Ocylin

Informações adicionais sobre o medicamento Ocylin:

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE. Estas notas são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes dessa substância medicamentosa e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Para saber mais e com mais segurança, consulte a bula do remédio.

 

1. O que é Ocylin?

Ocylin é a amoxicilina, um antibiótico bactericida1 semi-sintético, de espectro moderado, indicado para o tratamento de infecções2 bacterianas causadas por microorganismos susceptíveis a ele. A amoxicilina é derivada da ampicilina e tem as mesmas propriedades antibacterianas que ela, com a vantagem de ter melhor absorção gastrointestinal. Age por inibição da formação da parede bacteriana, impedindo bactérias de se formarem. Une-se a uma grande variedade de proteínas3 responsáveis pela síntese de enzimas que alimentam bactérias infecciosas, deixando-as sem ação. Sua ação se inicia cerca de 1 a 2 horas depois de tomada, mas deve ser continuada de forma regular, pelo tempo recomendado. É muito bem absorvida pelo trato gastrointestinal e apresenta a vantagem de já começar a atuar nesse sítio. Sua metabolização é hepática4 e sua eliminação se faz por via renal5.

 

2. Como o médico prescreve Ocylin (amoxicilina)?

Siga corretamente o modo de usar a amoxicilina e as doses recomendadas pelo médico; só ele sabe o que é mais conveniente para cada quadro clínico e para cada paciente. Alguns remédios deixam de fazer os efeitos desejados por serem tomados de maneira errada ou em doses abaixo do necessário; outros têm efeitos colaterais6 ou tóxicos graves em virtude de doses muito altas.

 

3. Quando o médico prescreve Ocylin (amoxicilina)?

A amoxicilina tanto pode ser utilizada em humanos adultos ou infantis quanto em animais, variando-se as doses e os critérios de aplicação. Ela é um bactericida eficaz contra germes gram-positivos e gram-negativos, útil no tratamento de processos infecciosos das vias aéreas superiores e inferiores tais como pneumonias, otites7, amigdalites e nas infecções2 urinarias. Ela atravessa a barreira hematoencefálica, podendo ser usada também nas meningites8.

 

4. Principais efeitos colaterais6 de Ocylin (amoxicilina).

Os principais efeitos colaterais6 da amoxicilina são: diarreia9, náuseas10, vômitos11, enjoo e alterações do sono. Podem ocorrer também erupções cutâneas12, que em geral aparecem após uma semana de início do uso da medicação. Pessoas sensíveis às penicilinas em geral podem apresentar reações alérgicas. Como ocorre também com outros antibióticos, tem sido relatados casos (raros) de colite13 pseudomembranosa, nefrite14 intersticial15, febre16 e neutropenia17. Alguns raros casos de convulsões foram relatados em pacientes que usavam doses elevadas de amoxicilina. Estes ou quaisquer outros efeitos colaterais6 devidos ao uso desse medicamento devem ser prontamente informados ao médico.

 

5. Quais as principais contraindicações de Ocylin (amoxicilina)?

Contraindica-se Ocylin (amoxicilina) nos casos de hipersensibilidade específica à amoxicilina ou às penicilinas em geral, infecções2 por estafilococos penicilino-resistentes e para tratar as infecções2 produzidas por bacilo18 piociânico, rickettsias e vírus19.

 

6. Pode-se indicar Ocylin (amoxicilina) durante a gravidez20 e a lactação21?

O uso de amoxicilina durante a gravidez20 pode ser considerado apropriado quando o benefício esperado se sobrepuser ao risco potencial associado ao tratamento, o que deve ser avaliado por um médico.

Embora a amoxicilina possa ser administrada durante a lactação21, ela é excretada pelo leite materno, portanto deve-se ter cuidado quando esta droga for administrada a mulheres que estiverem amamentando.

 

7. Observações e cuidados especiais no uso de Ocylin (amoxicilina).

Quando se administra amoxicilina por longo tempo, pode ocorrer o crescimento de germes resistentes, causando uma superinfecção22.

Ver informações do laboratório

Complementos

1 Antibiótico bactericida: Destrói a parede bacteriana, eliminando a bactéria.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
4 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
5 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
6 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
7 Otites: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
8 Meningites: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
9 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
10 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
11 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
12 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
13 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
14 Nefrite: Termo que significa “inflamação do rim” e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
15 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
16 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
17 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
18 Bacilo: 1. Bactéria em forma de bastonete. 2. Designação comum às bactérias do gênero Bacillus, cujas espécies são saprófitas ou patogênicas para os seres humanos e para os mamíferos.
19 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
20 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
21 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
22 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.

Tem alguma dúvida sobre Ocylin?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.