CLARINEO

NEO QUIMICA

Atualizado em 08/12/2014

CLARINEO
claritromicina

Forma Farmacêutica e Apresentação do Clarineo

Comprimidos revestidos 250mg: Embalagens com 8, 12 e 480*comprimidos revestidos .
* Embalagem Hospitalar

USO ADULTO
USO ORAL

Composição do Clarineo

Cada comprimido revestido contém:
claritromicina ....................250mg
excipientes q.s.p....................1 comprimido revestido
(glicolato amido sódico, lauril sulfato de sódio, ácido esteárico, celulose
microcristalina, polivinilpirrolidona, croscarmelose sódica, estearato de
magnésio, dióxido de silício, hidroxipropilmetilcelulose, polietilenoglicol e
dióxido de titânio).

Informações ao Paciente do Clarineo

Clarineo tem ação bacteriostática.Conservar em temperatura ambiente (15° a 30° C). Proteger da luz e
umidade.
Prazo de validade: VIDE CARTUCHO. Não use medicamento com o
prazo de validade vencido; poderá ocorrer diminuição significativa do seu
efeito terapêutico.
"Informe seu médico a ocorrência de gravidez1 na vigência do tratamento
ou após o seu término". "Informe seu médico se está amamentando". A
segurança da utilização de Clarineo durante o período de gravidez1 ainda
não foi estabelecida, por isso o produto deve ser usado por mulheres
grávidas ou que estejam amamentando, somente a critério médico.
"Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as
doses e a duração do tratamento".
"Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico".
"Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, tais
como: náuseas2, má digestão3, dor abdominal, diarréia4, dores de cabeça5 e
vermelhidão na pele6".
"TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE
DAS CRIANÇAS".
Clarineo é contra-indicado para pacientes7 com hipersensibilidade aos
antibióticos macrolídeos ou a qualquer outro componente da fórmula.
Contra-indicado para crianças menores de 12 anos de idade.
"Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando
antes do início ou durante o tratamento".
"NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU
MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE8".

Informações Técnicas do Clarineo

A claritromicina é um antibiótico do grupo dos macrolídeos, obtido
mediante substituição do grupo hidroxila na posição 6 pelo grupo CH O no 3
anel lactônico da eritromicina; sendo chamada de 6-O-metil-eritromicina.
Essa substituição impede a degradação e aumenta a biodisponibilidade
deste antibiótico semi-sintético, em comparação com a eritromicina, que é
degradada em meio ácido, resultando em produtos tóxicos responsáveis
pelos efeitos adversos gastrintestinais. Além disso, é mais potente do que
a eritromicina contra muitos microrganismos sensíveis a este antibiótico.
A claritromicina penetra melhor nas membranas externas das bactérias
gram-positivas do que a eritromicina. É de natureza mais básica do que a
eritromicina e isso aumenta a atividade contra bactérias gram-positivas e
gram-negativas aeróbias e anaeróbias. Sua potência equivale de 2 a 4
vezes à da sua precursora. Mostra-se ativa contra Haemophilus
influenzae, Haemophilus parainfluenzae, Streptococcus agalactiae,
Streptococcus pyogenes, Streptococcus viridans, Streptococcus
pneumoniae, Neisseria gonorrhoeae, Neisseria meningitidis, Listeria
monocytogenes, Legionella pneumophila, Pasteurella multocida,
Mycoplasma pneumoniae, Helicobacter pylori, Campylobacter jejuni,
Chlamydia trachomatis, Chlamydia pneumoniae, Branhamella catarrhalis,
Bordetella pertussis, Borrellia burgdorferi, Staphylococcus aureus,
Propionibacterium acnes, Clostridium perfringens, Peptococcus niger,
Bacteroides melaninogenicus. Age sobre Toxoplasma sp quando
administrada isoladamente ou associada a pirimetamina.
Ela inibe os microrganismos Mycobacterium avium, M. leprae, M.
chelonae e M. fortuitum. Sua eficácia contra M. avium, que está
freqüentemente presente em pacientes com AIDS, é maior que as da
rifampicina e azitromicina. A claritromicina administrada por via oral, é bem
absorvida pelo trato gastrintestinal (a presença de alimento diminui a
velocidade, mas não a extensão da absorção); biodisponibilidade 55%; é
amplamente distribuída nos tecidos e líquidos orgânicos, atingindo
concentrações altas na mucosa9 nasal, amígdalas10 e particularmente nos
pulmões;11 penetra rapidamente nos leucócitos12 e macrófagos13; ligação às
proteínas14: 65 a 75%; sofre biotransformação hepática15 por hidrólise,
desmetilação e hidroxilação, um dos metabólitos16, a 14-
hidroxiclaritromicina, tem atividade comparável à da claritromicina e pode
atuar sinergicamente com o fármaco17 íntegro contra Haemophilus
influenzae; meia-vida: nos pacientes com função renal18 normal,
claritromicina: 3 a 7 horas, 14-hidroxiclaritromicina: 5 a 7 horas, nos
pacientes com insuficiência renal19, claritromicina: cerca de 22 horas, 14 -
hidroxiclaritromicina: cerca de 47 horas; atinge a concentração sérica
máxima em cerca de duas horas; concentração sérica máxima:
claritromicina, 1 a 3,0 mg/mL, 14-hidroxiclaritromicina, 0,6 a 1,0 mg/mL; é
excretada pelo leite materno; eliminada principalmente pela urina20, 20 a
30% como fármaco17 íntegro e 10 a 15% como 14-hidroxiclaritromicina, só
4% de uma dose são excretados pelas fezes.

