NEO AMITRIPTILIN

NEO QUIMICA

Atualizado em 09/12/2014

NEO AMITRIPTILIN
cloridrato de amitriptilina

Forma Farmacêutica e Apresentações do Neo Amitriptilin

Comprimidos 25mg: Embalagens com 20 e 200* comprimidos.* Embalagem Hospitalar
USO ADULTO E PEDIÁTRICO (acima de 12 anos)

Composição do Neo Amitriptilin

Cada comprimido contém:
cloridrato de amitriptilina ....................25 mg
excipientes q.s.p ....................1 comprimido
(celulose microcristalina, glicolato amido sódico, fosfato de cálcio dibásico, estearato de magnésio, dióxido de silício, corante amarelo de TARTRAZINA FDC nº5).

Informações ao Paciente do Neo Amitriptilin

- Neo Amitriptilin é um antidepressivo com propriedades sedativas.  - Conservar em temperatura ambiente (15 a 30 C). Proteger da luz e umidade.
- Prazo de validade: VIDE CARTUCHO. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
- Não foi estabelecida a segurança do Neo Amitriptilin na gravidez1 e lactação2, portanto, a administração em gestantes, lactantes3 e mulheres com intenção imediata de engravidar, deve ser confrontada com os possíveis benefícios e riscos para mãe e filho.
- " Informe seu médico a ocorrência de gravidez1 na vigência do tratamento ou após o seu término" . " Informe seu médico se está amamentando" .
- ''Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.''
- " Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico" .
- Cloridrato de amitriptilina é bem tolerado, podendo ocorrer taquicardia4, alterações psíquicas, insônia e tremores; caso ocorra qualquer uma destas situações anormais, comunique imediatamente seu médico.
- Neo Amitriptilin contém o corante amarelo de TARTRAZINA (FDC Nº5) que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma5 brônquica e urticária6, em pessoas suscetíveis.
- " TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS" .
- Não é aconselhável o uso de bebidas alcoólicas durante o tratamento com Neo Amitriptilin, assim como não é recomendado na terapia de pacientes deprimidos de idade inferior a 12 anos (ver POSOLOGIA).
- ''Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando antes do início ou durante o tratamento" .
- Neo Amitriptilin é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade a este medicamento. Gravidez1 e lactação2, insuficiência renal7 ou hepática8 graves (ver CONTRA-INDICAÇÕES).
- O uso deste medicamento pode comprometer o estado de alerta em alguns pacientes, portanto, a condução de veículos e outras atividades cujo risco aumenta pela diminuição do estado de alerta devem ser evitadas.
- " NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE9" .

Informações Técnicas do Neo Amitriptilin

O cloridrato de amitriptilina é um potente fármaco10 antidepressivo pertencente à classe dos compostos tricíclicos. Estes compostos são quimicamente semelhantes aos agentes antipsicóticos fenotiazínicos, sendo que, a atividade antidepressiva está relacionada com a estrutura, dependendo do núcleo tricíclico, da cadeia lateral e da natureza do grupo amínico básico. Amitriptilina apresenta o anel dibenzociclo-heptênico ligado à cadeia lateral dimetilpropanamina, manifestando acentuados efeitos antimuscarínicos e sedativos.
É rapidamente absorvida pelo trato gastrintestinal; a ligação às proteínas11 é muito alta (95%); atinge concentrações plasmáticas em cerca de 6 horas; é parcialmente desmetilada por eliminação pré-sistêmica no fígado12, dando o metabólito13 ativo, a nortriptilina, tanto o fármaco10 íntegro quanto seu metabólito13 são distribuídos por todo o organismo e extensivamente ligados às proteínas11 plasmáticas e teciduais; a meia-vida da amitriptilina é de 15,1 horas (faixa: 10,3 a 25,3 horas) e a do seu metabólito13 nortriptilina, 26,6 (faixa: 16,5 a 35,7 horas); o início de ação é lento, durando 1 a 3 semanas; volume de distribuição: 12 a 18 L/kg; é eliminada lentamente na urina14.

Indicações do Neo Amitriptilin

Neo Amitriptilin atua como antidepressivo, antineurálgico, auxilia no distúrbio do pânico, dor neurogênica, síndrome15 de narcolepsia / cataplexia16, profilaxia de cefaléia17, inclusive enxaqueca18. Na enurese19 noturna, em crianças de 6 anos ou mais.

