Osteoduo Fos

Althaia S.A Indústria Farmacêutica

Atualizado em 13/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES:

OSTEODUO FOS
fosfato de cálcio tribásico + colecalciferol (vitamina1 D3)
Comprimidos 

APRESENTAÇÃO

Comprimidos revestidos
Embalagens com 10 ou 60 comprimidos

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Cada comprimido revestido contém:

fosfato de cálcio tribásico (correspondente a 600 mg de cálcio elementar) 1661,62 mg
colecalciferol (vitamina1 D3) 400 UI
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: povidona, sacarose, gelatina, octenilsuccinato de alumínio de amido, triglicerídeos de cadeia média, butil-hidroxitolueno, silicato de alumínio e sódio, celulose microcristalina, croscarmelose sódica, laurilsulfato de sódio, estearato de magnésio, álcool polivinílico, dióxido de titânio, macrogol e talco.

Componentes

Quantidade por comprimido revestido

Posologia diária recomendada

%IDR*

Adultos

Lactantes2

cálcio elementar (como fosfato de cálcio tribásico)

600 mg

2 comprimidos

120,0%

120,%

colecalciferol (vitamina1 D3)

400 UI

400,0%

400,0%

IDR* - ingestão diária recomendada baseada na posologia máxima recomendada.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Este medicamento é destinado à suplementação3 vitamínico-mineral durante o aleitamento materno4; em doenças crônicas; para prevenção do raquitismo5 e para prevenção e tratamento auxiliar na desmineralização óssea (osteoporose6) na pré e pós-menopausa7.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Possui em sua composição cálcio e vitamina1 D3, que, juntamente com o fósforo contido na molécula de fosfato de cálcio, auxiliam na absorção de cálcio. A ingestão de quantidade adequada de fósforo, cálcio e vitamina1 D3 são essenciais para a construção e manutenção da massa óssea. Portanto, este medicamento atua na prevenção e tratamento auxiliar na desmineralização óssea (osteoporose6). O cálcio é essencial para o crescimento, manutenção de funções do organismo. Este mineral exerce várias funções reguladoras, por exemplo, contração e relaxamento muscular, coagulação8 do sangue9, transmissão dos impulsos nervosos e estimulação da secreção hormonal. O fósforo é necessário para assegurar o crescimento ósseo. Em dietas típicas, aproximadamente 2/3 do fósforo é absorvido, enquanto a absorção de cálcio é apenas de aproximadamente 11%, ou seja, a maioria do cálcio que é ingerido permanece no intestino. Desta forma, uma suplementação3 de cálcio que não estiver acompanhada de uma ingestão proporcional de fósforo, poderá ocasionar um desbalanço. A vitamina1 D3 é considerada uma vitamina1 anti-raquítica que promove a absorção de cálcio após a exposição à luz solar, essencial para o desenvolvimento normal dos ossos e dentes, portanto seu tempo de ação depende da ativação da luz solar.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

OSTEODUO FOS é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade (alergias) aos componentes da fórmula, pacientes com hipercalcemia (grande quantidade de cálcio no sangue9), problemas renais graves, sarcoidose10 (uma doença na qual ocorre um acúmulo anormal de células11 inflamatórias), hipercalciúria12 (grande quantidade de cálcio na urina13) grave e hipervitaminose D (grande quantidade de vitamina1 D no sangue9).

“Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.”

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Advertências e Precauções

Você deve ter cuidados especiais se tiver hipercalciúria12 leve (perda de cálcio na urina13), insuficiência renal14 crônica ou propensão a formação de cálculos renais. Em pacientes com acloridria15 ou hipocloridria (ausência ou diminuição do ácido clorídrico16 no estômago17), a absorção de cálcio pode estar reduzida, a menos que este seja administrado durante as refeições. A vitamina1 D3 não deve ser administrada em pacientes com hipercalcemia (excesso de cálcio no sangue9) e deve ser administrada com cautela em pacientes com insuficiência renal14 ou cálculos (pedras nos rins18), ou em pacientes com doença cardíaca (coração19). As concentrações de fosfato no sangue9 devem ser controladas durante o tratamento com vitamina1 D3, visando reduzir o risco de calcificação20 em outros locais fora do osso. Recomenda-se também o exame periódico da concentração de cálcio no sangue9 em pacientes que tomam vitamina1 D3, especialmente no início do tratamento e caso surjam sintomas21 sugestivos de toxicidade22.

