TAXOTERE

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Taxotere

TAXOTERE 20 MG: CADA FRASCO-AMPOLA CONTEM DOCETAXEL TRIIDRATADO, EQUIVALENTE A 20 MG DE DOCETAXEL (ANIDRO) EM 0,5 ML DE POLISSORBATO 80. TAXOTERE 80 MG: CADA FRASCO-AMPOLA CONTEM DOCETAXEL TRIIDRATADO, EQUIVALENTE A 80 MG DE DOCETAXEL (ANIDRO) EM 2,0 ML DE POLISSORBATO 80. CADA ML DE TAXOTERE (DOCETAXEL) CONCENTRADO PARA INFUSAO CONTEM 40 MG DE DOCETAXEL (ANIDRO). AMPOLA DILUENTE: 13% M/V DE ETANOL 95% EM AGUA PARA INJECAO1.

Indicações de Taxotere

CANCER2 DE MAMA3: TAXOTERE (DOCETAXEL) E INDICADO PARA O TRATAMENTO DE PACIENTES COM CANCER2 DE MAMA3 LOCAL AVANCADO OU METASTATICO, APOS FALHA DE QUIMIOTERAPIA4 PREVIA. NA TERAPIA PREVIA DEVERA TER SIDO INCLUIDA ANTRACICLINA, DESDE QUE ESTA NAO TENHA SIDO CONTRA-INDICADA. CANCER2 DE NAO PEQUENAS CELULAS5 DO PULMAO6: TAXOTERE (DOCETAXEL) E INDICADO PARA O TRATAMENTO DE PACIENTES COM CANCER2 DE PULMAO6 LOCAL AVANCADO OU METASTATICO, MESMO APOS FALHA DE QUIMIOTERAPIA4 COM DERIVADOS DE PLATINA.

Contra-Indicações de Taxotere

O TAXOTERE (DOCETAXEL) NAO DEVE SER ADMINISTRADO NOS SEGUINTES PACIENTES: PACIENTES COM HISTORIA DE HIPERSENSIBILIDADE SEVERA AO DOCETAXEL OU AO POLISSORBATO 80; EM PACIENTES COM NEUTROPENIA7 BASAL < 1.500 CELULAS5/MM \UP4 3 ; GRAVIDEZ8 E AMAMENTACAO9; PACIENTES COM SEVERA INSUFICIENCIA HEPATICA10.

