Antivirax

Informações adicionais sobre o medicamento Antivirax:

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

As notas a seguir são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes dessa substância medicamentosa e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Para saber mais e com mais segurança, consulte a bula do remédio.

 

O que é Antivirax (aciclovir1)?

Antivirax é o aciclovir1, um produto sintético, com atividade inibitória contra alguns vírus2 humanos. Para alguns vírus2 a atividade inibitória do aciclovir1 é altamente seletiva, uma vez que ele interfere com a replicação viral sem afetar as células3 normais ou com muito baixa toxicidade4. É pouco absorvido no trato gastrointestinal, mas alcança concentrações séricas suficientes para que se obtenham efeitos terapêuticos satisfatórios. Sob a forma tópica, o aciclovir1 é absorvido após repetidas e contínuas aplicações. Em adultos, a meia-vida plasmática do aciclovir1 varia entre duas e nove horas. A maior parte da droga é excretada pela urina5. Também pode ser eliminada por hemodiálise6.

 

Quais são as principais indicações de Antivirax (aciclovir1)?

As principais indicações do aciclovir1, em suas diferentes formas de apresentação, são o tratamento das infecções7 causadas pelo vírus2 do herpes simplex, herpes zóster e citomegalovírus8, inclusive herpes genital, herpes labial inicial e recorrente.

 

Como o médico prescreve Antivirax (aciclovir1)?

Siga corretamente o modo de usar e as doses de Antivirax (aciclovir1) recomendadas pelo seu médico; só ele pode saber o que é mais conveniente para o seu caso. Lembre-se de que alguns remédios deixam de fazer efeito por serem tomados de maneira errada ou em doses abaixo do necessário e outros têm efeitos colaterais9 graves em virtude de doses muito altas.

 

Quais são as principais contraindicações de Antivirax (aciclovir1)?

O aciclovir1 é contraindicado para pacientes10 que tenham uma hipersensibilidade conhecida a esse medicamento ou ao propilenoglicol.

 

Quais são os principais efeitos colaterais9 de Antivirax (aciclovir1)?

Em geral, os efeitos colaterais9 do aciclovir1 não são graves. Sob a forma injetável do aciclovir1 pode ocorrer dor e irritação no local da injeção11. Nas formulações tópicas pode ocorrer queimação, ressecamento, eritema12, prurido13 ou ardor14 local. Outros efeitos sistêmicos15 podem ser: erupções cutâneas16, perda do apetite, vômitos17, diarreia18, letargia19, convulsões, tonteiras, confusão mental, agitação, coma20, cefaleia21, tremor, alucinações22, insônia e depressão, anemia23, leucopenia24, trombocitopenia25 e elevação das transaminases. Estes ou quaisquer outros efeitos colaterais9 que por ventura possam surgir devem ser prontamente comunicados ao médico.

 

Observações e cuidados especiais no uso de Antivirax (aciclovir1).

O aciclovir1 creme não deve ser aplicado em mucosas26, como a intravaginal, a intrabucal e, principalmente, nos olhos27. Em casos de herpes labial as pessoas devem consultar os seus médicos quanto ao uso dessa medicação.

Em coelhos, ratos e camundongos a administração sistêmica do aciclovir1, durante a gravidez28 em dosagens equivalentes às terapêuticas humanas, não produziu efeitos embriotóxicos ou teratogênicos29. A experiência em humanos não demonstrou que o aciclovir1 cause defeitos congênitos30 em bebês31 de grávidas tratadas com aplicação tópica do medicamento. Deve-se ter em conta que a exposição sistêmica à droga através da aplicação tópica é muito baixa.

Após administração sistêmica, o aciclovir1 passa para o leite materno. Entretanto, a dosagem recebida pelo bebê através da amamentação32 é considerada insignificante.

 

Quando Antivirax (aciclovir1) não é indicado?

Antivirax (aciclovir1) não deve ser usado por pacientes que tenham uma hipersensibilidade conhecida ao aciclovir1, ao propilenoglicol ou a qualquer outro componente da sua fórmula.

Ver informações do laboratório

Complementos

1 Aciclovir: Substância análoga da Guanosina, que age como um antimetabólito, à qual os vírus são especialmente susceptíveis. É usado especialmente contra o herpes.
2 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
5 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
6 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
7 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Citomegalovírus: Citomegalovírus (CMV) é um vírus pertence à família do herpesvírus, a mesma dos vírus da catapora, herpes simples, herpes genital e do herpes zóster.
9 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
10 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
11 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
12 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
13 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
14 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
15 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
16 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
17 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
18 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
19 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
20 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
21 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
22 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
23 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
24 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
25 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
26 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
27 Olhos:
28 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
29 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
30 Defeitos congênitos: Problemas ou condições que estão presentes ao nascimento.
31 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
32 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.

Tem alguma dúvida sobre Antivirax?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.