SULFATO DE GENTAMICINA

DUCTO

Atualizado em 09/12/2014

Composição do Sulfato de Gentamicina

gentamicina 10 mg, 20 mg, 40 mg. Veículo q.s.p.1 ml. Gentamicina 60 mg, 80 mg, 120 mg, 160 mg, 280 mg. Veículo q.s.p. 2 ml. Veículos: ácido láctico 85%, hidróxido de sódio, ácido etileno tetracético, metabissulfito de sódio.

Posologia e Administração do Sulfato de Gentamicina

via de administração: intramuscular. Adultos: função renal1 normal: 3 mg/kg/dia divididos em 3 doses (8/8 h). Infecções2 graves: 5 mg/kg/dia divididos em 3 doses (8/8 h). Crianças: abaixo de 7 dias e prematuros: 5 mg/kg/dia divididos em 2 doses (12/12 h). 7,5 mg/kg/ dia divididos em 3 doses (8/8 h). Meia-vida de 1 a 4 horas.

Precauções do Sulfato de Gentamicina

na disfunção renal1 pode haver risco de ototoxicidade3, devido à vagarosa excreção de gentamicina, resultando no aumento da concentração no soro4. Em tais pacientes a freqüência da administração deverá ser reduzida, ou as doses adaptadas às condições renais do paciente. Em pacientes que tenham sido previamente tratados com drogas que afetam a função do oitavo par craniano, deverá ser usada com cautela e com conhecimento de que a toxicidade5 daqueles agentes pode ter ação cumulativa com a gentamicina. Deverá ser contra-indicada naqueles pacientes que tenham uma história de hipersensibilidade ou que tenham experimentado reações tóxicas em tratamentos anteriores com gentamicina ou outros aminoglicosídeos. Gentamicina não deve ser administrada em combinação com outras substâncias potencialmente ototóxicas ou nefrotóxicas. Embora estudos em animais não tenham revelado efeitos teratogênicos6 ou ototóxicos para o feto7, Gentamicina Injetável só deverá ser usada em pacientes grávidas com estrita orientação do médico. O uso concomitante de gentamicina com potentes diuréticos8 como o ácido etacrínico ou furosemida, deve ser evitado, já que os diuréticos8 por si podem provocar ototoxicidade3. Em adição, quando administrado por via endovenosa, os diuréticos8 podem aumentar a toxicidade5 dos aminoglicosídeos, alterando sua concentração no soro4 e tecidos. Foram reportados bloqueios muscular e paralisia9 respiratória em animais que receberam altas doses de gentamicina. A possibilidade de ocorrerem tais fenômenos no homem deve ser considerada quando aminoglicosídeos são administrados a pacientes que receberam anestésicos, agentes bloqueadores neuromusculares, tais como, succinilcolina ou tubocurarina ou transfusões volumosas de sangue10 citratado. Se ocorrer bloqueio neuromuscular, este efeito é antagonizado pelos sais de cálcio. Apesar de in vitro, a mistura de gentamicina e carbenicilina resultar em uma rápida e significante inativação da gentamicina, esta interação não ocorre em pacientes com função renal1 normal e que recebem ambas as drogas separadamente. As concentrações séricas dos aminoglicosídeos devem ser determinadas sempre que possíveis para assegurar níveis adequados e evitar concentrações potencialmente tóxicas. Como gentamicina, deve ser evitados níveis de 12 mcg/ml por tempo prolongado. O uso em pacientes idosos (acima de 65 anos) requer acompanhamento médico. - Interações medicamentosas: uso concomitante com outras drogas nefrotóxicas e/ou neurotóxicas (estreptomicina, neomicina, cefaloridina, kanamicina, vancomicina, polimixina B e polimixina E). Uso concomitante com diuréticos8 potentes, uma vez que podem potencializar o efeito ototóxico.

Reações Adversas do Sulfato de Gentamicina

neurotoxicidade: efeitos adversos para o lado do ramo vestibular11 e/ou coclear do VIII par craniano têm sido reportados, principalmente em pacientes com alteração na função renal1 ou em pacientes que fazem uso de altas doses ou que se submetem a tratamentos prolongados. Estes efeitos incluem tonteiras, zumbido, sensação de ruídos nos ouvidos e perda de audição. Dormência12, formigamento cutâneo13, contraturas musculares e confusões também têm sido reportados. Nefrotoxicidade14: ocorre mais freqüentemente em pacientes com história de insuficiência renal15.

Contra-Indicações do Sulfato de Gentamicina

pacientes com história de hipersensibilidade ou reações tóxicas à gentamicina. Uso concomitante com outras drogas nefrotóxicas e/ou neurotóxicas (estreptomicina, neomicina, cefaloridina, kanamicina, vancomicina, polimixina B e polimixina E). Uso concomitante com diuréticos8 potentes, uma vez que podem potencializar o efeito ototóxico. Não deve ser usada em pacientes grávidas, a não ser após uma análise do fator risco/benefício.

Indicações do Sulfato de Gentamicina

tratamento de infecções2 causadas por uma ou mais cepas16 de bactérias sensíveis a este antibiótico, incluindo Pseudomonas aeruginosa, Proteus sp. (indol positivo e indol negativo), Escherichia coli, Klebsiella-Enterobacter-Serratia sp, Citrobacter sp., Providencia e Neisseria gonorrhoeae e Staphylococcus sp, coagulase positiva e coagulase negativa, incluindo cepas16 penicilino e meticilinorresistentes.

Apresentação do Sulfato de Gentamicina

caixa com 1 ampola de 2 ml e caixa com 2 ampolas de 1 ml.


SULFATO DE GENTAMICINA - Laboratório

DUCTO
Rua VPR 3, Quadra 2-A, Mód. 20/21
Anápolis/GO - CEP: 75133-600
Tel: (62 )310-2500
Fax: (62 )800-2122

Ver outros medicamentos do laboratório "DUCTO"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Ototoxicidade: Dano causado aos sistemas coclear e/ou vestibular resultante de exposição a substâncias químicas.
4 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
5 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
6 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
7 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
8 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
9 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
10 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
11 Vestibular: 1. O sistema vestibular é um dos sistemas que participam do equilíbrio do corpo. Ele contribui para três funções principais: controle do equilíbrio, orientação espacial e estabilização da imagem. Sintomas vestibulares são aqueles que mostram alterações neste sistema. 2. Exame que aprova e classifica os estudantes a serem admitidos nos cursos superiores.
12 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
13 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
14 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
15 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
16 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.

Tem alguma dúvida sobre SULFATO DE GENTAMICINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.