Preço de Acular CMC em Wilmington/SP: R$ 46,70

Acular CMC

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

Atualizado em 13/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

ACULAR® CMC
trometamol cetorolaco 0,45%
Solução oftálmica

APRESENTAÇÕES

Solução Oftálmica Estéril
Caixa contendo 10, 20 ou 30 flaconetes de dose única com 0,4 mL de solução oftálmica estéril de trometamol cetorolaco (4,5 mg/mL), sem conservante.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO OFTÁLMICA
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada mL de ACULAR® CMC contém:

trometamol cetorolaco 4,5 mg
excipiente q.s.p. 1 ml

Veículo: carmelose sódica, cloreto de sódio, citrato de sódio diidratado, ácido clorídrico1, hidróxido de sódio para ajuste do pH e água purificada q.s.p.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

ACULAR® CMC é indicado para o tratamento da dor e inflamação2 ocular em pacientes submetidos à cirurgia de catarata3.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

ACULAR® CMC é um colírio4 que contém um anti-inflamatório (trometamol cetorolaco) que ao ser aplicado nos olhos5 age combatendo a dor e a inflamação2 após a cirurgia de catarata3. Sua ação se inicia após sua aplicação.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

ACULAR® CMC é contraindicado para pessoas que apresentam alergia6 a qualquer um dos componentes da sua fórmula.

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes que apresentam alergia6 a anti- inflamatórios não esteroides.

Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Para não contaminar o colírio4 evite o contato do flaconete com qualquer superfície. Não permita que o flaconete entre em contato direto com os olhos5.

ACULAR® CMC é um medicamento de uso exclusivamente tópico7 ocular.

Sensibilidade cruzada

Se você apresentou anteriormente alergia6 ou outras reações adversas a outros medicamentos contendo ácido acetilsalicílico ou derivados do ácido fenilacético e outros anti-inflamatórios não esteroides, informe o seu médico, pois existe a possibilidade de você também ser sensível a este medicamento.

Foram relatados casos de broncoespasmo8 ou exarcebação da asma9 em pacientes que possuem conhecida hipersensibilidade a anti-inflamatórios não esteroidais/aspirina ou histórico de asma9 associado ao uso de ACULAR® CMC, portanto recomenda-se cautela nestes casos.

Sangramento

Alguns anti-inflamatórios não esteroides interferem na coagulação10 do sangue11, tendo havido relatos de sangramento aumentado nos tecidos oculares após aplicação de colírios de anti-inflamatórios em olhos5 submetidos a cirurgias. ACULAR® CMC deve ser utilizado com cautela em pessoas que apresentam conhecida tendência a hemorragias12 ou que estão recebendo outros medicamentos que podem prolongar o tempo de sangramento (anticoagulantes13).

Cicatrização

Os medicamentos contendo anti-inflamatórios não esteroides podem deixar mais lento ou atrasar o processo de cicatrização (restauração de integridade do tecido14 lesado). Os corticosteroides tópicos também são conhecidos por causar esses mesmos efeitos. O uso concomitante de anti-inflamatórios não esteroides tópicos com corticosteroides tópicos pode aumentar o potencial para problemas com a cicatrização.

Efeitos sobre a córnea15

O uso de anti-inflamatórios tópicos pode resultar em inflamação2 da córnea15. Em alguns pacientes sensíveis, o uso continuado de anti-inflamatórios tópicos pode resultar em rompimento do epitélio16, estreitamento, erosão, ulceração17 ou perfuração da córnea15. Esses eventos podem comprometer a visão18.

Pacientes com evidência de alterações do epitélio16 da córnea15 devem interromper o tratamento com anti-inflamatórios tópicos oftálmicos e devem ser rigorosamente monitorados.

Os anti-inflamatórios não esteroides tópicos oftálmicos devem ser utilizados com cautela em pacientes que apresentam cirurgias oculares complicadas, denervação19 da córnea15, defeitos do epitélio16 da córnea15, diabetes20, doenças da superfície ocular (como por exemplo síndrome21 do olho22 seco), artrite reumatoide23, diabetes20 melliuts ou cirurgias repetidas dentro de curto intervalo de tempo, pois podem apresentar risco aumentado de eventos adversos na córnea15 que podem comprometer a visão18.

O uso dos anti-inflamatórios não esteroides por mais do que 1 dia antes da cirurgia ou o uso além de 14 dias após a cirurgia pode aumentar o risco de ocorrência de reações adversas ou aumentar a gravidade das reações adversas na córnea15.

