EZULEN

BIOSINTETICA

Atualizado em 08/12/2014

EZULEN®

Oxaliplatina
50mg e 100mg
Pó Liófilo Injetável

USO ADULTO E EXCLUSIVAMENTE
INTRAVENOSO

Advertência de Ezulen

•  EZULEN® (Oxaliplatina) para injeção1 deve ser administradosob a supervisão de um médico qualificado
e experiente no uso de agentes quimioterápicos.
Manuseio apropriado (da terapia e complicações)
é possível somente quando facilidades
de um tratamento adequado estão rapidamente
disponíveis.
•  Ao se manipular e reconstituir EZULEN® (Oxaliplatina)
deve-se adotar precauções indispensáveis
para todo agente citotóxico2. Os procedimentos de
manipulação e de destruição apropriados devem
ser respeitados, tanto para EZULEN® (Oxaliplatina)
como para todos os objetos que entrem em contato
com este produto. Estes procedimentos devem
seguir as recomendações vigentes para o
tratamento dos resíduos citotóxicos3.

Forma Farmacêutica e Apresentações de Ezulen

Pó liófilo injetável. Embalagem com 1 frasco-ampola de
50 mg ou de 100 mg.

Composição de Ezulen

Cada frasco-ampola de pó liófilo injetável de 50 mg contém:Oxaliplatina .................... 50 mg
Manitol .................... 200 mg
Cada frasco-ampola de pó liófilo injetável de 100 mg contém:
Oxaliplatina .................... 100 mg
Manitol .................... 400 mg

Informações ao Paciente de Ezulen

Ação esperada do medicamento: EZULEN® (Oxaliplatina)
é indicado no carcinoma4 metastático colorretal associado
às fluoropirimidinas. Pode ser administrado em
pacientes que não toleram fluoropirimidinas.
Cuidados de conservação: Este produto deve ser conservado
em temperatura ambiente (15oC a 30oC). Proteger
da luz e da umidade. Após o preparo da solução, esta
deve ser conservada entre 2oC e 8oC e utilizada dentro
de 48 horas.
Prazo de validade: Desde que sejam observados os cuidados
de conservação, EZULEN® (Oxaliplatina) apresenta
prazo de validade de 24 meses. Não utilize o produto após
o vencimento do prazo de validade.
Gravidez5 e lactação6: Este produto está contra-indicado
para uso durante a gravidez5 e na lactação6. Informar sempre
seu médico a ocorrência de gravidez5 na vigência do
tratamento ou após o seu término.
Informar ao seu médico se estiver amamentando.
Cuidados de administração: Siga a orientação do seu
médico, respeitando sempre os horários, as doses e a
duração do tratamento.
Cuidados na interrupção do tratamento: Não interromper
o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Reações adversas: Informe seu médico o aparecimento
de reações desagradáveis.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO
ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Contra-indicações e precauções: EZULEN® (Oxaliplatina)
é contra-indicado a pacientes que apresentem antecedentes
alérgicos ao EZULEN® (Oxaliplatina) ou a outros
contendo platina ou manitol. Não deve ser empregado em
pacientes com supressão medular ou sangramento grave.
Não deve ser utilizado durante a gravidez5 e na lactação6.
Insuficiência renal7: EZULEN® (Oxaliplatina) não se mostrou
nefrotóxico, entretanto, não foi estudado em pacientes com
insuficiência renal7 grave. É, portanto, contra-indicado em
pacientes com insuficiência renal7 grave. As informações
quanto à segurança em pacientes com insuficiência renal7
moderada são limitadas, e o uso da Oxaliplatina nestes
pacientes deve ser considerado após uma avaliação de
risco e benefício, porém, o tratamento pode ser iniciado
na dose usualmente recomendada. Nesta situação, a função
renal8 deve ser monitorada e a dose ajustada em
função da toxicidade9.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que
esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.
Informe a ocorrência de doença hepática10, renal8, insuficiência11
cardíaca, diabetes12, neutropenia13 periférica.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO
SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE14.
INFORMAÇÕES TÉCNICAS
CARACTERÍSTICAS
O EZULEN® (Oxaliplatina) pertence a uma nova classe de
sais da platina, na qual o átomo central de platina é
envolvido por um oxalato e um 1,2-diaminociclohexano ("dach")
em posição trans. A Oxaliplatina é um estéreo-isômero.
Assim como outros derivados da platina, a Oxaliplatina
atua sobre o DNA, formando ligações alquil que levam à
formação de pontes inter e intrafilamentos, inibindo a síntese
e posterior formação de novas moléculas nucléicas
de DNA. A cinética15 de ligação do EZULEN® (Oxaliplatina)
com o DNA é rápida, ocorrendo no máximo em 15 minutos,
enquanto que com a cisplatina essa ligação é bifásica,
com uma fase tardia após 4 a 8 horas. No homem, observou-
se presença dos complexos de inclusão nos leucócitos16
1 hora após a administração. A replicação e posterior
separação do DNA são inibidas, da mesma forma que,
secundariamente, é inibida a síntese do RNA e das proteínas17
celulares. O EZULEN® (Oxaliplatina) é eficaz sobre
certas linhas de tumores resistentes à cisplatina.

