Preço de DERMAZINE em Cambridge/SP: R$ 30,87

DERMAZINE

SILVESTRE

Atualizado em 08/12/2014

DERMAZINE

Bula do Profissional de Saúde1 de Dermazine

Identificação de Dermazine

Silvestre Labs Química e Farmacêutica Ltda.DERMAZINE
Sulfadiazina de prata

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Dermazine

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Uso externo


SULFADIAZINA DE PRATA MICRONIZADA 1%

CREME MICRONIZADO ANTIMICROBIANO E CICATRIZANTE

Bisnaga com 15, 30 e 50 g.

Pote com 100 e 400 g

SULFADIAZINA DE PRATA MICRONIZADA 1%

Cada 1g do creme contém:

Sulfadiazina de Prata Micronizada - 10 mg

Excipientes (Álcool cetoestearílico, estearil éter, álcool oleílico etoxilado, metilparabeno, propilparabeno, vaselina, propilenoglicol, água deionizada) - q.s.p 1g

Informações Técnicas Aos Profissionais de Saúde1 de Dermazine

Características Farmacológicas de Dermazine

A Sulfadiazina de Prata possui uma atividade antimicrobiana bastante ampla. É bactericida para uma grande variedade de bactérias Gram-positivas e Gram-negativas, bem como algumas espécies de fungos (Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, algumas espécies de Proteus, Klebsiella, Enterobacter e Candida albicans).

Há dados bibliográficos suficientes para demonstrar que a Sulfadiazina de Prata possui ação sobre bactérias comumente resistentes a outros agentes antimicrobianos tópicos e que o composto é superior à Sulfadiazina pura, bem como ao Nitrato de Prata. A atividade antimicrobiana da Sulfadiazina de Prata é mediada pela reação do íon2 prata com o DNA microbiano, o que impede a replicação bacteriana. Além disto, age sobre a membrana e parede celulares, promovendo o enfraquecimento destas, com conseqüente rompimento da célula3 por efeito da pressão osmótica4. Estudos de farmacocinética demonstram que os níveis séricos de Prata e de Sulfadiazina estão relacionados com a extensão e espessura da ferida, e a quantidade de material aplicado, sendo que estes níveis encontram-se muito abaixo dos considerados tóxicos.

Estudos experimentais indicam que a absorção da Sulfadiazina de Prata na pele5 normal ou com lesões6 de queimaduras superficiais ou profundas é ínfima. Bult e Plug destacam que na aplicação tópica de Sulfadiazina de Prata, a Prata é liberada lentamente ao redor da ferida, sendo que mais de 99% dos íons7 Prata permanecem nesta região.

A Sulfadiazina de Prata parece estar presente somente na porção superficial da ferida e em torno de alguns apêndices epidérmicos, com muito pouco nas camadas mais profundas. Tais observações têm sido atribuídas à formação de um albuminato de prata a partir da albumina8 presente na área queimada ou pela formação de complexos de prata com grupos sulfidrila das fibras elásticas9 abundantes na área cicatricial.

Como a absorção através do tecido10 queimado é muito baixa, a distribuição tecidual foi mensurada após injeção subcutânea11 de suspensão de Sulfadiazina de Prata, observando-se maior concentração no fígado12 e baço13 e níveis relativamente baixos no cérebro14. Como sugerido pelo padrão de distribuição da Sulfadiazina de Prata, o componente Prata é excretado pela via hepatobiliar15 e a Sulfadiazina por eliminação renal16. Isto tem sido confirmado por estudos em ratos que receberam doses subcutâneas de suspensão de Sulfadiazina de Prata. A Prata é excretada principalmente nas fezes e a Sulfadiazina predominantemente na urina17, sendo que a eliminação da Prata acontece numa taxa bem mais lenta do que a do componente Sulfadiazina.

Resultados de Eficácia de Dermazine

Desde 1968, através dos estudos de Fox e colaboradores foi demonstrado que a Sulfadiazina de Prata reduziu a mortalidade18 entre 5 e 20% em oito dias após queimaduras. Adicionalmente a destruição pós-queimaduras da pele5 e músculo por infecção19 foi reduzida com a aplicação deste medicamento.

