MEGESTAT COMPRIMIDOS

B-MS

Atualizado em 09/12/2014

          MEGESTAT®


acetato de megestrol


40mg ou 160mg


comprimidos


Apresentação de Megestat Comprimidos

MEGESTAT 40mg comprimidos é apresentado em frascos com 50 comprimidos sulcados.  MEGESTAT 160mg comprimidos é apresentado em frascos com 30 comprimidos sulcados.

USO ADULTO


Composição de Megestat Comprimidos

Cada comprimido de MEGESTAT 40mg e 160mg contém 40mg e 160mg de acetato de megestrol, respectivamente.


Informações ao Paciente de Megestat Comprimidos

Ação esperada do medicamento: MEGESTAT 40mg e 160mg comprimidos contém na sua formulação o acetato de megestrol que atua no tratamento de tumores de mama1 e endométrio2.

Cuidados de Armazenamento: conservar o frasco bem fechado em temperatura ambiente (25oC),  protegido de temperaturas superiores a 40oC.

Prazo de validade: ao adquirir este medicamento, confira sempre o prazo de validade impresso na embalagem externa do produto. Este medicamento não deverá ser utilizado caso o prazo de validade do produto esteja vencido.

Gravidez3 e Lactação4:  informar sempre ao médico a ocorrência de gravidez3, na vigência do tratamento ou após o seu término. As pacientes em idade fértil devem utilizar métodos contraceptivos durante o uso deste medicamento.

Cuidados de Administração : siga orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não há precauções específicas com o uso de MEGESTAT, quando o produto for usado conforme recomendado.

Interrupção do tratamento: não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações Adversas: Informar ao médico caso ocorra durante o tratamento algum efeito colateral5, como aumento de peso, problemas de coagulação6, náuseas7, vômitos8 ou edema9.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Precauções: MEGESTAT pode produzir aumento de peso corporal em determinados pacientes, e deve ser usado com cautela em pacientes com história de tromboflebite10.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE11.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Descrição de Megestat Comprimidos

MEGESTAT (acetato de megestrol) é uma droga progestagênica  sintética para administração oral. O acetato de megestrol é um sólido branco, cristalino12, denominado quimicamente como 17-alfa-acetoxi-6-metilpregna-4,6-dieno-3,20-diona.Os comprimidos de MEGESTAT 40mg e 160mg, além do acetato de megestrol, contém os seguintes ingredientes inativos: goma arábica, lactose13, fosfato de cálcio, amido, corante FD&C azul no 1 alumínio laca, estearato de magnésio e dióxido de silício coloidal.

Farmacologia14 de Megestat Comprimidos

O mecanismo exato pelo qual o MEGESTAT (acetato de megestrol) produz seus efeitos antineoplásicos contra o carcinoma15 de endométrio2 é ainda desconhecido. Da mesma forma, a ação antineoplásica do MEGESTAT (acetato de megestrol) no carcinoma15 de mama1 também não está esclarecida.A excreção urinária com uma média aproximada de 66% e a excreção fecal com uma média aproximada de 20% da dose administrada, são as principais vias de eliminação da droga no ser humano. A excreção respiratória e o armazenamento de gordura16 contabilizam a fração de dose administrada não encontrada na urina17 ou nas fezes.

Indicações de Megestat Comprimidos

MEGESTAT (acetato de megestrol) está indicado no tratamento paliativo18 do carcinoma15 avançado de mama1 e de endométrio2 (isto é, doença recorrente, inoperável ou metastática). Não deve ser empregado no lugar de procedimentos já aceitos, tais como cirurgia, radioterapia19 ou quimioterapia20.

Contra-Indicações de Megestat Comprimidos

É CONTRA-INDICADO EM PACIENTES COM HISTÓRICO DE HIPERSENSIBILIDADE AO ACETATO DE MEGESTROL OU A QUALQUER COMPONENTE DA FORMULAÇÃO, ASSIM COMO PARA TESTE DIAGNÓSTICO21 DE GRAVIDEZ3.

Advertências de Megestat Comprimidos

NÃO SE RECOMENDA O USO DE PROGESTAGÊNICOS DURANTE OS PRIMEIROS QUATRO MESES DE GRAVIDEZ3.

