CAPTOTEC

HEXAL

Atualizado em 03/06/2015

CAPTOTEC

CAPTOPRIL

N° Registro-MS: 1.0047.0262

Apresentações de Captotec

30 comprimidos snap tab 12,5 mg
28 comprimidos 25 mg
56 comprimidos 25 mg

Indicações de Captotec


CAPTOTEC é indicado para o tratamento da hipertensão1. Pode ser empregado como terapia inicial para pacientes2 com
função renal3 normal, nos quais o risco é relativamente baixo. CAPTOTEC é eficaz isoladamente e em combinação com outros
agentes anti-hipertensivos, principalmente os diuréticos4 tiazídicos, sendo que o efeito desses últimos sobre o captopril é aditivo.
CAPTOTEC também é indicado no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva5 em pacientes que não responderam
adequadamente ao tratamento com diuréticos4 e digitálicos.

Contra-Indicações de Captotec

CAPTOTEC não deve ser utilizado em pacientes que tenham apresentado história de hipersensibilidade préviaao captopril ou a qualquer outro inibidor da enzima6 conversora de angiotensina e aos outros componentes da fórmula.

Cuidados e Advertências de Captotec

Angiedema: Observou-se angiedema em pacientes tratados com CAPTOTEC. O inchaço7 confinado à
face8, membranas mucosas9 da boca10, lábios e extremidades, geralmente desaparecem com a descontinuação de CAPTOTEC.
Neutropenia11/Agranulocitose12: A neutropenia11 é muito rara em pacientes hipertensos com função renal3 normal. O uso concomitante de alopurinol e CAPTOTEC foi associado a neutropenia11. Relata-se neutropenia11 geralmente após 3 meses do início da administração de CAPTOTEC. Em pacientes com doença vascular13 de colágeno14 ou que estejam expostos a outras drogas que conhecidamente afetam os leucócitos15 ou a resposta imunológica, principalmente quando há insuficiência renal16, o CAPTOTEC deverá ser empregado somente após uma avaliação do risco e benefício. Proteinúria17: Proteína urinária total superior a 1 g/dia foi observada em cerca de 0,7% dos pacientes tomando CAPTOTEC. Cerca de 90% dos pacientes afetados apresentaram evidências de doença renal3 anterior ou receberam doses relativamente elevadas de CAPTOTEC. Hipotensão18: Raramente observou-se hipotensão18 excessiva em pacientes hipertensos, mas é uma conseqüência possível do uso de CAPTOTEC em indivíduos sal/volume-depletados, pacientes com insuficiência cardíaca19 ou pacientes submetidos à diálise20 renal3. Na hipertensão1, a chance de ocorrer efeitos hipotensores com as doses iniciais de CAPTOTEC pode ser minimizada pela descontinuação do diurético21 ou pelo aumento da ingestão de sal aproximadamente 1 semana antes do início do tratamento ou iniciando-se a terapia com doses pequenas. A hipotensão18 por si só não é uma razão para a interrupção da administração de CAPTOTEC. Morbidade22 e Mortalidade23 Fetal/Neonatal: Quando usados na gravidez24 durante o segundo e terceiro trimestres, os inibidores da ECA podem causar danos ao desenvolvimento e mesmo morte fetal. Quando a gravidez24 for detectada, CAPTOTEC deve ser descontinuado o quanto antes. Hipertensão1: Alguns pacientes com doença renal3, principalmente com grave estenose25 de artéria renal26, apresentaram aumentos da uréia27 e creatinina28 séricas, após a redução da pressão arterial29 com CAPTOTEC. Insuficiência Cardíaca19: Cerca de 20% dos pacientes apresentam elevações estáveis
da uréia27 e creatinina28 séricas com tratamentos prolongados realizados com CAPTOTEC. Hipercalemia30: Elevações no potássio sérico foram observadas em pacientes tratados com CAPTOTEC. Tosse: Relata-se tosse com o uso de CAPTOTEC. Caracteristicamente, esta é uma tosse persistente e não produtiva e desaparece após a descontinuação da terapia. Cirurgia/Anestesia31: Durante grandes cirurgias ou durante a anestesia31 com agentes que produzem hipotensão18, o CAPTOTEC irá bloquear a formação de angiotensina II secundária à liberação compensatória de renina. Lactantes32: Concentrações de CAPTOTEC no leite materno correspondem a 1% daquelas existentes no sangue33 materno. Devido ao potencial do CAPTOTEC em causar reações adversas severas nos lactentes34, deve-se tomar uma decisão entre se descontinuar a amamentação35 ou suspender o medicamento, levando-se em conta a importância do tratamento para a mãe. Dentre as reações adversas com maior freqüência, ainda que me baixa incidência36 nos pacientes , pode-se citar: erupções cutâneas37, artralgia38, eosinofilia39, palidez ou rubor, hipotensão18, taquicardia40, dores no peito41 e palpitações42, disgeusia, neutropenia11/agranulocitose12, anemia43, trombocitopenia44 e pancitopenia45, angioedema46 envolvendo extremidades, tosse, dano renal3, síndrome nefrótica47, poliúria48 e oligúria49. Assim como ocorre com outros inibidores da ECA, relatou-se uma síndrome50 que inclui: febre51, mialgia52, artralgia38, nefrite53 instersticial, vasculite54, erupção55 ou outras manifestações dermatológicas, eosinofilia39 e hemossedimentação elevada.