Em 1992, Bishop e colaboradores realizaram um estudo prospectivo20 em pacientes com úlceras21 venosas com níveis bacterianos comparáveis e demonstraram que a Sulfadiazina de Prata a 1% reduziu de forma estatisticamente significativa o tamanho das úlceras21 (44% em relação a 22,5% dos que utilizaram placebo22). Tais autores associaram a eficácia desta droga a um favorecimento da replicação de queratinócitos23 e a propriedades antiinflamatórias da substância.

Posteriormente, Lansdown e colaboradores observaram cicatrização acelerada e liberação mais rápida de crostas e debris em animais em que foi utilizada a Sulfadiazina de Prata. Estes autores correlacionam seus achados a uma redução das fases inflamatória e de formação de tecido de granulação24, além de maior velocidade de reparação epidérmica. Kjolseth e colaboradores compararam os efeitos in vivo de seis agentes tópicos freqüentemente utilizados em úlceras21 e demonstraram que a Sulfadiazina de Prata foi responsável pela taxa de reepitelização mais rápida, além de ter sido um dos principais agentes promotores de neovascularização25. Numa revisão sistemática sobre agentes antimicrobianos utilizados no tratamento de feridas crônicas, a Sulfadiazina de Prata foi uma das poucas substâncias citadas como comprovadamente úteis no tratamento de lesões6 ulceradas de difícil resolução.

Indicações de Dermazine

Prevenção e tratamento de feridas com grande potencial de sepse26: queimaduras, úlceras21 venosas, úlceras21 de decúbito27 e feridas cirúrgicas infectadas.Ação profilática contra infecções28 em cateterismos venosos e arteriais.

Contra-Indicações de Dermazine

Devido a possibilidade aumentada de "Kernicterus29" (potencializado pelas Sulfonamidas) o seu uso não é recomendado, em caso de: gravidez30 a termo, crianças prematuras e recém-natos no primeiro mês de vida, quando a área a ser tratada for superior a 25% da superfície corporal. O seu uso deve ser cuidadosamente observado em pacientes que apresentam hipersensibilidade às Sulfas. Ref

Modo de Usar e Cuidados de Conservação Depois de Aberto de Dermazine

Após a limpeza da lesão31, aplicar uma camada de Dermazine® creme uma vez ao dia. Fazer um curativo com gaze. Caso a lesão31 seja muito exsudativa32, reaplicar o creme uma segunda vez ao dia, posteriormente o excesso pode ser retirado com uma compressa de gaze ou algodão. Utilizar Dermazine® até a cicatrização da ferida. Não deve ser aplicado na região dos olhos33.Dermazine® deve ser mantido em local fresco (15 a 30ºC), seco, ao abrigo da luz e na embalagem original para boa conservação.

Posologia de Dermazine

Aplicar uma a duas vezes ao dia. Utilizar Dermazine® até a cicatrização da ferida.

Advertências de Dermazine

Quando do uso em áreas muito extensas de superfície corporal, a monitoração dos níveis séricos da Sulfa e da função renal16 tornam-se relevantes, apesar da pouca absorção do produto. Enquanto a Sulfadiazina de Prata está exercendo seu efeito por sobre a superfície lesada, alguma proliferação fúngica34 dentro ou abaixo da escara35 pode ocorrer, no entanto a incidência36 de super infecções28 fúngicas37 clinicamente notificadas é bastante rara. Não deve ser aplicado na região dos olhos33.Ref

Informe seu médico a ocorrência de gravidez30 na vigência do tratamento ou após o término. Informar ao médico se está amamentando. Dermazine® deve ser evitado em gestantes a termo, recém-natos até um mês e prematuros.

Categoria "B" de risco na gravidez30.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Uso em Idosos, Crianças e Outros Grupos de Risco de Dermazine

Só fazer uso do medicamento sob orientação médica. Observar as precauções, contra-indicações, advertências e só administrar a posologia prescrita pelo médico.

Interações Medicamentosas de Dermazine

Na forma de apresentação do produto, não apresenta interações conhecidas com outros medicamentos.

Reações Adversas a Medicamentos de Dermazine

Raros casos de leucopenia38 transitória têm sido relatados em pacientes recebendo terapia com Sulfadiazina de Prata. Em geral ocorrendo entre 3 a 4 dias do início do tratamento, com retorno aos níveis normais de 5 a 7 dias, mesmo com a manutenção da terapia.