Uso durante a Gravidez24 e Lactação25

Não existem estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. ACULAR® CMC deve ser usado durante a gravidez24 somente se o benefício potencial para a mãe justificar o risco potencial para o feto26.
Efeitos não teratogênicos27: considerando os conhecidos efeitos das drogas inibidoras das prostaglandinas28 sobre o sistema cardiovascular29 fetal (fechamento do ducto arterial), o uso de ACULAR® CMC em solução durante a fase tardia da gestação deve ser evitado.

Considerando que muitas drogas são excretadas no leite humano, recomenda-se cautela quando ACULAR® CMC é administrado a mulheres que estejam amamentando.

Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

Uso em crianças

A segurança e eficácia de ACULAR® CMC não foram estabelecidas em crianças.

Pacientes idosos

Não foram observadas diferenças de eficácia e segurança entre pacientes idosos e de outras faixas etárias, de modo que não há recomendações especiais quanto ao uso em idosos.

Pacientes com insuficiência renal30

Não há dados de estudo específicos para essa população e portanto, não podem ser feitas recomendações específicas de dosagem.

Pacientes com insuficiência hepática31

Não há dados de estudo suficientes para essa população e portanto, não podem ser feitas recomendações específicas de dosagem.

Pacientes que utilizam lentes de contato

ACULAR® CMC não deve ser aplicado durante o uso de lentes de contato.

Pacientes que utilizam mais de um medicamento oftálmico

Se o seu médico receitou mais de um colírio4, lembre-se de aplicar os medicamentos separadamente, com intervalo de pelo menos 5 minutos entre cada aplicação.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e usar máquinas

A aplicação da solução oftálmica, em geral, não causa alterações da visão18. Caso perceba um leve borramento de visão18 logo após a aplicação, aguarde até que a visão18 retorne ao normal antes de dirigir veículos ou operar máquinas.

Pacientes submetidos à cirurgia de extração de catarata3

Os pacientes submetidos à cirurgia de extração de catarata3 devem ser monitorados durante o dia após a cirurgia com relação à evidência de pressão intraocular32 aumentada. Nos estudos clínicos realizados com o produto, observou-se que ocorreu pressão intraocular32 aumentada em 5% a 10% dos casos como resultado direto da cirurgia. A pressão intraocular32 aumentada no dia após a cirurgia pode ser manejada por observação, ou tratada com medicamentos e/ou paracentese33.

Interações medicamentosas

ACULAR® CMC pode ser administrado com segurança concomitantemente com outros colírios como alfa-agonistas, antibióticos, beta bloqueadores, inibidores da anidrase carbônica, cicloplégicos e midriáticos, respeitando um intervalo de pelo menos 5 minutos entre a administração de cada colírio4. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde34.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

ACULAR® CMC deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30ºC) e ao abrigo da luz.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Após aberto, deve ser utilizado imediatamente.

Características físicas

ACULAR® CMC é uma solução incolor levemente amarela pálida embalada em flaconetes estéreis de uso único, descartáveis.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

  • Você deve usar este medicamento exclusivamente nos olhos5.
  • Antes de utilizar o medicamento, confira o nome no rótulo, para não haver enganos. Não utilize ACULAR® CMC caso haja sinais35 de violação e/ou danificações no cartucho e/ ou flaconete.
  • A solução já vem pronta para uso. Não encoste a ponta do flaconete nos olhos5, nos dedos e nem em outra superfície qualquer, para evitar a contaminação do flaconete e do colírio4.
  • Para abrir, gire totalmente a ponteira. Não puxe (primeira figura). Aplicar o colírio4 imediatamente após a abertura do flaconete.
  • Você deve aplicar o número de gotas da dose recomendada pelo seu médico em um ou ambos os olhos5.
    A dose usual é de 1 gota36 aplicada no(s) olho22(s) afetado(s), duas vezes ao dia, com intervalo de aproximadamente 12 horas entre as doses, iniciando 1 dia antes da cirurgia de catarata3. Continuar no dia da cirurgia e durante as duas primeiras semanas do período pós-cirúrgico. Entretanto, devido a diferenças de inflamações37, a posologia e o tempo de tratamento deverá ser estabelecido pelo seu médico.
    O limite máximo diário de administração da dose usual recomendada do medicamento é de 2 gotas em cada olho22 (0,33 mg de trometamol cetorolaco em cada olho22).
  • Aplique a dose recomendada dentro do olho22, no saco conjuntival, evitando tocar a ponta do frasco nos tecidos oculares.
  • Jogue o flaconete fora. Não reutilize. Uma vez aberto descarte.