Farmacoterapia de Ezulen

O pico plasmático de platina total é de 5,1±0,8 mcg/mLe a área sobre a curva de 0 a 48 horas é de 189±45 mcg/
mL/h, após administração por 2 horas de perfusão venosa
de 130 mg/m2 de EZULEN® (Oxaliplatina). Ao final de
perfusão, 50% da platina estão fixados nos eritrócitos18 e
50% se encontram no plasma19, sendo que 25% na forma
livre e 75% ligados às proteínas17 plasmáticas. A ligação às
proteínas17 aumenta progressivamente, estabilizando-se em
95% no quinto dia após a administração. A eliminação é
bifásica, com meia-vida terminal de cerca de 40 horas.
Um máximo de 50% da dose administrada é eliminado
na urina20 em 48 horas e 55% ao fim de 6 dias. A excreção
fecal é pequena (5% da dose ao final de 11 dias). Não há
necessidade de adaptação posológica nos pacientes com
insuficiência renal7 moderada, pois apenas a depuração
da platina ultrafiltrável se mostrou diminuída nesses pacientes,
não ocorrendo, portanto, aumento da toxicidade9.
A eliminação da platina dos eritrócitos18 é bastante lenta;
no 22º dia o nível de platina intra-eritrocitária corresponde
a 50% da concentração plasmática máxima, sendo que
a maior parte da platina plasmática já foi eliminada nesse
período. Ao longo de ciclos sucessivos de tratamento,
observou-se que não há aumentos significativos dos níveis
plasmáticos de platina total e ultrafiltrável, enquanto
que há um acúmulo nítido e precoce da platina eritrocitária.
Em animais de laboratório, o EZULEN® (Oxaliplatina)
demonstra o perfil de toxicidade9 geral característica dos
complexos de platina. Entretanto, nenhum órgão-alvo em
particular foi identificado, a não ser a cardiotoxicidade no
cão, própria desta espécie animal. Digno de nota é que
EZULEN® (Oxaliplatina) não apresenta a nefrotoxicidade21
da cisplatina nem a mielotoxicidade da carboplatina.

Indicações de Ezulen

EZULEN® (Oxaliplatina) é indicado no carcinoma4 metastático
colorretal associado às fluoropirimidinas. Pode ser
administrado em pacientes que não toleram fluoropirimidinas.

Contra-Indicações de Ezulen

EZULEN® (Oxaliplatina) é contra-indicado a pacientesque apresentem antecedentes alérgicos ao
EZULEN® (Oxaliplatina) ou a outros contendo platina
ou manitol. Não deve ser empregado em pacientes
com supressão medular ou sangramento
severo. Como qualquer citostático22, o EZULEN®
(Oxaliplatina) pode ser tóxico para o feto23 e para o
lactente24; portanto, não deve ser utilizado durante
a gravidez5 e lactação6.