Superdose de Dermazine

É pouco provável que ocorra uma superdosagem com o uso do Dermazine®. Eventualmente, a utilização em grandes superfícies corpóreas pode ocasionar um aumento da concentração sérica da Sulfadiazina e da Prata. Nestes casos, o uso do produto deve ser interrompido.

Armazenagem de Dermazine

Dermazine® deve ser mantido em local fresco (15 _ 30º C), seco, ao abrigo da luz e na embalagem original para boa conservação.

Dizeres Legais de Dermazine

Registro M.S.: 1.1836.0001.001-1Registro M.S.: 1.1836.0001.002-8
Registro M.S.: 1.1836.0001.003-6
Registro M.S.: 1.1836.0001.004-4
Registro M.S.: 1.1836.0001.005-2
Farmacêutico(a) responsável: Dra. Tatiana Lima - CRF/RJ-7426

Silvestre Labs Química e Farmacêutica Ltda.

Pólo de Biotecnologia do Rio de Janeiro _ Bio Rio

Av. Brigadeiro Trompowski, s/n0, Av. 24 Cidade Universitária Ilha do Fundão

Cep: 21941-590 Rio de Janeiro RJ - Brasil

Tel.: (21) 2560-0830 _ Fax: (21) 2564-5750

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Bula do Paciente de Dermazine

Identificação de Dermazine

Silvestre Labs Química e Farmacêutica Ltda.DERMAZINE
Sulfadiazina de prata

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Dermazine

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Uso externo

SULFADIAZINA DE PRATA MICRONIZADA 1%

CREME MICRONIZADO ANTIMICROBIANO E CICATRIZANTE

Bisnaga com 15, 30 e 50 g.

Pote com 100 e 400 g


SULFADIAZINA DE PRATA MICRONIZADA 1%

Cada 1g do creme contém:

Sulfadiazina de Prata Micronizada - 10 mg

Excipientes (Álcool cetoestearílico, estearil éter, álcool oleílico etoxilado, metilparabeno, propilparabeno, vaselina, propilenoglicol, água deionizada) - q.s.p 1g

Informações ao Paciente de Dermazine

Como Este Medicamento Funciona de Dermazine

Dermazine® é um agente antimicrobiano tópico39 na terapia de queimaduras, feridas cirúrgicas, úlceras21 e escaras40 infectadas. Previne infecções28 nos cateterismos vasculares41.

A ação inicia-se no momento da aplicação.

Por Que Este Medicamento Foi Indicado de Dermazine

Dermazine® trata de feridas com grande potencial de infecção19 generalizada: queimaduras, úlceras21 varicosas, escaras40 de decúbito27 e feridas cirúrgicas infectadas.Evita infecções28 em cateterismos venosos e arteriais.

Quando Não Devo Usar Este Medicamento de Dermazine

CONTRA-INDICAÇÕES O uso não é recomendado, em caso de gravidez30 a termo, crianças prematuras e recém-natos no primeiro mês de vida, quando a utilização for em grandes áreas do corpo.Ref

Dermazine® não deve ser utilizado em pacientes alérgicos às sulfas e demais componentes da formulação.

ADVERTÊNCIAS
Quando do uso em áreas muito grandes do corpo, a monitoração dos níveis da sulfa no sangue42 e da função dos rins43 tornam-se importantes, apesar da pouca absorção do produto.

Dermazine® deve ser evitado em gestantes a termo, recém-natos até um mês e prematuros.


PRECAUÇÕES
Não deve ser aplicado na região dos olhos33.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
Na forma de apresentação do produto, não apresenta interações conhecidas com outros medicamentos.

Deve ser utilizado apenas por via local, não ingerir o medicamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informar ao médico se está amamentando.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde1.

Informe ao seu médico o aparecimento de reações indesejáveis.

Como Devo Usar Este Medicamento de Dermazine

ASPECTO FÍSICO
O produto apresenta-se como um creme, branco.

CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS
O creme não possui odor (cheiro).

DOSAGEM
Aplicar uma a duas vezes ao dia.

COMO USAR
Após limpeza da lesão31, aplicar uma camada de Dermazine® creme. Fazer um curativo com gaze. Caso a lesão31 seja muito úmida, reaplicar o creme uma segunda vez ao dia. O excesso pode ser retirado com uma compressa de gaze ou algodão. Utilizar Dermazine® até a cicatrização da ferida.

