Prothromplex

BAXALTA BRASIL BIOCIÊNCIA LTDA

Atualizado em 10/05/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO:

PROTHROMPLEX®
complexo protrombínico total (fatores II, VII, IX e X de coagulação1)

APRESENTAÇÕES

PROTHROMPLEX, complexo protrombínico total (fatores II,VII, IX e X de coagulação1), é um concentrado preparado a partir do plasma2 humano na forma de pó liofilizado3, acompanhado do volume apropriado da solução diluente para reconstituição.
Cada embalagem de PROTHROMPLEX, é apresentada na seguinte forma: Complexo protrombínico total (fatores II, VII, IX e X de coagulação1) 600 UI:

  • Frasco-ampola contendo 600 UI de complexo protrombínico total (fatores II, VII, IX e X de coagulação1), p liofilizado3.
  • Frasco-ampola contendo 20mL de diluente (água para injetáveis).
  • Conjunto de reconstituição e infusão.

VIA INTRAVENOSA
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO

PROTHROMPLEX, complexo 
protrombínico total (fatores II, VII,
IX e X de coagulação1)

Por frasco

Após reconstituição com água
para injetáveis 20mL (UI/mL)

complexo protrombínico total:

 

 

fator II de coagulação1

480-900 UI

24 - 45

fator VII de coagulação1

500 UI

25

fator IX de coagulação1

600 UI

30

fator X de coagulação1

600 UI

30

Um frasco contém pelo menos 400 UI de proteína C co-purificada com os fatores de coagulação1 sanguíneo.
Excipientes: cloreto de sódio, citrato de sódio di-hidratado, heparina sódica, antitrombina III (15 – 30 UI por frasco ou 0,75 – 1,5 UI/mL) e água para injetáveis.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE:

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

PROTHROMPLEX é indicado para o tratamento de hemorragia4 e para a prevenção de hemorragias5 imediatamente antes ou após a cirurgia.
Você pode desenvolver uma deficiência de fatores de coagulação1 dependentes de vitamina6 K (deficiência adquirida), por exemplo, a partir do tratamento ou dose excessiva com medicamentos que reduzem o efeito da vitamina6 K (chamados antagonistas da vitamina6 K).
Se você nasceu com uma deficiência (deficiência congênita7), este medicamento pode ser administrado imediatamente antes ou após a cirurgia se o concentrado apropriado de fator específico não está disponível.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

PROTHROMPLEX é uma preparação feita a partir de plasma2 humano (a parte líquida do sangue8). PROTHROMPLEX contém fatores de coagulação1 II, VII, IX e X (fatores de coagulação1 do complexo protrombínico). Estes fatores de coagulação1 são dependentes de vitamina6 K e, como a vitamina6 K, desempenha um papel importante na coagulação1 do sangue8. No caso de deficiência de um destes fatores, o sangue8 não coagula tão rapidamente como no normal, o que conduz a um aumento da tendência ao sangramento.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve usar PROTHROMPLEX se:

  • Você é alérgico aos fatores de coagulação1 ou a qualquer outro componente deste medicamento; e
  • Se você tem ou suspeita ter tido uma queda de plaquetas9 no sangue8 desencadeada pela heparina, as células10 que são importantes para a coagulação1 do sangue8 (trombocitopenia11 induzida pela heparina).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Converse com seu médico antes de usar PROTHROMPLEX. Existe uma rara possibilidade de o paciente desenvolver uma reação alérgica12 súbita e grave (reação anafilática13) ao PROTHROMPLEX, porque tais reações alérgicas foram relatadas com o uso de PROTHROMPLEX.

