Methergin (Drágeas)

NOVARTIS BIOCIENCIAS S.A

Atualizado em 12/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Methergin®
maleato de metilergometrina
Drágeas1

APRESENTAÇÕES

Drágeas1.
Embalagem com 12 drágeas1 de 0,125 mg

VIA ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada drágea2 de Mathergin contém:

maleato de metilergometrina 0,125 mg
excipiente q.s.p. 1 drágea2

Excipientes: ácido maleico, gelatina, lactose3, ácido esteárico, amido, goma arábica, sacarose, óxido férrico vermelho, dióxido de silício, talco e palmitato de cetila.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Methergin® é utilizado na obstetrícia:

  • Para tratar a involução incompleta do útero4 (útero4 dilatado devido ao muco, sangue5 e restos de tecido6 que não podem ser eliminados), loquiometria e sangramento pós-parto.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Methergin® tem como substância ativa a metilergometrina, utilizada como um potente estimulante uterino. A metilergometrina é um derivado semissintético natural, alcaloide7 do ergot, ergometrina.

Este medicamento age causando contração do músculo do útero4.

O tempo estimado para início da ação terapêutica8 é de 5 a 10 minutos, quando este medicamento é administrado oralmente e a ação farmacológica dura de 4 a 6 horas.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não tome Methergin®

  • Se você tiver alergia9 (hipersensibilidade) conhecida a metilergometrina, a alcaloides do ergot ou a qualquer outro componente da formulação;
  • Se você acha que pode ser alérgico, peça auxílio ao seu médio.
  • Se você está grávida;
  • Se você está no primeiro ou segundo estágio do trabalho de parto (antes do aparecimento do ombro anterior);
  • Se você tiver hipertensão10 grave;
  • Se você tiver uma condição conhecida como pré-eclampsia11 ou eclampsia11 (caracterizada por pressão alta, edema12, presença de proteína na urina13 e convulsões);
  • Se você tiver doença vascular14 oclusiva (inclusive cardiopatia coronária);
  • Se você estiver com uma infecção15 (por exemplo, febre16 puerperal).

Se alguma das condições acima se aplicar a você, fale com seu médico antes de tomar Methergin®.

Este medicamento não deve ser utilizado para indução ou potencialização do trabalho de parto.

Este medicamento é contraindicado para uso por gestantes.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Tome cuidado especial com Methergin®

  • Se você tiver aumento da pressão sanguínea leve a moderado;
  • Se você tiver doença cardíaca (particularmente aquelas que afetam as artérias17 conectadas ao coração18), ou se você apresenta risco de doenças no coração18 (por exemplo: se você é fumante, obeso, diabético, apresenta altos níveis de colesterol19);
  • Se você tiver distúrbio da função renal20 ou do fígado21.

Se alguma das condições acima se aplicar a você, informe seu médico antes de tomar Methergin®.

Idosos

Não é indicado o uso de Methergin® em pacientes idosos.

Crianças

Não é indicado o uso de Methergin® em crianças. Administração acidental em recém-nascidos foi reportada com consequências graves em alguns casos.

Gravidez22

Methergin® não deve ser administrado a mulheres grávidas.

Seu médico discutirá com você os potenciais riscos de tomar Methergin® durante a gravidez22. Informe seu médico sobre a ocorrência de gravidez22 na vigência do tratamento ou após o seu término.

Lactação23

Methergin® passa para o leite materno e não é recomendado durante a amamentação24.

Seu médico discutirá com você os potenciais riscos de tomar Methergin® durante a amamentação24. A recomendação é não amamentar e descartar o leite secretado durante o período no qual Methergin® é usado e pelo menos 12 horas após a última administração. Seu médico discutirá com você os potenciais riscos de tomar Methergin® durante a amamentação24.

Informe seu médico se está amamentando.

Dirigir e operar máquinas

Methergin® pode causar vertigem25 e convulsões, desta forma deve-se ter cuidado ao dirigir veículos e/ou operar máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de Methergin®

Methergin® drágeas1 contém lactose3. Se você foi informado pelo seu médico que você tem intolerância a alguns açúcares (por ex.: lactose3), fale com seu médico antes de tomar Methergin® drágeas1.