Precauções de Taxotere

TAXOTERE (DOCETAXEL) DEVE SER ADMINISTRADO SOMENTE SOB A SUPERVISAO DE UM MEDICO COM EXPERIENCIA NA UTILIZACAO DE AGENTES QUIMIOTERAPICOS. RECURSOS DE SUPORTE APROPRIADOS DEVERAO ESTAR DISPONIVEIS DEVIDO A POSSIBILIDADE DA OCORRENCIA DE IMPORTANTES REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE. DURANTE A INFUSAO E RECOMENDADO A REALIZACAO DE CUIDADOSA MONITORIZACAO DAS FUNCOES VITAIS. A PRE-MEDICACAO CONSISTINDO DE CORTICOSTEROIDE ORAL COMO 16 MG DE DEXAMETASONA POR DIA DURANTE 5 DIAS, INICIANDO-SE 1 DIA ANTES DA ADMINISTRACAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL), A MENOS QUE CONTRA-INDICADO, PODE REDUZIR A INCIDENCIA11 E A SEVERIDADE DA RETENCAO HIDRICA ASSIM COMO A SEVERIDADE DAS REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE. REACOES SEVERAS DE HIPERSENSIBILIDADE CARACTERIZADAS POR HIPOTENSAO12 OU BRONCOESPASMO13 OU RASH14/ERITEMA15 GENERALIZADO OCORRERAM EM APROXIMADAMENTE 7% DOS PACIENTES QUE RECEBERAM TAXOTERE (DOCETAXEL). OS PACIENTES QUE RECEBERAM CORTICOSTEROIDE ORAL 1 DIA ANTES DA TERAPIA COM TAXOTERE (DOCETAXEL) NAO APRESENTARAM REACOES SEVERAS DE HIPERSENSIBILIDADE. A NEUTROPENIA7 E A REACAO ADVERSA MAIS FREQUENTE. DURANTE A TERAPIA COM TAXOTERE (DOCETAXEL), DEVERAO SER REALIZADAS FREQUENTES CONTAGENS DAS CELULAS SANGUINEAS16. O NADIR DE NEUTROFILOS17 OCORREU, EM MEDIA 8 DIAS APOS A ADMINISTRACAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL), PODENDO ESTE PRAZO SER MENOR EM PACIENTES PREVIAMENTE TRATADOS. OS PACIENTES NAO DEVEM SER TRATADOS COM TAXOTERE (DOCETAXEL) ATE QUE A CONTAGEM DO NUMERO DE NEUTROFILOS17 SE ELEVE A 1.500 CELULAS5/MM3. COM A FINALIDADE DE SE MONITORAR MIELOTOXICIDADE, E RECOMENDADO CONTAGEM FREQUENTE DE CELULAS5 PERIFERICAS EM TODOS OS PACIENTES TRATADOS COM TAXOTERE (DOCETAXEL). EM CASO DE NEUTROPENIA7 SEVERA (< 500 CELULAS5/MM \UP4 3 POR 7 DIAS OU MAIS) DURANTE A TERAPIA COM O TAXOTERE (DOCETAXEL), E RECOMENDADO REDUCAO DA POSOLOGIA. REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE: OS PACIENTES DEVEM SER RIGOROSAMENTE MONITORADOS PARA A OCORRENCIA DE REACOES ADVERSAS DURANTE A PRIMEIRA E A SEGUNDA INFUSOES. ESTAS REACOES PODERAO OCORRER MINUTOS APOS A INFUSAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL) E PORTANTO RECURSOS PARA O TRATAMENTO DA HIPOTENSAO12 E BRONCOESPASMOS18 DEVEM ESTAR DISPONIVEIS. NA OCORRENCIA DE REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE DE MENOR SINTOMA19, COMO VERMELHIDAO OU REACOES LOCALIZADAS NA PELE20, NAO HA A NECESSIDADE DE INTERRUPCAO DA TERAPIA. POREM, A OCORRENCIA DE REACOES SEVERAS, COMO HIPOTENSAO12 COM A REDUCAO DA PRESSAO SANGUINEA21 EM MAIS DE 20 MMHG, BRONCOESPASMOS18 OU ERUPCOES CUTANEAS22/ERITEMA15 GENERALIZADAS, REQUER A INTERRUPCAO IMEDIATA DO TRATAMENTO E TERAPIA SINTOMATICA23 AGRESSIVA. OS PACIENTES QUE DESENVOLVEREM REACOES SEVERAS NAO DEVEM RECEBER NOVAMENTE O TAXOTERE (DOCETAXEL). RETENCAO HIDRICA: A PRE-MEDICACAO CONSISTINDO DE CORTICOSTEROIDE ORAL COMO 16 MG DE DEXAMETASONA POR DIA DURANTE 5 DIAS, INICIANDO-SE 1 DIA ANTES DA ADMINISTRACAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL), A MENOS QUE CONTRA-INDICADO, PODE REDUZIR A INCIDENCIA11 E A SEVERIDADE DA RETENCAO HIDRICA ASSIM COMO A SEVERIDADE DAS REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE. PACIENTES COM EFUSAO24 PLEURAL, EFUSAO24 PERICARDICA OU ASCITE25 DEVEM SER RIGOROSAMENTE MONITORADOS. PACIENTES COM DISFUNCAO HEPATICA26. DEVE SE REALIZADO TESTE DA FUNCAO HEPATICA26 NA CONDUTA BASAL E ANTES DE CADA CICLO. BASEADO NOS DADOS FARMACOCINETICOS, EM PACIENTES COM ELEVACAO DE TRANSAMINASES (TGP E/OU TGO) MAIOR QUE 1,5 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL E ELEVACAO DA FOSFATASE ALCALINA27 MAIOR QUE 2,5 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL, A DOSE RECOMENDADA E DE 75 MG/M2. PARA PACIENTES28 COM BILIRRUBINA29 SERICA ELEVADA E/OU VALORES DE TGP/TGO MAIOR QUE 3,5 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL E VALORES DE FOSFATASE ALCALINA27 MAIOR QUE 6 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL, O TAXOTERE (DOCETAXEL) NAO DEVE SER ADMINISTRADO, A MENOS QUE ESTRITAMENTE NECESSARIO. NEUROTOXICIDADE PERIFERICA PODE SER OBSERVADA DURANTE A TERAPIA COM O TAXOTERE (DOCETAXEL). EM CASOS SEVEROS RECOMENDA-SE A REDUCAO DA DOSE E TERAPIA SUBSEQUENTE ADEQUADA; REACOES CUTANEAS22 COMO O ERITEMA15 LOCALIZADO NA PELE20 DAS EXTREMIDADES (PALMAS DAS MAOS30 E SOLA DOS PES) COM EDEMA31 SEGUIDO DE DESCAMACAO32 FORAM OBSERVADOS. ESTE TIPO DE TOXICIDADE33 PODE LEVAR A INTERRUPCAO OU A DESCONTINUACAO DO TRATAMENTO; A SEGURANCA EM PACIENTES GRAVIDAS E QUE ESTEJAM AMAMENTANDO NAO FOI ESTABELECIDA; DEVEM SER TOMADAS MEDIDAS CONTRACEPTIVAS DURANTE E ATE PELO MENOS 3 MESES APOS O TERMINO DA TERAPIA COM TAXOTERE (DOCETAXEL); A SEGURANCA E EFICACIA DO USO DE TAXOTERE (DOCETAXEL) EM CRIANCAS AINDA NAO FOI ESTABELECIDA. - INTERACOES MEDICAMENTOSAS: ESTUDOS EXPERIMENTAIS IN VITRO MOSTRARAM QUE O METABOLISMO34 DO TAXOTERE (DOCETAXEL) PODE SER MODIFICADO PELA ADMINISTRACAO CONCOMITANTE DE DROGAS METABOLIZADAS PELO CITOCROMO P 450 COMO A CICLOSPORINA, TERFENADINA, CETOCONAZOL, ERITROMICINA E TROLEANDOMICINA. DEVIDO A ESTE FATO RECOMENDA-SE CAUTELA NA ADMINISTRACAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL) CONCOMITANTE A ESTAS DROGAS.