Siga orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

Quais Os Males Que Este Medicamento Pode Causar de Dermazine

Pacientes que utilizam o produto em grandes áreas do corpo devem ser acompanhados por médico.

O Que Fazer Se Alguém Usar Uma Grande Quantidade Deste Medicamento de Uma Só Vez de Dermazine

É pouco provável que ocorra uma superdosagem com o uso do Dermazine®. Eventualmente, a utilização em grandes superfícies pode ocasionar um aumento da concentração da sulfadiazina de prata no sangue42. Nestes casos, o uso do produto deve ser interrompido imediatamente e o paciente deve procurar o seu médico.

Onde e Como Devo Guardar Este Medicamento de Dermazine

Dermazine® deve ser mantido em local fresco, seco, ao abrigo da luz e na embalagem original.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Dizeres Legais de Dermazine

Registro M.S.: 1.1836.0001.001-1
Registro M.S.: 1.1836.0001.002-8
Registro M.S.: 1.1836.0001.003-6
Registro M.S.: 1.1836.0001.004-4
Registro M.S.: 1.1836.0001.005-2
Farmacêutico(a) responsável: Dra. Tatiana Lima - CRF/RJ-7426

Silvestre Labs Química e Farmacêutica Ltda.

Pólo de Biotecnologia do Rio de Janeiro _ Bio Rio

Av. Brigadeiro Trompowski, s/n0, Av. 24 Cidade Universitária Ilha do Fundão

Cep: 21941-590 Rio de Janeiro RJ - Brasil

Tel.: (21) 2560-0830 _ Fax: (21) 2564-5750

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

DERMAZINE - Laboratório

SILVESTRE
Av. 24, s/n - Fundão Bio Rio, Ilha do Fundão
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 21941-590
Tel: 21-2560-0830
Fax: 21-2560-0830
Email: silvestrelabs@silvestrelabs.com.br
Site: http://www.silvestrelabs.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "SILVESTRE"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Íon: Átomo ou grupo atômico eletricamente carregado.
3 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
4 Osmótica: Relativo à osmose, ou seja, ao fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
5 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
6 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
7 Íons: Átomos ou grupos atômicos eletricamente carregados.
8 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
9 Fibras Elásticas: Tecido conectivo constituído principalmente por fibras elásticas. Estas, têm dois components
10 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
11 Injeção subcutânea: Injetar fluido no tecido localizado abaixo da pele, o tecido celular subcutâneo, com uma agulha e seringa.
12 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
13 Baço:
14 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
15 Hepatobiliar: Diz-se do que se refere ao fígado e às vias biliares.
16 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
17 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
18 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
19 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
20 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
21 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
22 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
23 Queratinócitos: Queratinócitos ou ceratinócitos são células diferenciadas do tecido epitelial (pele) e invaginações da epiderme para a derme (como os cabelos e unhas) de animais terrestres responsáveis pela síntese da queratina.
24 Tecido de Granulação: Tecido conjuntivo vascular formado na superfície de um ferimento, úlcera ou tecido inflamado em cicatrização. Constituído por capilares novos e um infiltrado (com células linfóides, macrófagos e células plasmáticas).
25 Neovascularização: Crescimento de novos e pequenos vasos sangüíneos. Na retina, pode estar associado à perda de visão.
26 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
27 Decúbito: 1. Atitude do corpo em repouso em um plano horizontal. 2. Na história da medicina, é o momento em que o paciente é levado a deitar-se devido à doença.
28 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
29 Kernicterus: Forma de icterícia que surge no recém nascido, de especial gravidade pela tendência a produzir alterações neurológicas irreversíveis por impregnação da bilirrubina em áreas do cérebro. Seu tratamento é a fototerapia, que transforma a bilirrubina em uma forma mais estável, incapaz de penetrar no sistema nervoso central, e passível de ser eliminada na urina.
30 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
31 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
32 Exsudativa: 1. Inerente ou pertencente à exsudação. Ação de exsudar, suar, transpirar. 2. Líquido que, saindo pelos poros da superfície de um vegetal ou de um animal, torna-se espesso ou viscoso nessa superfície.
33 Olhos:
34 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
35 Escara: Úlcera produzida nas áreas cutâneas que sofrem maior pressão (úlcera de decúbito).
36 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
37 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
38 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
39 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
40 Escaras: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
41 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
42 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
43 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.

Tem alguma dúvida sobre DERMAZINE?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.