Indicações do Clarineo

No tratamento de infecções21 das vias aéreas superiores e inferiores;infecções21 da pele6 e tecidos moles, causadas por microrganismos
sensíveis à claritromicina. Também no tratamento, em associação com
outros antibacterianos, do complexo Mycobacterium avium em pacientes
com AIDS. É indicado em associação com a amoxicilina e lanzoprazol,
para a erradicação do Helicobacter pylori, diminuindo assim a recidiva22 da
úlcera duodenal23.

Contra-Indicações do Clarineo

CLARINEO É CONTRA-INDICADO PARA TRATAMENTO DE
P A C I E N T E S C O M H I S T Ó R I C O C O N H E C I D O D E
HIPERSENSIBILIDADE AOS ANTIBIÓTICOS MACROLÍDEOS OU A
QUALQUER OUTRO COMPONENTE DA FÓRMULA. TAMBÉM EM
CASOS DE INSUFICIÊNCIA RENAL19 GRAVE; GRAVIDEZ1, LACTAÇÃO24
E CRIANÇAS COM MENOS DE 12 ANOS DE IDADE.

Precauções do Clarineo

Evite a possibilidade de ocorrer colites pseudomembranosas com ouso de antibióticos, portanto, é importante considerar este
diagnóstico25 em pacientes que apresentem diarréia4 simultaneamente
ao uso de antibióticos, incluindo os macrolídeos. As colites
pseudomembranosas usualmente respondem somente a
interrupção da droga. Em casos de moderado a grave, medidas
adequadas devem ser tomadas.
A claritromicina é excretada principalmente pelo fígado26, devendo ser
tomadas precauções na administração deste antibiótico a pacientes
com insuficiência hepática27; assim como, em pacientes com
comprometimento moderado a severo da função renal18.
Durante o tratamento prolongado ou repetido com Clarineo, há
possibilidade de superinfecção28 por bactéria29 não-sensível ou fungos.
Em tal caso, o uso de Clarineo deverá ser suspenso e instituída
terapêutica30 adequada.
Deve-se considerar a possibilidade de resistência bacteriana
cruzada entre a claritromicina e os outros macrolídeos, como a
lincomicina e a clindamicina.

