CYCRAM

MEIZLER

Atualizado em 08/12/2014

CYCRAM
Ciclofosfamida
Comprimidos Revestidos e Liófilo Injetável

Forma Farmacêutica e Apresentações de Cycram

Cycram apresenta-se sob as formas de comprimidos revestidos e liófilo injetável.Os comprimidos revestidos de Cycram são redondos, de coloração branca, para administração oral, contendo 50mg de Ciclofosfamida cada. Acondicionados em frascos plásticos opacos com 50 comprimidos.
O liófilo injetável de Cycram, de coloração branca, contendo 200mg ou 1g de Ciclofosfamida, destina-se à administração parenteral, após sua reconstituição com o diluente apropriado. Caixas contendo 10 frascos-ampolas, para a apresentação de 200mg, e 1 ou 10 frasco(s)-ampola(s) para a apresentação de 1g.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Cycram

Comprimido revestido de 50mg:
Cada comprimido revestido contém:
Ciclofosfamida ....................50 mg
Hidroxipropilcelulose ....................100 mg    
Lactose1 ....................43,2 mg    
Povidona ....................04,8 mg    
Estearato de Magnésio ....................2 mg    
Hidroxipropilmetilcelulose ....................13 mg    
Dióxido de Titânio ....................1,3 mg    
Propilenoglicol ....................q.s.    

Liófilo injetável de 200mg:
Cada frasco-ampola contém:
Ciclofosfamida ....................200 mg
Cloreto de Sódio ....................90 mg    

Liófilo injetável de 1g:
Cada frasco-ampola de 1g contém:
Ciclofosfamida ....................1000 mg
Cloreto de Sódio....................450 mg    

Informações ao Paciente de Cycram

O medicamento (tanto os comprimidos revestidos como o liófilo injetável) deve ser conservado em sua embalagem original, sob temperatura entre 15 ºC e 25 ºC, ao abrigo da luz, calor e umidade excessiva.Reconstituir Cycram Injetável somente em Água Estéril para Injeções. Após a reconstituição, sob temperatura ambiente, caso ocorra precipitação ou turbidez da solução, o produto deverá ser descartado.
O prazo de validade de Cycram (tanto para os comprimidos revestidos como para o liófilo injetável) é de 36 meses, a contar das suas datas de fabricação, nas condições acima citadas, estando esses dados impressos em suas embalagens externas.
Qualquer conteúdo remanescente no frasco-ampola de Cycram Injetável deve ser descartado.

" NÃO USE O MEDICAMENTO SE O PRAZO DE VALIDADE ESTIVER VENCIDO"

Informe seu médico a ocorrência de gravidez2 na vigência do tratamento ou após seu término. Informe seu médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

" TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS"

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

" NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE3".
Cycram Comprimidos Revestidos é para uso exclusivamente oral.
Cycram Injetável é para uso parenteral, por vias intravenosa, intramuscular, intrapleural ou intraperitoneal.

Informações Técnicas de Cycram

Modo de Ação:
Ciclofosfamida é uma mostarda alquilante.
Após sua conversão em metabólitos4 ativos no fígado5.Cilcofosfamisa atua como um agente alquilante, interferindo na replicação do DNA e na transdrição do RNA, resultando em interrupção da função do ácido nucléico.
Ciclofosfamisa tem propriedades fosforilantes que aumentam sua citotoxicidade.
Ciclofosfamida também apresenta potente atividade imunossupressora.

Farmacocinética:
Ciclofosfamida é bem absorvida após administração oral, com biodisponibilidade maior que 75‰.
A concentração plasmática máxima ocorre em torno de 1 hora.
A droga inalterada tem meia-vida de 3 a 12 horas. A maior parte da dose é eliminada na forma de metabólitos4, porém, de 5‰ a 25‰ da dose é excretada na urina6, sob forma inalterada.
Ainda não se sabe qual é a atividade específica de cada metabólito7. Vários metabólitos4 citotóxicos8 e não-citotóxicos8 têm sido identificados na urina6 e no plasma9. Concentrações plasmáticas dos metabólitos4 atingem o pico máximo após 2 a 3 horas da dose intravenosa.
Ciclofosfamida liga-se pouco à proteínas10 plasmáticas, porém alguns metabólitos4 ligam-se em até 60‰.
Apesar de ocorrer um aumento nos níveis de metabólitos4 em pacientes com comprometimento renal11, não foi observado aumento dos efeitos tóxicos nesses pacientes.
Ciclofosfamida e seus metabólitos4 distribuem-se rapidamente através do corpo todo, inclusive no cérebro12 e SNC13.
Ciclofosfamida atravessa a barreira placentária e é excretada no leite materno.
Ciclofosfamida é metabolizada no fígado5 pelo sistema enzimático de função mista da oxidase dos microssomos hepáticos para 4-hidroxiciclofosfamida, que está em equilíbrio com a aldofosfamida. A 4-hidroxiciclofosfamida pode ser metabolizada enzimaticamente para 4-cetociclofosfamida. Aldofosfamida pode ser metabolizada enzimaticamente para carboxifosfamida, mostarda fosforamida e acroleína. Alguns estudos demostraram que mostarda fosforamida e acroleína podem aumentar as propriedades citotóxicas da Ciclosfofamida.
Ciclofosfamida e seus metabólitos4 são excretados, principalmente, na urina6, sendo que 36‰ a 99‰ da dose é eliminada em 48 horas.