Contra-Indicações do Neo Amitriptilin

NEO AMITRIPTILIN É CONTRA-INDICADO NOS PACIENTES QUE DEMONSTRARAM HIPERSENSIBILIDADE À AMITRIPTILINA OU A QUALQUER OUTRO COMPONENTE DA FÓRMULA, DURANTE A FASE DE RECUPERAÇÃO AGUDA APÓS INFARTO DO MIOCÁRDIO20 OU FALÊNCIA CARDÍACA, GLAUCOMA21 AGUDO22; RETENÇÃO URINÁRIA23 POR AFECÇÃO24 PROSTÁTICA; ESQUIZOFRÊNICOS AGUDAMENTE AGITADOS; INSUFICIÊNCIAS HEPÁTICA8 OU RENAL25 GRAVES; GRAVIDEZ1 E LACTAÇÃO2.

Precauções do Neo Amitriptilin

Pode comprometer o estado de alerta em alguns pacientes, portanto, a condução de veículos e outras atividades cujo risco aumenta pela diminuição do estado de alerta devem ser evitadas.Não foi estabelecida a segurança do uso do Neo Amitriptilin na gravidez1 e lactação2, portanto, a administração da droga às gestantes, lactantes3 e mulheres com intenção imediata de engravidar, devem confrontar os possíveis benefícios com os eventuais riscos para mãe e filho.
A potência da amitriptilina é tal que, ao serem acrescentados outros medicamentos antidepressivos, geralmente não resulta em qualquer benefício terapêutico adicional. Não há indícios de potencialização quando amitriptilina é substituída de forma imediata para protriptilina ou vice-versa.
Quando o Neo Amitriptilin é usado para tratar o componente depressivo da esquizofrenia26, os sintomas27 psicóticos podem ser agravados. De modo análogo, nas psicoses  maníacodepressivas, os pacientes deprimidos podem experimentar uma mudança para a fase maníaca. As ilusões do tipo paranóide, com ou sem hostilidade associada, podem ser exageradas. Em qualquer dessas circunstâncias pode ser aconselhável reduzir a dose de amitriptilina ou associar um tranquilizante, como a perfenazina, simultaneamente.
Deve ser empregado com atenção especial em pacientes que manifestem tendências suicidas quando começarem a responder ao tratamento, pois o risco de suicídio poderá aumentar quando se inicia a recuperação e os pacientes se tornam mais ativos.
Deve ser usado com cautela em pacientes idosos e naqueles que já tiveram convulsões, insuficiência renal7, ou função hepática8 gravemente comprometida.
Neo Amitriptilin deve ser usado com cautela em pacientes com história de derrame28 cerebral e, devido a sua atividade do tipo atropina, em pacientes com história de retenção urinária23, glaucoma21 de ângulo estreito ou aumento de pressão intra-ocular. Em pacientes com glaucoma21 de ângulo fechado, até mesmo doses médias podem precipitar um ataque.
Pacientes com doença cardiovascular deverão ser estritamente observados. Drogas antidepressivas tricíclicas incluindo a amitriptilina, particularmente quando administradas em doses elevadas, tem sido relatadas como causadoras de arritmias29 cardíacas, taquicardia4 sinusial e tempo de condução prolongado. Supervisão estrita é requerida quando amitriptilina é administrada a pacientes hipertireoideanos ou àqueles que estejam recebendo medicação à base de hormônios tireoideanos.
A dose deve ser reduzida gradualmente em pacientes que foram tratados inicialmente com doses altas, para evitar a síndrome15 de abstinência.
Deve ser mantido intervalo de pelo menos duas semanas entre a suspensão de inibidores da MAO30 e a administração do Neo Amitriptilin e vice-versa. Neo Amitriptilin pode aumentar a resposta ao álcool; deve-se ter em mente que a potencialização pode aumentar o inerente perigo de tentativa de suicídio ou superdose.
Tem sido relatado delírio31 com administração concomitante de amitriptilina e dissulfiram.