Reações Adversas de Taxotere

TAXOTERE (DOCETAXEL) PODERA CAUSAR: DEPRESSAO DE MEDULA OSSEA35: A NEUTROPENIA7 E O EFEITO COLATERAL36 MAIS FREQUENTE E USUALMENTE E SEVERA (< 500 CELULAS5/MM3). E REVERSIVEL E NAO CUMULATIVA. FORAM RELATADAS FEBRE37 E INFECCOES38 ASSOCIADAS A NEUTROPENIA7. ANEMIA39 OCORRE NA MAIORIA DOS PACIENTES. POUCOS CASOS SEVEROS DE TROMBOCITOPENIA40 FORAM RELATADOS. REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE: FORAM RELATADAS SEVERAS REACOES CARACTERIZADAS POR HIPOTENSAO12 E/OU BRONCOESPASMO13, REQUERENDO A INTERVENCAO TERAPEUTICA41. ESTAS REACOES DESAPARECERAM APOS A DESCONTINUACAO DO TRATAMENTO. MENORES MANIFESTACOES COMPATIVEIS COM REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE COMO VERMELHIDAO, ERUPCOES COM OU SEM PRURIDO42, TENSAO TORACICA, DOR LOMBAR, DISPNEIA43, FEBRE37 OU CALAFRIOS44 PODERAO OCORRER. REACOES CUTANEAS22: AS REACOES CUTANEAS22 SAO CARACTERIZADAS POR ERUPCOES LOCALIZADAS PRINCIPALMENTE NOS PES, MAOS30 E TAMBEM NOS BRACOS, FACE45 OU TORAX46 E ALGUMAS VEZES ASSOCIADAS A PRURIDO42. AS ERUPCOES GERALMENTE PODEM OCORRER 1 SEMANA APOS O INICIO DA INFUSAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL), MAS PODEM DESAPARECER ANTES DO CICLO SEGUINTE. SINTOMAS47 SEVEROS COMO A ERUPCAO48 SEGUIDA DE DESCAMACAO32 RARAMENTE OCORREM. PODEM OCORRER ALTERACOES UNGUEAIS49, CARACTERIZADAS POR HIPO OU HIPERPIGMENTACAO E ALGUMAS VEZES DOR E ONICOLISE50. RETENCAO HIDRICA: INCLUINDO EDEMA31 E MENOS FREQUENTEMENTE DERRAME51 PLEURAL, FORAM RELATADOS ASCITE25, DERRAME51 PERICARDICO, AUMENTO DA PERMEABILIDADE52 CAPILAR53 E GANHO DE PESO. RETENCAO HIDRICA COMECA NAS EXTREMIDADES E PODE SER GENERALIZADA COM O AUMENTO DE PESO DE 3 KG OU MAIS APOS 4 CICLOS OU DOSE > 400 MG/M2. A RETENCAO DE LIQUIDOS E LENTAMENTE REVERSIVEL APOS A DESCONTINUACAO DO TRATAMENTO COM O TAXOTERE (DOCETAXEL). PARA SE EVITAR A RETENCAO HIDRICA, OS PACIENTES DEVEM SER PRE-MEDICADOS COM CORTICOIDES. HEPATICO: ELEVACOES DAS TRANSAMINASES (TGO/TGP), BILIRRUBINA29 E FOSFATASE ALCALINA27, ACIMA DE 2,5 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL, FORAM OBSERVADAS EM MENOS DE 5% DOS PACIENTES. EFEITOS GASTRINTESTINAIS: PODEM OCORRER NAUSEA54, VOMITOS55 OU DIARREIA56. NEUROTOXICIDADE: FORAM REPORTADOS CASOS DE NEUROTOXICIDADE PERIFERICA DURANTE OS ESTUDOS CLINICOS. CARDIOVASCULAR: RARAMENTE OCORRERAM REACOES ADVERSAS CARDIOVASCULARES. OUTROS EVENTOS CLINICOS: ALOPECIA57, ASTENIA58, MUCOSITE59, ATRALGIAS E MIALGIAS60, HIPOTENSAO12 E REACAO NO LOCAL DA INJECAO1.

