GLYTEOL

KLEY HERTZ S.A - Indústria e Comércio

Atualizado em 08/12/2014

GLYTEOL®

XAROPE
Guaifenesina 13,33mg/ml

HERTZ®

Forma Farmacêutica e Apresentações de Glyteol

Glyteol XPE xarope sabor morango: frascos vidro âmbar contendo 100 ml de xarope.Glyteol XPE xarope: frascos vidro âmbar contendo 100 ou 150 ml de xarope.

USO ORAL

USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 6 ANOS

Composição de Glyteol

Cada 15 ml de Glyteol XPE xarope sabor morango contêm: guaifenesina 200 mg. Veículos: sacarose, propilenoglicol, sorbitol1, sacarina2 sódica, metilparabeno, propilparabeno, corante bordeaux, ácido cítrico, aroma de morango, mentol, água deionizada.
Cada 15 ml de Glyteol XPE xarope contêm:  guaifenesina 200 mg. Veículos: sacarose, álcool etílico (2%), sorbitol1, sacarina2 sódica, aroma de baunilha, metilparabeno, propilparabeno, corante bordeaux, ácido cítrico, aroma de morango, mentol, água deionizada.

Ambos contêm 400 mg de açúcar3 (sacarose) por ml.

Informações ao Paciente de Glyteol

Ação esperada do medicamento: expectorante.

Cuidados de armazenamento: Conservar em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz e da umidade.

Prazo de validade: Observada a correta forma de armazenagem, a validade é de 24 meses, a partir da data de fabricação. Não use medicamento com o prazo de validade vencido, pois pode ser prejudicial à sua saúde4. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Vide cartucho.

Gravidez5 e Lactação6: Informe seu médico a ocorrência de gravidez5 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Cuidados de administração: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração de tratamento.

Interrupção do tratamento: Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações adversas: Pouco freqüentes ou raras: Náuseas7, vômitos8, diarréia9, erupção10 cutânea11, dor de estômago12, dor de cabeça13, sonolência e vertigem14. Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Contra-indicações: Hipersensibilidade à guaifenesina ou a qualquer outro componente do produto.Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o
tratamento.

Precauções e advertências: Não tome este medicamento em caso de tosse crônica como a causada por asma15, fumo, bronquite crônica16 ou enfisema17, ou se a tosse vier acompanhada de muco excessivo, a menos que indicado por um médico. Não exceda a dose recomendada. Não utilize por mais de 5 dias.
Consulte seu médico se a tosse persistir por mais de 5 dias, tender a reincidir, vier acompanhada de febre18, erupções cutâneas19, dor de garganta20 ou dor de cabeça13 persistente; em caso de gravidez5 ou lactação6. Se os sintomas21 não melhorarem, consulte seu médico. É importante tomar bastante quantidade de líquidos durante o tratamento. Não deve ser administrado em crianças com menos de 6 anos de idade, a menos que indicado pelo médico. Glyteol XPE xarope contém álcool. Conservar o produto ao abrigo do calor, luz e umidade.

Atenção diabéticos: contém açúcar3.

Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas21, procure orientação médica.

Aspecto físico: Líquido límpido de coloração bordô com odor e sabor morango ou morango e baunilha mentolados.

Superdosagem: Em caso de superdosagem acidental, procure auxílio médico imediatamente.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PREJUDICIAL A
SUA SAÚDE4.

Informações Técnicas de Glyteol

guaifenesina é um expectorante, indicado para o alívio sintomático22 de condições respiratórias, pois facilita a eliminação do muco, ao reduzir sua viscosidade23, modificando a tosse improdutiva e seca na tosse produtiva e menos freqüente. Trata-se de um expectorante cuja ação aumenta a produção e reduz a adesão e a tensão superficial do muco no trato respiratório. O aumento do fluxo ou a diminuição da viscosidade23 promove uma ação ciliar e facilita a remoção do muco.
A guaifenesina é totalmente absorvida no trato gastrintestinal, é metabolizada e excretada na urina24. Para auxiliar a fluidificação e a expulsão do muco pulmonar, o paciente deve ingerir água após cada dose. A duração do tratamento deve ser a menor possível.

Indicações de Glyteol

Glyteol XPE xarope é indicado como expectorante.

Contra-Indicações de Glyteol

Hipersensibilidade à guaifenesina ou a qualquer outro componente do produto.

