GLYVENOL

NOVARTIS

Atualizado em 08/12/2014

Antivaricoso e anti-hemorroidal.

Forma Farmacêutica e Apresentação de Glyvenol

Drágeas1. Caixas com 40 drágeas1.
USO ADULTO

Composição de Glyvenol

Cada drágea2 contém: tribenosido 200 mg; excipiente (polivinilpirrolidona, trissilicato de magnésio, dióxido de silício, celulose, amido de milho, talco, estearato de magnésio, hidroxipropilmetilcelulose,  dióxido de titânio, açúcar3, óxido de ferro amarelo e óxido de ferro vermelho) q.s.p. 1 drágea2.

Informação ao Paciente de Glyvenol

As drágeas1 devem ser mantidas ao abrigo do calor e da umidade. O prazo de validade está impresso no cartucho. Não utilize o produto após a data de validade. Informe ao seu médico se estiver grávida, amamentando ou se ocorrer gravidez4 durante o tratamento.GLYVENOL drágeas1  deve ser administrado durante ou após as refeições.
Siga corretamente as instruções do seu médico quanto ao uso do produto, não interrompendo ou modificando o tratamento sem antes consultá-lo.
Podem ocorrer alguns efeitos indesejáveis, como vermelhidão da pele5, dor de cabeça6; problemas de estômago7 e de intestino; esses sintomas8 geralmente apresentam baixo risco e desaparecem espontaneamente quando o medicamento é suspenso. Caso ocorra qualquer reação desagradável durante o tratamento, procure o seu médico: ele lhe dará a orientação adequada.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Se estiver tomando qualquer outro medicamento, avise o seu médico.

Contra-Indicação de Glyvenol

Alergia9 a qualquer componente do produto.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE10.

Informação Técnica de Glyvenol

Propriedades de Glyvenol

GLYVENOL diminui a permeabilidade11 capilar12, reduzindo assim o edema13; antagoniza uma série de substâncias endógenas, que desempenham importante papel como mediadoras na patogênese14 da inflamação15 e da dor. GLYVENOL intervém nos processos patológicos dos vasos capilares16, das veias17 e dos tecidos paravenosos.

Farmacocinética de Glyvenol

O tribenosido, substância ativa de GLYVENOL, é rápida e completamente absorvido após a administração oral. As doses diárias de 800 mg atingem concentrações plasmáticas máximas de 100 a 400 mg/ml em média 2 horas após a administração. As concentrações plasmáticas reduzem-se a cerca de 10% do valor máximo 8 horas após a administração. O principal metabólito18 do tribenosido é o ácido benzóico, que é excretado sob a forma de ácido hipúrico em quantidade equivalente a 20% da dose. Nem o tribenosido nem seus metabólitos19 acumulam-se nas administrações diárias de GLYVENOL.

Indicações de Glyvenol

·    Distúrbios da circulação20 venosa: cansaço, tensão, sensação de peso nas pernas; edema13 e dor causados por longos períodos em posição sentada ou em pé. Síndrome21 varicosa: sintomas8 causados por veias17 varicosas, edema13 estático e flebalgia.
 Hemorróidas22.
·    Como adjuvante no tratamento de flebites, periflebites e síndrome21 pós-trombótica23, antes e após a escleroterapia24 de veias17 varicosas.

Contra-Indicações de Glyvenol

Hipersensibilidade ao tribenosido ou aos excipientes do medicamento.

Gravidez4 e Lactação25 de Glyvenol

Categoria C. (Estudos de reprodução26 em animais mostraram efeitos adversos em fetos, mas não há estudos adequados e bem controlados em humanos; contudo, os benefícios potenciais podem garantir o uso do fármaco27 em grávidas, apesar dos riscos potenciais).Não há estudos controlados disponíveis em animais e em mulheres grávidas. O produto deve, portanto, ser administrado somente se o benefício potencial superar o risco para o feto28.
Como qualquer medicamento, GLYVENOL deve ser empregado com cautela durante a gravidez4, especialmente nos três primeiros meses. Não há dados sobre a passagem da substância ativa para o leite materno. Os benefícios para a mãe devem, portanto, ser ponderados em relação aos possíveis riscos para o lactente29.

Interações Medicamentosas de Glyvenol

Embora GLYVENOL seja uma substância derivada do açúcar3, não foi observada  interferência no metabolismo30 de carboidratos em diabéticos.

Reações Adversas de Glyvenol

Podem ocorrer erupções cutâneas31, cefaléia32 e desconforto gastrintestinal; esses sintomas8 geralmente apresentam baixo risco e desaparecem espontaneamente quando o medicamento é suspenso. Em casos raros de reações adversas mais sérias, recomenda-se recorrer a tratamento sintomático33 apropriado. A freqüência de reações adversas corresponde à variação da posologia.

Posologia de Glyvenol

A posologia recomendada é de 1 drágea2, 3 a 4 vezes ao dia, a ser ingerida durante ou após as refeições.
A posologia diária de 800 mg (4 drágeas1) não deve ser excedida, porque doses mais elevadas não promovem maior efeito terapêutico.
GLYVENOL deve ser administrado durante várias semanas, mesmo após a rápida regressão dos sintomas8.

Superdosagem de Glyvenol

Até o momento não foram observados casos de superdosagem aguda. O aparecimento de sinais34 graves de intoxicação é pouco provável.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

GLYVENOL - Laboratório

NOVARTIS
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04706-900
Tel: 55 (011) 532-7122
Fax: 55 (011) 532-7942
Site: http://www.novartis.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "NOVARTIS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Drágeas: Comprimidos ou pílulas contendo preparado farmacêutico.
2 Drágea: Comprimido ou pílula contendo preparado farmacêutico.
3 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
6 Cabeça:
7 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
11 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
12 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
13 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
14 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
15 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
16 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
17 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
18 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
19 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
20 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
21 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
22 Hemorróidas: Dilatações anormais das veias superficiais que se encontram na última porção do intestino grosso, reto e região perianal. Pode produzir sangramento junto com a defecação e dor.
23 Trombótica: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
24 Escleroterapia: É um procedimento que consiste na injeção de determinados medicamentos “esclerosantes“ dentro de um capilar, vênula ou veia de modo a destruí-la. É usada principalmente para o tratamento de varizes e hemorroidas.
25 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
26 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
27 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
28 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
29 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
30 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
31 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
32 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
33 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
34 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.

Tem alguma dúvida sobre GLYVENOL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.