TROMBOFOB

ABBOTT

Atualizado em 09/12/2014

Trombofob®

Heparina Sódica - Nicotinato de Benzila

Pomada - Embalagem com bisnaga de 40g
Gel - Embalagem com bisnaga de 40g


USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Trombofob

Pomada: Cada g de pomada contém:Heparina sódica 50 UI
Nicotinato de benzila 2 mg
Gel: Cada g de gel contém:
Heparina sódica 200 UI

INFORMAÇÃO AO PACIENTE
Conservar ao abrigo do calor excessivo.
O prazo de validade do produto é de 36 meses, a contar da data de sua fabricação.

NÃO USE MEDICAMENTOS COM PRAZO DE VALIDADE VENCIDO.
A eficácia de Trombofob pomada baseia-se nas propriedades de seus componentes básicos, que facilitam a desintegração dos trombos1, restabelecendo a circulação2 sangüínea, e evitam a formação de coágulos.
O emprego de gel como veículo de Trombofob oferece a vantagem de penetração instantânea da heparina nos locais afetados, sem deixar resíduos oleosos sobre a pele3. Permite a aplicação estética sem produzir manchas e sem irritar a pele3.
No caso de surgirem reações desagradáveis, que são raras, tais como urticária4, o médico deve ser imediatamente comunicado.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
O produto deve ser usado com cuidado em pacientes que apresentem manifestações alérgicas.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR. NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS5, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

NÃO USE MEDICAMENTOS SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE6.

INFORMAÇÃO TÉCNICA:
Trombofob apresenta como princípio ativos a heparina e o nicotinato de benzila.
Heparina: é uma substância anticoagulante7, normalmente encontrada no organismo, sendo definida como mucopolissacarídeo8 polissulfato, relacionada ao ácido mucoitin-sulfúrico, de alto teor de enxofre.
A heparina assemelhasse, quimicamente, às substâncias básicas mesenquimais9: ácido hialurônico, ácido mucoitínico sulfúrico e ácido condroitin sulfúrico. Estas substâncias apresentam-se constituídas de moléculas de elevado peso molecular e dispostas em longas cadeias; fixam-se as mucoproteínas, que explica a sua alta eficácia fisiológica10.
A heparina prolonga o tempo de coagulação11 e favorece a fibronólise; além disso, dissolve trombos1 localizados e evita a formação de novos coágulos. Ademais, a heparina tem ação antiflogística e normaliza a consistência de tecidos endurecidos, por um processo de hidratação. Acelera a absorção de coágulos sanguíneos e estimula a regeneração do tecido conjuntivo12. Finalmente, produz vasodilatação e melhora a circulação2 sangüínea, combatendo manifestações de êxtase.
Não há alteração significativa da heparinemia quando a heparina é aplicada sobre a derme13. Os tempos de coagulação11 e de sangramento aumentam apenas na região em que é aplicado o produto. Por isso, a aplicação tópica de heparina não exige os cuidados da haparinoterapia ou cumarinoterapia por via sistêmica.

Nicotinato de Benzila: para garantir a absorção percutânea da heparina são de grande importância as propriedades farmacológicas do outro componente de Trombofob pomada, o éster benzílico do ácido nicotínico, que determina aumento da irrigação sangüínea capilar14 cutânea15, favorecendo a absorção da heparina.
Este éster do ácido nicotínico, devido a sua ação lipolítica, é rapidamente absorvida através da pele3, onde atua, com propriedades enzimáticas sobre o metabolismo16 das células de Rouget17, causando o relaxamento local dos capilares18 e vênulas19, seguida de dilatação arteriolar com acentuada hiperemia20 arterial. A duração da
hiperemia20 é aproximadamente proporcional à concentração do éster benzílico do ácido nicotínico. A termometria cutânea15 acusa aumento de 1,7 graus centígrado, independentemente da concentração deste éster. Enquanto concentrações de 0,25% podem determinar em algumas pessoas hipersensíveis reações locais mais ou menos intensas, tais como irritação cutânea15 e hiperemia20 exagerada simulando queimadura, não perigo de aparecimento de lesões21 da pele3 ou intolerância ao éster benzílicos do ácido nicotínico quando se empregam concentrações de 0,20% como demonstram as observações clínicas.
Trombofob Pomada:
Como a heparina age diretamente sobre a substância fundamental conjuntiva22, o emprego de Trombofob Pomada exerce influência benéfica nas doenças que afetam o tecido conjuntivo12: aumenta a hidratação do tecido23, especialmente nas alterações cicatriciais e contraturas. Nas contusões e distensões, a aplicação imediata de
Trombofob Pomada pode evitar a formação de hematomas24 ou, pelo menos, acelerar sua reabsorção. Também casos de tendinite25, tenossinovite e epicondilite respondem bem a terapêutica26 com Trombofob Pomada. Seu emprego diminui acentuadamente a dor permite volta mais rápida às atividades cotidianas.
Trombofob Gel:
Pelo seu efeito antiinflamatório, a heparina tem acentuado efeito antiexsudativo.
Exerce efeito relaxante sobre a musculatura vascular27, melhorando desta forma a circulação2 sangüínea.
Trombofob gel contém Heparina natural concentrada. Aplicada topicamente, penetra de forma rápida na pele3 e inicia diretamente o processo de cura do tecido23 afetado. Trombofob gel estimula a fibrinólise28 e possui propriedades antiedematosas e antiinflamatórias; melhora a circulação2 sangüínea local e produz, conseqüentemente, um rápido alívio da dor.
Trombofob gel, após aplicação tópica nas zonas afetadas, exerce agradável efeito refrescante; não resseca a pele3, não é gorduroso nem pegajoso.

