Vitamina C Medquímica (Comprimido)

MEDQUIMICA INDUSTRIA FARMACEUTICA LTDA.

Atualizado em 07/10/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Vitamina1 C Medquímica®
ácido ascórbico
Comprimido 500 mg

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Comprimido simples 
Embalagem com 20 comprimidos

VIA ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO:

Cada comprimido contém:

ácido ascórbico 500 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: dióxido de silício, amido, celulose microcristalina, talco, estearato de magnésio e lactose2.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

A Vitamina1 C Medquímica® é um suplemento vitamínico indicado como auxiliar do sistema imunológico3 e sintomas4 de carência desta vitamina1.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

A Vitamina1 C Medquímica® é um suplemento vitamínico antioxidante que desempenha um importante papel nos processos de proteção e respiração celular.

Também apresenta atividades fisiológicas5 decorrentes de sua ação nos sintomas4 de carência desta vitamina1. Astemia (fraqueza generalizada), distúrbios digestivos e atraso de crescimento são observados na deficiência de vitamina1 C, assim como o comprometimento da formação da substância intercelular de certos tecidos do organismo, o que prejudica o processo de cicatrização e formação dos ossos e dentes.

Tempo médio estimado para início da ação: Tempo para pico da concentração plasmática do ácido ascórbico após ingestão oral é de 4 a 5 horas.*

Referência Bibliográfica:

  • Bento, P. Estudo de Bioequivalência de três formulações de ácido ascórbico em voluntários sadios. Dissertação de Mestrado, Campinas, 1997.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESSE MEDICAMENTO?

Este medicamento é contra-indicado para uso por pacientes com antecedentes de alergia6 a quaisquer constituintes da fórmula. A vitamina1 C não deve ser administrada a pacientes com litíase7 urinária (cálculos renais) acompanhada por oxalúria (presença de ácido oxálico na urina8), com acidúria (urina8 ácida) ou pH urinário normal.

Este medicamento deve ser administrado com cautela em pacientes portadores de insuficiência renal9. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESSE MEDICAMENTO?

Gravidez10 e Lactação11

O uso da Vitamina1 C durante a gravidez10 deve ser orientado pelo médico.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Medicamento-Medicamento

A Vitamina1 C Medquímica® pode potencializar (aumentar) a ação da desferroxamina (medicamento usado em casos de intoxicação por ferro ou alumínio).

Medicamento-Exames Laboratoriais

A vitamina1 C também pode também alterar o resultado de alguns exames laboratoriais, como sangue12 oculto nas fezes, desidrogenase lática13 (enzima14), glicose15 na urina8, transaminases (enzimas do fígado16) e bilirrubina17.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Conservar em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C). Proteger da luz e umidade.

A Vitamina1 C Medquímica®, quando exposta ao ar e à umidade pode ter sua coloração alterada. Preserve a integridade da embalagem.

Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Comprimido circular, plano, chanfrado, não sulcado, de coloração branca, isento de material estranho.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Como usar

Os comprimidos de Vitamina1 C Medquímica® devem ser ingeridos com quantidade suficiente de água para permitir a correta deglutição18. Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

Posologia

  • Adultos: 2 comprimidos ao dia;
  • Crianças: 1 comprimido ao dia.

Posologia

Crianças

Crianças e Adulto

Gestantes

Lactantes19

1–3 anos

4–6 anos

7–10 anos

Acima de 10 anos

Ingestão diária recomendada

30 mg

30 mg

35 mg

45 mg

55 mg

70 mg

% IDR

1111,00%

1111,00%

952,28%

2222,22%

1818,18%

1428,57%

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas4, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar uma dose, deve tomá-la assim que se lembrar, porém, não tome duas doses ao mesmo tempo ou muito próximas uma da outra. Depois, continue com seu tratamento no próximo dia na dose e horário habituais.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Reações alérgicas e reações específicas de cada indivíduo são possíveis de ocorrer quando se utiliza vitaminas.

Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam esse medicamento): pode acontecer com a administração de altas doses, por tempo prolongado, escorbuto20 de rebote (doença que surge como conseq&uumL;ência da falta extrema de vitamina1 C), distúrbios digestivos (problemas de estômago21 e intestino), eritema22 (manchas avermelhadas na pele23), cefaléia24 (dor de cabeça25), aumento da diurese26 (eliminação de líquidos pela urina8) e litíase7 oxálica ou úrica (cálculos renais) em pacientes com insuficiência renal9 e naqueles predispostos à calculose (aparecimento de cálculos renais). Náuseas27, vômitos28 e diarréias também podem acontecer.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUATIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Ainda não foram descritos sintomas4 de intoxicação. Se você ingerir uma grande quantidade desse medicamento de uma só vez, procure imediatamente socorro médico.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas4 procure orientação médica.
 

MS n° 1.0917.0065
Farm. Resp.: Dr. Jadir Vieira Junior CRF-MG 10.681

Registrado por:
MEDQUÍMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA.
Rua Otacílio Esteves da Silva, 40 - Granjas Betânia
CEP 36.047-400 - Juiz de Fora - MG
CNPJ 17.875.154/0001-20 - Indústria Brasileira

Fabricado por:
MEDQUIMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA.
Rua Fernando Lamarca, 255 – Distrito Industrial
CEP: 36.092-030 – Juiz de Fora – MG
CNPJ: 17.875.154/0003-91 – Indústria Brasileira


SAC 0800 032 4087

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
3 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
6 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
7 Litíase: Estado caracterizado pela formação de cálculos em diferentes regiões do organismo. A composição destes cálculos e os sintomas que provocam variam de acordo com sua localização no organismo (vesícula biliar, ureter, etc.).
8 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
9 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
10 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
11 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Lática: Diz-se de ou ácido usado como acidulante e intermediário químico; láctica.
14 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
15 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
16 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
17 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
18 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
19 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
20 Escorbuto: Doença aguda ou crônica causada pela carência de vitamina C, caracterizada por hemorragias, alteração das gengivas e queda da resistência às infecções.
21 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
22 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
23 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
24 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
25 Cabeça:
26 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
27 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
28 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.

Tem alguma dúvida sobre Vitamina C Medquímica (Comprimido)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.