Em todas as situações abaixo, o médico irá avaliar cuidadosamente os benefícios do tratamento com Prothomplex® contra o potencial risco destas complicações: 

  • Se você apresenta deficiência adquirida de fatores de coagulação1 dependentes de vitamina6 K.
  • Esta deficiência adquirida pode ter sido causada pelo tratamento com medicamentos que neutralizam a coagulação1 do sangue8 através da inibição da vitamina6 K. Neste caso, PROTHROMPLEX deve ser
  • administrado apenas quando é necessária uma rápida correção da concentração dos fatores de coagulação1 do complexo protrombínico, por exemplo, em caso de hemorragia4 grave ou cirurgia de emergência14. Em todos os
  • outros casos, é suficiente a redução da dose dos antagonistas de vitamina6 K ou a administração de vitamina6 K.
  • Se você apresenta deficiência congênita7 de um fator de coagulação1 dependente da vitamina6 K, o médico irá administrar o concentrado de fator específico, se estiver disponível.
  • Se você faz uso de medicamentos para inibir a coagulação1 do sangue8 (antagonistas da vitamina6 K):
  • O paciente pode ter uma maior disposição para a coagulação1, que pode ser aumentada através da infusão do concentrado de complexo protrombínico humano.
  • Se você recebe tratamento com concentrado de complexo protrombínico, especialmente no caso do paciente
  • receber repetidamente, porque podem ocorrer coágulos de sangue8 (trombose15) e serem levados para a corrente sanguínea (embolia16).
  • Devido ao risco potencial de ocorrência de coágulos de sangue8, se você pertencer a um dos seguintes grupos:
    • Recém-nascidos;
    • Pacientes pós-cirurgia;
    • Pacientes com risco de complicações tromboembólicas ou coagulação1 intravascular17 disseminada (CID);
    • Quando apresenta doença dos vasos coronários18 ou infarto do miocárdio19;
    • Pacientes com doença hepática20.

PROTHROMPLEX é preparado a partir de plasma2 humano (componente líquido do sangue8). Quando os medicamentos são produzidos a partir de sangue8 ou plasma2 humano, são tomadas algumas medidas para evitar a transmissão de infecções21 aos pacientes. Dentre estas medidas, incluem a seleção dos dadores de sangue8 e plasma2, para certificar-se de o risco de serem portadores de infecções21 está excluído, e a análise para sinais22 de vírus23/infecções21 de cada doação e pools de plasma2. Os fabricantes destes produtos também incluem etapas no processamento do sangue8 e plasma2 que podem inativar ou remover o vírus23. Apesar destas medidas, quando são administrados medicamentos preparados a partir de sangue8 ou plasma2 humano, a possibilidade de transmissão de infecções21 não pode ser totalmente excluída. Isto também se aplica a vírus23 desconhecidos ou emergentes ou outros tipos de infecções21.

As medidas tomadas são consideradas eficazes para vírus23 envelopados, tais como o vírus23 da imunodeficiência24 humana (HIV25), o vírus23 da hepatite26 B e vírus23 da hepatite26 C, e para o vírus23 não-envelopado da hepatite26 A. As medidas tomadas podem ser de valor limitado contra vírus23 não-envelopado, como o parvovírus B19. A infecção27 pelo parvovírus B19 pode ser grave em mulheres grávidas (infecção27 do feto28) e em indivíduos com o sistema imunológico29 deprimido ou com algum tipo de anemia30 (por exemplo, anemia falciforme31 ou anemia hemolítica32).

Seu médico pode recomendar que o você considere a vacinação contra a hepatite26 A e B, se o paciente recebe regularmente ou repetidamente concentrados de complexo protrombínico derivados do plasma2 humano.

Recomenda-se que cada vez que o paciente receber uma dose de PROTHROMPLEX, seja registrados o nome e o número do lote do produto, de forma a manter um registo dos lotes utilizados.

Gravidez33, amamentação34 e fertilidade
Não há dados suficientes do uso de PROTHROMPLEX em mulheres grávidas ou lactantes35.