Indicações de Cycram

Cycram é um agente antineoplásico usado no tratamento de linfomas malignos, doença de Hodgkin14, linfoma15 linfocítico (nodular ou difuso), linfomas de células16 mistas, linfoma15 histiocítico, linfoma15 de Burkitt, mieloma17 múltiplo, leucemia18 linfocítica crônica, leucemia18 granulocítica crônica, leucemias mielogênica e monocítica agudas, leucemia18 linfoblástica aguda em crianças, linfoma15 de célula19-T cutânea20, neuroblastoma, adenocarcinoma21 de ovário22, retinoblastoma e carcinoma23 de mama24.Devido à sua ação imunomoduladora, pode ser usado em artrite reumatóide25, granulose de Wegener, lupo eritematoso26 sistêmico27, poliomiosite, esclerose múltipla28 e na profilaxia de rejeição a transplantes. Contudo, o uso de Cycram, em situações que não envolvem neoplasias29, deve ser feito com extremo cuidado, porque este medicamento possui potencial carcinogênico.

Contra-Indicações de Cycram

Cycram é contra-indicado nas seguintes situações:
*Varicela30 existente ou recente;
*Herpes zoster31;
*Pacientes que apresentaram hipersensibilidade à Ciclofosfamida ou a qualquer outro componente da fórmula deste medicamento;
*Pacientes com depressão de medula óssea32 grave;
*Pacientes que receberam terapia anterior com pentostatina.

Cycram deve ser utilizado com cautela nas seguintes situações:
*Pacientes com leucopenia33;
*Pacientes com trombocitopenia34;
*Pacientes com tumor35 de células16 de infiltração de medula óssea32;
*Pacientes que receberam terapia prévia com raio X;
*Pacientes tratados previamente com outros agentes citotóxicos8;
*Pacientes com função renal11 ou hepática36 prejudicada.