Advertências de Ezulen

O EZULEN® (Oxaliplatina) deve ser administrado
sob a supervisão de médico capacitado, com experiência
no uso de quimioterapia25 antineoplásica.
A tolerabilidade neurológica deve ser objeto de
especial atenção, sobretudo quando o EZULEN®
(Oxaliplatina) é associado a outros medicamentos
com toxicidade9 neurológica potencial. A toxicidade9
gastrintestinal do EZULEN® (Oxaliplatina) justifica
uso profilático e/ou terapêutico de antieméticos26.
Em caso de reação hematológica, leucopênicos
e trombocitopênicos, o início do ciclo seguinte de
tratamento deve ser adiado até recuperação.

Precauções de Ezulen

Proceder à avaliação do hemograma antes deiniciar o tratamento e antes de cada novo ciclo.
Depressão da medula27 aumenta em pacientes que
tenham recebido terapia anterior, especialmente
terapias incluindo derivados de platina. A depressão
também aumenta em pacientes com disfunção
renal8.
FORMATO: 130 x 270 mmCOR: Pantone BlackModelo de Bula: 2ezlpl1Código: 5141
Doses iniciais de EZULEN® (Oxaliplatina) nesses
pacientes devem se reduzidas e as contagens
sanguíneas devem ser monitoradas durante o tratamento.
Devido às reações adversas, devem ser realizados
exame neurológico antes do tratamento e
repetidos periodicamente.
EZULEN® (Oxaliplatina) pode induzir vômito28, que
pode ser mais grave em pacientes que estejam
recebendo terapia prévia emetogênica. A incidência29
e a intensidade da emese30 podem ser reduzidas
pelo uso de medicações antieméticas.

Interações Medicamentosas de Ezulen

Devido à incompatibilidade com cloreto de sódio
e com soluções básicas (em particular a
5-fluoruracila e o trometanol), o EZULEN® (Oxaliplatina)
não deve ser misturado com essas
substâncias ou administrado pela mesma via
venosa.
Deve-se evitar o uso de materiais de administração
intravenosa contendo alumínio.
Não foi observada in vitro nenhuma mudança importante
na fixação protéica da Oxaliplatina com
as seguintes substâncias: eritromicina, salicilatos,
granisetrona, paclitaxel e valproato de sódio.
Foi constatado sinergismo in vivo com a 5-fluoruracila,
tanto no homem como em animais de laboratório.
Interferência em exames laboratoriais: Não se
conhece, até o presente.

Reações Adversas de Ezulen

Apesar de ter menor mielotoxicidade que a carboplatina,EZULEN® (Oxaliplatina) pode provocar
depressão da medula27, sobretudo quando associado
à 5-fluoruracila. Pode também causar sintomas31
digestivos às vezes graves, acentuados
pela 5-fluoruracila.
Sistema hematopoiético32: EZULEN® (Oxaliplatina)
é pouco hematotóxico. Quando em monoterapia,
pode causar os seguintes efeitos indesejáveis: anemia33,
leucopenia34, granulocitopenia e trombocitopenia35
(neutrófilos36 < 500/mm3, plaquetas37 < 25000/
mm3, hemoglobina38 < 6,5 g%). A associação com
a 5-fluoruracila aumenta a toxicidade9 quanto à
neutropenia13 e à trombocitopenia35.
Sistema digestivo39: Administrado em monoterapia,
EZULEN® (Oxaliplatina) causa náuseas40, vômitos41
e diarréia42, às vezes graves. A associação com
a 5-fluoruracila aumenta claramente a freqüência
desses efeitos. Aconselha-se o uso profilático
e/ou terapêutico de um antiemético43 potente.
Sistema nervoso44: Observa-se com freqüência
neuropatias periféricas sensitivas, caracterizadas
por parestesias45 das extremidades. Podem ser
acompanhadas de câimbras46, de disestesias da
região peri-oral e laringe47, podendo mesmo simular
quadro clínico de espasmos48 de laringe47 sem
substrato anatômico, reversível espontaneamente
sem seqüelas. Tais manifestações são freqüentemente
provocadas ou agravadas por temperaturas
baixas. As parestesias45 geralmente regridem
entre os ciclos de tratamento, mas podem tornarse
permanentes e provocar distúrbios funcionais
após dose acumulada, geralmente superior a 800
mg/m2 (6 ciclos). A neurotoxicidade regride ou desaparece
em mais de 3/4 dos pacientes nos meses
que se seguem à interrupção do tratamento. A
ocorrência de parestesias45 espontaneamente reversíveis
não requer a adaptação da dose nos
eventuais novos ciclos de tratamento. Entretanto,
aconselha-se adaptar a posologia do EZULEN®
(Oxaliplatina) em função da duração e da gravidade
dos sintomas31 neurológicos observados. Em
caso de parestesias45 persistentes entre dois ciclos,
de parestesias45 dolorosas e/ou início de comprometimento
funcional, recomenda-se reduzir em
25% a dose de EZULEN® (Oxaliplatina) (ou seja,
100 mg/m2); caso a sintomatologia se mantenha
ou se agrave a despeito da redução da dose,
aconselha-se interromper o tratamento. A critério
médico, o tratamento poderá ser reiniciado na dose
padrão ou com dose reduzida após regressão
total ou parcial dos sintomas31. Outros efeitos foram
observados, em caráter excepcional: casos de
febre49, erupção50 cutânea51 e mal-estar geral. Não se
constatou ocorrência de alopecia52 nem toxicidades
auditiva, renal8, hepática10 ou cardíaca por ocasião
dos estudos clínicos.

