DIGOXINA DARROW 0,25 MG

GlaxoSmithKline

Atualizado em 08/12/2014

Ação Terapêutica1 da Digoxina Darrow

Aumenta a força contrátil do miocárdio2 (efeito inotrópico positivo).

Substâncias da Digoxina Darrow


Digoxina, excipientes q.s.p.

Contra-Indicações da Digoxina Darrow

Não deve ser administrada em pacientes com manifestações da intoxicação digitálica, fibrilação ventricular, bradicardia3 severa e taquicardia4.  Hipersensibilidade à Digoxina.

Indicações da Digoxina Darrow


Indicado no tratamento da Insuficiência Cardíaca Congestiva5 (ICC), em todos os seus graus, particularmente, nos casos de Insuficiência6 Ventricular Esqueda Primária.  Quando houver ICC secundária a outras patologias (ex:  hipertireoidismo7, cor pulmonale, beriberi, etc), o tratamento da doença básica deverá ser instituído, concomitantemente, ao uso da Digoxina.

Apresentação da Digoxina Darrow

Cartucho com 20 comprimidos ou 100 comprimidos.

Composição da Digoxina Darrow


Cada comprimido contém:  Digoxina  0,25 mg, excipientes q.s.p. 1 comp.

Posologia e Administração da Digoxina Darrow

Adultos e crianças acima de 10 anos.  Digitalização - Rápida:  0,75 mg a 1,25 mg inicialmente seguido de 0,25 mg a cada 6 e 8 horas, até que se atinja o efeito desejado.  Lenta:  0,125 mg a 0,5 mg uma vez ao dia por, aproximadamente, 7 dias.  Manutenção:  0,125 mg a 0,5 mg uma vez ao dia.

Precauções da Digoxina Darrow

Nas seguintes situações, a terapêutica1 digitálica somente deverá ser instituída sob rígido controle médico e avaliação precisa da relação risco-benefício.   Bloqueio átrio-ventricular (BAV) incompleto e outras alterações de condução; estenose8 sub-aórtica hipertrófica idiopática9; doenças cardíacas isquêmicas; hiperpotassemia; hipopotassemia10, hipomagnesemia, miocardite11 e pericardite12; doença pulmonar severa.  Em pacientes portadores de alterações da função renal13, deve-se ajustar as doses de Digoxina Darrow, a fim de se evitar a intoxicação digitálica.  É recomendado cautela em pacientes idosos ou debilitaos e naqueles que estejam em uso de marca-passo14 cardíaco, estando indicado uma cuidadosa avaliação do ajuste das doses de Digoxina Darrow.  Não é aconselhável a administração concomitante de cálcio à terapia glicosídica.
Uso na gravidez15:  É sabido que os digitálicos atravessam a barreira placentária, por conseguinte, é aconselhável uma rigorosa avaliação de sua real necessidade durante a gravidez15.
Lactação16:  A Digoxina é excretada no leite materno em quantidades, extremamente, inferiores às doses terapêuticas administradas ao recém-nato.  Por conseguinte, não deverá ocorrer qualquer efeito farmacológico de relevância no recém-nato.  De qualquer modo, deve-se observar cautela quando agentes digitálicos forem administrados às mulheres em período de lactação16.

Reações Adversas da Digoxina Darrow

As reações adversas mais frequentes dos digitálicos, em sua maioria representam a chamada "intoxicação digitálica", ou sejam:  anorexia17, náuseas18 e vômitos19, dor abdominal, diarréia20, astenia21, bradicardia3, turvação visual ou outras alterações visuais, confusão mental e cefaléia22.  Arritmias23 cardíacas devem ser, prontamente, diagnosticadas durante a terapia digitálica, pois geralmente representam os primeiros sinais24 de intoxicação digitálica.  As arritmias23 comuns, nestes casos, são:  extrassístoles ventriculares, taquicardia4 atrial paroxística com bloqueio AV, dissociação átrio-ventricular e aumento do bloqueio AV.  Entretanto, qualquer arritmia25 iniciada após a terapia digitálica, poderá ser uma manifestação de intoxicação.  Outras reações adversas incomuns e não relacionadas à intoxicação digitálica incluem rash26 cutâneo27 e ginecomastia28.

DIGOXINA DARROW 0,25 MG - Laboratório

GlaxoSmithKline
Estrada dos Bandeirantes, 8464
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 22783-110

Ver outros medicamentos do laboratório "GlaxoSmithKline"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
2 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
3 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
4 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
5 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
6 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
7 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
8 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
9 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
10 Hipopotassemia: Concentração sérica de potássio inferior a 3,5 mEq/l. Pode ocorrer por alterações na distribuição de potássio (desvio do compartimento extracelular para intracelular) ou de reduções efetivas no conteúdo corporal de potássio por uma menor ingesta ou por perda aumentada. Fraqueza muscular e arritimias cardíacas são os sinais e sintomas mais comuns, podendo haver também poliúria, polidipsia e constipação. Pode ainda ser assintomática.
11 Miocardite: 1. Inflamação das paredes musculares do coração. 2. Infecção do miocárdio causada por bactéria, vírus ou outros microrganismos.
12 Pericardite: Inflamação da membrana que recobre externamente o coração e os vasos sanguíneos que saem dele. Os sintomas dependem da velocidade e grau de lesão que produz. Variam desde dor torácica, febre, até o tamponamento cardíaco, que é uma emergência médica potencialmente fatal.
13 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
14 Marca-passo: Dispositivo implantado no peito ou no abdômen com o por objetivo de regular os batimentos cardíacos.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
17 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
18 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
19 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
20 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
21 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
22 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
23 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
24 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
25 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
26 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
27 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
28 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre DIGOXINA DARROW 0,25 MG?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.