Atenção diabéticos: contém açúcar26.

Tomando outros medicamentos

  • Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.
    Lembre-se também daqueles não prescritos por um médico. É particularmente importante que seu médico saiba se você estiver tomando qualquer um dos seguintes medicamentos:
  • Se você estiver tratado uma infecção15 com medicamentos chamados antibióticos macrolídeos, por exemplo: eritromicina, claritromicina, troleandomicina.
  • Se você estiver em tratamento para HIV27/AIDS, utilizando medicamentos como ritonavir, nelfinavir, indinavir ou delavirdina.
  • Se você estiver tratando uma infecção15 fúngica28 com medicamentos como o cetoconazol, itraconazol ou voriconazol.
  • Se você estiver em tratamento com medicamentos que contraem os vasos sanguíneos29, incluindo aqueles utilizados para tratar enxaqueca30, como o sumatriptano, que contenham alcaloide7 do ergot como a ergotamina ou betabloqueadores. Methergin® pode aumentar o efeito destes medicamentos.
  • Se você estiver em tratamento com bromocriptina (um medicamento usado para inibir a lactação23). Seu uso concomitante com Methergin® não é recomendado.
  • Se você estiver em tratamento com medicamentos chamados prostaglandinas31, que são também utilizados para contrair músculo uterino32. Methergin® pode aumentar o efeito destes medicamentos.
  • Se você estiver em tratamento com trinitrato de glicerina ou quaisquer outros medicamentos usados para tratar angina33 pectoris. Methergin® pode reduzir o efeito destes medicamentos.
  • Se você está sendo tratado com medicamentos que são indutores do CYP3A, tais como nevirapina ou rifampicina. Eles podem diminuir o efeito de Methergin®.

Alguns anestésicos podem diminuir a potencia de Methergin®.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use este medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde34.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

As drágeas1 devem se mantidas à temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C).
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas

Drágea2 circular marrom.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga as cuidadosamente as instruções do seu médico. Não exceda a dose recomendada.

Tome seu medicamento exatamente como seu médico orientar. Não altere a dose ou pare o tratamento sem a orientação do seu médico.

Quanto tomar

Tratamento de involução incompleta, loquiometria e sangramento após o parto: 0,125 a 0,25 mg por via oral (1 ou 2 drágeas1) ou 0,5 a 1 mL (0,1 a 0,2 mg) injetado sob a pele35 ou intramuscular até 3 vezes ao dia e, geralmente, por até 5 dias.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer uma dose, não tome a dose esquecida e não dobre a dose seguinte. Ao invés disso, volte ao seu esquema posológico regular.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Assim como todos os medicamentos, pacientes tratados com Methergin® podem experimentar reações adversas, mas nem todos as apresentam.

Reações adversas podem ocorrer com certa frequência, a qual é definida a seguir:

Muito comum

Afeta mais de 1 em 10 pacientes

Comum

Afeta entre 1 e 10 em cada 100 pacientes

Incomum

Afeta entre 1 e 10 em cada 1.000 pacientes

Rara

Afeta entre 1 e 10 em cada 10.000 pacientes

Muito rara

Afeta menos que 1 em cada 10.000 pacientes

Desconhecida

Frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

Algumas reações adversas podem ser sérias

Frequência incomum

  • Convulsões (crises);
  • Dor no peito36.

Frequência rara

  • Entorpecimento, formigamento dos dedos das mãos37 ou dos pés, palidez ou frio nas mãos37 ou pés (sinais38 de espasmo39 arterial, vasoespasmo ou vasoconstrição40).

Frequência muito rara

  • Falta de ar inexplicada, dor no peito36 esmagadora ou percepção afetada (sinais38 de infarto do miocárdio41);
  • Sinais38 de alergia9, como por exemplo rápida queda da pressão sanguínea, vermelhidão e/ou inchaço42 generalizados;
  • Alucinações43;
  • Inchaço42 local, vermelhidão, dor devido à obstrução de uma veia (sintomas44 de tromboflebite45).

