PARACETAMOL

Laboratório Farmacêutico Caresse Ltda.

Atualizado em 09/12/2014

PARACETAMOL

Paracetamol   DCB: 05324.01-7
Cloridrato de fenilefrina   DCB: 03041.03-4
Maleato de clorfenamina   DCB: 01929.04-6

Formas farmacêuticas, via de administração e apresentações comercializadas: Cápsulas: embalagem com 20 e 120 cápsulas gelatinosas duras.
Solução oral: frasco âmbar 100mL.
Gotas: frasco plástico opaco gotejador 20mL

USO PEDIÁTRICO E/OU ADULTO
USO ORAL

Composição de Paracetamol

Cápsulas   Cada cápsula gelatinosa dura contém: Paracetamol....................400mg
Cloridrato de fenilefrina....................4mg
Maleato de clorfenamina....................4mg
Excipiente q.s.p....................1 cápsula
(dióxido de silício coloidal, lactose1 monohidratada).
Solução oral   Cada 5mL de solução contém:
Paracetamol....................200mg
Cloridrato de fenilefrina....................3mg
Maleato de clorfenamina....................3mg
Veículo q.s.p....................5mL
(álcool hidratado, água deionizada, essências (morango, tutti frutti, cereja), parabenos, propilenoglicol, sacarina2, sorbitol3 70%, benzoato de sódio, ciclamato de sódio, metabissulfito de sódio, corante amarelo tartrazina).
Gotas   Cada 1mL contém:
Paracetamol....................100mg
Cloridrato de fenilefrina....................2mg
Maleato de clorfenamina....................2mg
Veículo q.s.p....................1mL
(álcool hidratado, água deionizada, parabenos, propilenoglicol, sacarina2, essência cereja, corante Bordeaux).

Informações ao Paciente de Paracetamol

Como este medicamento funciona?
Resfetamol funciona aliviando os sintomas4 da gripe5 e dos resfriados.
Porque este medicamento foi indicado?
Resfetamol foi indicado no tratamento de sintomas4 da gripe5, rinites alérgicas e de resfriados, tais como: coriza6 (secreção nasal através de escorrimento), espirros, congestão nasal, febre7, dores musculares e dor de cabeça8.
Quando não devo usar este medicamento?
Resfetamol não deve ser usado por pacientes com hipersensibilidade ao paracetamol e aos demais componentes da fórmula.
Não deve ser administrados à pacientes com hipertensão9 grave, problemas no coração10, diabetes11, glaucoma12, aumento de hormônio13 da tireóide, homens com aumento da próstata14, problema crônico15 nos rins16 e problema no fígado17.
Resfetamol não deve ser usado na gravidez18.
Deve ser usado com cautela a pacientes que fazem uso regular de álcool e de barbitúricos.
Dependendo da sensibilidade individual, pode ocorrer sonolência e por esse motivo recomenda-se a não execução de atividades que requeiram atenção, como operar máquinas ou dirigir veículos, até que a reação ao medicamento seja conhecida.
Caso ocorra suspeita de ingestão de doses elevadas de paracetamol deve-se procurar imediatamente o serviço médico.
Medicamentos para alergias podem ter seus efeitos aumentados quando usados com álcool, antidepressivos tricílicos, barbitúricos e outros depressores do sistema nervoso central19.
ESTE PRODUTO (SOLUÇÃO ORAL) CONTÉM CORANTE AMARELO DE TARTRAZINA QUE PODE CAUSAR REAÇÕES DE NATUREZA ALÉRGICA, ENTRE AS QUAIS ASMA20 BRÔNQUICA, ESPECIALMENTE EM PESSOAS ALÉRGICAS AO ÁCIDO ACETILSALICÍLICO.
"NÃO USE OUTRO PRODUTO QUE CONTENHA PARACETAMOL".
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Não há contra-indicação relativa a faixas etárias.
Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Como devo usar este medicamento?
Seu uso é somente interno.
· Cápsulas gelatinosas duras
Adulto: 1 a 2 cápsulas a cada 4 horas.
Crianças acima de 12 anos: 1 cápsula a cada 4 horas.
Obs: Não tomar mais de 10 cápsulas ao dia.
· Gotas
Crianças menores de 2 anos: à critério médico.
Crianças de 2 a 4 anos: 20 a 40 gotas, 3 a 4 vezes ao dia ou à critério médico.
Crianças de 4 a 6 anos: 40 gotas, 3 a 4 vezes ao dia ou à critério médico.
As gotas podem ser diluídas em chá, suco ou água.
· Solução oral
Adultos e crianças acima de 12 anos: 10mL do copo-medida ou 2 colheres de chá a cada 4 horas ou à critério médico.
Crianças de 6 a 12 anos: 5mL do copo-medida ou 1 colheres de chá a cada 4 horas ou à critério médico.
Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas4, procure orientação médica ou de seu cirurgião-dentista.
Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.
Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.
Quais os males que este medicamento pode causar?
Caso surjam reações desagradáveis como tontura21, vertigem22, aumento de batimentos cardíacos, palpitações23, hipertensão9, desconforto gástrico e reações alérgicas na pele24 durante o tratamento com Resfetamol, aconselha-se suspender o medicamento e comunicar ao médico.
O que fazer se alguém usar uma grande quantidade deste medicamento de uma só vez?
Casa haja superdosagem deve ser feita a lavagem gástrica25 indução ao vômito26.
Onde e como devo guardar este medicamento?
Resfetamol deve ser guardado em condições normais de armazenamento, nas variações de (15° a 30°C), devendo ser guardado em sua embalagem original mesmo depois de aberto. Seu prazo de validade é de 2 anos e encontra-se impresso na embalagem externa (vide cartucho). Resfetamol não deve ser utilizado fora do prazo de validade, sob o risco do efeito esperado não ocorrer.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
Informações técnicas aos profissionais de saúde27

