em voluntários saudáveis.
Em um pequeno grupo de indivíduos saudáveis não houve interação farmacocinética com ergotamina. A administração concomitante de ZOMIG comprimidos revestidos ou de ZOMIG OD com ergotamina/cafeína foi bem tolerada e não resultou em qualquer aumento de eventos adversos ou alterações da pressão sangüínea46 quando comparado com ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD sozinhos.
Selegilina, um inibidor da MAO20-B, e fluoxetina, um inibidor seletivo da recaptação da serotonina (ISRS) não tiveram efeito nos parâmetros farmacocinéticos do zolmitriptana.
A farmacocinética do zolmitriptana em idosos saudáveis foi similar a de voluntários jovens saudáveis.

Dados de Segurança Pré-Clínica
Um estudo para avaliação de efeitos teratológicos com Zomig comprimidos revestidos e Zomig OD foi realizado. Não há sinais47 de teratogenicidade aparente para as doses máximas toleradas de Zomig comprimidos revestidos e Zomig OD de 1200 mg/kg/dia e 30 mg/kg/dia por via oral, em ratos e coelhos, respectivamente.
Vários testes de genotoxicidade foram realizados. Foi concluído que Zomig comprimidos revestidos e Zomig OD não causa nenhum risco genético em humanos.
Estudos de carcinogenicidade em ratos e camundongos foram conduzidos com altas doses e não houve nenhuma sugestão de tumorogenicidade.
Estudos reprodutivos em machos e fêmeas de ratos, em doses limitadas pela toxicidade48, não revelaram nenhum efeito sob a fertilidade.

Indicação de Zomig e Zomig Od

ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD são indicados para o tratamento agudo49 da enxaqueca18 com ou sem aura.

Contra-Indicação de Zomig e Zomig Od

ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD são contra-indicados em pacientes com hipersensibilidade conhecida a qualquer componente de sua fórmula, hipertensão19 não controlada, doença cardíaca isquêmica e vasoespasmo coronário / angina16 de Prinzmetal.

Precauções e Advertências de Zomig e Zomig Od


ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD devem ser usados apenas quando o diagnóstico50 de enxaqueca18 tiver sido estabelecido. Recomenda-se cuidado a fim de excluir outras condições neurológicas potencialmente graves. Não existem dados disponíveis sobre o uso de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD em enxaqueca18 hemiplégica ou basilar. Em pacientes com enxaqueca18 pode haver risco de certos eventos cerebrovasculares. Foram relatados hemorragia51 cerebral, hemorragia51 subaracnóide, acidente vascular cerebral52 e outros eventos cerebrovasculares em pacientes tratados com agonistas 5HTIB/ID.

ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD não devem ser administrados a pacientes com síndrome53 de Wolff-Parkinson-White sintomática54 ou arritmias55 associadas a outras vias acessórias de condução cardíaca.

Em casos muito raros, esta classe de compostos (agonistas de 5-HT1B/1D) tem sido associada com vasoespasmo coronário e infarto do miocárdio17. Em pacientes com fatores de risco pela doença cardíaca isquêmica, recomenda-se realizar avaliação cardiovascular prévia no começo do tratamento com esta classe de compostos, incluindo o ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD (ver item Contra-Indicações).
Entretanto, estas avaliações, podem não identificar todos os pacientes que têm doença cardiovascular e, em casos muito raros, tem ocorrido eventos cardíacos graves em pacientes sem doença cardiovascular prévia.

Da mesma forma que para agonistas de 5-HT1B/1D, após a administração de zolmitriptana foram relatadas sensações atípicas sobre o precórdio (ver item Reações Adversas) mas em estudos clínicos elas não foram associadas a arritmias55 ou alterações isquêmicas no ECG. ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD podem causar aumentos leves e transitórios da pressão sangüínea46 (que podem ser mais pronunciados no idoso). Entretanto, isto não foi associado à seqüela clínica no programa de ensaios clínicos56. Quando tais sintomas3 parecem indicar doença cardíaca isquêmica, e nenhuma dose adicional de zolmitriptana deve ser administrada e deve ser realizada avaliação adequada.
Assim como outros agonistas 5-HT1B/1D, tem sido relatado aumento transitório da pressão sanguínea em pacientes com e sem histórico de hipertensão19; estes aumentos da pressão sanguínea tem sido muito raramente associados com eventos clínicos significantes.
Assim como outros agonistas 5-HT1B/1D,  tem sido relatados raros casos de anafilaxia57; reações anafilactóides em pacientes recebendo ZOMIG.

