Preço de FLUMEX 0,10% e 0,25% em Cambridge/SP: R$ 20,82

FLUMEX 0,10% e 0,25%

ALLERGAN

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Flumex

Flumex 0,10%: cada ml contém 1,0 mg de fluormetolona, 14 mg de álcool polivinílico (Liquifilm), cloreto de benzalcônio como preservativo e veículo q.s.p. Flumex 0,25%: cada ml contém 2,5 mg de fluormetolona, 14 mg de álcool polivinílico (Liquifilm), cloreto de benzalcônio como preservativo e veículo q.s.p.

Posologia e Administração de Flumex

agitar o frasco antes de usar. Flumex 0,10%: instilar 1 a 2 gotas no saco conjuntival, 2 a 4 vezes por dia. Durante 24 a 48 horas iniciais, a dose pode ser aumentada com segurança para 2 gotas cada hora. Flumex 0,25%: instilar 1 gota1 no saco conjuntival, 2 a 4 vezes por dia. Durante as primeiras 24 a 48 horas a dose pode ser aumentada com segurança para 1 gota1 de hora em hora. Deve-se ter cuidado em não interromper prematuramente o tratamento, mas reduzi-lo gradualmente conforme orientação médica. Superdosagem: nem sempre a superdosagem causará problemas agudos. Se uma dose excessiva for colocada acidentalmente no olho2, este deverá ser lavado abundantemente com água ou soro3 fisiológico4. Se for ingerido acidentalmente, tomar líquidos para diluir.

Precauções de Flumex

gerais: como as infecções5 da córnea6 causadas por fungos são particularmente propensas a se desenvolver concomitantemente com o uso local e prolongado de corticosteróides, deve-se suspeitar de invasão por fungo7 em qualquer ulceração8 de córnea6 persistente na qual tenha sido ou esteja sendo usado um corticosteróide. A pressão intra-ocular deve ser avaliada freqüentemente. Gravidez9: não há estudos adequados, bem controlados em mulheres grávidas. A fluormetolona deve ser usada durante a gravidez9 apenas se o potencial de benefícios superar o possível risco para o feto10. - Uso pediátrico: a segurança e eficácia em crianças abaixo de 2 anos de idade não foram estabelecidas.

Reações Adversas de Flumex

as reações adversas incluem, em ordem decrescente de freqüência, elevação da pressão intra-ocular (PIO) com possível desenvolvimento de glaucoma11 e raramente lesão12 do nervo óptico, perda da acuidade visual13 ou defeitos nos campos visuais, formação de catarata14 subcapsular posterior, retardo na cicatrização de incisões15. Também foram relatadas, após o uso de corticosteróides tópicos: infecção16 ocular secundária provocada por patógenos liberados dos tecidos oculares e, raramente, perfuração do globo quando o produto é usado em condições onde há o estreitamento de córnea6 ou de esclerótica17.

Contra-Indicações de Flumex

ceratite epitelial por herpes simplex (ceratite dendrítica), vacínia, varicela18, tuberculose19 ocular e outras doenças virais da córnea6 e conjuntiva20. Doenças das estruturas oculares causadas por fungos. Hipersensibilidade a qualquer componente da medicação. Advertências: os medicamentos que contêm corticosteróide requerem grande cuidado quando usados no tratamento da ceratite por herpes simplex (envolvendo o estroma21); é obrigatória a realização freqüente de microscopia com Lâmpada de Fenda. O uso prolongado pode resultar em glaucoma11, com lesão12 do nervo óptico, defeitos na acuidade visual13 e nos campos visuais ou formação de catarata14 subcapsular posterior, ou pode proporcionar o estabelecimento de infecções5 oculares secundárias ocasionadas por fungos ou vírus22 liberados dos tecidos oculares. Nos processos que causam estreitamento de córnea6 ou da esclerótica17, são conhecidos casos de perfuração que ocorrem com o uso de corticosteróides tópicos. As infecções5 oculares purulentas23 não tratadas podem ser mascaradas ou ter sua atividade intensificada pela presença de corticosteróides.

Indicações de Flumex

processos inflamatórios da conjuntiva20 palpebral e bulbar da córnea6 e do segmento anterior do globo ocular24 que respondem ao tratamento com corticosteróides.

Apresentação de Flumex

Flumex 0,10%: frascos plásticos conta-gotas contendo 10 ml de suspensão estéril. Flumex 0,25%: frascos plásticos conta-gotas contendo 5 ml de suspensão estéril.


FLUMEX 0,10% e 0,25% - Laboratório

ALLERGAN
Av. Dr. Cardoso de Melo, 1855
São Paulo/SP - CEP: 04548-005
Tel: (11) 829-4575
Site: http://www.allergan.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "ALLERGAN"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
2 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
3 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
4 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
7 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
8 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
9 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
10 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
11 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
12 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
13 Acuidade visual: Grau de aptidão do olho para discriminar os detalhes espaciais, ou seja, a capacidade de perceber a forma e o contorno dos objetos.
14 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
15 Incisões: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
16 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
17 Esclerótica: A túnica fibrosa, branca e opaca, mais externa do globo ocular, revestindo-o inteiramente com exceção do segmento revestido anteriormente pela córnea. É essencialmente avascular, porém contém aberturas para a passagem de vasos sanguíneos, linfáticos e nervos. Recebe os tendões de inserção dos músculos extraoculares e no nível da junção esclerocorneal contém o seio venoso da esclera.
18 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
19 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
20 Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
21 Estroma: 1. Na anatomia geral e em patologia, é o tecido conjuntivo vascularizado que forma o tecido nutritivo e de sustentação de um órgão, glândula ou de estruturas patológicas. 2. Na anatomia botânica, é a matriz semifluida dos cloroplastos na qual se encontram os grana, grânulos de amido, ribossomas, etc. 3. Em micologia, é a massa de tecido de um fungo, formada a partir de hifas entrelaçadas e que, nos cogumelos, geralmente corresponde à maior parte do corpo.
22 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
23 Purulentas: Em que há pus ou cheio de pus; infeccionadas. Que segrega pus. No sentido figurado, cuja conduta inspira nojo; repugnante, asqueroso, sórdido.
24 Globo ocular: O globo ocular recebe este nome por ter a forma de um globo, que por sua vez fica acondicionado dentro de uma cavidade óssea e protegido pelas pálpebras. Ele possui em seu exterior seis músculos, que são responsáveis pelos movimentos oculares, e por três camadas concêntricas aderidas entre si com a função de visão, nutrição e proteção. A camada externa (protetora) é constituída pela córnea e a esclera. A camada média (vascular) é formada pela íris, a coroide e o corpo ciliar. A camada interna (nervosa) é constituída pela retina.

Tem alguma dúvida sobre FLUMEX 0,10% e 0,25%?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.