Se você está grávida ou amamentando, suspeita de estar grávida ou está planejando ter um bebê, pergunte para seu médico ou farmacêutico antes de usar este medicamento. PROTHROMPLEX é para ser usado durante a gravidez33 ou o período de amamentação34 apenas se claramente indicado. Não há informações sobre os efeitos de PROTHROMPLEX na fertilidade.

Categoria “C” de risco na gravidez33.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Condução de veículos e utilização de máquina
O efeito de PROTHROMPLEX sobre a capacidade de conduzir ou utilizar máquinas não é conhecido.

PROTHROMPLEX contém sódio
PROTHROMPLEX contém 80 mg de sódio por frasco (valor calculado). Levar em consideração em pacientes com uma dieta baixa em sódio.

Interações medicamentosas
Avise seu médico ou farmacêutico se você está tomando/administrando ou recentemente tomou/administrou outro medicamento, incluindo medicamentos obtidos sem prescrição.

O médico deve ser informado se o paciente faz uso de medicamentos para inibir a coagulação1 do sangue8 (antagonistas da vitamina6 K). O paciente pode ter uma maior disposição para a coagulação1, que pode ser aumentado através da infusão do concentrado de complexo protrombínico humano.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde36.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

PROTHROMPLEX deve ser conservado na forma liofilizada37 sob refrigeração a uma temperatura entre +2°C e +8°C. O produto não deve ser congelado.
Armazenar na embalagem original para proteger da luz.
Este concentrado de complexo protrombínico possui validade de 36 meses, quando conservado sob refrigeração a uma temperatura entre +2°C e +8°C.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Para sua segurança, mantenha o medicamento na embalagem original. Após reconstituição, a solução deve ser utilizada imediatamente.

PROTHROMPLEX é um pó seco compacto, branco a amarelo claro.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Este medicamento não deve ser eliminado na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar este medicamento, quando não é mais necessário. Esta medida vai ajudar a proteger o ambiente.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Deficiência Congênita7 dos Fatores do Complexo Protrombínico
A dosagem e duração da terapia de substituição dependem da gravidade do distúrbio da função hemostática, do local e extensão da hemorragia4 e da condição clínica.
A dosagem requerida calculada para tratamento é baseada em achados empíricos que 1 UI de fator IX por kg de peso aumenta a atividade do fator IX do plasma2 em 0,8%, 1 UI de fator VII por kg de peso aumenta a atividade do fator VII do plasma2 em 2,0% e 1 UI de fator II ou X por kg de peso aumenta a atividade do fator II ou do fator X do plasma2 em 1,5%.

A dosagem requerida é determinada usando a seguinte fórmula:

Dose inicial (p.ex. fator IX): unidades requeridas = peso (kg) x aumento desejado em F IX (%) x 1,2
A quantidade a ser administrada e a frequência da aplicação devem sempre ser orientadas individualmente para a eficácia clínica.
Deficiência de fator IX deve ser tratada somente com PROTHROMPLEX, se concentrados específicos de fator IX não estiverem disponíveis.
Pacientes que necessitam mais de 4 a 5 dias de tratamento com concentrado de complexo protrombínico devem ser monitorados cuidadosamente para sinais22 de trombose15 ou coagulação1 intravascular17 disseminada. Estes pacientes requerem tratamento específico.
A experiência no tratamento de deficiência congênita7 dos fatores II, VII ou X é limitada. Devido à meia-vida longa do fator II (40 – 60 horas) e X (30 – 60 horas), pacientes com deficiência congênita7 de fator X ou fator II requerem quantidades menores de concentrado de complexo protrombínico.
A meia-vida do fator VII (3 – 6 horas) é muito curta. Portanto os pacientes com deficiência congênita7 de fator VII podem requerer quantidades maiores de concentrado de complexo protrombínico. Estes pacientes devem ser monitorados cuidadosamente para sinais22 de trombose15 ou coagulação1 intravascular17 disseminada.
Em casos de intervenções cirúrgicas maiores, um monitoramento preciso da terapia de substituição através da análise da coagulação1 é indispensável.