OS AGENTES PROGESTAGÊNICOS TÊM SIDO EMPREGADOS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ3 COM O INTUITO DE PREVENIR O ABORTO HABITUAL OU A AMEAÇA DE ABORTO. NÃO HÁ EVIDÊNCIA ADEQUADA DE QUE TAL USO SEJA EFICAZ E HÁ EVIDÊNCIAS DE DANO POTENCIAL AO FETO22 QUANDO TAIS DROGAS SÃO ADMINISTRADAS DURANTE OS QUATROS PRIMEIROS MESES DE GRAVIDEZ3.

O USO DESSES AGENTES, COM  PROPRIEDADES UTERINO-RELAXANTES, EM PACIENTES COM ÓVULOS FERTILIZADOS DEFEITUOSOS , PODE CAUSAR UM ATRASO NO ABORTO ESPONTÂNEO. DIVERSOS RELATÓRIOS SUGEREM UMA RELAÇÃO ENTRE A EXPOSIÇÃO A DROGAS PROGESTAGÊNICAS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ3 E ANOMALIAS CONGÊNITAS23 EM FETOS DE AMBOS OS SEXOS. O RISCO DE HIPOSPADIAS (5 A 8 EM CADA 1000 NASCIMENTOS DE BEBES24 DO SEXO MASCULINO NA POPULAÇÃO GERAL) PODE SER APROXIMADAMENTE DOBRADO COM A EXPOSIÇÃO A ESTAS DROGAS.  NÃO HÁ DADOS SUFICIENTES PARA QUANTIFICAR O RISCO DA EXPOSIÇÃO A FETOS DO SEXO FEMININO, PORÉM ALGUMAS DESTAS DROGAS INDUZEM À LEVE VIRILIZAÇÃO DA GENITÁLIA25 EXTERNA DESTES FETOS.

MULHERES COM POTENCIAL DE ENGRAVIDAR DEVEM SER AVISADAS PARA EVITAR QUE ISTO OCORRA. SE A PACIENTE SE EXPUSER AO MEGESTAT DURANTE OS QUATROS PRIMEIROS MESES DE GRAVIDEZ3, OU SE ELA ENGRAVIDAR ENQUANTO ESTIVER FAZENDO USO DA DROGA, DEVERÁ SER INFORMADA QUANTO AOS RISCOS POTENCIAIS AO FETO22.
O USO DE MEGESTAT EM OUTROS TIPOS DE DOENÇAS NEOPLÁSICAS26, NÃO É RECOMENDADO.

Precauções de Megestat Comprimidos

MEGESTAT DEVE SER USADO COM BASTANTE CAUTELA EM PACIENTES COM HISTÓRIA DE TROMBOFLEBITE10.


Carcinôgenese, Mutagênese e Comprometimento da Fertilidade
A ADMINISTRAÇÃO DE ACETATO DE MEGESTROL POR ATÉ 7 ANOS A CADELAS ESTEVE ASSOCIADA A UM AUMENTO NA INCIDÊNCIA27 DE TUMORES BENIGNOS E MALIGNOS  DA MAMA1. EM ESTUDOS SEMELHANTES COM RATOS E MACACOS, NÃO SE DEMONSTROU RELAÇÃO COM UMA MAIOR INCIDÊNCIA27 DE  TUMORES. A CORRELAÇÃO ENTRE TUMORES E A ADMINISTRAÇÃO DE ACETATO DE MEGESTROL NO CÃO E NO HOMEM É DESCONHECIDA MAS DEVE SER CONSIDERADA AO SE AVALIAR A RAZÃO RISCO-BENEFÍCIO AO SE PRESCREVER O MEGESTAT (VIDE ADVERTÊNCIAS).


Gravidez3 e Lactação4
ESTUDOS DE FERTILIDADE E REPRODUÇÃO28 COM ALTAS DOSES DE ACETATO DE MEGESTROL MOSTRARAM UM EFEITO FEMINILIZANTE REVERSÍVEL EM ALGUNS FETOS DE RATOS DO SEXO MASCULINO.
A AMAMENTAÇÃO29 DEVE SER INTERROMPIDA DURANTE O TRATAMENTO COM MEGESTAT, DEVIDO AO POTENCIAL DE EFEITOS ADVERSOS NO RECÉM-NACIDO.
Uso Pediátrico
A SEGURANÇA E A EFICÁCIA EM PACIENTES PEDIÁTRICOS NÃO FOI ESTABELECIDA.

