ESCABIN

DM (HYPM)

Atualizado em 08/12/2014

ESCABIN
SABONETE / LOÇAO / SHAMPOO
deltametrina

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Escabin

Loção. Cartucho contendo frasco com 100 mLShampoo. Cartucho contendo frasco com 100 mL
Sabonete. Cartucho contendo 1 sabonete com 70 g
USO ADULTO E PEDIÁTRICO
USO EXTERNO

Composição de Escabin

Loção: cada mL contém:
deltametrina (DCB 2748) .................... 0,2 mg
veículo* q.s.p. .................... 1,0 ml
* cera emulsificante, estearato de octila, ácido cítrico anidro, metilparabeno, propilparabeno, glicerina, simeticona, hidroxietilcelulose, DMDM hidantoína e água de osmose1 reversa.
Shampoo: cada mL contém:
deltametrina (DCB 2748) .................... 0,2 mg
veículo* q.s.p. .................... 1,0 ml
* dietanolamida ácido graxo de coco, ácido cítrico, lauril éter sulfato de sódio, lanolina etoxilada, cloreto de sódio, DMDM hidantoína e água de osmose1 reversa.
Sabonete: cada g contém:
deltametrina (DCB 2748) .................... 0,3 mg
excipiente* q.s.p. .................... 1,0 g
* butilhidroxitolueno, lanette SY, essência de feno e massa base.

Informações ao Paciente de Escabin

Ação esperada do medicamento: a deltametrina atua como pediculicida e escabicida. Os sinais2 de melhora nos sintomas3 podem ocorrer em um prazo variável de dias, após o início do tratamento. Seu médico é a pessoa adequada para dar-lhe mais informações sobre o tratamento; siga sempre suas orientações. Não devem ser utilizadas doses superiores às recomendadas.Cuidados de armazenamento: Loção/Shampoo - evitar calor excessivo (temperatura superior a 40ºC) e proteger da luz e da umidade. Sabonete - evitar calor excessivo (temperatura superior a 40ºC) e proteger da luz.
Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.
Ao comprar qualquer medicamento, verifique o prazo de validade.
Atenção: não use medicamento com prazo de validade vencido. Além de não obter o efeito desejado, você poderá prejudicar sua saúde4. Antes de usar observe o aspecto do Medicamento.
" SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR, NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS3 PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA" .
Gravidez5 e lactação6: informe seu médico a ocorrência de gravidez5 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe seu médico se está amamentando. Desconhecem-se efeitos adversos pelo uso do produto na gravidez5 ou lactação6. Contudo, deve-se considerar o risco-benefício antes da indicação.
Cuidados de administração: siga sempre a orientação do seu médico, respeitando os horários, as doses e duração do tratamento. A administração conjunta do produto com outros medicamentos só deverá ser realizada após consulta do médico assistente. O uso em crianças e gestantes deve obedecer a cuidados e observações rigorosos. Escabin Loção deverá ser usado somente no corpo, para os cabelos e couro cabeludo usar Escabin Shampoo.
Não usar o produto para sobrancelhas7 ou cílios8. No caso de contato com os olhos9, lavá-los por 15 minutos com água corrente e procurar orientação médica. O produto deverá ser aplicado em local ventilado. Evitar contaminação de alimentos pelo produto. Não reutilizar o recipiente vazio.
Como normas de higiene é recomendado:
1. Ferver as roupas de cama e de uso pessoal, mantendo-as limpas.
2. Manter as unhas10 curtas e limpas. No caso de pediculose (piolhos) e ftríase (chatos), manter os cabelos curtos e limpos.
3. Evitar exagero de coçar, e colocar luvas de proteção nas crianças.
4. Procurar descobrir possíveis portadores e possíveis contatos com eles ou seus objetos de uso.
5. Alertar os responsáveis por instituições coletivas freqüentadas pelo portador do parasita11.
Interrupção do tratamento: não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. A interrupção repentina deste medicamento não causa efeitos desagradáveis, nem riscos, apenas cessará o efeito terapêutico.
REAÇÕES ADVERSAS: EM ALGUNS CASOS, O PRODUTO PODE PRODUZIR, TRANSITÓRIAS NA MAIORIA DAS VEZES, ALGUMAS REAÇÕES DESAGRADÁVEIS. INFORME SEU MÉDICO O APARECIMENTO DE REAÇÕES DESAGRADÁVEIS.
" TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS" .
CONTRA-INDICAÇÕES:
O PRODUTO É CONTRA INDICADO PARA PACIENTES12 QUE APRESENTAREM ANTECEDENTES DE HIPERSENSIBILIDADE A QUALQUER UM DOS COMPONENTES DA FÓRMULA. INFORME A SEU MÉDICO SOBRE QUALQUER MEDICAMENTO QUE ESTEJA USANDO, ANTES DO INÍCIO, OU DURANTE O TRATAMENTO.
Precauções: ESTE MEDICAMENTO PODE SER UTILIZADO DURANTE A GRAVIDEZ5 DESDE QUE SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
" INFORME AO SEU MÉDICO OU CIRURGIÃO-DENTISTA O APARECIMETNO DE REAÇÕES INDESEJÁVEIS" .
" INFORME AO SEU MÉDICO OU CIRURGIÃO-DENTISTA SE VOCÊ ESTA FAZENDO USO DE ALGUM OUTRO MEDICAMENTO" .
" NÃO USE MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE4" .