Precauções Gerais de Cycram

Cycram pode reprimir o início do mecanismo de ativação do sistema imunológico37. Assim, a dose de controle ou a descontinuidade do tratamento em pacientes com infecção38 viral, fúngica39 ou bacteriana devem ser consideradas.A administração de Cycram a pacientes recentemente tratados com esteróides, a pacientes com administração concomitante de drogas esteroidais pode ser fatal e deve ser feita após criteriosa avaliação e com muita cautela.
São necessários ajustes nas doses de Cycram e doses de reposição de esteróides em pacientes adrenalectomizados.
Cycram pode interferir na cicatrização normal de feridas.
Cardiotoxicidade tem sido observada em alguns pacientes recebendo altas doses de Cycram (120 a 270mg/Kg), administradas por um período de alguns dias, geralmente, como parte de um tratamento intensivo com vários antineoplásicos ou junto a procedimentos para transplantes.
Em alguns casos, após a administração de altas doses de Cycram têm ocorrido grave insuficiência cardíaca congestiva40 (ICC), às vezes fatal. Este efeito pode ocorrer até mesmo alguns dias após a primeira dose.
Exame histopatológico demonstrou, primariamente, miocardite41 hemorrágica42. Nenhuma outra anormalidade cardíaca, evidenciada por eletrocardiograma43 ou ecocardiograma44, foi observada em pacientes que sobreviveram a episódios de cardiotoxicidade, aparentemente associada com altas doses de Cycram.
Doenças malignas secundárias podem desenvolver-se em alguns pacientes tratados com Cycram, usado em terapia única ou associado à outras drogas antineoplásicas. As mais freqüentes estão relacionadas à doenças malignas da bexiga45, doenças malignas mieloproliferativas ou linfoproliferativas.
Doenças malignas secundárias são detectadas freqüentemente em pacientes portadores de doenças primárias mieloproliferativas ou linfoproliferativas, malignas ou não-malignas, nos quais as respostas imunes estão envolvidas patologicamente.
Doenças malignas secundárias de bexiga45 ocorrem, geralmente, em pacientes que tiveram cistite46 hemorrágica42.
Cistite46 hemorrágica42 pode surgir em pacientes tratados com Cycram, e considera-se que é um efeito relacionado a um metabólito7. Para reduzir o risco de cistite46 hemorrágica42, deve-se proceder a hidratação oral adequada antes do tratamento com Cycram e após 72 horas, a fim de assegurar amplo rendimento urinário. O paciente deve ser estimulado a usar Cycram pela manhã, pois, desta maneira, a maioria dos metabólitos4 será excretada até a noite, prevenindo o contato noturno prolongado com os metabólitos4 e, conseqüentemente, irritação da bexiga45. Ao primeiro sinal47 de cistite46 hemorrágica42, suspender o uso de Cycram. Células16 epiteliais atípicas de bexiga45 são observadas na urina6.
O desenvolvimento de nefropatia48 por ácido úrico, em pacientes com leucemia18 ou linfoma15, pode ser prevenido por hidratação oral adequada, e em alguns casos, com a administração de alopurinol. A alcalinização da urina6 pode ser necessária se a concentração sérica de ácido úrico estiver elevada.
Leucopenia33 é usada como referência para os efeitos esperados do tratamento. Anemia49 pode ocorrer em alguns pacientes sendo de caráter reversível. No caso de leucopenia33 acentuada (principalmente, granulocitopenia) ou trompocitopenia, a terapia deve ser suspensa até que os níveis de leucócitos50 e plaquetas51 sejam satisfatórios e, então, reiniciar a terapia com doses menores. Os pacientes com leucopenia33 devem ser cuidadosamente monitorados quanto aos sinais52 de infecção38. Pode haver necessidade do uso de antibióticos. Em pacientes neutropênicos e com febre53, utilizar, inicialmente, antibióticos de largo espectro até o diagnóstico54 microbiano ser definido.
A depressão medular óssea pode aumentar a incidência55 de infecção38 microbiana, cura demorada e hemorragia56 gengival.
No tratamento com Cycram também tem sido observado supressão das gônadas57, resultando em amenorréia58 ou aspermatismo. Contudo, apesar de estes efeitos serem reversíveis devem ser considerados.

Uso na gravidez2 e lactação59:
A droga demonstrou possível teratogenicidade em animais e absorção pelo feto60.
Cycram somente deve ser usado durante a gravidez2 quando os possíveis benefícios para a mãe superarem claramente os potenciais riscos para o feto60.
Homens e mulheres férteis devem ser informados do potencial mutagênico da droga e orientados a usarem métodos anticoncepcionais adequados, durante a terapia com Cycram.
Cycram é excretado no leite materno. A amamentação61 deve ser suspensa durante a terapia.

Uso em crianças:
Cycram pode ser usado em crianças, adequando-se as doses à essa faixa etária.

Interações Medicamentosas de Cycram

Mesna é um composto sulfidril sintético que interage com os metabólitos4 urotóxicos de Cycram e outros derivados oxazafosforínicos, diminuindo a gravidade ou prevenindo toxicidade62 de bexiga45 (como cistite46 hemorrágica42) induzida por essas drogas.
Devido à cardiotoxicidade potencial, deve-se ter cautela na administração concomitante de Cycram e outras drogas cardiotóxicas como a doxorrubicina.
Barbitúricos e outras drogas que induzem enzimas microssomais hepáticas63 podem resultar em aumento dos efeitos farmacológicos e da toxicidade62 de Cycram devido ao aumento da conversão da droga em metabólitos4 ativos. Apesar de a importância clínica completa dessa interação não ter sido estabelecida, é importante monitorar pacientes que recebem essas drogas simultaneamente quanto à toxicidade62 de Cycram.
O uso simultâneo de azatioprina, ciclosporina, mercaptopurina e corticóides pode aumentar o risco de infecção38 e desenvolvimento de neoplasias29.
Cycram pode potencializar os efeitos induzidos pela doxorrubicina.
Devido ao aumento da concentração de ácido úrico no sangue64, pode ser necessário adequar a dose de alopurinol, colchicina, probenecida ou sulfimpirazona.
Cycram pode reduzir as concentrações séricas de pseudocolinesterase e pode prolongar o bloqueio da atividade neuromuscular da succinilcolina, especialmente, em pacientes que estão recebendo altas doses de Cycram por via intravenosa. Apesar de a importância clínica dessa interação não ter sido devidamente esclarecida, recomenda-se cautela no tratamento.
Cycram pode interferir com vacinas de vírus65 vivos porque, estando suprimidos os mecanismos de defesa normal, pode haver potencialização da replicação do vírus65 da vacina66 e diminuição na formação de anticorpos67.