Posologia de Captotec


CAPTOTEC deve ser tomado 1 hora antes das refeições. A dose deve ser individualizada.

Hipertensão1: A dose inicial de CAPTOTEC é 50 mg uma vez ao dia ou 25 mg duas vezes ao dia. Se não houver uma redução satisfatória da pressão sangüínea56 após 2 ou 4 semanas, a dose pode ser aumentada para 100 mg uma vez ao dia ou 50 mg duas vezes ao dia. Se a pressão sangüínea56 não for satisfatoriamente controlada após 1 ou 2 semanas nesta dose, deverá ser acrescentada uma pequena dose de diurético21 do tipo tiazídico. A dose de diurético21 poderá ser aumentada em intervalos de 1 a 2 semanas, até que seja atingida sua dose anti-hipertensiva usual máxima. A dose de CAPTOTEC no tratamento da hipertensão1 normalmente não excede 150 mg/dia.
Insuficiência Cardíaca19: Em pacientes com pressão arterial29 normal ou baixa, que foram tratados com diuréticos4 e que possam estar hiponatrêmicos e/ou hipovolêmicos, uma dose inicial de 6,25 ou 12,5 mg duas ou três vezes ao dia, poderá minimizar o efeito hipotensor. Para a maioria dos pacientes a dose diária inicial usual é 25 mg duas ou três vezes ao dia. Após atingida uma dose de 50 mg duas ou três vezes ao dia, aumentos subseqüentes na posologia devem ser retardados, durante pelo menos 2 semanas, para determinar se ocorre uma resposta satisfatória. A maioria dos pacientes estudados apresentou uma melhoria clínica satisfatória com uma dose diária de 150 mg ou menos.
Infarto do Miocárdio57: A terapia deve ser iniciada três dias após o episódio de infarto do miocárdio57. Após uma dose inicial de 6,25 mg, a terapia com CAPTOTEC deverá aumentar para 37,5 mg/dia em doses divididas, conforme tolerado. A dose deve ser aumentada para 75 mg/dia divididas em 3 doses de 25 mg, conforme a tolerabilidade, durante os dias seguintes, até que se atinja a dose-alvo final de 150 mg/dia divididas em 3 doses de 50 mg, administradas durante as várias semanas seguintes. Nefropatia58 Diabética: Em pacientes com nefropatia58 diabética, a dose diária recomendada de CAPTOTEC é de
75 mg dividida em 3 doses de 25 mg.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

ESTE TEXTO É UM RESUMO, PARA INFORMAÇÕES DETALHADAS CONSULTE A BULA DO PRODUTO.

CAPTOTEC - Laboratório

HEXAL
Av. Itaboraí, 1425
São Paulo/SP - CEP: 04135-001
Tel: 5585-9090
Fax: 5594-3665

Ver outros medicamentos do laboratório "HEXAL"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
2 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
5 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
6 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
7 Inchaço: Inchação, edema.
8 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
9 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
10 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
11 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
12 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
13 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
14 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
15 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
16 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
17 Proteinúria: Presença de proteínas na urina, indicando que os rins não estão trabalhando apropriadamente.
18 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
19 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
20 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
21 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
22 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
23 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
24 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
25 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
26 Artéria Renal: Ramo da aorta abdominal que irriga os rins, glândulas adrenais e ureteres.
27 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
28 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
29 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
30 Hipercalemia: É a concentração de potássio sérico maior que 5.5 mmol/L (mEq/L). Uma concentração acima de 6.5 mmol/L (mEq/L) é considerada crítica.
31 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
32 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
33 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
34 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
35 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
36 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
37 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
38 Artralgia: Dor em uma articulação.
39 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
40 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
41 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
42 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
43 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
44 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
45 Pancitopenia: É a diminuição global de elementos celulares do sangue (glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas).
46 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
47 Síndrome nefrótica: Doença que afeta os rins. Caracteriza-se pela eliminação de proteínas através da urina, com diminuição nos níveis de albumina do plasma. As pessoas com síndrome nefrótica apresentam edema, eliminação de urina espumosa, aumento dos lipídeos do sangue, etc.
48 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
49 Oligúria: Clinicamente, a oligúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas ou menor de 30 ml/hora.
50 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
51 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
52 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
53 Nefrite: Termo que significa “inflamação do rim” e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
54 Vasculite: Inflamação da parede de um vaso sangüíneo. É produzida por doenças imunológicas e alérgicas. Seus sintomas dependem das áreas afetadas.
55 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
56 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
57 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
58 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.

Tem alguma dúvida sobre CAPTOTEC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.