Pacientes com fenilcetonúria58 devem ser informados que os comprimidos orodispersíveis de Zomig OD contêm fenilalanina2 (um componente do aspartamo). Cada comprimido dispersível oralmente contém 2,81 mg de fenilalanina2.

Uso durante a gravidez4 e lactação5
Gravidez4

ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD podem ser usados na gravidez4 apenas se os benefícios para a mãe justificarem o risco potencial para o feto59. Não existem estudos em mulheres grávidas, mas não há evidência de teratogenicidade em estudos em animais.
Lactação5
Estudos mostraram que o zolmitriptana é excretado no leite de animais em lactação5. Não existem dados sobre a sua passagem para o leite humano. Portanto, recomenda-se cuidado ao administrar ZOMIG comprimidos revestidos ou ZOMIG OD a mulheres que estejam amamentando.

Interações Medicamentosas de Zomig e Zomig Od

Não há evidência de que o uso concomitante de medicamentos para a profilaxia da enxaqueca18 tenha qualquer efeito sobre a eficácia ou efeitos não desejados do ZOMIG comprimidos revestidos e do ZOMIG OD (por exemplo: beta-bloqueadores, diidroergotamina oral, pizotifeno).
A farmacocinética e a tolerabilidade de ZOMIG comprimidos revestidos e de ZOMIG OD  não foram afetadas por tratamentos sintomáticos agudos tais como paracetamol, metoclopramida e ergotamina.
A administração concomitante de outros agonistas de 5-HT1D dentro de 12 horas após o tratamento com ZOMIG comprimidos revestidos ou com ZOMIG OD deve ser evitada.
Após a administração de moclobemida, um inibidor específico da MAO20-A, houve um pequeno aumento da área sob a curva (26%) para zolmitriptana e um aumento de 3 vezes na área sob a curva do metabólito36 ativo. Portanto, recomenda-se a dose máxima de 7,5 mg de ZOMIG comprimidos revestidos ou de ZOMIG OD em 24 horas em pacientes que estejam tomando inibidor da MAO20-A.
Têm sido relatadas reações vasoespásticas causada por drogas do tipo Ergot. Devido à possibilidade teórica de que estes efeitos possam ser aditivos, deve-se ter um intervalo de 24 horas entre o uso de medicamento contendo ergotamina ou tipo-ergot (como diidroergotamina ou metilsergida) e zolmitriptana. É aconselhável esperar no mínimo 6 horas após a administração de ZOMIG e antes de administrar formulação contendo ergotamina.

Após a administração de cimetidina, um inibidor geral de P450, a meia-vida de zolmitriptana foi elevada em 44% e a AUC aumentou em 48%. Além disto, foram dobradas a meia-vida e a AUC do metabólito36 ativo N-desmetilado (183C91). É recomendada uma dose máxima de 5 mg de ZOMIG comprimidos revestidos ou de ZOMIG OD em 24 horas para pacientes60 que tomam cimetidina. Baseado no perfil de interação global, uma interação com inibidores da  isoenzima CYP1A2 do citocromo P450 não pode ser excluída. Portanto,  a mesma redução da dose é recomendada com componentes deste tipo, assim como fluvoxamina e antibióticos do grupo das quinolonas (ex.: ciprofloxacina). Após a administração de rifampicina, não foram observadas diferenças clínicas relevantes nas propriedades farmacocinéticas de zolmitriptana ou do seu metabólito36 ativo.

