CLORANFENICOL

DUCTO

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Cloranfenicol

suspensão: cada colher das de chá (5 ml)contém: cloranfenicol (na forma de palmitato) 125 mg; excipientes: água, glicerina, ácido etílico, carboximetilcelulose, polissorbato 80, glicolato de amido, essência, dióxido de titânio, sacarina1 sódica, ciclamato de sódio, metilparabeno. Drágeas2: cada drágea3 contém: cloranfenicol 250 mg; excipientes: celulose, álcool etílico, talco farmacêutico, polivinilpirrolidona, dióxido de titânio, corante, acetona, sacarose, acetato ftalato de celulose, goma arábica. Injetável: cada frasco-ampola contém: cloranfenicol (na forma de hemissuccinato sódico) 1 g; excipiente: água para injeção4.

Posologia e Administração de Cloranfenicol

a administração parenteral deve ser feita por via IV. Adultos: 50 mg de Cloranfenicol por quilo de peso por dia. A dose máxima para adultos é de 4 g/dia. Em infeccões graves, assim como em meningites5, a dose pode chegar a 100 mg/kg/dia. Crianças: 25 a 50 mg/kg/dia. A concentração sérica, tanto para via oral como para a parenteral deve ser mantida em 10 a 25 microgramas por ml. Não deve nunca ser tomado em infecções6 leves. A ação da via intramuscular é tão rápida quanto por via intravenosa. Não se aconselha, contudo, o uso desta via em crianças. Nestes casos, deve-se usar via intravenosa ou oral. - Superdosagem: síndrome7 cinzenta: toxicidade8 fetal do Cloranfenicol em recém-nascidos quando expostos a doses excessivas da droga. Ocorre óbito9 em 40% dos casos.

Precauções de Cloranfenicol

recomenda-se durante um tratamento prolongado o controle periódico de hemograma. Discrasias sangüíneas10 (anemia11 reversível, anemia11 aplástica, aplasia de medula óssea12, agranulocitose13). Manifestações neurotóxicas: cefaléia14, confusão mental, neurite15 ótica ou periférica; pirose16, náuseas17, vômito18, diarréia19. Manifestações de hipersensibilidade: urticária20, erupção21 macular ou vesicular. Ocasionalmente pode ocorrer: glossite22, leucopenia23, trombocitopenias, inibição da medula óssea12 com pancitopenia24 fatal. Casos de parestesias25 digitais, embaçamento da visão26 foram correlacionados ao uso da droga. Sua forma injetável é de uso exclusivamente endovenoso. Gravidez27 e lactação28: não deve ser administrado durante gravidez27 e lactação28, bem como nas primeiras semanas de vida. O uso em pacientes idosos (acima de 65 anos) requer prescrição e acompanhamento médico. - Interações medicamentosas: é incompatível ou apresenta pouca atividade quando em presença de ácido ascórbico, carbenicilina, hidroxisina, meticilina, metoclopramida, prometazona, pantotenato de sódio, polivitamínicos B, várias tetraciclinas, vancomicina e complexo vitamínico B. Cloranfenicol penetra em células29 sensíveis por transporte ativo, impedindo a síntese de proteínas30 e provocando a morte da bactéria31.

Contra-Indicações de Cloranfenicol

não deve ser usado nas infecções6 banais, devido à possibilidade de aparecimento de acidentes graves. Nos indivíduos com história de hipersensibilidade ao medicamento. No período de gravidez27, desde o início até o momento do parto. No recém-nascido, pelo perigo de síndrome7 cinzenta. Na mulher que amamenta devido às possibilidades de efeitos tóxicos sobre o lactente32.

Indicações de Cloranfenicol

febre tifóide33 e outras salmoneloses, meningite34 bacteriana causada por H. influenzae, rickettsioses, brucelose.

Apresentação de Cloranfenicol

suspensão: frasco com 100 ml. Drágeas2: caixas com 20 e 100 drágeas2. Injetável: frasco-ampola com 1 g.


CLORANFENICOL - Laboratório

DUCTO
Rua VPR 3, Quadra 2-A, Mód. 20/21
Anápolis/GO - CEP: 75133-600
Tel: (62 )310-2500
Fax: (62 )800-2122

Ver outros medicamentos do laboratório "DUCTO"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
2 Drágeas: Comprimidos ou pílulas contendo preparado farmacêutico.
3 Drágea: Comprimido ou pílula contendo preparado farmacêutico.
4 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
5 Meningites: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
8 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
9 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
10 Discrasias sangüíneas: Qualquer alteração envolvendo os elementos celulares do sangue, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.
11 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
12 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
13 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
14 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
15 Neurite: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia, déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.
16 Pirose: Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, ela pode ser acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago; azia.
17 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
18 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
19 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
20 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
21 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
22 Glossite: Inflamação da mucosa que reveste a língua, produzida por infecção viral, radiação, carências nutricionais, etc.
23 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
24 Pancitopenia: É a diminuição global de elementos celulares do sangue (glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas).
25 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
26 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
27 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
28 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
29 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
30 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
31 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
32 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
33 Febre tifóide: Infecção produzida por uma bactéria chamada Salmonella tiphy, adquirida através de alimentos contaminados e caracterizada por febre persistente, aumento do tamanho dos tecidos linfáticos (baço, gânglios linfáticos, etc.) e erupções cutâneas. Sem tratamento adequado pode ser muito grave.
34 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre CLORANFENICOL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.