Reações Adversas de Cycram

Disfunções cardíacas, insuficiência cardíaca congestiva40 (ICC), doenças malignas de bexiga45, doenças malignas linfoproliferativas, doenças malignas mieloproliferativas, leucopenia33, anemia49, anorexia68, náusea69, vômito70, ulceração71 da mucosa72 oral, icterícia73, colite74 hemorrágica42, cistite46 hemorrágica42 e não-hemorrágica42, hematúria75, toxicidade62 renal11 manifestada por hemorragia56 e conglobação na pélvis renal11, amenorréia58, aspermatismo, fibrose76 ovariana, alopecia77, pigmentação da pele78 e mudanças nas unhas79, e fibrose76 intersticial80 pulmonar.

Posologia de Cycram

*Adultos:
No tratamento com Cycram, como antineoplásico, a dose inicial para pacientes81 com quadro hematológico normal pode ser de 40 a 50mg/Kg, por via intravenosa, dividida em um período de 2 a 5 dias, ou doses de 10 a 15mg/Kg, a cada 7 a 10 dias, ou ainda doses de 3 a 5mg/Kg, 2 vezes por semana. A dose de manutenção pode seguir os mesmos padrões.
Para o tratamento de pacientes que foram tratados previamente com terapia de raio X ou agentes antineoplásicos, os quais deprimem a medula óssea32, ou em pacientes cuja medula82 possui infiltrações tumorais, a dose recomendada é a metade ou um terço da dose inicial.
A dose para uso oral deve ser de 1 a 5mg/Kg por dia, tanto para dose inicial como para a dose de manutenção.
Como imunomodulador, a dose pode variar de 1 a 2mg/Kg ao dia.

*Crianças:
A dose no tratamento com Cycram, como antineoplásico, tanto para uso oral como para uso intravenoso, pode ser de 2 a 8mg/Kg por dia ou 60 a 250mg/m2 por dia, fracionada em 6 ou mais dias. A dose total de 7 dias pode ser administrada uma vez por semana.
Para manutenção, a dose pode ser de 2 a 5mg/Kg, por via oral, 2 vezes por semana, e a dose intravenosa, de 10 a 15mg/Kg, por via intravenosa, a cada 7 a 10 dias, ou 30mg/Kg, em intervalos de 3 a 4 semanas, ou até a medula óssea32 recuperar-se.
Como imunomodulador, na Síndrome Nefrótica83, a dose recomendada é de 2,5 a 3mg/dia, por um período de 60 a 90 dias.
Tanto para adultos como para crianças deve-se monitorar a quantidade de células16 brancas sangüíneas e respeitar o limite de tolerância do paciente ao tratamento, fazendo-se adequação de dose quando necessário, e evitando leucopenia33 e outras infecções84 mais complicadas.

Administração de Cycram

*Pó Liófilo Injetável:Como se trata de um agente antineoplásico, devem ser considerados os procedimentos específicos quanto à manipulação e descarte dessas drogas. Supervisão médica, por especialistas nesta área, é necessária.
Devem ser observados todos os cuidados de assepsia85 durante toda a manipulação do medicamento até o término da injeção86.
Soluções para administração parenteral devem ser inspecionadas visualmente em relação à partículas em suspensão ou descoloração da solução ou depósitos, caso a solução e a embalagem permitam.
Soluções reconstituídas de Cycram Injetável podem ser administradas por vias intravenosa, intramuscular, intraperitoneal e intrapleural.
Qualquer porção não utilizada da solução reconstituída deve ser descartada.

Reconstituição:
Cycram Injetável deve ser reconstituído em Água Estéril para Injeções. Usar a quantidade de diluente apresentada abaixo para reconstituir o produto:

Dose        Quantidade de Diluente    
200 mg        10 mL    
1g        50 mL    

A solução obtida pode ser, posteriormente, diluída em Dextrose87 Injetável 5‰, Dextrose87 e Cloreto de Sódio Injetável (5‰ e 0,9‰), Dextrose87 5‰ e Ringer Injetável, Cloreto de Sódio Injetável 0,45‰, Lactato88 de Sódio 1/6M Injetável.
A solução reconstituída de Cycram não contém conservantes antimicrobianos devendo ser portanto, usada imediatamente, após reconstituição, ou dentro de um período máximo de 6 horas.
Preparações líquidas extemporâneas de Cycram para uso oral podem ser preparadas pela diluição de Cycram Injetável em veículo apropriado (ex: Elixir Aromático). A concentração dessa solução deve ser 1 a 5mg de Ciclofosfamida por mL. Essa preparação deve ser conservada sob refrigeração por até 14 dias.