Informações Técnicas de Escabin

Características químicas e farmacológicas: a deltametrina é a substância mais ativa da classe dos piretróides, substância sintética obtida por esterificação13 do ácido crisantêmico. A deltametrina apresenta elevado coeficiente de segurança e baixa toxicidade14 para mamíferos. Possui considerável efeito residual e alto poder letal contra piolhos e ácaros. A deltametrina apresenta notáveis propriedades pediculicidas e escabicidas, sendo o Pediculis humanus capitis, Pediculus humanus humanus, Phthirus púbis15 e seus ovos extraordinariamente sensíveis à sua ação. A sua ação é seletiva e se dá após absorção da substância através do exoesqueleto de quitina dos ectoparasitas. Uma vez no interior do organismo do inseto, a deltametrina transportada pela hemolinfa, fixa-se nos gânglios16 nervosos periféricos e nas estruturas motoras do sistema nervoso central17, produzindo excitabilidade, incoordenação motora, paralisia18, letargia19 e morte do parasita11.

Indicações de Escabin

O produto está indicado no tratamento e profilaxia da pediculose (piolhos), da ftiríase (chatos), da escabiose20 (sarna21) e das infestações por carrapatos em geral.

Contra-Indicações de Escabin

HIPERSENSIBILIDADE À DELTAMETRINA, ALERGIA22 RESPIRATÓRIA E LESÕES23 DE PELE24: FERIDAS E QUEIMADURAS OU CONDIÇÕES QUE POSSIBILITEM MAIOR ABSORÇÃO.

Precauções e Advertências de Escabin

O MEDICAMENTO ESTÁ INDICADO SOMENTE PARA USO TÓPICO25. NÃO DEVE SER INGERIDO OU INALADO. DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DOS OLHOS9 E MUCOSAS26. NO CASO DE CONTATO ACIDENTAL COM OS OLHOS9, LAVÁ-LOS IMEDIATAMENTE COM ÁGUA CORRENTE POR ALGUNS MINUTOS.NO CASO DE INFECÇÃO27 OU IRRITAÇÃO DA PELE24, INTERROMPER O TRATAMENTO.

Interações Medicamentosas de Escabin

AINDA NÃO FORAM TOTALMENTE RELACIONADAS AS INTERAÇÕES DO PRODUTO COM OUTRAS DROGAS E/OU MEDICAMENTOS.

Reações Adversas e Efeitos Colaterais28 de Escabin

PODEM OCORRER IRRITAÇÃO CUTÂNEA29, OCULAR E REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE, SOBRETUDO DO TIPO ALERGIA22 RESPIRATÓRIA. NO CASO DE USO EM PELE24 LESADA POR FERIDAS OU QUEIMADURAS, PODEM OCORRER MAIOR ABSORÇÃO DA DELTAMETRINA COM EFEITOS GASTRINTESTINAIS E NEUROLÓGICOS AGUDOS.

Posologia e Modo de Usar de Escabin

Loção: friccionar em toda região afetada do corpo, caso necessário, deixando permanecer até o próximo banho. Usar durante 4 dias consecutivos.
Shampoo: deve ser aplicado nos cabelos e couro cabeludo, de preferência durante o banho, fazendo ligeiras fricções com a ponta dos dedos. Deixar nas áreas atingidas durante 5 minutos. Enxaguar bem. Usar durante 4 dias consecutivos.
Sabonete: ensaboar energicamente toda região afetada do corpo, caso necessário, deixando a espuma permanecer durante 5 minutos. Enxaguar bem. Usar durante 4 dias consecutivos.
O produto deve ser reaplicado após 7 dias, seguindo a posologia e modo de usar, para evitar uma possível re-infestação30 por permanência de ovos.