Precauções e Advertências de Glyteol

Não é indicado em caso de tosse crônica como a causada por asma15, fumo, bronquite crônica16 ou enfisema17, ou se a tosse vier acompanhada de muco excessivo, a menos que indicado por um médico. Não é aconselhado o uso por mais de 5 dias. O médico deve ser consultado se a tosse persistir por mais de 5 dias, tender a reincidir, vier acompanhada de febre18, erupções cutâneas19, dor de garganta20 ou dor de cabeça13 persistente; em caso de gravidez5 ou lactação6. É importante que o paciente ingira bastante quantidade de líquidos durante o tratamento para facilitar a expectoração25. Não deve ser administrado em crianças com menos de 6 anos de idade, a menos que indicado pelo médico.Glyteol XPE xarope contém álcool.

Gravidez5 e Lactação6 de Glyteol

A utilização deste medicamento durante a gravidez5 e a lactação6 exigem avaliação Risco x Benefício. Não há estudos adequados em mulheres. O benefício potencial do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez5. Risco na gravidez5 (FDA): categoria C.

ATENÇÃO DIABÉTICOS: contém açúcar3.

Interações Medicamentosas de Glyteol

guaifenesina pode interferir nas análises do ácido 5-hidroxiindolacético e ácido vanililmandélico A determinação da concentração urinária do ácido 5-hidroxiindolacético com o reagente nitrosonaftol causa interferência devido a cor da guaifenesina; os metabólitos26 do expectorante podem interferir na determinação colorimétrica do ácido vanililmandélico urinário; a agregação plaquetária permanece diminuída temporariamente sem alterar o tempo de sangramento.

Reações Adversas de Glyteol

Pouco freqüentes ou raras: Náuseas7, vômitos8, diarréia9, erupção10 cutânea11, dor de estômago12, dor de cabeça13, sonolência e vertigem14.

Posologia de Glyteol

USO ORALAdultos e crianças maiores de 12 anos: 15 ml a cada 4 horas.
Crianças de 6 a 12 anos: 10 ml a cada 4 horas.
Crianças abaixo de 6 anos: somente em caso de recomendação médica.
Não exceder 6 doses ao dia.
Em caso de esquecimento de uma dose, tomar tão logo possível a menos que esteja perto da próxima dose. Não tomar dose dupla.

Superdosagem de Glyteol

Em caso de superdosagem acidental, considerar as medidas padrões de atendimento.

Pacientes Idosos de Glyteol

Não existem recomendações especiais ou precauções especiais sobre o uso do produto por pacientes idosos.

VENDA SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA.

KLEY HERTZ S.A. Indústria e Comércio
Rua Comendador Azevedo, 224 - Porto Alegre - RS
Farmacêutica Responsável: Paula Carniel Antonio
CRF-RS 4228 - Reg. no M.S. nº 1.0689.0159
C.N.P.J. nº 92.695.691/0001-03 - Indústria Brasileira

GLYTEOL - Laboratório

KLEY HERTZ S.A - Indústria e Comércio
Rua Comendador Azevedo, 224
Porto Alegre/RS
Tel: 0800512517
Site: http://www.grupohertz.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "KLEY HERTZ S.A - Indústria e Comércio"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
2 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
3 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
7 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
8 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
9 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
10 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
11 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
12 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
13 Cabeça:
14 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
15 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
16 Bronquite crônica: Inflamação persistente da mucosa dos brônquios, em geral produzida por tabagismo, e caracterizada por um grande aumento na produção de muco bronquial que produz tosse e expectoração durante pelo menos três meses consecutivos durante dois anos.
17 Enfisema: Doença respiratória caracterizada por destruição das paredes que separam um alvéolo de outro, com conseqüente perda da retração pulmonar normal. É produzida pelo hábito de fumar e, em algumas pessoas, pela deficiência de uma proteína chamada Antitripsina.
18 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
19 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
20 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
21 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
23 Viscosidade: 1. Atributo ou condição do que é viscoso; viscidez. 2. Resistência que um fluido oferece ao escoamento e que se deve ao movimento relativo entre suas partes; atrito interno de um fluido.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Expectoração: Ato ou efeito de expectorar. Em patologia, é a expulsão, por meio da tosse, de secreções provenientes da traqueia, brônquios e pulmões; escarro.
26 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.

Tem alguma dúvida sobre GLYTEOL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.