*Comprimidos Revestidos:
Os comprimidos de Cycram devem ser deglutidos inteiros, preferencialmente, com estômago89 vazio e com bastante água. Se ocorrer desconforto gástrico, as doses podem ser fracionadas e ingeridas com alimentos. Não mastigar.
Lavar as mãos90 após tocar os comprimidos.

Superdosagem de Cycram

Não se conhece nenhum antídoto91 específico para Cycram. O tratamento para superdosagem deve conter medidas de suporte, incluindo tratamento apropriado para qualquer infecção38 presente. Mielossupressão ou toxicidade62 cardíaca podem ocorrer.


USO RESTRITO A HOSPITAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

CYCRAM - Laboratório

MEIZLER
Alameda Juruá, 149 - Alphaville
Barueri/SP - CEP: 06455-010
Tel: 11-4195-6613
Fax: 11-4195-6621
Email: diretoria@meizler.com.br
Site: http://www.meizler.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MEIZLER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
5 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
8 Citotóxicos: Diz-se das substâncias que são tóxicas às células ou que impedem o crescimento de um tecido celular.
9 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
10 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
11 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
12 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
13 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
14 Doença de Hodgkin: Doença neoplásica que afeta o tecido linfático, caracterizada por aumento doloroso dos gânglios linfáticos do pescoço, axilas, mediastino, etc., juntamente com astenia, prurido (coceira) e febre. Atualmente pode ter uma taxa de cura superior a 80%.
15 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
16 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
17 Mieloma: Variedade de câncer que afeta os linfócitos tipo B, encarregados de produzir imunoglobulinas. Caracteriza-se pelo surgimento de dores ósseas, freqüentemente a nível vertebral, anemia, insuficiência renal e um estado de imunodeficiência crônica.
18 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
19 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
20 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
21 Adenocarcinoma: É um câncer (neoplasia maligna) que se origina em tecido glandular. O termo adenocarcinoma é derivado de “adeno”, que significa “pertencente a uma glândula” e “carcinoma”, que descreve um câncer que se desenvolveu em células epiteliais.
22 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
23 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
24 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
25 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
26 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
27 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
28 Esclerose múltipla: Doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, produzida pela alteração na camada de mielina. Caracteriza-se por alterações sensitivas e de motilidade que evoluem através do tempo produzindo dano neurológico progressivo.
29 Neoplasias: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
30 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
31 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
32 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
33 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
34 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
35 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
36 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
37 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
38 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
39 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
40 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
41 Miocardite: 1. Inflamação das paredes musculares do coração. 2. Infecção do miocárdio causada por bactéria, vírus ou outros microrganismos.
42 Hemorrágica: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
43 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
44 Ecocardiograma: Método diagnóstico não invasivo que permite visualizar a morfologia e o funcionamento cardíaco, através da emissão e captação de ultra-sons.
45 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
46 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
47 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
48 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
49 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
50 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
51 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
52 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
53 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
54 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
55 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
56 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
57 Gônadas: 1. Designação genérica das glândulas sexuais (ovário e testículo) que produzem os gametas (óvulos e espermatozoides). 2. Em embriologia, é a glândula embrionária antes de sua possível identificação morfológica como ovário ou testículo.
58 Amenorréia: É a ausência de menstruação pelo período equivalente a 3 ciclos menstruais ou 6 meses (o que ocorrer primeiro). Para períodos inferiores, utiliza-se o termo atraso menstrual.
59 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
60 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
61 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
62 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
63 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
64 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
65 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
66 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
67 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
68 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
69 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
70 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
71 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
72 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
73 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
74 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
75 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
76 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
77 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
78 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
79 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
80 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
81 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
82 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
83 Síndrome nefrótica: Doença que afeta os rins. Caracteriza-se pela eliminação de proteínas através da urina, com diminuição nos níveis de albumina do plasma. As pessoas com síndrome nefrótica apresentam edema, eliminação de urina espumosa, aumento dos lipídeos do sangue, etc.
84 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
85 Assepsia: É o conjunto de medidas que utilizamos para impedir a penetração de micro-organismos em um ambiente que logicamente não os tem. Logo um ambiente asséptico é aquele que está livre de infecção.
86 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
87 Dextrose: Também chamada de glicose. Açúcar encontrado no sangue que serve como principal fonte de energia do organismo.
88 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
89 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
90 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
91 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.

Tem alguma dúvida sobre CYCRAM?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.