Posologia e Administração de Taxotere

A POSOLOGIA RECOMENDADA DE TAXOTERE (DOCETAXEL) E DE 100 MG/M2, ADMINISTRADOS EM INFUSAO DE 1 HORA A CADA 3 SEMANAS. PACIENTES DEVEM SER RIGOROSAMENTE MONITORADOS PARA A OCORRENCIA DE REACOES ADVERSAS DURANTE A PRIMEIRA E A SEGUNDA INFUSOES DE TAXOTERE (DOCETAXEL) DEVIDO AO RISCO DE REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE. A PRE-MEDICACAO CONSISTINDO DE CORTICOSTEROIDE ORAL COMO 16 MG DE DEXAMETASONA POR DIA DURANTE 5 DIAS, INICIANDO-SE 1 DIA ANTES DA ADMINISTRACAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL), A MENOS QUE CONTRA-INDICADO, PODE REDUZIR A INCIDENCIA11 E A SEVERIDADE DA RETENCAO HIDRICA ASSIM COMO A SEVERIDADE DAS REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE. AJUSTE POSOLOGICO DURANTE O TRATAMENTO: SOMENTE UM MEDICO PODERA MODIFICAR O ESQUEMA DE ADMINISTRACAO. TAXOTERE (DOCETAXEL) NAO DEVE SER ADMINISTRADO ATE QUE A CONTAGEM DE NEUTROFILOS17 SEJA DE PELO MENOS 1500 CELULAS5/MM3. PACIENTES COM NEUTROPENIA7 FEBRIL, CONTAGEM DE NEUTROFILOS17 MENOR QUE 500 CELULAS5/MM3 POR MAIS QUE UMA SEMANA, REACOES CUTANEAS22 SEVERAS OU CUMULATIVAS OU SEVERAS NEUROPATIAS PERIFERICAS DURANTE A TERAPIA COM O TAXOTERE (DOCETAXEL), DEVERAO TER A POSOLOGIA DO TAXOTERE (DOCETAXEL) REDUZIDA DE 100 MG/M2 PARA 75 MG/M2. SE ESTES PACIENTES CONTINUAREM A APRESENTAR ESTAS REACOES, A POSOLOGIA DEVERA SER REDUZIDA DE 75 MG/M2 PARA 55 MG/M2 OU A DESCONTINUACAO DO TRATAMENTO. PACIENTES COM INSUFICIENCIA HEPATICA10: BASEADO NOS DADOS FARMACOCINETICOS, EM PACIENTES COM ELEVACAO DE TRANSAMINASES (TGP E/OU TGO) MAIOR QUE 1,5 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL E ELEVACAO DA FOSFATASE ALCALINA27 MAIOR QUE 2,5 VEZES O LIMITE SUPERIOR AO NORMAL, A DOSE RECOMENDADA E DE 75 MG/M2. PARA PACIENTES28 COM BILIRRUBINA29 SERICA ELEVADA E/OU VALORES DE TGP/TGP MAIOR QUE 3,5 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL E VALORES DE FOSFATASE ALCALINA27 MAIOR QUE 6 VEZES O LIMITE SUPERIOR DO NORMAL, O TAXOTERE (DOCETAXEL) NAO DEVE SER ADMINISTRADO, A MENOS QUE ESTRITAMENTE NECESSARIO. CRIANCAS: A EFICACIA E SEGURANCA DE TAXOTERE (DOCETAXEL) EM CRIANCAS AINDA NAO FOI ESTABELECIDA. IDOSOS: BASEADOS EM ESTUDOS FARMACOCINETICOS NAO HA A NECESSIDADE DE CUIDADOS ESPECIAIS NA ADMINISTRACAO DE TAXOTERE (DOCETAXEL) NO IDOSO. - SUPERDOSAGEM: EM CASOS DE SUPERDOSAGEM, O PACIENTE DEVE SER MANTIDO EM UNIDADES ESPECIALIZADAS, COM AS FUNCOES VITAIS CUIDADOSAMENTE MONITORADAS. NAO EXISTE ANTIDOTOS CONHECIDOS QUE POSSAM SER UTILIZADOS EM CASOS DE SUPERDOSAGEM. AS COMPLICACOES PRIMARIAS DA SUPERDOSAGEM CONSISTEM EM DEPRESSAO DA MEDULA OSSEA35, NEUROTOXICIDADE PERIFERICA E MUCOSITE59.