Deficiência Adquirida dos Fatores do Complexo Protrombínico
A dosagem e duração da terapia de substituição dependem da gravidade do distúrbio da função hemostática, do local e extensão da hemorragia4 e da condição clínica. A dosagem requerida é também dependente da meia-vida in vivo do fator necessário e do peso do paciente.

Para assegurar controle do tratamento, a coagulação1 sanguínea deve ser monitorada tanto quanto possível com a ajuda de testes de coagulação1.

Em casos de hemorragias5 graves e antes de procedimentos com alto risco de hemorragia4, os pacientes devem receber concentrado de complexo protrombínico em quantidade suficiente para correção do tempo de protrombina38.

Interações com outros medicamentos e outras formas de interação
Se forem aplicadas doses elevadas de PROTHROMPLEX, deve ser levado em consideração a heparina contida na preparação durante a realização de análise de coagulação1 sensível à heparina.

Incompatibilidades
Este medicamento não deve ser misturado com outros medicamentos, exceto o diluente contido na embalagem.

Assim como com todas as preparações de fator de coagulação1, a eficácia e tolerância do medicamento pode ser prejudicada pela mistura com outros medicamentos. É aconselhável lavar o acesso venoso comum com solução salina isotônica39 antes e após a administração de PROTHROMPLEX.

Precauções especiais de eliminação e manuseamento
Para a reconstituição, use somente o conjunto para reconstituição incluso.
Reconstituir PROTHROMPLEX imediatamente antes da administração. Em seguida, a solução é para ser utilizada de imediato (a solução não contém conservantes).
A solução é transparente ou ligeiramente opalescente. Antes da administração, verificar visualmente a solução reconstituída para partículas em suspensão ou descolorações. Soluções turvas ou soluções com precipitado devem ser eliminadas.

Reconstituição do pó liofilizado3 com a solução diluente
Usar técnica asséptica

  1. Aquecer o frasco fechado contendo o diluente (água para injetáveis) à temperatura ambiente ou temperatura corpórea (máximo 37°C).
  2. Remover as tampas plásticas protetoras dos frascos do concentrado e do diluente (fig. A) e desinfetar as tampas de borracha de ambos os frascos.
  3. Remover a cobertura protetora de uma ponta da agulha de transferência por torção40, remover e inserir a agulha através da tampa de borracha do frasco de diluente (fig. B e C).
  4. Remover a cobertura protetora da outra extremidade da agulha de transferência, tendo o cuidado de não tocar na extremidade exposta.
  5. Inverter o frasco de diluente sobre o frasco do concentrado e inserir a extremidade livre da agulha de transferência para dentro do frasco do concentrado (fig. D). O diluente será aspirado para dentro do frasco de concentrado por vácuo.
  6. Desconectar os dois frascos removendo a agulha do frasco do concentrado (fig. E). Agitar suavemente ou girar o frasco do concentrado para acelerar a dissolução.
  7. Ao se completar a reconstituição do concentrado, inserir a agulha de aeração (fig. F) e qualquer espuma que tenha se formado desaparecerá. Remover a agulha de aeração.

Injeção41/Infusão
Usar técnica asséptica

  1. Remover a cobertura de proteção de uma ponta da agulha de filtro contida na embalagem, girando a tampa, e inserir a agulha na seringa42 descartável estéril. Aspirar a solução para dentro da seringa42 (fig. G).
  2. Desconectar a agulha de filtro da seringa42 e, lentamente injetar a solução por via intravenosa (velocidade máxima de 2 mL/min).

Se administrado por infusão, usar um equipo de infusão com filtro adequado.

