Fitoscar

APSEN FARMACEUTICA S/A

Atualizado em 01/03/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Fitoscar
Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville
Pomada 60 mg/g

MEDICAMENTO FITOTERÁPICO
Nomenclatura Botânica Oficial: Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville
Família: Fabaceae
Parte da Planta Utilizada: Casca
Nomenclatura Popular: Barbatimão, casca-de-virgindade.

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Pomada
Caixa com uma bisnaga contendo 20 g ou 50 g

USO TÓPICO1
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Cada grama2 da pomada contém:

extrato seco de Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville a 50% 60 mg
excipientes q.s.p 1 g

Excipientes: polietilenoglicol, propilenoglicol, metilparabeno e propilparabeno.

Correspondência em marcador: 60 mg do extrato seco de Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville correspondem a 30 mg de fenóis totais e 27 mg de taninos totais

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Fitoscar® é indicado como agente cicatrizante em vários tipos de lesões3 de pele4.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Fitoscar® é composto pelo extrato seco de Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville (barbatimão), que possui efeitos cicatrizantes.

Fitoscar® promove a cicatrização pela formação de uma película protetora na região da lesão5 (formação de crosta espessa, seca e irregular). Os extratos de barbatimão, aplicados diretamente ou na forma de pomadas, diminuem o processo inflamatório e o inchaço6 do ferimento, estimulam a formação da pele4, além de exercerem ação antisséptica e antimicrobiana.

O início da ação de Fitoscar® ocorre imediatamente após sua aplicação e pode-se observar melhora de dois a três dias após a primeira aplicação. A resposta ao tratamento, no entanto, depende de outros fatores, como o tamanho e tipo da lesão5 e das defesas do organismo do paciente. Caso você não observe melhora, informe ao seu médico.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve utilizar Fitoscar® se apresentar alergia7 a qualquer um dos componentes da fórmula.

O medicamento Fitoscar® não deve ser utilizado em lesões3 que apresentem comprometimento de ossos ou estruturas de suporte (como tendões8, por exemplo.) Ele também não deve ser usado se existir a suspeita de osteomielite9 (infecção10 no osso), de artrite11 com infecção10 ou de infecção10 na pele4 ao redor da ferida.

Não se deve utilizar Fitoscar® em feridas que tenham indicação de desbridamento12 (remoção do tecido13 “morto” da ferida por um profissional de saúde14) e em pacientes com septicemia15 (infecção10 generalizada), febre16 sem foco infeccioso evidente, aumento da frequência cardíaca, deterioração do estado mental, endocardite17 bacteriana em atividade (infecção10 que ocorre nas válvulas cardíacas ou tecidos do coração18) e com estado geral muito comprometido (por exemplo, pela presença de desnutrição19 importante e pressão baixa).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

As doses e cuidados nos pacientes idosos são os mesmos recomendadas para os adultos. Este produto não foi desenvolvido para uso nos olhos20.

Gravidez21 e Lactação22

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O uso deste medicamento durante a amamentação23 não é recomendado, exceto sob supervisão médica.

Interações medicamentosas

Não há relatos de interações com outros medicamentos

Interação com exames laboratoriais: Não há relato de interferência do extrato seco de Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville em exames laboratoriais.

Interação com alimentos: Não há relatos de interações com alimentos. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde14.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Fitoscar® deve ser armazenado em temperatura ambiente (15–30°C), protegido da luz e da umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

A pomada de Fitoscar® possui coloração marrom escura, consistente e com odor característico.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto do medicamento, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O produto Fitoscar® é de uso tópico1.