Reações Adversas de Megestat Comprimidos

Aumento de PesoO AUMENTO DE PESO É UM EFEITO COLATERAL5 FREQÜENTE DO MEGESTAT QUANDO USADO EM PACIENTES COM CÂNCER30 DE MAMA1 OU ENDOMÉTRIO2. ESTE AUMENTO TEM SIDO ASSOCIADO AO AUMENTO DE APETITE, ESTE É O EFEITO QUE FORMA A BASE PARA O USO DO ACETATO DE MEGESTROL EM PACIENTES COM ANOREXIA31 OU PERDA DE PESO. O GANHO DE PESO ESTÁ ASSOCIADO COM UM AUMENTO DE GORDURA16 E DE MASSA CELULAR CORPÓREA.

Fenômenos Tromboembólicos
RELATA-SE FENÔMENOS TROMBOEMBÓLICOS QUE INCLUEM TROMBOFLEBITE10 E EMBOLIA32 PULMONAR (FATAL EM ALGUNS CASOS).

Outras Reações Adversas
NÁUSEAS7 E VÔMITOS8, EDEMA9, SANGRAMENTO UTERINO ESPONTÂNEO OCORREM EM APROXIMADAMENTE 1% A 2% DOS PACIENTES. TAMBÉM FORAM RELATADOS DISPNÉIA33, DOR, INSUFICIÊNCIA CARDÍACA34, HIPERTENSÃO35, FOGACHOS, ALTERAÇÃO DO HUMOR, FACES CUSHINGÓIDE, EXACERBAÇÃO TUMORAL (COM OU SEM HIPERCALCEMIA), HIPERGLICEMIA36, ALOPÉCIA37, SÍNDROME38 DO TÚNEL DE CARPO, DIARRÉIA39, LETARGIA40 E ERUPÇÕES CUTÂNEAS41.
NOS ESTUDOS CLÍNICOS REALIZADOS COM ACETATO DE MEGESTROL EM PACIENTES COM SÍNDROME38 DE DEFICIÊNCIA IMUNOLÓGICA ADQUIRIDA, DE MODO GERAL, NÃO OCORRERAM DIFERENÇAS ESTATISTICAMENTE SIGNIFICATIVAS ENTRE OS TRATAMENTOS ATIVO E PLACEBO42 NOS PACIENTES RELATANDO PELO MENOS UM EVENTO ADVERSO. OS EVENTOS RELATADOS POR 5% OU MAIS PACIENTES DESTE ESTUDO INCLUÍRAM DIARRÉIA39, IMPOTÊNCIA43, ERUPÇÃO44 CUTÂNEA45, FLATULÊNCIA, ASTENIA46 E DOR. SALVO IMPOTÊNCIA43, TODOS OS EVENTOS OCORRERAM MAIS COMUMENTE NOS PACIENTES RECEBENDO TRATAMENTO COM PLACEBO42.
TAMBÉM FORAM RELATADOS CONSTIPAÇÃO47 E FREQUÊNCIA URINÁRIA NOS PACIENTES QUE RECEBERAM ALTAS DOSES DE ACETATO DE MEGESTROL NOS ESTUDOS CLÍNICOS.
ANORMALIDADES DO EIXO ADRENAL PITUITÁRIO INCLUINDO INTOLERÂNCIA A GLICOSE48, PRINCÍPIO DE NOVAS DIABETES49, EXACERBAÇÃO DE DIABETES49 PRÉ-EXISTENTES COM DIMINUIÇÃO DA TOLERÂNCIA A GLICOSE48 E SÍNDROME DE CUSHING50 FORAM RELATADAS  COM O USO DE ACETATO DE MEGESTROL. RARAMENTE REGISTROU-SE INSUFICIÊNCIA51 ADRENAL CLINICAMENTE APARENTE NOS PACIENTES, LOGO APÓS A DESCONTINUAÇÃO DO ACETATO DE MEGESTROL. A POSSIBILIDADE DE SUPRESSÃO ADRENAL DEVE SER CONSIDERADA  EM TODOS OS PACIENTES QUE ESTEJAM RECEBENDO OU DESCONTINUANDO TERAPIA CRÔNICA COM ACETATO DE MEGESTROL. DOSES DE REPOSIÇÃO DE GLICOCORTICÓIDES PODEM SER INDICADAS.

Posologia e Administração de Megestat Comprimidos

Carcinoma15 de Mama1 : 160 mg/dia (em dose única ou fracionada).

Carcinoma15 de Endométrio2 : 40 a 320 mg/dia (em dose única ou fracionada).

O período considerado adequado para se determinar a eficácia do MEGESTAT é de pelo menos dois meses de tratamento contínuo.