Após a administração, descartar todas as agulhas sem lacre, juntamente com a seringa42 e/ou o sistema de infusão na embalagem do produto, para evitar colocar outras pessoas em risco.
Todo o material não utilizado ou os resíduos devem ser eliminados de acordo com as exigências locais. Documentar cada administração de PROTHROMPLEX no histórico do paciente, utilizando a etiqueta autoadesiva inclusa.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Assim como toda terapia com derivados de plasma2, existe a possibilidade do paciente desenvolver reação alérgica12 súbita (reação anafilática13). Em casos individuais, pode-se desenvolver reação de hipersensibilidade grave, incluindo choque43.

Portanto, deve-se ter atenção aos primeiros sintomas44 potenciais de uma reação alérgica12, como:

  • Eritema45 (vermelhidão da pele46);
  • Erupção47 cutânea48 (rash49);
  • Aparecimento de urticária50 na pele46 (exantema51);
  • Coceira em qualquer parte do corpo;
  • Inchaço52 dos lábios e língua53;
  • Dificuldades respiratórias (dispneia54);
  • Aperto no peito55;
  • Mal-estar geral;
  • Tonturas56;
  • Queda da pressão arterial57.

Se forem notados um ou vários dos sintomas44 listados acima, interromper a infusão imediatamente. Vários sintomas44 requerem tratamento emergencial imediato.

Durante o tratamento com concentrado de complexo protrombínico, podem-se desenvolver coágulos de sangue8 (trombose15) e serem levados na corrente sanguínea (embolia16). Isso pode acarretar em complicações como infarto58 do coração59, um aumento do consumo de plaquetas9 e fatores de coagulação1 com a pronunciada formação de coágulos nos vasos sanguíneos60 (coagulopatia de consumo), obstrução das veias61 por coágulos de sangue8 (trombose15 venosa) e obstrução de um vaso sanguíneo pulmonar por um coágulo62 de sangue8 (enfarte pulmonar).

Ao utilizar concentrado de complexo protrombínico (incluindo PROTHROMPLEX), os pacientes podem desenvolver resistência (inibidores) a um ou vários dos fatores de coagulação1 com a inativação subsequente dos fatores de coagulação1. A presença de tais inibidores pode manifestar-se como uma resposta insuficiente para o tratamento.

As reações adversas estão agrupadas de acordo com as frequências descritas abaixo:

  • Reação muito comum: > 1/10
  • Reação comum: > 1/100 e ≤ 1/10
  • Reação incomum: > 1/1.000 e ≤ 1/100
  • Reação rara: > 1/10.000 e ≤ 1/1.000
  • Reação muito rara: ≤ 1/10.000
  • Desconhecido: a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

As seguintes reações adversas podem ocorrer comumente (>1/100 e ≤ 1/10) durante o uso de PROTHROMPLEX:

  • Formação de coágulos de sangue8 em todo o corpo (coagulação1 intravascular17 disseminada), resistência (inibidores) a um ou mais dos fatores do complexo protrombínico (fatores II, VII, IX e X);
  • Reação alérgica12 súbita e grave (choque anafilático63), reação anafilática13, hipersensibilidade;
  • Acidente vascular cerebral64, dor de cabeça65;
  • Ataque cardíaco (infarto58 agudo66 do miocárdio67), palpitações68 do coração59 (taquicardia69);
  • Trombose15 arterial, trombose15 venosa, queda da pressão arterial57 (hipotensão70), vermelhidão da pele46 (rubor);
  • Oclusão de um vaso pulmonar através de um coágulo62 de sangue8 (embolia16 pulmonar), dificuldades
  • respiratórias, falta de ar (dispneia54), sibilos;
  • Vômito71, sensação de enjoo (náuseas72);
  • Urticária50 no corpo todo, rash49 (exantema51 eritematoso73), coceira (prurido74);
  • Doença renal75 com sintomas44 como inchaço52 das pálpebras76, face77 e pernas com ganho de peso, bem como perda de proteínas78 através da urina79 (síndrome nefrótica80);
  • Febre81 (pirexia82).