Interações Medicamentosas do Neo Amitriptilin

Neo Amitriptilin potencializa os efeitos depressores sobre o sistema nervoso central32 quando administrados, concomitantemente com álcool, anti-hipertensivos com efeitos depressores do sistema nervoso central32 (por exemplo, alcalóides da rauwolfia e guanabenzo), anti-histamínicos e outros depressores do sistema nervoso central32.
Pode intensificar os efeitos antimuscarínicos da amantadina, bem como os antidiscinéticos, antihistamínicos ou atropina de compostos relacionados.
Pode causar aumento na atividade anticoagulante33 dos anticoagulantes34 cumarínicos ou idandiônicos.
Pode aumentar o risco de agranulocitose35 de agentes antitireoideanos, tais como metimazol sódico ou propiltiouracil.
Pode diminuir os efeitos hipotensores de clonidina ou guanetidina, antagoniza os efeitos do metilfenidato.
Barbitúricos e efedrina podem diminuir os efeitos dos antidepressivos tricíclicos.
Cimetidina pode inibir a biotransformação da amitriptilina e aumentar as concentrações plasmáticas, resultando em toxicidade36.
Dissulfiram pode causar delírio31 transitório, sobretudo quando administrado junto com  amitriptilina; fenfluramina pode potencializar os efeitos sedativos dos tricíclicos ou dela própria.
Estrogênios ou anticoncepcionais contendo estrogênios podem ter diminuição de seus efeitos terapêuticos e também aumentar as concentrações plasmáticas dos tricíclicos, resultando em toxicidade36.
Fenotiazínicos, haloperidol, maprotilina ou tioxantênicos podem prolongar e intensificar seus próprios efeitos sedativos e antimuscarínicos ou dos tricíclicos.
Hormônios tireoideanos podem aumentar a possibilidade de arritmias29 cardíacas.
lnibidores da MAO30 causam episódios hiperpiréticos, convulsões graves, crises hipertensivas e até morte; deve ser observado intervalo mínimo de 14 dias entre a suspensão dos inibidores da MAO30 e o início do tratamento com tricíclicos e vice-versa.
Simpatomiméticos de ação direta (por exemplo, epinefrina, isoprenalina e norepinefrina) e de ação direta e indireta, mas predominantemente direta (por exemplo, dopamina37 e fenilefrina), podem potencializar os efeitos cardiovasculares.

Reações Adversas do Neo Amitriptilin

Pode ocorrer secura na boca38, visão39 embaçada, distúrbios de acomodação, aumento da pressão intraocular40, constipação41 intestinal, íleo paralítico42, retenção urinária23, hiperpirexia, nauseas43, vômitos44, anorexia45, estomatite46, diarréia47, alteração do paladar48, tumefação49 da parótida50, e raramente hepatite51 e alterações cardiovasculares como: hipotensão arterial52, taquicardia4, palpitações53, infarto do miocárdio20, bloqueio cardíaco54, arritmias29 cardíacas e acidente vascular cerebral55.As alterações hematológicas incluem depressão da medula óssea56 incluindo agranulocitose35, leucopenia57, eosinofilia58 e trombocitopenia59, especialmente.
Reações como eritemas60, urticárias, fotossensibilização, alucinações61 paranóides, excitações, ansiedade, insônia, pesadelos, torpor62, formigamento e parestesia63 das extremidades, neuropatia periférica64, ataxia65, tremores, crises convulsivas, alteração dos traçados do ECG, sintomas27 extrapiramidais, cefaléia17, coma66, tinido e disartria67.
Outros efeitos: tumefação49 testicular, ginecomastia68, aumento das mamas69 e galactorréia70 na mulher, tontura71, fadiga72, aumento da perda de peso, icterícia73 colestática, aumento da perspiração e da freqüência urinária, sonolência, midríase74, edema75 e alopécia76.
Neo Amitriptilin contém o corante amarelo de TARTRAZINA (FDC nº5) que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma5 brônquica e urticária6, em pessoas suscetíveis.

Posologia do Neo Amitriptilin

A posologia inicial do Neo Amitriptilin para adultos, em ambulatórios, é de 25 a 50 mg por dia. Se necessário, essa dose pode ser aumentada até um total de 150 mg por dia. A atividade antidepressiva pode levar até 30 dias para desenvolver-se adequadamente.
Em pacientes hospitalizados, a dose de 100 mg/dia pode ser requerida inicialmente. Esta dose pode ser aumentada gradualmente até 200 mg/dia, se necessário, sendo que, pequena parte dos pacientes hospitalizados pode requerer até 300 mg/dia. Em adolescentes e pacientes idosos, em geral a posologia com doses baixas é recomendada.
A dose usual de manutenção é de 50 a 100 mg/dia. É aconselhável estender a terapia de manutenção, assim que tenha sido atingida melhora satisfatória, por seis meses ou mais para reduzir a possibilidade de recidiva77.
Enurese19 noturna: a dose de 25 a 50 mg é usualmente administrada em adolescentes na faixa etária de 12 a 16 anos. Não se recomenda a administração do Neo Amitriptilin para pacientes78 deprimidos abaixo dos 12 anos. A maioria dos pacientes responde nos primeiros dias de terapia. Nos pacientes que respondem, a tendência é de contínua e crescente melhora com o decorrer do tratamento. O tratamento contínuo geralmente é requerido para manter a resposta até ser estabelecido o controle.
As doses recomendadas para o tratamento da enurese19 não devem ser ultrapassadas, mesmo levando em conta as diferenças etárias e o peso.