Características Farmacológicas de Paracetamol

Resfetamol reúne em sua fórmula uma associação clássica, indicada nos processos nos quais a cefaléia28, febre7, coriza6, dores musculares e congestão nasal são sintomas4 presentes.O maleato de clorfenamina (ou clorfeniramina), é um anti-histamínico derivado da pirilamina. Atua pela competição com a histamina29 pelos receptores H1 presentes nas células30 de efeito. Desta forma o maleato de clorfenamina tem ação contrária à da histamina29, responsável pela maioria dos efeitos alérgicos presentes nos estados gripais. Tem efeitos menos acentuados que os anti-histamínicos tradicionais. A reação mais comum é a sonolência. A fenilefrina é um simpatomimético antagonista31 a-seletivo, que só atinge os receptores ß-adrenégicos quando presentes em concentrações muito elevadas. Sua ação direta sobre os receptores a promove vasoconstrição32, levando ao descongestiomento nasal e a redução da coriza6.
O paracetamol produz efeitos analgésico33 e antipiréticos34. É o analgésico33-antipirético35 de escolha para pacientes36 alérgicos ao ácido acetilsalicílico ou com antecedência de úlcera péptica37. O mecanismo de ação da analgesia se deve a inibição da síntese de prostaglandinas38 e sua ação antipirética se faz através de sua ação no centro hipotalâmico que regula a temperatura. Sua metabolização é hepática39, onde é conjugado com gluconato e sulfato. Sua excreção é feita através da urina40, sob a forma de metabólitos41 conjugados e cerca de menos de 10% sob a forma de droga inalterada.
Segundo a classificação do CID 10 a patologia42 está indicada nos seguintes casos: febre7 de origem desconhecida, rinite43 alérgica não especificada, dor não especificada, nasofaringite aguda (resfriado comum).