Cuidados Especiais de Megestat Comprimidos


A exposição ou superdosagem a níveis próximos da dose recomendada pode resultar nos efeitos colaterais52 descritos acima (vide ADVERTÊNCIAS e REAÇÕES ADVERSAS). Mulheres com risco de gravidez3 devem evitar tal exposição.

Superdosagem de Megestat Comprimidos

NÃO FORAM OBSERVADOS EFEITOS TOXICOLÓGICOS AGUDOS NOS ESTUDOS COM O  MEGESTAT (ACETATO DE MEGESTROL), UTILIZANDO-SE DOSES TÃO ELEVADAS QUANTO 1600 MG/DIA DURANTE 6 OU MAIS MESES.

Estabilidade de Megestat Comprimidos

Manter o MEGESTAT em temperatura ambiente (25oC), protegido de temperaturas superiores a 40oC. Sob estas condições, o MEGESTAT permanecerá estável até a data de validade indicada no cartucho.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA



MEGESTAT COMPRIMIDOS - Laboratório

B-MS
Rua Carlos Gomes, 924
São Paulo/SP - CEP: 04743-002
Tel: 55 (011) 882-2000
Fax: 55 (011) 246-0151
Site: http://www.bristol.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "B-MS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
2 Endométrio: Membrana mucosa que reveste a cavidade uterina (responsável hormonalmente) durante o CICLO MENSTRUAL e GRAVIDEZ. O endométrio sofre transformações cíclicas que caracterizam a MENSTRUAÇÃO. Após FERTILIZAÇÃO bem sucedida, serve para sustentar o desenvolvimento do embrião.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
5 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
6 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
7 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
8 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
9 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
10 Tromboflebite: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
12 Cristalino: 1. Lente gelatinosa, elástica e convergente que focaliza a luz que entra no olho, formando imagens na retina. A distância focal do cristalino é modificada pelo movimento dos músculos ciliares, permitindo ajustar a visão para objetos próximos ou distantes. Isso se chama de acomodação do olho à distância do objeto. 2. Diz-se do grupo de cristais cujos eixos cristalográficos são iguais nas suas relações angulares gerais constantes 3. Diz-se de rocha constituída quase que totalmente por cristais ou fragmentos de cristais 4. Diz-se do que permite que passem os raios de luz e em consequência que se veja através dele; transparente. 5. Límpido, claro como o cristal.
13 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
14 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
15 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
16 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
17 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
18 Paliativo: 1. Que ou o que tem a qualidade de acalmar, de abrandar temporariamente um mal (diz-se de medicamento ou tratamento); anódino. 2. Que serve para atenuar um mal ou protelar uma crise (diz-se de meio, iniciativa etc.).
19 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
20 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
21 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
22 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
23 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
24 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
25 Genitália: Órgãos externos e internos relacionados com a reprodução. Sinônimos: Órgãos Sexuais Acessórios; Órgãos Genitais; Órgãos Acessórios Sexuais
26 Neoplásicas: Que apresentam neoplasias, ou seja, que apresentam processo patológico que resulta no desenvolvimento de neoplasma ou tumor. Um neoplasma é uma neoformação de crescimento anormal, incontrolado e progressivo de tecido, mediante proliferação celular.
27 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
28 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
29 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
30 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
31 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
32 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
33 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
34 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
35 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
36 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
37 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
38 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
39 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
40 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
41 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
42 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
43 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
44 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
45 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
46 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
47 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
48 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
49 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
50 Síndrome de Cushing: A síndrome de Cushing, hipercortisolismo ou hiperadrenocortisolismo, é um conjunto de sinais e sintomas que indicam excesso de cortisona (hormônio) no sangue. Esse hormônio é liberado pela glândula adrenal (também conhecida como suprarrenal) em resposta à liberação de ACTH pela hipófise no cérebro. Níveis elevados de cortisol (ou cortisona) também podem ocorrer devido à administração de certos medicamentos, como hormônios glicocorticoides. A síndrome de Cushing e a doença de Cushing são muito parecidas, já que o que a causa de ambas é o elevado nível de cortisol no sangue. O que difere é a origem dessa elevação. A doença de Cushing diz respeito, exclusivamente, a um tumor na hipófise que passa a secretar grande quantidade de ACTH e, consequentemente, há um aumento na liberação de cortisol pelas adrenais. Já a síndrome de Cushing pode ocorrer, por exemplo, devido a um tumor presente nas glândulas suprarrenais ou pela administração excessiva de corticoides.
51 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
52 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre MEGESTAT COMPRIMIDOS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.