Frequência desconhecida

  • Fraqueza ou paralisia46 dos membros ou face47, dificuldade de falar (sinais38 de acidente vascular cerebral48);
  • Angina33 pectoris com sintomas44 como dor no peito36 esmagadora;
  • Batimento cardíaco irregular grave (sinal49 de bloqueio atrioventricular).

Se você tiver algum destes sintomas44, informe seu médico imediatamente.

Algumas reações adversas são comuns:

  • Dor de cabeça50;
  • Aumento da pressão sanguínea;
  • Reações da pele35;
  • Dor abdominal.

Algumas reações adversas são incomuns:

  • Vertigem25;
  • Queda da pressão sanguínea;
  • Náusea51;
  • Vômito52;
  • Aumento da sudorese53.

Algumas reações adversas são raras:

  • Batimento cardíaco lento;
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Palpitações54.

Algumas reações adversas são muito raras:

  • Zumbidos;
  • Congestão nasal;
  • Diarreia55;
  • Cãibra muscular.

Se algum destes efeitos te afetarem gravemente, informe seu médico.

Se você notar algum efeito adverso não mencionado nesta bula, por favor, informe seu médico ou farmacêutico.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Sintomas44: Os sintomas44 de superdose são: náuseas56, vômitos57, aumento da pressão arterial58, diminuição da pressão arterial58, dormência59, formigamento e dor nas extremidades, depressão respiratória, convulsões, perda de consciência. Se você acidentalmente tomar muito Methergin®, fale com seu médico imediatamente. Você pode requerer atenção médica.

Tratamento: O tratamento da superdosagem deve ser feito pelo médico.
A eliminação do medicamento utilizado por via oral pode ser acelerada pela administração de altas doses de carvão ativado.Tratamento sintomático60, sob estrita monitorização dos sistemas cardiovascular e respiratório. Se for necessário sedar o paciente, benzodiazepínicos podem ser utilizados.
No caso de espasmos61 arteriais graves devem-se administrar vasodilatadores, como nitroprussiato de sódio, fentolamina ou di-hidralazina. No caso de constrição62 coronariana, deve-se tratar com antianginosos apropriados, por exemplo, nitratos.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS - 1.0068.0076
Farm. Resp.: Flavia Regina Pegorer – CRF-SP 18.150

Registrado por:
Novartis Biociências S.A.
Av. Prof. Vicente Rao, 90
São Paulo – SP
CNPJ 56.994.502/0001-30
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Anovis Industrial Farmacêutica Ltda., Taboão da Serra, SP

® Marca registrada de Novartis AG, Basileia, Suíça


???????SAC 0800 888 3003

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Drágeas: Comprimidos ou pílulas contendo preparado farmacêutico.
2 Drágea: Comprimido ou pílula contendo preparado farmacêutico.
3 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
4 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
7 Alcaloide: Classe de substâncias orgânicas nitrogenadas com características básicas.
8 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
9 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
10 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
11 Eclâmpsia: Ocorre quando a mulher com pré-eclâmpsia grave apresenta covulsão ou entra em coma. As convulsões ocorrem porque a pressão sobe muito e, em decorrência disso, diminui o fluxo de sangue que vai para o cérebro.
12 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
13 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
14 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
15 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
17 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
18 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
19 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
20 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
21 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
22 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
23 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
24 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
25 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
26 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
27 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
28 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
29 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
30 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
31 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
32 Músculo Uterino: A capa de músculos lisos do útero, que forma a massa principal do órgão.
33 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
34 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
35 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
36 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
37 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
38 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
39 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
40 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
41 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
42 Inchaço: Inchação, edema.
43 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
44 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
45 Tromboflebite: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
46 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
47 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
48 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
49 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
50 Cabeça:
51 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
52 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
53 Sudorese: Suor excessivo
54 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
55 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
56 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
57 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
58 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
59 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
60 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
61 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
62 Constrição: 1. Ação ou efeito de constringir, mesmo que constrangimento (ato ou efeito de reduzir). 2. Pressão circular que faz diminuir o diâmetro de um objeto; estreitamento. 3. Em medicina, é o estreitamento patológico de qualquer canal ou esfíncter; estenose.

Tem alguma dúvida sobre Methergin (Drágeas)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.