MAXICALC D-200 UI

ACHÈ

Atualizado em 09/12/2014

MAXICALC® D-200 UI

Carbonato de cálcio
Vitamina1 D3

Apresentação de Maxicalc D-200 Ui

Comprimido revestido: caixas com 60 comprimidos.

USO ADULTO

Composição de Maxicalc D-200 Ui

Cada comprimido revestido contém:
Carbonato de cálcio ....................1.248,75 mg
(equivalente a 500 mg de cálcio)
Colecalciferol (Vitamina1 D3).................5 mcg
(equivalente a 200 UI)
Excipientes: celulose microcristalina, copolividona, crospovidona, estearato de magnésio, maltodextrina e corante opadry pink (composto por: dióxido de titânio, hipromelose, macrogol, óxido de ferro vermelho, polissorbato 80).

Registro MS n.º 1.2117.0128
Farm. Resp.: Liz Helena G. Afonso
CRF-SP n.º 8182

Fabricado por:
ASTA Medica Ltda.
R: Teixeira Leite, n.º 170
São Paulo (SP)
CNPJ: 71.524.631/0001-58
Indústria brasileira

Informações ao Paciente de Maxicalc D-200 Ui

Benefícios do Uso de Maxicalc D-200 Ui

MAXICALC® D-200 UI é um produto a base de cálcio, elemento essencial para a formação de uma boa saúde2 para os ossos, e vitamina1 D, a qual auxilia na absorção de cálcio pelos ossos. MAXICALC® D-200 UI é utilizado como complemento das necessidades orgânicas de cálcio atuando em estados de deficiência do mineral.

Contra-Indicações de Maxicalc D-200 Ui


MAXICALC® D-200 UI não deve ser usado por pacientes com: · alergia3 aos ingredientes da formulação;
· hipercalcemia (grande quantidade de cálcio no sangue4);
· hipercalciúria5 grave (grande quantidade de cálcio eliminada na urina6); · insuficiência renal7 grave;
· sarcoidose8.

Precauções e Advertências de Maxicalc D-200 Ui

É necessário realizar monitoração da excreção de cálcio na urina6 em casos de hipercalciúria5 leve, como também na insuficiência renal7 crônica, ou quando apresentar propensão de formação de cálculos renais; caso necessário, deve-se reduzir a dose ou interromper o tratamento com cálcio.
A quantidade de vitamina1 D necessária para causar hipervitaminose varia muito entre os indivíduos e, como estimativa, a ingestão de 50.000 UI ou mais, diária por uma pessoa com função da paratireóide e sensibilidade normais à vitamina1 D, pode acarretar intoxicação.
A vitamina1 D, quando administrada na dose diária recomendada (RDA), em mulheres grávidas normais, não demonstrou evidência de risco no 1º trimestre, nem subseqüentemente e a possibilidade de dano fetal parece ser remota. Em lactantes9 a vitamina1 D é excretada no leite materno em quantidades limitadas, entretanto o nível sérico de cálcio na criança deve ser monitorado se a mãe estiver recebendo doses farmacológicas.
Assim gestantes e crianças da fase de amamentação10 até 3 anos somente devem consumir este produto sob orientação do médico ou do nutricionista11.

Interações Medicamentosas de Maxicalc D-200 Ui


· Ferro, etidronato, fenitoína, tetraciclinas: a administração concomitante com medicamentos que contenham estas substâncias deve ser evitada;
· Digitálicos: o risco de arritmias12 cardíacas pode ser aumentado com altas doses de cálcio;
· Barbitúricos, anticonvulsivantes: estas substâncias podem reduzir a eficácia da vitamina1 D por promoverem aceleração de seu metabolismo13;
· Álcool, cafeína, tabaco: estas substâncias se utilizadas em excesso podem reduzir a quantidade de cálcio absorvida.

Ingestão Concomitante com Alimentos de Maxicalc D-200 Ui

· Espinafre, ruibarbo, farelo de trigo e outros cereais: estes alimentos podem reduzir a absorção do cálcio no intestino.
· Leite: deve-se evitar a ingestão de quantidades excessivas de suplementos de cálcio e leite por tempo prolongado.

· "Informar ao seu médico a ocorrência de gravidez14 durante o tratamento."

· "Informar ao médico o aparecimento de reações desagradáveis"

Modo de Usar de Maxicalc D-200 Ui

A dose de MAXICALC® D-200 UI é de 1 a 3 comprimidos ao dia, durante as refeições, ou conforme recomendação médica. Doses maiores devem ser ingeridas de acordo com a prescrição do seu médico. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

· "Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas15, procure orientação médica."

Efeitos Adversos de Maxicalc D-200 Ui

§ As reações mais freqüentes são distúrbios gastrintestinais leves.
§ Pessoas idosas utilizando cálcio por tempo prolongado podem apresentar constipação16 intestinal.
§ Pacientes com predisposição podem ser estimulados à formação de cálculos renais.

Conduta em Caso de Superdose de Maxicalc D-200 Ui

Procure imediatamente orientação médica ou um pronto-socorro, informando a quantidade administrada, horários das administrações e os sintomas15.