Reações Adversas de Zomig e Zomig Od


ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD são bem tolerados. Reações adversas são tipicamente leves a moderadas, transitórias, não graves e resolvem-se espontaneamente sem tratamento adicional. As reações adversas tendem a ocorrer dentro de 4 horas após a administração e não são mais freqüentes após administração repetida.
As seguintes reações adversas têm sido relatadas com maior freqüência: náusea6, tontura7, sonolência, sensação de calor, astenia8 e boca9 seca.
Têm sido relatados casos raros de taquicardia61 e palpitações62. Em casos muito raros,  assim como outros agonistas de 5-HT1B/1D , foram relatados angina16 pectoris e infarto do miocárdio17.
Assim como outros agonistas 5-HT1B/1D,  aumentos passageiros na pressão sanguínea sistêmica, muito raramente associado com eventos clínicos significantes, têm sido informados.
Anormalidades ou distúrbios da sensação foram relatados. Podem ocorrer peso, aperto ou pressão na garganta10, pescoço11, membros e peito12 (sem evidência de alterações isquêmicas no ECG), bem como mialgia13, fraqueza muscular, parestesia14 e disestesia15.
Assim como outros agonistas 5-HT1B/1D, foram relatados raros casos de reações de hipersensibilidade, incluindo reações de anafilaxia57, reações anafilactóides, urticária63 e angioedema64.
Assim como outros tratamentos com enxaqueca18 aguda, incluindo agonistas 5-HT1B/1D, foram raramente relatados dores de cabeça65.
Assim como outros agonistas 5-HT1B/1D relatos muitos raros de que eventos gastrointestinais isquêmicos incluindo colites isquêmicas, infarto66 gastrointestinal e necrose67, podem se apresentar na forma de diarréia68 com sangue69 ou dor abdominal.

Posologia e Modo de Usar de Zomig e Zomig Od

A dose recomendada de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD para tratar a crise de enxaqueca18 é 2,5 mg.

O comprimido revestido de ZOMIG deve ser engolido inteiro com água.

O comprimido de ZOMIG OD orodispersível dissolve-se rapidamente quando colocado na língua70 e é engolido com a saliva do paciente. Não há necessidade da ingestão de água quando é administrado o comprimido de ZOMIG OD. ZOMIG OD pode ser tomado quando a água não é disponível permitindo, portanto, a administração rápida no tratamento da crise de enxaqueca18. Esta formulação também pode ser benéfica para pacientes60 que sofrem de náuseas71 e são incapazes de ingerir líquidos durante a crise de enxaqueca18, ou para pacientes60 que não gostam de tomar comprimidos convencionais.

Se os sintomas3 persistirem ou retornarem em 24 horas, uma segunda dose tem se mostrado eficaz. Se uma segunda dose for necessária, ela não deve ser administrada antes de 2 horas após a primeira dose.
Se o paciente não obtiver alívio satisfatório com doses de 2,5 mg, as crises subseqüentes podem ser tratadas com doses de 5 mg de ZOMIG comprimidos revestidos ou de ZOMIG OD. Eficácia significante é aparente em  1 hora após a administração.

ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD são igualmente eficazes quando os comprimidos são tomados durante a crise de enxaqueca18, embora seja recomendado tomá-los o mais cedo possível após o início dos sintomas3.

Na ocorrência de crises recorrentes é recomendado não exceder a dose total de 10 mg de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD em período de 24 horas.

ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD não são indicados para a profilaxia da enxaqueca18.

Uso em subgrupos de pacientes
ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD são eficazes na enxaqueca18 com ou sem aura e na enxaqueca18 associada à menstruação72. A eficácia de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD não é afetada pelo sexo, idade, duração da crise, náusea6 antes do tratamento e uso concomitante de drogas profiláticas para enxaqueca18.

Uso em crianças
A segurança e a eficácia de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD em pacientes pediátricos não foi estabelecida.

Pacientes com insuficiência hepática73
Embora o metabolismo74 em pacientes com insuficiência hepática73 leve ou moderada é reduzido (ver item Propriedades Farmacocinéticas), não é necessário o ajuste da dose. Entretanto, para pacientes60 com insuficiência hepática73 grave é recomendada uma dose máxima de 5 mg em 24 horas.

Pacientes com insuficiência renal45
Não há necessidade de ajustar a dose.

Pacientes idosos
A segurança e a eficácia de ZOMIG comprimidos revestidos e ZOMIG OD em indivíduos com idade acima de 65 anos não foi sistematicamente avaliada.

Superdosagem de Zomig e Zomig Od

Voluntários recebendo doses orais únicas de 50 mg geralmente apresentaram sedação75.
A meia-vida de eliminação dos comprimidos de zolmitriptana é aproximadamente 3 horas (ver item Propriedades Farmacocinéticas) e, portanto, a monitorização dos pacientes após a ocorrência de superdosagem com ZOMIG comprimidos revestidos ou com ZOMIG OD deve continuar por, pelo menos, 15 horas ou enquanto persistirem os sintomas3 ou sinais47. Não há antídoto76 específico. Nos casos graves de intoxicação, recomenda-se procedimentos de terapia intensiva77, incluindo estabelecimento e manutenção de vias aéreas desobstruídas, oxigenação e ventilação78 adequadas, monitorização e suporte do sistema cardiovascular79. O efeito da hemodiálise80 ou diálise peritoneal81 sobre as concentrações séricas de zolmitriptana é desconhecido.