Posologia e Modo de Usar de Ezulen

A dose recomendada é de 130 mg/m2, seja em monoterapia
ou em associação a outro quimioterápico. Essa dose
deve ser repetida a intervalos de três semanas, caso não
ocorram sinais53 e sintomas31 de toxicidade9 importante.
EZULEN® (Oxaliplatina) é geralmente administrado em
infusão venosa de curta duração (2 a 6 horas), diluída em
250 a 500 mL de glicose54 a 5%. A dose pode ser modificada
em função da tolerabilidade, particularmente neurológica.
Cuidados de administração:
Recomenda-se não administrar em injeção1 intravenosa
direta.
Nunca utilizar solução salina como diluente.
Não misturar com outros medicamentos. Não misturar com
solução salina como 5-fluoruracila na mesma ampola ou
no mesmo frasco de infusão.
Alumínio reage com o EZULEN® (Oxaliplatina) formando
precipitados e levando à perda da potência; portanto,
agulhas ou instrumentos de uso intravenoso contendo
partes em alumínio que possam entrar em contato com a
droga não devem ser usados para preparação ou administração
do produto.
Como em toda preparação de solução citotóxica, certas
precauções especiais devem ser seguidas para segurança
no manuseio e descarte:
•  A preparação da droga deverá ser feita em área restrita;
o ideal é manipulá-la em um fluxo laminar vertical identificado
(Biologycal Safety Cabinet - Class II). A superfície
de trabalho deverá estar coberta com plástico descartável
revestida por papel absorvente.
•  Devem ser utilizadas roupas protetoras adequadas, tais
como: luvas descartáveis, óculos de segurança, vestimentas
e máscaras descartáveis. Em caso de contato
com os olhos55, lavar com grande quantidade de água ou
solução fisiológica56.
•  Todos os instrumentos e seringas a serem usados devem
possuir acessórios Luer-Lock. Uma possível formação
de aerossóis pode ser reduzida pelo uso de agulhas de
largo calibre e/ou agulhas hipodérmicas com abertura
de escape.
Reconstituição da Oxaliplatina:
A reconstituição da solução de EZULEN® (Oxaliplatina) e
sua manipulação devem obedecer aos cuidados especiais
indispensáveis para todos os medicamentos citotóxicos3.
Os solventes a serem utilizados são a água para preparações
injetáveis ou a solução de glicose54 a 5%.
EZULEN® (Oxaliplatina) 50 mg: adicionar ao produto liofilizado57
10 a 20 mL de solvente, para obter concentração
de Oxaliplatina de 2,5 a 5,0 mg/mL.
EZULEN® (Oxaliplatina) 100 mg: adicionar ao produto liofilizado57
20 a 40 mL de solvente, para obter concentração
de Oxaliplatina de 2,5 a 5,0 mg/mL.
As soluções assim reconstituídas podem ser conservadas
no frasco original por 24 a 48 horas, em temperatura entre
2oC a 8oC. Para infusão venosa, essas soluções devem
ser subseqüentemente diluídas em 250 mL a 500 mL de
glicose54 a 5%. Essas novas soluções podem ser conservadas
por 24 horas em temperatura ambiente. A inutilização
das sobras do medicamento e de todo o material
que entre em contato com o mesmo deve obedecer às
recomendações vigentes para o tratamento de resíduos
citotóxicos3.