As seguintes reações adversas foram observadas com outro concentrado de complexo protrombínico:

  • Inchaço52 da face77, língua53 e lábios (angioedema83), sensação na pele46 tais como ardor84, coceira ou formigamento (parestesia85);
  • Reação no local da perfusão;
  • Letargia86;
  • Inquietação.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Em caso de superdose, existe o risco do desenvolvimento de complicações tromboembólicas ou coagulopatia de consumo.
Quando altas doses do concentrado de complexo protrombínico humano são administradas, ataque cardíaco, aumento do consumo de plaquetas9 e fatores de coagulação1 com a formação pronunciada de coágulos nos vasos sanguíneos60 (DIC, coagulação1 intravascular17 disseminada, coagulopatia de consumo), trombose15 venosa e embolia16 pulmonar foram observados.
Se você tiver outras dúvidas do uso deste medicamento, pergunte ao seu médico ou ao farmacêutico.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS:

 

Venda sob prescrição médica

 

MS 1.5628.0005
Farm. Resp.: Jônia Gurgel Moraes - CRF/SP: 10.616

Fabricado por:
Baxter AG, Viena, Áustria

Importado por:
Baxalta Brasil Biociência Ltda.
Avenida Dr. Chucri Zaidan, 1.240 – Torre B 12° andar
Conj. 1204, parte A - CEP 04711-130
São Paulo – SP
CNPJ: 22.558.594/0001-93

 

SAC 0800 940 0367


 

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
2 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
3 Liofilizado: Submetido à liofilização, que é a desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas, usada especialmente na conservação de alimentos, em medicamentos, etc.
4 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
5 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
6 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
7 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
8 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
9 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
10 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
11 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
12 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
13 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
14 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
15 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
16 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
17 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
18 Vasos Coronários: Veias e artérias do CORAÇÃO. Sinônimos: Artérias Coronárias; Artéria do Nó Sinusal; Artéria do Nodo Sinusal; Artéria do Nódulo Sinusal
19 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
20 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
21 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
22 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
23 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
24 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
25 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
26 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
27 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
28 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
29 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
30 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
31 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
32 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
33 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
34 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
35 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
36 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
37 Liofilizada: Submetida à liofilização, ou seja, à desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas.
38 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
39 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.
40 Torção: 1. Ato ou efeito de torcer. 2. Na geometria diferencial, é a medida da derivada do vetor binormal em relação ao comprimento de arco. 3. Em física, é a deformação de um sólido em que os planos vizinhos, transversais a um eixo comum, sofrem, cada um deles, um deslocamento angular relativo aos outros planos. 4. Em medicina, é o mesmo que entorse. 5. Na patologia, é o movimento de rotação de um órgão sobre si mesmo. 6. Em veterinária, é a cólica de alguns animais, especialmente a do cavalo.
41 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
42 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
43 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
44 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
45 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
46 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
47 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
48 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
49 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
50 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
51 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
52 Inchaço: Inchação, edema.
53 Língua:
54 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
55 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
56 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
57 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
58 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
59 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
60 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
61 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
62 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
63 Choque anafilático: Reação alérgica grave, caracterizada pela diminuição da pressão arterial, taquicardia e distúrbios gerais da circulação, acompanhado ou não de edema de glote. Necessita de tratamento urgente. Pode surgir por exposição aos mais diversos alérgenos.
64 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
65 Cabeça:
66 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
67 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
68 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
69 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
70 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
71 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
72 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
73 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
74 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
75 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
76 Pálpebras:
77 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
78 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
79 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
80 Síndrome nefrótica: Doença que afeta os rins. Caracteriza-se pela eliminação de proteínas através da urina, com diminuição nos níveis de albumina do plasma. As pessoas com síndrome nefrótica apresentam edema, eliminação de urina espumosa, aumento dos lipídeos do sangue, etc.
81 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
82 Pirexia: Sinônimo de febre. É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
83 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
84 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
85 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
86 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.

Tem alguma dúvida sobre Prothromplex?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.