Resultados de Eficácia de Paracetamol

Após administração oral é rapidamente absorvido através do trato intestinal e atinge concentrações séricas máximas dentro de 30 a 60 minutos após a administração. Apresenta uma meia vida plasmática de aproximadamente 2 horas.
Sua ação tem duração de 4 a 12 horas, sendo que a concentração máxima é atingida em 2 a 6 horas e o efeito máximo em 6 horas.

Indicações de Paracetamol

Resfetamol é indicado no tratamento sintomático44 da gripe5, dos distúrbios congestivos e exudativos decorrentes de resfriados e rinites alérgicas.

Contra-Indicações de Paracetamol

O uso de Resfetamol é contra-indicado para pacientes36 com hipersensibilidade ao paracetamol e aos demais componentes da fórmula.
Não deve ser administrados à pacientes com hipertensão9 grave, distúrbios da artéria45 coronária, diabetes11, glaucoma12, hipertireoidismo46, homens com hipertrofia47 da próstata14, doença renal48 crônica e insuficiência hepática49.
Resfetamol é contra-indicado na gravidez18.
Modo de usar, posologia e cuidados de conservação depois de aberto
Seu uso é somente oral.
· Cápsulas gelatinosas duras
Adulto: 1 a 2 cápsulas a cada 4 horas.
Crianças acima de 12 anos: 1 cápsula a cada 4 horas.
Obs: Não tomar mais de 10 cápsulas ao dia.
· Gotas
Crianças menores de 2 anos: a critério médico.
Crianças de 2 a 4 anos: 20 a 40 gotas, 3 a 4 vezes ao dia ou a critério médico.
Crianças de 4 a 6 anos: 40 gotas, 3 a 4 vezes ao dia ou a critério médico.
As gotas podem ser diluídas em chá, suco ou água.
· Solução oral
Adultos e crianças acima de 12 anos: 10mL do copo-medida ou 2 colheres de chá a cada 4 horas ou a critério médico.
Crianças de 6 a 12 anos: 5mL do copo-medida ou 1 colheres de chá a cada 4 horas ou a critério médico.
Resfetamol deve ser guardado em sua embalagem original mesmo depois de aberto.

Equivalência Farmacêutica de Paracetamol

1 cápsula: Paracetamol 400mg, cloridrato de fenilefrina 4mg, maleato de clorfenamina 4mg. Solução oral 100 mL: Paracetamol 4g, cloridrato de fenilefrina 0,06g, maleato de clorfenamina 0,06g.
Gotas 20 mL: Paracetamol 2g, cloridrato de fenilefrina 0,04g, maleato de clorfenamina 0,04g.
ATENÇÃO: este medicamento é um similar que passou por testes e estudos que comprovam a sua eficácia, qualidade e segurança, conforme legislação vigente.

Advertências de Paracetamol

Deve ser administrado com cautela a pacientes com problemas nos rins16 e em pacientes que fazem uso regular de álcool e de barbitúricos.
O uso prolongado do produto pode provocar discrasias sanguíneas e necrose50 papilar renal48.
Deve ser administrado com cautela a lactantes51.
ESTE PRODUTO (SOLUÇÃO ORAL) CONTÉM CORANTE AMARELO DE TARTRAZINA QUE PODE CAUSAR REAÇÕES DE NATUREZA ALÉRGICA, ENTRE AS QUAIS ASMA20 BRÔNQUICA, ESPECIALMENTE EM PESSOAS ALÉRGICAS AO ÁCIDO ACETILSALICÍLICO.
"NÃO USE OUTRO PRODUTO QUE CONTENHA PARACETAMOL".
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco
Até o momento não são conhecidas restrições específicas ao uso de Resfetamol por pacientes idosos, porém a sensibilidade pode estar alterada com a idade, recomenda-se o uso sob prescrição médica.