Superdosagem de Escabin

No caso de ingestão acidental, o tratamento é principalmente de suporte.
Deve-se induzir o vômito31 nos indivíduos conscientes ou realizar lavagem gástrica32, nos inconscientes.
Pode-se administrar sais catárticos para maior trânsito intestinal e menor absorção intestinal da piretrina.
No caso de inalação acidental, pode-se necessitar de respiração artificial33.
Pacientes idosos: não foram relatadas restrições quanto ao uso do produto em pacientes maiores de 65 anos de idade.
" SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR; NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS3, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA" .
Venda sem prescrição médica.
Número do lote, data de fabricação e prazo de validade: vide cartucho/rótulo.
Atendimento ao Consumidor: 080077 17017 (Ligação Gratuita)
Reg. MS 1.2283.0093
Farm. Resp.: Dr. Carlos Takashi Maki - CRF - SP nº 5606

DM Indústria Farmacêutica Ltda.
Av. Fernando Cerqueira César Coimbra, 1000 - Barueri - SP
CNPJ nº 67.866.665/0002-34
Indústria Brasileira - Marca Registrada
Sabonete produzido por: Indústria e Comércio Zambon Bernardi Ltda.
Rua Toledo Barbosa, 666/690 - São Paulo - S.P.
Fab.: / Val.: / Lote:

ESCABIN - Laboratório

DM (HYPM)
Av. Fernando C. César Coimbra, 1000 - Alphaville
Barueri/SP - CEP: 06465-090
Tel: (11 7)295-2122
Fax: (11 )421-4855

Ver outros medicamentos do laboratório "DM (HYPM)"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Osmose: Fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
2 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
7 Sobrancelhas: Linhas curvas de cabelos localizadas nas bordas superiores das cavidades orbitárias.
8 Cílios: Populações de processos móveis e delgados que são encontrados revestindo a superfície dos ciliados (CILIÓFOROS) ou a superfície livre das células e que constroem o EPITÉLIO ciliado. Cada cílio nasce de um grânulo básico na camada superficial do CITOPLASMA. O movimento dos cílios propele os ciliados através do líquido no qual vivem. O movimento dos cílios em um epitélio ciliado serve para propelir uma camada superficial de muco ou fluido.
9 Olhos:
10 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
11 Parasita: Organismo uni ou multicelular que vive às custas de outro, denominado hospedeiro. A presença de parasitos em um hospedeiro pode produzir diferentes doenças dependendo do tipo de afecção produzida, do estado geral de saúde do hospedeiro, de mecanismos imunológicos envolvidos, etc. São exemplos de parasitas: a sarna, os piolhos, os áscaris (lombrigas), as tênias (solitárias), etc.
12 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
13 Esterificação: Reação química reversível na qual um ácido carboxílico reage com um álcool produzindo éster e água. Essa reação, em temperatura ambiente, é lenta, no entanto os reagentes podem ser aquecidos na presença de um ácido mineral para acelerar o processo.
14 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
15 Púbis:
16 Gânglios: 1. Na anatomia geral, são corpos arredondados de tamanho e estrutura variáveis; nodos, nódulos. 2. Em patologia, são pequenos tumores císticos localizados em uma bainha tendinosa ou em uma cápsula articular, especialmente nas mãos, punhos e pés.
17 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
18 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
19 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
20 Escabiose: Doença contagiosa da pele causada nos homens pelo Sarcoptes scabiei e nos animais por diversos ácaros. Caracteriza-se por intenso prurido e eczema. Popularmente conhecida como sarna ou pereba.
21 Sarna: Doença produzida por um parasita chamado Sarcoptes scabiei. Infesta a superfície da pele produzindo coceira e vesículas branco peroladas juntamente com lesões por coçadura. Localiza-se mais freqüentemente nas pregas interdigitais, inguinais e submamárias. É contagiosa, passando de pessoa para pessoa por contato íntimo, e por isto muito freqüente em aglomerações humanas (asilos, creches, abrigos). Nestes casos toda a população deve ser tratada ao mesmo tempo.
22 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
23 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
24 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
25 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
26 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
27 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
28 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
29 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
30 Infestação: Infecção produzida por parasitas. Exemplos de infestações são sarna (escabiose), pediculose (piolhos), infecção por parasitas intestinais, etc.
31 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
32 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
33 Respiração artificial: Tipo de apoio à função respiratória que utiliza um instrumento eletromecânico (respirador artificial), capaz de insuflar de forma cíclica volumes pré-determinados de ar com alta concentração de oxigênio através dos brônquios.

Tem alguma dúvida sobre ESCABIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.