Fluxon

Informações adicionais sobre o medicamento Fluxon:

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE. Estas notas são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes dessa substância medicamentosa e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Para saber mais e com mais segurança, consulte a bula do remédio.

 

1. O que é Fluxon?

Fluxon é a cinarizina, um vasodilatador derivado da piperazina, que bloqueia os canais de cálcio e dos receptores H1 da histamina1. A cinarizina tem ação antiespasmódica vascular2, ao inibir as substâncias vasoconstritoras presentes no sangue3 e liberar a microcirculação arteriovenosa central e periférica, proporcionando maior fluxo sanguíneo para os tecidos. Nos distúrbios da circulação4 cerebral, a cinarizina controla os sintomas5 dos processos involutivos da arteriosclerose6 ou pós-apopléticas e pós-traumatismos cranioencefálicos. A cinarizina também controla a claudicação7 que dependa de modificações arterioscleróticas ou da tromboangeíte obliterante. A cinarizina ainda age favoravelmente nos distúrbios do equilíbrio resultante de alterações vestibulares8. É bem absorvida pelo trato gastrointestinal e atinge picos sanguíneos máximos em 1-3 horas após a ingestão. Metaboliza-se no fígado9 e tem uma meia vida de cerca de 4 a 24 horas. Sua eliminação se faz principalmente pelas fezes (2/3) e também pela urina10 (1/3).

 

2. Quando o médico prescreve Fluxon (cinarizina)?

A cinarizina é indicada para a profilaxia e tratamento das perturbações circulatórias centrais (arteriosclerose6 cerebral, sequelas11 pós-apopléticas ou pós-traumatismos cranioencefálicos) e dos distúrbios circulatórios periféricos, bem como na Síndrome12 de Méinère, nas vertigens13, náuseas14, nistagmos, vômitos15, enjoos de movimentos (cinetose16) e distúrbios de equilíbrio. A cinarizina também é indicada na depressão involutiva pré-senil (falta de concentração, perda de memória, fadiga17 psíquica, perturbações do sono e humor instável). É ainda indicada nas reações alérgicas que afetam os vasos sanguíneos18 tais como rinite19 alérgica ou vasomotora e dermatose20 alérgica.

 

3. Como o médico prescreve Fluxon (cinarizina)?

Siga corretamente o modo de usar e as doses de Fluxon (cinarizina) recomendadas pelo médico; só ele pode saber o que é mais conveniente para cada quadro clínico e para cada paciente. Alguns remédios deixam de fazer efeito por serem tomados de maneira errada ou em doses abaixo do necessário; outros têm efeitos colaterais21 graves em virtude de doses muito altas.

 

4. Quais os efeitos colaterais21 mais comuns de Fluxon (cinarizina)?

De um modo geral os efeitos colaterais21 da cinarizina são leves e transitórios. No início do tratamento podem ocorrer sonolência e distúrbios gastrointestinais, os quais podem ser evitados com o aumento gradual das doses da medicação. Também podem ocorrer casos de cefaleia22, boca23 seca, ganho de peso, transpiração24 ou reação alérgica25, mas eles são muito raros. Estes e quaisquer outros eventuais efeitos colaterais21 devidos ao uso desse medicamento devem ser prontamente informados ao médico.

 

5. Quando Fluxon (cinarizina) não é indicado?

Não se conhecem contraindicações formais ao uso da cinarizina, exceto os de hipersensibilidade conhecida à droga.

 

6. Observações e cuidados especiais no uso de Fluxon (cinarizina)?

Embora nenhum efeito teratogênico26 tenha sido demonstrado em estudos animais, não se aconselha o uso da cinarizina durante a gestação. Se ocorrer gravidez27 ou se a paciente pretende engravidar, o médico deve ser informado e ele decidirá se o tratamento deve ou não ser continuado, de acordo se os benefícios para a mãe justificarem os riscos potenciais para o feto28.

A mulher que estiver amamentando não deve tomar a cinarizina porque pequenas quantidades dessa droga podem ser liberadas no leite materno e atingir o bebê.

A cinarizina pode causar epigastralgia29. Em tais casos, o médico deverá ser informado e pode ser associado um antiácido30 à medicação.

A cinarizina deve ser usada com cuidados especiais em pessoas com doenças de Parkinson, as quais devem ser monitoradas pelo médico.

A cinarizina pode causar sonolência e, por isso, deve-se tomar cuidado com a associação de álcool ou outros depressores do Sistema Nervoso Central31, que agravam esse sintoma32, bem como devem ser adotadas precauções especiais ao dirigir veículos automotores ou operar máquinas perigosas.

Em tratamentos prolongados de pessoas idosas têm sido relatados casos de aparecimento de sintomas5 extrapiramidais e sentimentos de tristeza, exigindo a interrupção do tratamento.

Ver informações do laboratório

Complementos

1 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
2 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Arteriosclerose: Doença degenerativa da artéria devido à destruição das fibras musculares lisas e das fibras elásticas que a constituem, levando a um endurecimento da parede arterial, geralmente produzido por hipertensão arterial de longa duração ou pelo envelhecimento.
7 Claudicação: 1. Falta de certeza; vacilação, hesitação. 2. No sentido figurado, pequeno erro; deslize, falta. 3. Pequena falha ou deficiência; imperfeição.
8 Vestibulares: O sistema vestibular é um dos sistemas que participam do equilíbrio do corpo. Ele contribui para três funções principais: controle do equilíbrio, orientação espacial e estabilização da imagem. Sintomas vestibulares são aqueles que mostram alterações neste sistema.
9 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
10 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
11 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
12 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
13 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
14 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
15 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Cinetose: Doença do movimento. Acomete pessoas que em determinadas condições de movimento apresentam manifestações neurovegetativas caracterizadas por tonturas, náuseas e vômitos.Está relacionada com a enxaqueca. Crianças e jovens com esse tipo de problema, geralmente, na idade adulta ou na puberdade, têm crises de enxaqueca. É causada por uma perturbação no reconhecimento do movimento feito pelo sistema vestibular, pois o corpo está parado, mas o ambiente está em movimento, gerando conflito de informações e perturbação do equilíbrio corporal.
17 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
18 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
19 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
20 Dermatose: Qualquer moléstia da pele e de seus anexos, especialmente quando caracterizada pela ausência de inflamação.
21 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
22 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
23 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
24 Transpiração: 1. Ato ou efeito de transpirar. 2. Em fisiologia, é a eliminação do suor pelas glândulas sudoríparas da pele; sudação. Ou o fluido segregado pelas glândulas sudoríparas; suor. 3. Em botânica, é a perda de água por evaporação que ocorre na superfície de uma planta, principalmente através dos estômatos, mas também pelas lenticelas e, diretamente, pelas células epidérmicas.
25 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
26 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
27 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
28 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
29 Epigastralgia: Dor na região epigástrica, ou seja, na parte mediana superior da parede abdominal, que corresponde em profundidade, aproximadamente, ao estômago e ao lobo esquerdo do fígado.
30 Antiácido: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
31 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
32 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre Fluxon?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.