Gravidez23 e Lactação24

Gestantes e mulheres que estejam amamentando, somente devem consumir este medicamento sob orientação do nutricionista25 ou médico.

Idosos

Pacientes idosos podem usar desde que todos os itens apontados nesta bula sejam considerados. O cálcio suplementar nos pacientes idosos tem efeito benéfico na massa óssea e diminui a incidência26 de fratura27. Essa ação é intensificada na presença de vitamina1 D3. Cerca de 10% das mulheres com mais de 60 anos e 15% com idade acima dos 80 anos, ingerem quantidade de fósforo menor que 70% da recomendação diária desse mineral.

A administração simultânea com medicamentos que contenham ferro, etidronato, fenitoína ou tetraciclinas deve ser evitada, pois a absorção dos mesmos é prejudicada. Nestes casos, os medicamentos devem ser ingeridos obedecendo-se um intervalo de tempo de pelo menos 2-3 horas. A absorção intestinal de cálcio também pode ser reduzida pela ingestão simultânea de certos alimentos (espinafre, ruibarbo, farelo de trigo e outros cereais). O uso excessivo e prolongado de suplementos de cálcio com leite ou derivados deve ser evitado. O consumo excessivo de álcool, cafeína ou tabaco pode reduzir a quantidade de cálcio absorvida. Em pacientes digitalizados, que utilizam medicamentos digitais (para o coração19), altas doses de cálcio podem aumentar o risco de arritmias28 cardíacas. O cálcio no sangue9 pode ser levado acima do normal quando OSTEODUO FOS for administrado juntamente com bloqueadores do canal de cálcio (por exemplo, verapamil), reduzindo assim a resposta a estes medicamentos. Quando estrógenos são prescritos juntamente com OSTEODUO FOS para tratamento da osteoporose6, a absorção de cálcio pode estar aumentada, constituindo uma vantagem para o tratamento. O risco potencial de hiperfosfatemia (aumento da concentração de fosfato no sangue9) é aumentado quando OSTEODUO FOS é utilizado com preparações contendo doses elevadas de fósforo.

Alguns antiepilépticos (ex.: carbamazepina, fenobarbital, fenitoína e primidona) podem aumentar a necessidade de vitamina1 D3. O uso concomitante de OSTEODUO FOS com outros produtos contendo vitamina1 D3 não é recomendado, devido ao efeito aditivo e aumento do potencial tóxico. Antiácidos29 que contenham magnésio quando usados concomitantemente com vitamina1 D3 podem resultar em hipermagnesemia (aumento da concentração de magnésio no sangue9), especialmente na presença de insuficiência renal14 crônica. Os anticonvulsivantes (medicamentos para evitar as convulsões) e os barbitúricos (sedativos) podem acelerar a metabolização de vitamina1 D3, reduzindo a sua eficácia. A suplementação3 da dieta com vitamina1 D3 pode ser prejudicial para pessoas que já recebem ingestão adequada por meio da própria dieta alimentar e da exposição à luz solar, visto que a diferença entre as concentrações terapêutica30 e tóxica é relativamente pequena. O tratamento pode ser descontinuado a qualquer momento sem que ocorram riscos ao paciente.

“Atenção diabéticos: contém açúcar”

“Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião- dentista.”

“Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.”

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

OSTEODUO FOS deve ser mantido em temperatura ambiente (entre 15 ºC e 30 ºC). Proteger da luz e umidade.

“Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.”

“Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.”

Características do medicamento

OSTEODUO FOS 600 mg + 400 UI: comprimido revestido branco, oblongo, biconvexo, liso em ambas as faces.

“Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.”

“Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.”

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Via oral

A dose diária recomendada de OSTEODUO FOS é de 1 a 2 comprimidos revestidos para adultos e lactantes2 ou a critério do seu médico. Não exceder a dose recomendada para cada dia.

Recomenda-se a administração deste medicamento durante as refeições.

Este medicamento não deve ser administrado em crianças. Doses maiores devem ser ingeridas de acordo com a prescrição do seu médico.

“Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas21, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.”

“Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.”

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso esqueça-se de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário. Não exceder as doses indicadas pelo médico.

“Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou do cirurgião- dentista.”

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

 

Este medicamento pode causar algumas reações indesejáveis. A incidência26 de reações adversas é baixa. Caso você tenha uma reação alérgica31, deve parar de tomar o medicamento e informar seu médico sobre o aparecimento de reações indesejáveis.

  • Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): distúrbios gastrintestinais (estômago17 e intestino).
  • Outras reações esperadas: a ingestão aumentada de vitamina1 D3 causa hipercalcemia (aumento de cálcio no sangue9) e seus efeitos associados incluindo hipercalciúria12 (aumento de cálcio na urina13), calcificação20 e dano no coração19 e nos rins18. Na hipervitaminose D, têm sido relatados casos de secura da boca32, dor de cabeça33, polidipsia34 (vontade de tomar muita água), poliúria35 (urinar com maior frequência), perda de apetite, náuseas36, vômitos37, fadiga38, sensação de fraqueza, aumento da pressão arterial39, dor muscular, coceira e perda de apetite. O uso prolongado de cálcio, principalmente em idosos, pode provocar constipação40 intestinal (prisão de ventre).

“Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu Serviço de Atendimento.”

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você ingerir uma dose muito grande deste medicamento acidentalmente, a administração deve ser imediatamente interrompida, devendo procurar um médico ou um centro de intoxicação imediatamente. O apoio médico imediato é fundamental para adultos e crianças, mesmo se os sinais41 e sintomas21 de intoxicação não estiverem presentes.

“Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.”

DIZERES LEGAIS

“Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas21 procure orientação médica.”

 

Farmacêutica Responsável: Dra. Carolina Sommer Mazon

CRF-SP nº 30.246

MS nº 1.3517. 0029

 

Registrado por: Althaia S.A Indústria Farmacêutica

Av. Tégula, 888 - Módulo 15

Ponte Alta - Atibaia - SP CEP: 12952-820

CNPJ: 48.344.725/0007-19

INDÚSTRIA BRASILEIRA

 

SAC: 08007727172

sac@althaia.com.br

www.althaia.com.br

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
3 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
4 Aleitamento Materno: Compreende todas as formas do lactente receber leite humano ou materno e o movimento social para a promoção, proteção e apoio à esta cultura. Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
5 Raquitismo: Doença decorrente da mineralização inadequada do osso em crescimento, ou seja, da placa epifisária. Está entre as doenças mais comuns da infância em países em desenvolvimento. A causa predominante é a deficiência de vitamina D, seja por exposição insuficiente à luz solar ou baixa ingestão através da dieta; mas a deficiência de cálcio na dieta também pode gerar um quadro de raquitismo. A osteomalácia é o termo usado para descrever uma condição semelhante que ocorre em adultos, geralmente devido à falta de vitamina D.
6 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
7 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
8 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Sarcoidose: Sarcoidose ou Doença de Besnier-Boeck é caracterizada pelo aparecimento de pequenos nódulos inflamatórios (granulomas) em vários órgãos. A doença pode afetar qualquer orgão do corpo, mas os mais atingidos são os pulmões , os gânglios linfáticos (ínguas ), o fígado, o baço e a pele.
11 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
12 Hipercalciúria: Eliminação de quantidade anormalmente grande de cálcio na urina.
13 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
14 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
15 Acloridria: Falta de ácido hidroclorídrico no suco gástrico, apesar da estimulação da secreção gástrica.
16 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
17 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
18 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
19 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
20 Calcificação: 1. Ato, processo ou efeito de calcificar(-se). 2. Aplicação de materiais calcíferos básicos para diminuir o grau de acidez dos solos e favorecer seu aproveitamento na agricultura. 3. Depósito de cálcio nos tecidos, que pode ser normal ou patológico. 4. Acúmulo ou depósito de carbonato de cálcio ou de carbonato de magnésio em uma camada de profundidade próxima a do limite de percolação da água no solo, que resulta em certa mobilidade deste e alteração de suas propriedades químicas.
21 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
23 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
24 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
25 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
26 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
27 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
28 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
29 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
30 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
31 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
32 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
33 Cabeça:
34 Polidipsia: Sede intensa, pode ser um sinal de diabetes.
35 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
36 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
37 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
38 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
39 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
40 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
41 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.

Tem alguma dúvida sobre Osteoduo Fos?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.