Pacientes Idosos de Zomig e Zomig Od


Vide Posologia.

PRODUTO NOVO: ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E, EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.

ZOMIG e ZOMIG OD - Laboratório

AstraZeneca
Rod. Raposo Tavares, km 26,9
Cotia/SP - CEP: 06707-000
Tel: 0800 014 55 78
Fax: (11) 3737 1200
Site: http://www.astrazeneca.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "AstraZeneca"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Fenilalanina: É um aminoácido natural, encontrado nas proteínas vegetais e animais, essencial para a vida humana.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
6 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
7 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
8 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
9 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
10 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
11 Pescoço:
12 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
13 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
14 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
15 Disestesia: Distúrbio da sensibilidade superficial tátil.
16 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
17 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
18 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
19 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
20 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
21 Fenilcetonúricos: Portadores da doença fenilcetonúria.
22 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
23 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
24 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
25 Adrenérgicos: Que agem sobre certos receptores específicos do sistema simpático, como o faz a adrenalina.
26 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
27 Dura-Máter: A mais externa das três MENINGES, uma membrana fibrosa de tecido conjuntivo que cobre o encéfalo e cordão espinhal.
28 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
29 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
30 Calcitonina: Hormônio secretado pela glândula tireoide que inibe a perda de cálcio dos ossos.
31 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
32 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
33 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
34 Tronco Cerebral: Parte do encéfalo que conecta os hemisférios cerebrais à medula espinhal. É formado por MESENCÉFALO, PONTE e MEDULA OBLONGA.
35 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
36 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
37 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
38 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
39 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
40 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
41 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
42 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
43 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
44 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
45 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
46 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
47 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
48 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
49 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
50 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
51 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
52 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
53 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
54 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
55 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
56 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
57 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
58 Fenilcetonúria: A Fenilcetonúria é uma doença genética caracterizada pelo defeito ou ausência da enzima fenilalanina hidroxilase (PAH). Esta proteína catalisa o processo de conversão da fenilalanina em tirosina. A tirosina está envolvida na síntese da melanina. Esta doença pode ser detectada logo após o nascimento através de triagem neonatal (conhecida como Teste do Pezinho). Nesta doença, alguns alimentos podem intoxicar o cérebro e causar um quadro de retardo mental irreversível. As crianças que nascem com ela têm um problema digestivo no fígado. Há um odor corporal forte e vômitos após as refeições. Seu tratamento consiste em retirar a fenilalanina da alimentação por toda a vida.
59 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
60 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
61 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
62 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
63 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
64 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
65 Cabeça:
66 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
67 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
68 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
69 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
70 Língua:
71 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
72 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
73 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
74 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
75 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
76 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
77 Terapia intensiva: Tratamento para diabetes no qual os níveis de glicose são mantidos o mais próximo do normal possível através de injeções freqüentes ou uso de bomba de insulina, planejamento das refeições, ajuste em medicamentos hipoglicemiantes e exercícios baseados nos resultados de testes de glicose além de contatos freqüentes entre o diabético e o profissional de saúde.
78 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
79 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
80 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
81 Diálise peritoneal: Ao invés de utilizar um filtro artificial para “limpar“ o sangue, é utilizado o peritônio, que é uma membrana localizada dentro do abdômen e que reveste os órgãos internos. Através da colocação de um catéter flexível no abdômen, é feita a infusão de um líquido semelhante a um soro na cavidade abdominal. Este líquido, que chamamos de banho de diálise, vai entrar em contato com o peritônio, e por ele será feita a retirada das substâncias tóxicas do sangue. Após um período de permanência do banho de diálise na cavidade abdominal, este fica saturado de substâncias tóxicas e é então retirado, sendo feita em seguida a infusão de novo banho de diálise. Esse processo é realizado de uma forma contínua e é conhecido por CAPD, sigla em inglês que significa diálise peritoneal ambulatorial contínua. A diálise peritoneal é uma forma segura de tratamento realizada atualmente por mais de 100.000 pacientes no mundo todo.

Tem alguma dúvida sobre ZOMIG e ZOMIG OD?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.