Interações Medicamentosas do Clarineo

A claritromicina aumenta significativamente a área sob a curva
concentração-tempo (AUC) quando tomada concomitantemente a
carbamazepina ou teofilina.
Interage com a warfarina, acarretando possivelmente hemorragia31
anormal.
Diminui a concentração sérica máxima, abaixa a curva concentraçãotempo
e reduz o tempo para atingir a concentração máxima da zidovudina.
A monitoração dos níveis séricos da digoxina deve ser considerada, uma
vez que, foram relatadas taxas de elevação nas concentrações séricas de
digoxina quando administrada concomitantemente a Clarineo.
Não deve ser administrada juntamente com a cisaprida, pimozida e
terfenadina.

Reações Adversas do Clarineo

As reações adversas mais freqüentemente associadas com o uso deClarineo foram: distúrbios gastrintestinais como náusea32, dispepsia33,
dor abdominal, vômito34 e diarréia4.
Outras menos freqüentes foram: cefaléia35, paladar36 alterado e elevação
transitória de enzimas hepáticas37.
Como ocorre com outros macrolídeos, disfunção hepática15, incluindo
aumento de enzimas hepáticas37, hepatite38 colestática e/ou
hepatocelular, com ou sem icterícia39, raramente tem sido relatada.

Posologia do Clarineo

A posologia habitual para adultos de Clarineo é de um comprimido
revestido de 250 mg, por via oral, a cada 12 horas. Nas infecções21 mais
graves, a posologia pode ser aumentada para 500 mg, 2 vezes ao dia. A
duração média do tratamento é de 6 a 14 dias. A ingestão de alimentos,
pouco antes da ingestão dos comprimidos revestidos, pode atrasar
ligeiramente o início da absorção da claritromicina, entretanto, não
prejudica a biodisponibilidade nem as suas concentrações no organismo.
Clarineo pode ser utilizado em pacientes idosos, com função renal18 normal,
nas doses habitualmente recomendadas para o adulto. Em pacientes
adultos, jovens e idosos, com função renal18 comprometida, com depuração
de creatinina40 inferior a 30 mL/min, a dose deve ser reduzida à metade (250
mg, uma vez ao dia ou, em infecções21 graves, 250 mg, duas vezes ao dia).
A administração não deve prolongar-se além de 14 dias nesses pacientes.

Superdose do Clarineo

Alguns relatos indicam que a ingestão de grandes quantidades deClarineo podem produzir sintomas41 gastrintestinais. Essa situação clínica
deve ser tratada com a imediata eliminação do produto não absorvido e
com medidas de suporte. A conduta preferível para a eliminação é a
lavagem gástrica42, o mais precocemente possível. Não há evidências de
que a claritromicina possa ser eliminada por hemodiálise43 ou diálise44
peritoneal.

Pacientes Idosos do Clarineo

Clarineo pode ser utilizado em pacientes idosos (acima de 60 anos), com
função renal18 normal, nas doses habitualmente recomendadas para o
adulto. O ajuste da posologia requer prescrição e acompanhamento
médico.
Registro M.S. nº 1.0465.0182
Farm. Responsável: Dr. Marco Aurélio Limírio G. Filho - CRF-GO nº 3.524
Nº do lote, data de fabricação e prazo de validade: VIDE CARTUCHO
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA


CLARINEO - Laboratório

NEO QUIMICA
Rua VPR 1, Quadra 2-A, Mód. 4
Anápolis/GO - CEP: 75133600
Tel: (62 )316-1055
Fax: (62 )316-1022

Ver outros medicamentos do laboratório "NEO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
3 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
4 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
5 Cabeça:
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
8 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
9 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
10 Amígdalas: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
11 Pulmões;: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
12 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
13 Macrófagos: É uma célula grande, derivada do monócito do sangue. Ela tem a função de englobar e destruir, por fagocitose, corpos estranhos e volumosos.
14 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
15 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
16 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
17 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
18 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
19 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
20 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
21 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
22 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
23 Úlcera duodenal: Lesão na mucosa do duodeno – parte inicial do intestino delgado.
24 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
25 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
26 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
27 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
28 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.
29 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
30 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
31 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
32 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
33 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
34 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
35 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
36 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
37 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
38 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
39 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
40 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
41 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
42 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
43 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
44 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.

Tem alguma dúvida sobre CLARINEO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.