Cuidados de Conservação de Maxicalc D-200 Ui

Como todo medicamento, MAXICALC® D-200 UI deve ser guardado em sua embalagem original e conservado em temperatura ambiente (15 - 30 ºC). Proteger da umidade.

Validade de Maxicalc D-200 Ui

O prazo de validade de MAXICALC® D-200 UI é de 24 meses após a data de fabricação impressa na embalagem do produto. Ao utilizar o medicamento, confira sempre o prazo de validade.

· "Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças."

· "Não usar medicamento com o prazo de validade vencido."

Pacientes idosos: pessoas idosas utilizando cálcio por tempo prolongado podem apresentar constipação16 intestinal.

Informações Técnicas Aos Profissionais de Saúde2 de Maxicalc D-200 Ui

Características Farmacológicas de Maxicalc D-200 Ui

Farmacodinâmica: O cálcio desempenha um papel importante nas funções metabólicas, sendo essencial para o adequado funcionamento dos sistemas nervoso, muscular e esquelético. Distúrbios no balanço de cálcio, ocasionados por fatores diversos (como deficiência na dieta ou outras causas), podem acionar as reservas de cálcio constantes nos ossos afim de atender as necessidades mais vitais do organismo. Assim, a mineralização normal dos ossos depende da quantidade total de cálcio no organismo.
Alterações ocorridas no metabolismo13 do cálcio estão intimamente ligadas às alterações do tecido ósseo17, podendo assim distinguir as diferentes patologias que podem surgir (raquitismo18 primário, osteomalacia19 nutricional-raquitismo18, mal absorção intestinal, diarréia20 grave intratável, osteoporose21, hipoparatiroidismo). O metabolismo13 do cálcio sofre interferência da vitamina1 D. A absorção de cálcio é aumentada através do trato gastrintestinal na presença da vitamina1. A deficiência grave de vitamina1 D pode produzir raquitismo18 e osteomalácia19.

Farmacocinética:
Após administração oral o cálcio é absorvido no intestino e a quantidade absorvida depende da presença de vários fatores (ex.: fatores dietéticos, pH, presença de vitamina1 D). Quando o organismo apresenta deficiência de cálcio a absorção é aumentada. A excreção ocorre principalmente nas fezes e, em menor grau, na urina6. O cálcio atravessa a placenta e também é excretado no leite materno.
A absorção da vitamina1 D também se dá através do trato gastrintestinal e após uma meia-vida média de 19-25 horas é eliminada, porém fica em depósitos de gordura22 por períodos prolongados.

Indicações de Maxicalc D-200 Ui

MAXICALC® D-200 UI é um produto a base de cálcio, elemento este essencial para a formação de uma boa saúde2 para os ossos, e vitamina1 D, a qual auxilia na absorção de cálcio pelos ossos. MAXICALC® D-200 UI é utilizado como complemento das necessidades orgânicas de cálcio atuando em estados de deficiência do mineral, sendo útil na prevenção e tratamento de hipocalcemia23, osteomalacia19 e osteoporose21.

Contra-Indicações de Maxicalc D-200 Ui

O produto é contra-indicado a pessoas com conhecida hipersensibilidade aos ingredientes da formulação, bem como em casos de hipercalcemia, insuficiência renal7 grave, sarcoidose8 e hipercalciúria5 grave.

Advertências de Maxicalc D-200 Ui

É necessário realizar monitoração da excreção de cálcio na urina6 em casos de hipercalciúria5 leve, como também na insuficiência renal7 crônica, ou quando apresentar propensão de formação de cálculos renais; caso necessário, deve-se reduzir a dose ou interromper o tratamento com cálcio. A absorção de cálcio pode apresentar-se reduzida em pacientes com acloridria24 ou hipocloridria, a menos que o cálcio seja administrado durante as refeições.
Em adultos pode ocorrer hipervitaminose decorrente de tratamento excessivo do hipoparatireoidismo e do uso de doses excessivas. A quantidade de vitamina1 D necessária para causar hipervitaminose varia muito entre os indivíduos e, como estimativa, a ingestão de 50.000 UI ou mais, diária por uma pessoa com função da paratireóide e sensibilidade normais à vitamina1 D, pode acarretar intoxicação.
A vitamina1 D, quando administrada na dose diária recomendada (RDA), em mulheres grávidas normais, não demonstrou evidência de risco no 1º trimestre, nem subseqüentemente e a possibilidade de dano fetal parece ser remota. Em lactantes9 a vitamina1 D é excretada no leite materno em quantidades limitadas, entretanto o nível sérico de cálcio na criança deve ser monitorado se a mãe estiver recebendo doses farmacológicas. Assim gestantes, lactantes9 e crianças até 3 anos somente devem consumir este produto sob orientação do médico ou do nutricionista11.