Interações Medicamentosas de Paracetamol

A intoxicação do fígado17 pelo paracetamol pode ser aumentada pela administração concomitante de barbitúricos, carbamazepina, hidantoína, rifampicina, como também pela ingestão crônica e excessiva de álcool. As drogas simpatomiméticas podem reduzir os efeitos anti-hipertensivos da metildopa, reserpina.
Anti-histamínicos podem ter seus efeitos potencializados quando usados com álcool, antidepressivos tricílicos, barbitúricos e outros depressores do SNC52.
Os inibidores da MAO53 (monoamino-oxidase) e os bloqueadores beta-adrenérgicos54 aumentam os efeitos simpatomiméticos.

Reações Adversas de Paracetamol

Durante o tratamento, embora raramente, podem surgir reações adversas características do paracetamol, anti-histamínicos e substâncias simpatomiméticas, tais como: tonteira, vertigem22, sonolência, ansiedade, inquietação, insônia, sudorese55, palpitações23, desconforto gástrico, hipertensão9 e reações na pele24 principalmente eritema56 e urticárias.

Superdose de Paracetamol

Tratamento de superdosagem: Nos casos de ingestão, recomenda-se esvaziamento gástrico, mesmo decorridas varias horas, pois a maioria dos descongestionantes sistêmicos57 contêm anti-histamínicos e devido ao seu efeito anticolinérgico, podem retardar a absorção. Administrar carvão ativado, catárticos salinos. Manter vias aéreas permeáveis. Tratar hipertensão9 e arritmias58, monitorar sinais vitais59 e realizar ECG por 4 a 6 horas após intoxicação. O tratamento é sintomático44 e suportivo. Bradicardia60 pode ser tratada com atropina. Ectopias ventriculares são melhor tratadas com propranolol, devendo-se evitar quinidina e antiarrítmicos da mesma classe.

Armazenagem de Paracetamol

Manter Resfetamol em sua embalagem original. O produto deve ser conservado em temperatura ambiente (15º a 30ºC), proteger da luz e umidade.

PARACETAMOL - Laboratório

Laboratório Farmacêutico Caresse Ltda.
Rua José Faganello, 242
Araçatuba/SP - CEP: 16.021-256
Tel: 0800 701 2030
Email: sac@caresse.com.br
Site: http://www.caresse.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "Laboratório Farmacêutico Caresse Ltda."

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
3 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
6 Coriza: Inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo.
7 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
8 Cabeça:
9 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
10 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
11 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
12 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
13 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
14 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
15 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
16 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
17 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
18 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
19 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
20 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
21 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
22 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
23 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
24 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
25 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
26 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
27 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
28 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
29 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
30 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
31 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
32 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
33 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
34 Antipiréticos: Medicamentos que reduzem a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal. Entretanto, eles não vão afetar a temperatura normal do corpo se uma pessoa que não tiver febre o ingerir. Os antipiréticos fazem com que o hipotálamo “ignore“ um aumento de temperatura induzido por interleucina. O corpo então irá trabalhar para baixar a temperatura e o resultado é a redução da febre.
35 Antipirético: Medicamento que reduz a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal. Entretanto, ele não vai afetar a temperatura normal do corpo se uma pessoa que não tiver febre o ingerir. Os antipiréticos fazem com que o hipotálamo “ignore“ um aumento de temperatura induzido por interleucina. O corpo então irá trabalhar para baixar a temperatura e o resultado é a redução da febre.
36 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
37 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
38 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
39 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
40 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
41 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
42 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
43 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
44 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
45 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
46 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
47 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
48 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
49 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
50 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
51 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
52 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
53 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
54 Adrenérgicos: Que agem sobre certos receptores específicos do sistema simpático, como o faz a adrenalina.
55 Sudorese: Suor excessivo
56 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
57 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
58 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
59 Sinais vitais: Conjunto de variáveis fisiológicas que são pressão arterial, freqüência cardíaca, freqüência respiratória e temperatura corporal.
60 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre PARACETAMOL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.