Indicações de Trombofob

Trombofob Pomada:
distensões e contusões
tromboflebites29 e tromboses30 superficiais
infiltrados inflamatórios - hematomas24
tenossinovites - epicondilites
flebites pós-injeções e venóclise

Trombofob Gel:
 flebites e tromboflebites29 superficiais
 lesões21 desportivas e acidentais como hematomas24, distensões e contusões
 tenossinovites
 flebites pós-injeção31 endovenosa e venóclise
 êxtases venosas nas extremidades

Contra-Indicações:
 tendência a hemorragia32
 hipersensibilidade aos componentes da fórmula
 incompatibilidade com anticoagulantes33

Precauções de Trombofob

Usar com cuidado em pacientes que apresentam manifestações alérgicas. Deve-se compatibilizar a necessidade do medicamento com o tempo de sangramento.Evitar o contato de Trombofob Gel com as mucosas34, especialmente conjuntiva22 ocular.

Interações Medicamentosas de Trombofob

Não são conhecidas até o momento para ambos os preparados.

Reações Adversas de Trombofob

Para ambas as preparações: na utilização de heparina externa é muito raro se relatar reações cutâneas35 alérgicas. Entretanto, os componentes de base da pomada e do gel podem ocasionar reações de hipersensibilidade em pessoas propensas, especialmente quando existe história de hipersensibilidade devido a exposição prévia.

Posologia de Trombofob

Trombofob Pomada:
Aplicar tênue camada de Trombofob pomada sobre a pele3 da região afetada, duas a três vezes ao dia. Evitar Fricção ou massagem em casos de trombose36 e tromboflebite37. Deve-se evitar aplicar a pomada sobre a úlcera38, fazendo-se aplicação somente ao seu redor. Não usar Trombofob pomada sobre feridas abertas, mas exclusivamente sobre as áreas cutâneas35 integras em volta. Também as mucosas34, especialmente a conjuntiva22 ocular, não podem entrar em contato com a pomada.
Após a aplicação da pomada, as mãos39 devem ser lavadas com sabão.
Continuar o tratamento durante alguns dias, após desaparecimento dos sintomas5.
A rubefação da pele3 após aplicação de Trombofob pomada é indicativa de sua ação terapêutica26 e conseqüente a hiperemia20 local.

Trombofob Gel:
Aplicar sem friccionar e sem massagear, tendo feito uma limpeza anterior da região a ser aplicada, uma fina camada de Trombofob gel sobre as partes afetadas e zona vizinhas, várias vezes por dia.
Nas afecções40 cutâneas35 abertas, como, por exemplo, nas úlceras41 varicosas ou lesões21 traumáticas sangrentas, aplicar o gel ao redor da lesão42, mas não diretamente sobre a ferida.

Superdosagem de Trombofob

Não há relatos de superdosagem com efeitos sistêmicos43 através do uso do tópico44 de preparados com heparina.



TROMBOFOB - Laboratório

ABBOTT
Rua Nova York, 245 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04560-108
Tel: 11-5536-7000
Fax: 011-5531-7205
Site: http://www.abbottbrasil.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ABBOTT"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
2 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
8 Mucopolissacarídeo: Polissacarídio de alto peso molecular presente no tecido conjuntivo e no plasma, com funções estruturais e anticoagulantes. Também recebe o nome de glicosaminoglicano.
9 Mesenquimais: Relativo ao mesênquima; mesenquimático, mesenquimatoso. Mesênquima, na embriologia, é o tecido mesodérmico embrionário dos vertebrados, pouco diferenciado, que origina os tecidos conjuntivos no adulto. Na anatomia geral, no adulto, é o tecido conjuntivo comum e indiferenciado.
10 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
11 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
12 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
13 Derme: Camada interna das duas principais camadas da pele. A derme é formada por tecido conjuntivo, vasos sanguíneos, glândulas sebáceas e sudoríparas, nervos, folículos pilosos e outras estruturas. É constituída por uma fina camada superior que é a derme papilar e uma camada mais grossa, mais baixa, que é a derme reticular.
14 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
15 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
16 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
17 Células de Rouget: Células delgadas únicas com vários processos estendendo-se ao longo do eixo do vaso capilar e circundando a parede vascular, também denominadas células murais. Os pericitos estão imersos na MEMBRANA BASAL e compartilhados com as CÉLULAS ENDOTELIAIS do vaso. Os pericitos são importantes na manutenção da integridade do vaso, angiogênese e na remodelagem vascular.
18 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
19 Vênulas: Vasos minúsculos que coletam sangue proveniente de plexos capilares e unem-se para formarem veias.
20 Hiperemia: Congestão sanguínea em qualquer órgão ou parte do corpo.
21 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
22 Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
23 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
24 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
25 Tendinite: Inflamação de um tendão. Produz-se em geral como conseqüência de um traumatismo. Existem doenças imunológicas capazes de produzir tendinite entre outras alterações.
26 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
27 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
28 Fibrinólise: Processo de dissolução progressiva da fibrina e assim do coágulo, que posteriormente à sua formação deve ser dissolvido.
29 Tromboflebites: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
30 Tromboses: Formações de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Podem ser venosas ou arteriais e produzem diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
31 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
32 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
33 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
34 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
35 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
36 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
37 Tromboflebite: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
38 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
39 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
40 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
41 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
42 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
43 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
44 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.

Tem alguma dúvida sobre TROMBOFOB?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.