Interações Medicamentosas de Maxicalc D-200 Ui

As seguintes interações com medicamentos e/ou respectivos problemas médicos associados foram selecionados em função de sua possível importância clínica: · Ferro, etidronato, fenitoína, tetraciclinas: a administração concomitante com medicamentos que contenham estas substâncias deve ser evitada, uma vez que pode ocorrer prejuízo na absorção. Uma alternativa é ingerir os medicamentos em espaço de tempo de pelo menos 2 a 3 horas.
· Digitálicos: o risco de arritmias12 cardíacas pode ser aumentado com altas doses de cálcio.
· Barbitúricos, anticonvulsivantes: estas substâncias podem reduzir a eficácia da vitamina1 D por promoverem aceleração de seu metabolismo13.
· Álcool, cafeína, tabaco: estas substâncias se utilizadas em excesso podem reduzir a quantidade de cálcio absorvida.

Ingestão concomitante com alimentos:
· Espinafre, ruibarbo, farelo de trigo e outros cereais: estes alimentos podem reduzir a absorção do cálcio no intestino.
· Leite: deve-se evitar a ingestão de quantidades excessivas de suplementos de cálcio e leite por tempo prolongado.

Reações Adversas a Medicamentos e Alterações de Exames Laboratoriais de Maxicalc D-200 Ui

§ As reações mais freqüentes são distúrbios gastrintestinais leves.
§ Pessoas idosas utilizando cálcio por tempo prolongado podem apresentar constipação16 intestinal.
§ Pacientes com predisposição podem ser estimulados à formação de cálculos renais.
§ Doses excessivas prolongadas podem produzir sinais25 e sintomas15 de hipervitaminose D, tais como hipercalcemia, anorexia26, debilidade, náusea27, vômitos28, diarréia20, poliúria29 e depósitos de cálcio nos tecidos moles.

Posologia de Maxicalc D-200 Ui

A dose de MAXICALC® D-200 UI é de 1 a 3 comprimidos ao dia, durante as refeições, ou conforme recomendação médica. Doses maiores devem ser ingeridas de acordo com a prescrição do seu médico. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Superdose de Maxicalc D-200 Ui

Em caso de ingestão excessiva do produto entre imediatamente em contato com seu médico ou procure um pronto-socorro informando a quantidade exata ingerida do produto, horário da ingestão e os sintomas15. Na superdosagem a medicação deve ser suspensa e caso ocorra hipercalcemia severa, deve-se proceder infusão IV de solução de cloreto de sódio, diurese30 forçada e fosfato oral. Pode também ocorrer hipervitaminose D em caso de ingestão excessiva e por tempo prolongado do produto.

Pacientes Idosos de Maxicalc D-200 Ui

Pessoas idosas utilizando cálcio por tempo prolongado podem apresentar constipação16 intestinal.

MAXICALC D-200 UI - Laboratório

ACHÈ
RODOVIA PRES DUTRA KM 222, 2
GUARULHOS/SP - CEP: 07034-904
Tel: 11 6440-8418
Email: ache@ache.com.br
Site: http://www.ache.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "ACHÈ"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Hipercalciúria: Eliminação de quantidade anormalmente grande de cálcio na urina.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
8 Sarcoidose: Sarcoidose ou Doença de Besnier-Boeck é caracterizada pelo aparecimento de pequenos nódulos inflamatórios (granulomas) em vários órgãos. A doença pode afetar qualquer orgão do corpo, mas os mais atingidos são os pulmões , os gânglios linfáticos (ínguas ), o fígado, o baço e a pele.
9 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
10 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
11 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
12 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
13 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
14 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
17 Tecido Ósseo: TECIDO CONJUNTIVO especializado, principal constituinte do ESQUELETO. O componente celular básico (principle) do osso é constituído por OSTEOBLASTOS, OSTEÓCITOS e OSTEOCLASTOS, enquanto COLÁGENOS FIBRILARES e cristais de hidroxiapatita formam a MATRIZ ÓSSEA.
18 Raquitismo: Doença decorrente da mineralização inadequada do osso em crescimento, ou seja, da placa epifisária. Está entre as doenças mais comuns da infância em países em desenvolvimento. A causa predominante é a deficiência de vitamina D, seja por exposição insuficiente à luz solar ou baixa ingestão através da dieta; mas a deficiência de cálcio na dieta também pode gerar um quadro de raquitismo. A osteomalácia é o termo usado para descrever uma condição semelhante que ocorre em adultos, geralmente devido à falta de vitamina D.
19 Osteomalácia: Enfraquecimento e desmineralização dos ossos nos adultos devido a uma deficiência em vitamina D (na criança esta situação denomina-se raquitismo). O crescimento do osso normal requer um aporte adequado de cálcio e fósforo através da alimentação, mas o organismo não consegue absorver estes minerais sem que haja uma quantidade suficiente de vitamina D. O organismo obtém esta vitamina de certos alimentos e da ação da luz solar sobre a pele; a sua carência resulta em amolecimento e enfraquecimento dos ossos, que se tornam vulneráveis a fraturas.
20 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
21 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
22 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
23 Hipocalcemia: É a existência de uma fraca concentração de cálcio no sangue. A manifestação clínica característica da hipocalcemia aguda é a crise de tetania.
24 Acloridria: Falta de ácido hidroclorídrico no suco gástrico, apesar da estimulação da secreção gástrica.
25 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
26 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
27 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
28 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
29 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
30 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.

Tem alguma dúvida sobre MAXICALC D-200 UI?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.