Pontin

HEXAL

Atualizado em 09/12/2014

Pontin

Ácido mefenâmico

Reg. M.S. nº 1.0047.0298

Apresentações de Pontin

24 comprimidos 500 mg

Indicações de Pontin


Para o alívio sintomático1 de artrite reumatóide2 (inclusive doença de Still), osteoartrite3 e dor, inclusive
muscular, traumática e dentária, cefaléias4 de várias etiologias, dor pós-operatória e pós-parto. Para o alívio
sintomático1 da dismenorréia5 primária. Menorragia6 disfuncional7 ou por uso de DIU, tendo sido afastadas as demais
causas de patologia8 pélvica9. Síndrome10 pré-menstrual.

Contra-Indicações de Pontin

Pacientes com história prévia de hipersensibilidade ao princípio ativo. Pacientes que
apresentem sintomas11 de broncoespasmo12, rinite13 alérgica ou urticária14 induzidos por ácido acetilsalicílico e outros
AINEs. Pacientes com sintomas11 de úlcera péptica15 ativa ou inflamação16 crônica do trato gastrintestinal superior17 ou
inferior. Pacientes com disfunção renal18 pré-existente.

Cuidados e Advertências de Pontin


Em caso de aparecimento de diarréia19, a posologia deve ser reduzida ou o medicamento
temporariamente suspenso. Certos pacientes que desenvolvem diarréia19 podem apresentar recorrência20 dos sintomas11
em caso de reexposição. Pacientes tratados cronicamente com AINEs podem apresentar toxicidade21 gastrintestinal
séria como hemorragias22, ulceração23 e perfuração, com ocorrência ou não de sintomatologia prévia. A hemorragia24
gastrintestinal tem sido associada com história prévia de úlcera péptica15, tabagismo e alcoolismo.
Pacientes idosos ou debilitados parecem tolerar ulceração23 ou hemorragia24 bem menos que outros pacientes e a maior
parte dos relatos espontâneos de eventos gastrintestinais fatais está nesta população. Considerando o uso de doses
relativamente altas (dentro da faixa recomendada), benefício suficiente deve ser garantido para compensar o
aumento do risco de toxicidade21 gastrintestinal. O produto deve ser descontinuado em casos de erupção25 cutânea26.
PONTIN pode produzir reação falso-positiva para compostos biliares urinários, quando é usado o diazotest. Ao
suspeitar-se de biliúria, devem ser realizados outros procedimentos diagnósticos, como o teste de Harrison.
A administração de um AINE pode causar uma redução dose-dependente na formação de prostaglandinas27 e
precipitar uma descompensação renal18 franca, em pacientes que possuem função renal18 prejudicada, insuficiência28
cardíaca, disfunção hepática29, os usuários de diuréticos30 e os idosos. A interrupção do tratamento com AINEs é
caracteristicamente seguida de retorno ao estado pré-tratamento. PONTIN não deve ser administrado a pacientes
com função renal18 significativamente alterada. PONTIN pode inibir a agregação plaquetária. Pode haver elevações
limítrofes em um ou mais testes hepáticos de alguns pacientes, as quais podem progredir, manter-se inalteradas ou
transitórias com a continuação do tratamento. Pacientes com sintomas11 e/ou sinais31 sugestivos de disfunção hepática29
ou teste funcional hepático alterado, devem ser avaliados para detectar o aparecimento de reações hepáticas32 mais
severas, quando em tratamento com PONTIN. Caso os testes funcionais hepáticos alterados persistam, piorem ou
surjam sinais31 ou sintomas11 clínicos de doença hepática29, ou ainda, se ocorrerem manifestações sistêmicas, PONTIN
deve ser descontinuado. Uso na gravidez33 e lactação34: não é recomendado. Uso em adolescentes: PONTIN tem-se
demonstrado eficaz para dor em adolescentes acima de 14 anos de idade. Uso geriátrico: tem sido relatada
diminuição da função renal18, algumas vezes levando a insuficiência renal35 aguda. Pacientes idosos ou debilitados
parecem incapazes de tolerar ulceração23 ou hemorragia24; a maioria dos relatos espontâneos de eventos
gastrintestinais fatais está nesta população.
O ácido mefenâmico desloca a varfarina dos sítios de ligação à proteína e pode aumentar a resposta a
anticoagulantes36 orais. Portanto, a administração concomitante de ácido mefenâmico com drogas anticoagulantes36
requer monitorização freqüente do tempo de protrombina37.
As reações adversas mais freqüentes referem-se ao trato gastrintestinal. A diarréia19 é comumente dose-relacionada,
geralmente cedendo com a redução da dose e desaparecendo rapidamente ao final do tratamento. Alguns pacientes
não estão aptos a continuarem o tratamento. As reações gastrintestinais mais comumente relatadas são: diarréia19,
náuseas38 com ou sem vômitos39 e dor abdominal.

Posologia de Pontin


PONTIN pode ser ingerido às refeições em caso de desconforto gastrintestinal. Dor média para
moderada / artrite reumatóide2 / osteoartrite3: 500 mg, três vezes ao dia. Dismenorréia5: 500 mg, três vezes ao dia, para
ser administrado no início da cólica menstrual e enquanto persistir a sintomatologia se o médico julgar necessário.
Menorragia6: 500 mg, três vezes ao dia, com o aparecimento da menstruação40 e sintomatologia associada e continuar
se o médico julgar necessário. Síndrome10 pré-menstrual: 500 mg, três vezes ao dia, no início da sintomatologia e
continuar até a cessação da mesma se o médico julgar necessário.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
ESTE TEXTO É UM RESUMO, PARA INFORMAÇÕES DETALHADAS CONSULTE A BULA DO PRODUTO.



Pontin - Laboratório

HEXAL
Av. Itaboraí, 1425
São Paulo/SP - CEP: 04135-001
Tel: 5585-9090
Fax: 5594-3665

Ver outros medicamentos do laboratório "HEXAL"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
2 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
3 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
4 Cefaléias: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaléia ou dor de cabeça tensional, cefaléia cervicogênica, cefaléia em pontada, cefaléia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaléias ou dores de cabeça. A cefaléia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
5 Dismenorréia: Dor associada à menstruação. Em uma porcentagem importante de mulheres é um sintoma normal. Em alguns casos está associada a doenças ginecológicas (endometriose, etc.).
6 Menorragia: Também chamada de hipermenorréia, é a menstruação anormalmente longa e intensa em intervalos regulares. As causas podem ser: coagulação sangüínea anormal, desregulação hormonal do ciclo menstrual ou desordens do revestimento endometrial do útero. Dependendo da causa, a menorragia pode estar associada à menstruação dolorosa (dismenorréia).
7 Disfuncional: 1. Funcionamento anormal ou prejudicado. 2. Em patologia, distúrbio da função de um órgão.
8 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
9 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
10 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
13 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
14 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
15 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
16 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
17 Trato Gastrintestinal Superior: O segmento do TRATO GASTROINTESTINAL que inclui o ESÔFAGO, o ESTÔMAGO e o DUODENO.
18 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
19 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
20 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
21 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
22 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
23 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
24 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
25 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
26 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
27 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
28 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
29 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
30 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
31 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
32 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
33 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
34 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
35 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
36 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
37 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
38 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
39 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
40 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre Pontin?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.