Apresentação de Taxotere

TAXOTERE 20 MG: EMBALAGEM COM 1 FRASCO-AMPOLA DE 0,5 ML A 20 MG DE DOCETAXEL ANIDRO ACOMPANHADO DE 1 AMPOLA DE DILUENTE DE 1,5 ML; TAXOTERE 80 MG: EMBALAGEM COM 1 FRASCO-AMPOLA DE 2,0 ML A 80 MG DE DOCETAXEL ANIDRO ACOMPANHADO DE 1 AMPOLA DE DILUENTE DE 6,0 ML.

TAXOTERE - Laboratório

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda
Rua Conde Domingos Papais, 413
Suzano/SP - CEP: 08613-010
Site: http://www.sanofi-aventis.com.br
C.N.P.J. 02.685.377/0008-23 - Indústria Brasileira

Ou

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda
Av Brasil, 22.155- Rio de Janeiro - RJ
CNPJ 02.685.377/0019-86 - Indústria Brasileira
Atendimento ao Consumidor 0800-703-0014
www.sanofi-aventis.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
4 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
5 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
6 Pulmão: Órgão do sistema respiratório situado na cavidade torácica e responsável pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
7 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
10 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
11 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
12 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
13 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
14 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
15 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
16 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
17 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
18 Broncoespasmos: Contrações dos músculos lisos bronquiais, capazes de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. São contrações vistas com frequência na asma.
19 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
21 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
22 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
23 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
24 Efusão: 1. Saída de algum líquido ou gás; derramamento, espalhamento. 2. No sentido figurado, manifestação expansiva de sentimentos amistosos, de afeto, de alegria. 3. Escoamento de um gás através de uma pequena abertura, causado pela agitação térmica das moléculas do gás. 4. Derramamento de lava relativamente fluida sobre a superfície terrestre.
25 Ascite: Acúmulo anormal de líquido na cavidade peritoneal. Pode estar associada a diferentes doenças como cirrose, insuficiência cardíaca, câncer de ovário, esquistossomose, etc.
26 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
27 Fosfatase alcalina: É uma hidrolase, ou seja, uma enzima que possui capacidade de retirar grupos de fosfato de uma distinta gama de moléculas, tais como nucleotídeos, proteínas e alcaloides. Ela é sintetizada por diferentes órgãos e tecidos, como, por exemplo, os ossos, fígado e placenta.
28 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
29 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
30 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
31 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
32 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
33 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
34 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
35 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
36 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
37 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
38 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
39 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
40 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
41 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
42 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
43 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
44 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
45 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
46 Tórax:
47 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
48 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
49 Ungueais: Relativo ou pertencente à unha, garra ou casco, ou que a eles se assemelha.
50 Onicólise: Destruição da unha devido a infecções micóticas, bacterianas ou por processos tóxicos.
51 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
52 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
53 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
54 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
55 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
56 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
57 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
58 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
59 Mucosite: Inflamação de uma membrana mucosa, produzida por uma infecção ou lesão secundária à radioterapia, quimioterapia, carências nutricionais, etc.
60 Mialgias: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.

Tem alguma dúvida sobre TAXOTERE?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.