Preço de DTN-fol em São Paulo/SP: R$ 21,72

DTN-fol

BIOLAB SANUS FARMACÊUTICA LTDA

Atualizado em 23/11/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

DTN-fol®
ácido fólico + acetato de dextroalfatocoferol
Cápsulas

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO

Cápsula gelatinosa mole
Frasco contendo 30 ou 90 cápsulas

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada cápsula de DTN-fol® contém:

ácido fólico 400 mcg
acetato de dextroalfatocoferol (vitamina1 E) 10 mg
excipiente q.s.p. 1 cápsula

Excipientes: óleo de soja, óleo vegetal hidrogenado, cera branca de abelha, lecitina de soja, butil- hidroxitolueno, amarelo crepúsculo, vermelho de ponceau, dióxido de titânio, gelatina, glicerol, metilparabeno, propilparabeno e água purificada.

INFORMAÇÕES À PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

DTN-fol® está especificamente indicado para a prevenção de distúrbios do tubo neural2 (estrutura que dá origem ao cérebro3 e a medula espinal4) durante a formação do feto5, para mulheres que estejam em idade fértil, especialmente as que desejam engravidar. As mulheres que faziam uso de anticoncepcionais e pararam para programar a gravidez6, têm uma indicação absoluta.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Ácido fólico - Tem uma ação especifica na regeneração e na maturidade das hemácias7 (glóbulos vermelhos do sangue8). Sua deficiência provoca a anemia megaloblástica9 (diminuição dos níveis de hemoglobina10 na circulação11 sanguínea devido à produção defeituosa de glóbulos vermelhos e brancos do sangue8).

Para a prevenção de distúrbios do tubo neural2 no feto5, a ingestão diária de 400 microgramas é recomendada, iniciando-se um mês antes da gravidez6 e continuando pelo menos até o final do primeiro trimestre.

Para uma melhor ação, a ingestão diária de DTN-fol® deve ser iniciada com 3 meses de antecedência da fecundação12.

Vitamina1 E - a vitamina1 E é essencial para a manutenção funcional e estrutural de diversos órgãos e sistemas do corpo humano13. Possui ação antioxidante, que repara os danos causados pelos radicais livres (substâncias que podem danificar células14 sadias do corpo). Mulheres que fazem uso de anticoncepcionais e desejam parar para poder engravidar, são beneficiadas com uma suplementação15 de vitamina1 E, seja pelas propriedades antioxidativas, como pela ação benéfica na gestação.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

DTN-fol® é contraindicado para pacientes16 com história prévia de sensibilidade ao ácido fólico ou aos componentes da fórmula. A vitamina1 E, quando utilizada dentro da IDR (ingestão diária recomendada), não apresenta contraindicações.

Este medicamento é recomendado para mulheres em idade fértil, nas doses indicadas na posologia. Para administração em outras faixas etárias e pacientes idosos, recomenda-se procurar orientação médica.

Este medicamento pode ser usado durante a gravidez6 desde que sob prescrição médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Uso Oral. Este medicamento deve ser administrado somente pela via recomendada para evitar riscos desnecessários.

Gravidez6

Dentro da posologia, o uso tanto do ácido fólico como da vitamina1 E é considerado seguro durante a gravidez6. Este medicamento pode ser usado durante a gravidez6 desde que sob prescrição médica ou do cirurgião-dentista.

Lactação17 

O ácido fólico é excretado no leite materno, porém não apresenta risco para o recém-nascido, ao contrário, supre as necessidades do mesmo. Com relação ao leite materno, a excreção de vitamina1 E é segura para a criança em amamentação18.

Interações medicamentosas

Alimentos gordurosos aumentam a absorção da vitamina1 E.

Os anticoncepcionais podem diminuir a absorção do ácido fólico e as reservas de vitamina1 E.

Colestipol (fármacos redutores do colesterol19 e triglicerídeos), anticonvulsivantes (ex.: fenitoína), pancreatina (enzimas do pâncreas20) e sulfasalazina (fármaco21 utilizado no tratamento de distúrbios intestinais) podem diminuir a absorção do ácido fólico.

Colestiramina (fármaco21 captador de ácidos biliares), colestipol (fármacos redutores do colesterol19 e triglicerídeos) e orlistat (fármaco21 utilizado no tratamento da obesidade22) podem diminuir a absorção da vitamina1 E.

O uso concomitante de pirimetamina (fármaco21 utilizado no tratamento de toxicoplasmose) e ácido fólico pode aumentar o risco de supressão da medula óssea23 (diminuição da produção de células sanguíneas24).

A administração conjunta de dicumarínicos (fármaco21 do grupo dos anticoagulantes25) e warfarina (fármaco21 do grupo dos anticoagulantes25) com vitamina1 E de doses acima de 300 mg/dia aumenta o risco de sangramento.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO QUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Mantenha DTN-fol® em temperatura ambiente (15 a 30ºC), protegido da luz e da umidade.

Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.

