PENICILINA G BENZATINA

ARISTON

Atualizado em 09/12/2014

Composição da Penicilina G Benzatina

CADA FRASCO-AMPOLA CONTEM PENICILINA G BENZATINA NAS DOSAGENS A SEGUIR. - 600.000 UI; 1.200.000 UI E 400.000 UI. - INJETAVEL

Indicações da Penicilina G Benzatina

TRATAMENTO DAS INFECCOES1 POR GERMES SENSIVEIS A PENICILINA.

Apresentação da Penicilina G Benzatina

CAIXA COM 50 FRASCOS-AMPOLA E 50 AMPOLAS DILUENTES.

Composição da Penicilina G Benzatina

CADA FRASCO-AMPOLA CONTEM 600.000 U OU 1.200.000 U DE PENICILINA G BENZATINA (BENZILPENICILINA BENZATINA).

Posologia e Administração da Penicilina G Benzatina

INFECCOES1 ESTREPTOCOCICAS (GRUPO A) DO TRATO RESPIRATORIO SUPERIOR E DA PELE2: CRIANCAS ATE 27 KG: INJECAO3 UNICA DE 300.000 A 600.000 U DE BENZILPENICILINA BENZATINA. CRIANCAS MAIORES: INJECAO3 UNICA DE 900.000 U. ADULTOS: INJECAO3 UNICA DE 1.200.000 U. SIFILIS4 PRIMARIA, SECUNDARIA E LATENTE: INJECAO3 UNICA DE 2.400.000 U. SIFILIS4 TARDIA (TERCIARIA E NEUROSSIFILIS): 3 INJECOES DE 2.400.000 U, COM INTERVALO DE 1 SEMANA ENTRE AS DOSES. SIFILIS4 CONGENITA5: 50.000 U POR QUILOGRAMA DE PESO PARA CRIANCAS MENORES DE 2 ANOS DE IDADE E DOSES AJUSTADAS DE ACORDO COM A TABELA DE ADULTOS, PARA CRIANCAS ENTRE 2 A 12 ANOS. BOUBA, BEJEL (SIFILIS4 ENDEMICA) E PINTA: INJECAO3 UNICA DE 1.200.000 U. PROFILAXIA DA FEBRE REUMATICA6 E DA GLOMERULONEFRITE7: RECOMENDA-SE A UTILIZACAO PERIODICA A CADA 3 OU 4 SEMANAS, NA DOSE DE 1.200.000 U. EMBORA A TAXA DE RECORRENCIA8 DA FEBRE REUMATICA6 SEJA BAIXA UTILIZANDO-SE O REGIME A CADA 4 SEMANAS, PODE-SE CONSIDERAR A ADMINISTRACAO A CADA 3 SEMANAS, CASO O PACIENTE TENHA HISTORIA DE MULTIPLAS RECORRENCIAS9, POSSUA LESAO10 VALVULAR GRAVE OU TENHA APRESENTADO RECORRENCIA8 COM A ADMINISTRACAO A CADA 4 SEMANAS. O MEDICO DEVE AVALIAR OS BENEFICIOS DE INJECOES MAIS FREQUENTES CONTRA A POSSIBILIDADE DE REDUZIR A ACEITACAO DO PACIENTE A ESTE PROCEDIMENTO.

Precauções da Penicilina G Benzatina

EM INFECCOES1 ESTREPTOCOCICAS, O TRATAMENTO DEVE SER SUFICIENTE PARA ELIMINAR OS MICROORGANISMOS, CASO CONTRARIO AS SEQUELAS11 DA DOENCA ESTREPTOCOCICA PODERAO SURGIR. EM TRATAMENTOS PROLONGADOS COM PENICILINAS, PARTICULARMENTE QUANDO SAO UTILIZADOS REGIMES DE ALTAS DOSES, RECOMENDA-SE AVALIACOES PERIODICAS DA FUNCAO RENAL12 E HEMATOPOIETICA. ANTES DE SE INICIAR A TERAPEUTICA13 COM AS PENICILINAS, DEVE-SE PESQUISAR HISTORIAS ANTERIORES DE HIPERSENSIBILIDADE AS PENICILINAS, CEFALOSPORINAS OU OUTROS ALERGENOS14.

Reações Adversas da Penicilina G Benzatina

REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE SAO FREQUENTEMENTE ASSOCIADAS COM O USO DAS PENICILINAS, TAIS COMO: ERUPCOES CUTANEAS15, DESDE AS FORMAS MACULOPAPULOSAS ATE A DERMATITE16 ESFOLIATIVA; URTICARIA17; EDEMA18 DE LARINGE19; REACOES SEMELHANTES A DOENCA DO SORO20 INCLUINDO FEBRE21, CALAFRIOS22, EDEMA18, ARTRALGIA23 E PROSTACAO. EFEITOS ADVERSOS NO SISTEMA HEMATOPOIETICO24 COMO ANEMIA HEMOLITICA25, LEUCOPENIA26, TROMBOCITOPENIA27, NEUROPATIA28 E NEFROPATIA29 NAO SAO FREQUENTES E ESTAO ASSOCIADAS COM ALTAS DOSES DE PENICILINA POR VIA PARENTERAL.

Contra-Indicações da Penicilina G Benzatina

HIPERSENSIBILIDADE AS PENICILINAS E CEFALOSPORINAS.

Indicações da Penicilina G Benzatina

TRATAMENTO DE INFECCOES1 CAUSADAS POR MICROORGANISMOS SENSIVEIS A BENZILPENICILINA, QUE SEJAM SUSCETIVEIS AOS NIVEIS SERICOS BAIXOS, POREM MUITO PROLONGADOS, CARACTERISTICOS DESTA FORMA DE DOSIFICACAO. A TERAPIA DEVERA SER ORIENTADA POR ESTUDOS BACTERIOLOGICOS (INCLUINDO TESTES DE SENSIBILIDADE) E PELA RESPOSTA CLINICA.

Apresentação da Penicilina G Benzatina

CAIXA COM 1 OU 50 FRASCOS-AMPOLA (DE 600.000 OU 1.200.000 U) MAIS DILUENTE.

Ver informações do laboratório

PENICILINA G BENZATINA - Laboratório

ARISTON
Rua Adherbal Stresser, 84
São Paulo/SP - CEP: 05566-000
Tel: (011 )810-1079
Fax: (011 )810-2894
Site: http://www.ariston.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ARISTON"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
4 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
5 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
6 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
7 Glomerulonefrite: Inflamação do glomérulo renal, produzida por diferentes mecanismos imunológicos. Pode produzir uma lesão irreversível do funcionamento renal, causando insuficiência renal crônica.
8 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
9 Recorrências: 1. Retornos, repetições. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
10 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
12 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
13 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
14 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
15 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
16 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
17 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
18 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
19 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
20 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
21 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
22 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
23 Artralgia: Dor em uma articulação.
24 Sistema Hematopoiético: Sistema do corpo composto primariamente pela medulla óssea, baço, lifonodos (gânglios linfáticos) e tonsilas, envolvido na produção do sangue.
25 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
26 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
27 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
28 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
29 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre PENICILINA G BENZATINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.