O uso de soluções contaminadas pode resultar em graves danos ao olho22 e subseqüente perda da visão18.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER SE EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você se esqueça de aplicar o colírio4, aplique-o assim que se lembrar e acerte um novo horário de aplicação com intervalo de aproximadamente 12 horas entre as doses. Se o horário da próxima aplicação estiver próximo, aguarde o horário pré-estabelecido para aplicar o colírio4.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou do cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Assim como qualquer medicamento, podem ocorrer reações indesejáveis com a aplicação de ACULAR® CMC:

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): pressão ocular aumentada, hiperemia38 (vermelhidão) e/ou hemorragia39 conjuntival, edema40 (inchaço41) no olho22, dor ocular, dor de cabeça42, lacrimejamento, visão18 borrada, célula43 na câmara anterior44, irite45 (inflamação2 da íris46), brilho na câmara anterior44, ceratite puntiforme (inflamação2 da córnea15) e sensação de corpo estranho no olho22. Algumas dessas reações podem ser consequência do procedimento cirúrgico da catarata3.

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): fotofobia47 (sensibilidade anormal à luz), edema40 (inchaço41) conjuntival, irritação ocular, prurido48 (coceira) ocular, abrasão da córnea15, descolamento do vítreo49, ruptura da cápsula posterior, flutuações vítreas, fibrina50 na câmara anterior44, complicações da cirurgia de catarata3, edema macular51, náusea52, inflamação2 na câmara anterior44 e hemorragia39 na íris46.

Outras reações foram observadas durante a pós comercialização de ACULAR® CMC e podem potencialmente ocorrer: ceratite ulcerativa, secreção ocular, edema40 ocular, edema40 palpebral e hiperemia38 (vermelhidão) ocular.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

É pouco provável a ocorrência de superdose com o produto. O produto ACULAR® CMC se destina apenas a uso tópico7 oftálmico. Devido às baixas concentrações sistêmicas dos princípios ativos após administração tópica oftálmica, a probabilidade de intoxicação a partir de superdose tópica oftálmica é remota. Em geral, superdoses não provocam problemas agudos. Se for ingerido acidentalmente ou intencionalmente, beber bastante líquido para diluir e/ou procure orientação médica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

Reg. ANVISA/MS - 1.0147.0046
Farm. Resp.: Elizabeth Mesquita
CRF-SP nº 14.337

Fabricado por:
Allergan Sales, LLC – Waco - Texas – EUA

Importado, Embalado e Distribuído por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda. Guarulhos - São Paulo
Indústria Brasileira

Registrado por:
Allergan Produtos Farmacêuticos Ltda.
Av. Eng. Luís Carlos Berrini, 105
Torre 3 - 18º andar - Cidade Monções
São Paulo - CEP 04571-900
CNPJ: 43.426.626/0001-77


SAC: 0800 14 4077

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
2 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
4 Colírio: Preparação farmacológica líquida na qual se encontram dissolvidas diferentes drogas que atuam na conjuntiva ocular.
5 Olhos:
6 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
7 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
8 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
9 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
10 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
11 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
12 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
13 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
14 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
15 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
16 Epitélio: Uma ou mais camadas de CÉLULAS EPITELIAIS, sustentadas pela lâmina basal, que recobrem as superfícies internas e externas do corpo.
17 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
18 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
19 Denervação: Consiste na ressecção ou remoção dos nervos que inervam um órgão ou parte dele.
20 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
21 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
22 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
23 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
24 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
25 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
26 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
27 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
28 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
29 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
30 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
31 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
32 Pressão intraocular: É a medida da pressão dos olhos. É a pressão do líquido dentro do olho.
33 Paracentese: Retirada de líquido orgânico por meio de punção.
34 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
35 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
36 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
37 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
38 Hiperemia: Congestão sanguínea em qualquer órgão ou parte do corpo.
39 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
40 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
41 Inchaço: Inchação, edema.
42 Cabeça:
43 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
44 Câmara Anterior: Espaço localizado no olho, preenchido com humor aquoso, limitado anteriormente pela córnea e uma pequena porção da esclera, e posteriormente por uma pequena porção do corpo ciliar, pela íris e pela parte do cristalino que se apresenta através da pupila.
45 Irite: Inflamação da íris, iridite.
46 Íris: Membrana arredondada, retrátil, diversamente pigmentada, com um orifício central, a pupila, que se situa na parte anterior do olho, por trás da córnea e à frente do cristalino. A íris é a estrutura que dá a cor ao olho. Ela controla a abertura da pupila, regulando a quantidade de luz que entra no olho.
47 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
48 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
49 Vítreo: 1. Substância gelatinosa e transparente que preenche o espaço interno do olho. 2. Com a transparência do vidro; claro, límpido, translúcido. 3. Relativo a ou próprio de vidro.
50 Fibrina: Proteína formada no plasma a partir da ação da trombina sobre o fibrinogênio. Ela é o principal componente dos coágulos sanguíneos.
51 Edema macular: Inchaço na mácula.
52 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.

Tem alguma dúvida sobre Acular CMC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.