Após a abertura do frasco, manter as cápsulas em frasco fechado. Após aberto, válido por 90 dias

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

Cápsula oval de cor laranja claro opaco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento deve ser administrado somente pela via recomendada para evitar riscos desnecessários.

Uso oral. Você deve ingerir a cápsula inteira com água. Evitar o contato da cápsula com a umidade. Após abertura do frasco, mantê-lo sempre fechado com a tampa.

Recomenda-se a ingestão diária de uma cápsula de DTN-fol®, contendo 400 microgramas de ácido fólico e 10 miligramas de vitamina1 E, a todas as mulheres em idade fértil e que tenham vida sexual ativa.

Para uma melhor ação, a ingestão diária de 1 cápsula de DTN-fol® deve ser iniciada com 3 meses de antecedência da fecundação12. A medicação deve ser prolongada pelo menos durante o primeiro trimestre da gestação.

Recomenda-se não ultrapassar a dose de 1 cápsula ao dia.

Embora este medicamento reduza a incidência26 de distúrbios do tubo neural2 no feto5 quando ingerido no período pré-gravidez6, podem ocorrer distúrbios do tubo neural2 relacionados a outras causas que não sejam os baixos níveis de ácido fólico.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas27, procure orientação de seu médico ou cirurgião- dentista.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Deve-se tomar o medicamento ao lembrar. No caso de se lembrar apenas no dia seguinte, não sobreponha as doses. Tome apenas a dose diária recomendada.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

As reações adversas são raras e estão relacionadas a doses mais elevadas. Para o ácido fólico, estão relacionadas a doses acima de 5 mg/dia (10). Para a vitamina1 E, as reações adversas podem aparecer com doses superiores ao equivalente a 80 vezes a dose recomendada.

Reações raras (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Ácido fólico: Doses acima de 15 mg/dia podem causar alterações no SNC28, ocasionando distúrbios do sono, excitabilidade (aumento da agitação/ angústia) e irritabilidade. Doses acima de 5 mg/dia estão relacionadas com distúrbios gastrointestinais (do estômago29 e/ou intestino), como náuseas30, distensão abdominal e flatulência (soltar gases intestinais). Reações dermatológicas (da pele31), como eritema32 (cloração avermelhada da pele31) e prurido33 (sensação de coceira). Comprometimento a absorção intestinal do zinco
  • Vitamina1 E: quando empregada com doses muito altas, os seguintes sintomas27 podem aparecer: visão34 turva, dor de cabeça35, aumento da glândula36 mamária, fraqueza e sangramento em pacientes que já tenham diminuição de vitamina1 K.

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Vitamina1 E: quando empregada doses muito altas, os seguintes sintomas27 podem aparecer: náuseas30, flatulências (soltar gases intestinais), cólicas37 (dor aguda devido à contração do intestino, vesícula biliar38, etc) e diarreia39.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC).

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Procure imediatamente socorro médico para que procedimentos como lavagem gástrica40 e tratamento geral de suporte possam ser utilizados para controlar a sintomatologia.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas27 procure orientação médica.
 

Registro MS – 1.0974.0200
Farm. Resp.: Dr. Dante Alario Junior - CRF-SP nº 5143

Fabricado por
Catalent Brasil Ltda.
Av José Vieira 446
Indaiatuba SP 13347-360
CNPJ 45.569.555/0007-82
Indústria Brasileira

Registrado por
Biolab Sanus Farmacêutica Ltda.
Av Paulo Ayres 280
Taboão da Serra SP
06767-220
CNPJ 49.475.833/0001-06
Indústria Brasileira


SAC 0800 724 6522

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Tubo neural: Estrutura embrionária que dará origem ao cérebro e à medula espinhal. Durante a gestação humana, o tubo neural dá origem a três vesículas: romboencéfalo, mesencéfalo e prosencéfalo.
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Medula Espinal:
5 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
8 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
9 Anemia megaloblástica: É uma doença na qual a medula óssea produz hemácias gigantes e imaturas. Esse distúrbio é provocado pela carência de vitamina B12 ou de ácido fólico no organismo. Uma vez que esses fatores são importantes para a síntese de DNA e responsáveis pela eritropoiese, a sua falta causa um defeito na síntese de DNA, levando ao desequilíbrio no crescimento e divisão celular.
10 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
11 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
12 Fecundação: 1. Junção de gametas que resulta na formação de um zigoto; anfigamia, fertilização. 2. Ato ou efeito de fecundar (-se).
13 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
14 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
15 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
16 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
17 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
18 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
19 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
20 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
21 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
22 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
23 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
24 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
25 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
26 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
27 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
28 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
29 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
30 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
31 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
32 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
33 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
34 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
35 Cabeça:
36 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
37 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
38 Vesícula Biliar: Reservatório para armazenar secreção da BILE. Através do DUCTO CÍSTICO, a vesícula libera para o DUODENO ácidos biliares em alta concentração (e de maneira controlada), que degradam os lipídeos da dieta.
39 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
40 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.

Tem alguma dúvida sobre DTN-fol?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.