Conduta na Superdose de Ezulen

Não se conhece um antídoto58 específico para o EZULEN®(Oxaliplatina). O tratamento é sintomático59 e deve ser realizado
o monitoramento dos parâmetros hematológicos.
Deve ser esperada uma exacerbação das reações adversas,
em caso de superdose. Utilizar um quelante intravenoso,
promover a diurese60 e hidratar o paciente. No caso
de anúria61, hemodialisar o paciente. Usar corticosteróides
ou anti-histamínicos nas reações alérgicas intensas.
As complicações de superdose são decorrentes de depressão
medular.

Uso em Idosos de Ezulen

Existem poucos estudos sobre a utilização do produto em
pacientes geriátricos, entretanto, pacientes idosos parecem
ser mais susceptíveis à droga.

Venda Sob Prescrição Médica de Ezulen

MS - 1.1213.0215
Resp. Técn. Farm.: Luiz A. M. Mendes
CRF-SP nº 13.559
Nº do lote, data de fabricação e validade:
vide cartucho.
Fabricado por:
Delta Farma S.A. - Argentina
5141
Importado e distribuído por:
LABORATÓRIOS BIOSINTÉTICA LTDA.
Av. das Nações Unidas, 22.428
São Paulo - SP
CNPJ nº 53.162.095/0001-06
Indústria Brasileira
Atendimento ao Consumidor:
0800-15-1036

Cuidados pela vida
Cód. Laetus nº 263

EZULEN - Laboratório

BIOSINTETICA
Rua Periquito, 236 - Vl. Uberabinha
São Paulo/SP - CEP: 04514-050
Tel: 55 (011) 5561-2614
Fax: 55 (011)5561-2072
Site: http://www.biosintetica.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BIOSINTETICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Citotóxico: Diz-se das substâncias que são tóxicas às células ou que impedem o crescimento de um tecido celular.
3 Citotóxicos: Diz-se das substâncias que são tóxicas às células ou que impedem o crescimento de um tecido celular.
4 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
7 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
8 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
9 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
10 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
11 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
12 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
13 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Cinética: Ramo da física que trata da ação das forças nas mudanças de movimento dos corpos.
16 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
17 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
18 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
19 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
20 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
21 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
22 Citostático: Diz-se de substância que inibe o crescimento ou a reprodução das células.
23 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
24 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
25 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
26 Antieméticos: Substância que evita o vômito.
27 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
28 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
29 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
30 Êmese: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Sinônimo de vômito. Pode ser classificada como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
32 Sistema Hematopoiético: Sistema do corpo composto primariamente pela medulla óssea, baço, lifonodos (gânglios linfáticos) e tonsilas, envolvido na produção do sangue.
33 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
34 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
35 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
36 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
37 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
38 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
39 Sistema digestivo: O sistema digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
40 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
41 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
42 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
43 Antiemético: Substância que evita o vômito.
44 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
45 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
46 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
47 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
48 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
49 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
50 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
51 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
52 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
53 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
54 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
55 Olhos:
56 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
57 Liofilizado: Submetido à liofilização, que é a desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas, usada especialmente na conservação de alimentos, em medicamentos, etc.
58 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
59 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
60 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
61 Anúria: Clinicamente, a anúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas.

Tem alguma dúvida sobre EZULEN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.