Orientações

  • Antes de iniciar o curativo, lavar bem as mãos24 com água corrente e sabão.
  • Remover o curativo em uso com muito cuidado umedecendo, previamente, com solução estéril.
  • Proceder ao deslocamento do curativo por uma das bordas do mesmo para facilitar a sua retirada
  • Evitar sangramentos.
  • Após a remoção do curativo, limpar cuidadosamente a lesão5 usando seu procedimento de rotina.
  • Remover sujidades, corpos estranhos ou resíduos de tratamentos anteriores.
  • Preparar o leito da ferida.
  • Observar as condições da área cruenta e dos tecidos envolvidos na lesão5 e da pele4 perilesional.
  • Aplicar a pomada de Fitoscar® em quantidade suficiente para cobrir toda a área cruenta.
  • Não aplicar na pele4 íntegra perilesional.
  • Cobrir preferencialmente com curativo ou gaze antiaderente. Se achar necessário pode ser utilizada gaze estéril sobre o curativo antiaderente.
  • Fixar com material adesivo hipoalergênico.
  • Se a pele4 perilesional estiver muito sensível não afastar a possibilidade do enfaixamento em detrimento à fixação com adesivos.
  • Proteger durante o banho para não haver contaminação externa da ferida e do curativo

Aplique a pomada sobre a ferida de 2 a 3 vezes ao dia, em quantidade suficiente para cobrir toda a área lesada.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você pode utilizar o medicamento assim que lembrar. Não exceda a quantidade recomendada para cada dia.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgiãodentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Não foram relatadas reações adversas com o uso do produto nos estudos clínicos. As reações adversas que se seguem, de frequência desconhecida, foram relatadas no período póscomercialização: dor, reação, queimadura, formação de líquido claro, vermelhidão, coceira e sangramento no local da aplicação; escurecimento da pele4, rachaduras na pele4, piora do quadro clínico, formação de pus25 na ferida e inchaço6 das pernas, infecção10 do trato urinário26, infecção10, pneumonia27.

Existem relatos de ardência no local da ferida em tratamento após a imediata colocação de Fitoscar®. Esta queixa deve ser de caráter passageiro e não impeditivo para a continuidade do tratamento. Porém se os sintomas28 persistirem, ou se de maneira progressiva causarem intolerância, é sugerido a suspensão imediata do tratamento tópico1 em questão, devendo ser informado imediatamente ao médico assistente.

Também é notada a mudança temporária na coloração (escurecimento) observada principalmente no leito da ferida em tratamento. Isto é decorrente da impregnação dos tecidos pelos materiais presentes na composição do Fitoscar®, os quais lhe dão inclusive uma peculiar coloração escura.

Não expor a região em tratamento com Fitoscar® à luz solar para se evitar a fotossensibilização da pele4 local.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento. 

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

O Fitoscar® deve ser usado exclusivamente em feridas e não em pele4 íntegra. Em caso de uso inadvertido, ingestão ou superdose, procurar orientação médica.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

Reg. MS nº 1.0118.0605
Farmacêutico Responsável: Rodrigo de Morais Vaz CRF SP nº 39282

Registrado e Fabricado por:
APSEN FARMACÊUTICA S/A
Rua La Paz, nº 37/67 – Santo Amaro
CEP 04755-020 – São Paulo – SP –
CNPJ 62.462.015/0001-29
Indústria Brasileira


SAC 0800 16 5678

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
2 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
3 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
6 Inchaço: Inchação, edema.
7 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
8 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
9 Osteomielite: Infecção crônica do osso. Pode afetar qualquer osso da anatomia e produzir-se por uma porta de entrada local (fratura exposta, infecção de partes moles) ou por bactérias que circulam através do sangue (brucelose, tuberculose, etc.).
10 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
12 Desbridamento: Retirada de tecido desvitalizado (necrosado) ou de corpo estranho de uma ferida.
13 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
16 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
17 Endocardite: Inflamação aguda ou crônica do endocárdio. Ela pode estar preferencialmente localizada nas válvulas cardíacas (endocardite valvular) ou nas paredes cardíacas (endocardite parietal). Pode ter causa infecciosa ou não infecciosa.
18 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
19 Desnutrição: Estado carencial produzido por ingestão insuficiente de calorias, proteínas ou ambos. Manifesta-se por distúrbios do desenvolvimento (na infância), atrofia de tecidos músculo-esqueléticos e caquexia.
20 Olhos:
21 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
22 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
23 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
24 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
25 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
26 Trato Urinário:
27 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
28 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre Fitoscar?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.