Superdose do Neo Amitriptilin

Todos os pacientes com suspeita de terem ingerido dose excessiva de Neo Amitriptilin devem ser encaminhados rapidamente a um hospital. O tratamento é sintomático79 e de apoio. Esvazia-se o estômago80 o mais rápido possível mediante lavagem gástrica81, ao ingressar no hospital. Após lavagem gástrica81, deve ser administrado carvão ativado a cada 4 a 6 horas durante as primeiras 24-48 horas após ingestão. Deve ser feito ECG e instituído controle da função cardíaca se houver sinal82 de anormalidade. Manter permeáveis as vias áereas; adequada infusão de líquidos e monitorar a temperatura corporal. Devem-se utilizar as medidas habituais para controlar o choque83 circulatório e a acidose metabólica84. Recomenda-se a administração intravenosa de bicarbonato de sódio em bôlus (50 a 100 mEq), devendo-se manter p pH sangüíneo entre 7,45 e 7,50. É aconselhável cuidados com o controle da função cardíaca por pelo menos cinco dias. Os anticonvulsivantes podem ser utilizados no controle de convulsões. A amitriptilina aumenta a ação depressiva dos barbitúricos no SNC85, mas não a ação anticonvulsiva. Assim sendo, recomenda-se para controle das convulsões o uso de anestésico inalável, diazepam ou paraldeído. A diálise86 é inoperante, dadas as concentrações baixas da droga no plasma87. Uma vez que o excesso posológico desta classe de medicamentos é frequentemente deliberado, tem-se relatado morte por excesso posológico deliberado ou acidental.

Pacientes Idosos do Neo Amitriptilin

O uso em pacientes idosos (acima de 60 anos) requer prescrição e acompanhamento médico.

Registro M.S. nº 1.0465.0160
Farm. Responsável: Drª Adriana da Silva Leite - C.R.F-GO Nº 2510
Nº do lote, data de fabricação e prazo de validade: VIDE CARTUCHO
" VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA"
" SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA"

SAC - Serviço de Atendimento ao Consumidor.
0800-99 9900
Laboratório Neo Química Com. e Ind. Ltda.
VPR 1 - Quadra 2-A - Módulo 4 - DAIA - Anápolis - GO - CEP 75133-600
C.N.P.J.: 29.785.870/0001-03 - Indústria Brasileira

NEO AMITRIPTILIN - Laboratório

NEO QUIMICA
Rua VPR 1, Quadra 2-A, Mód. 4
Anápolis/GO - CEP: 75133600
Tel: (62 )316-1055
Fax: (62 )316-1022

Ver outros medicamentos do laboratório "NEO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
3 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
4 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
5 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
6 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
7 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
8 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
11 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
12 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
13 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
14 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
15 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
16 Cataplexia: Na medicina, é o mesmo que apoplexia ou perda repentina do tono muscular provocada por emoção forte, às vezes associada a um irresistível desejo de dormir. Prostração por súbito ataque de uma doença, sono hipnótico. Em veterinária, entre animais, é uma emoção forte que produz rigidez muscular. Em zoologia, aparência de morte simulada por certos animais como estratégia de defesa.
17 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
18 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
19 Enurese: Definida como a perda involuntária de urina. Ocorre quando a pressão dentro da bexiga excede aquela que se verifica dentro da uretra, ou seja, há um aumento considerável da pressão para urinar dentro da bexiga, isso ocorre durante a fase de enchimento do ciclo de micção. Pode também ser designada de “incontinência urinária“. E ocorre com certa frequência à noite, principalmente entre os idosos.
20 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
21 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
22 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
23 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
24 Afecção: Qualquer alteração patológica do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
25 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
26 Esquizofrenia: Doença mental do grupo das Psicoses, caracterizada por alterações emocionais, de conduta e intelectuais, caracterizadas por uma relação pobre com o meio social, desorganização do pensamento, alucinações auditivas, etc.
27 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
28 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
29 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
30 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
31 Delírio: Delirio é uma crença sem evidência, acompanhada de uma excepcional convicção irrefutável pelo argumento lógico. Ele se dá com plena lucidez de consciência e não há fatores orgânicos.
32 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
33 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
34 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
35 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
36 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
37 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
38 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
39 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
40 Pressão intraocular: É a medida da pressão dos olhos. É a pressão do líquido dentro do olho.
41 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
42 Íleo paralítico: O íleo adinâmico, também denominado íleo paralítico, reflexo, por inibição ou pós-operatório, é definido como uma atonia reflexa gastrintestinal, onde o conteúdo não é propelido através do lúmen, devido à parada da atividade peristáltica, sem uma causa mecânica. É distúrbio comum do pós-operatório podendo-se afirmar que ocorre após toda cirurgia abdominal, como resposta “fisiológica“ à intervenção, variando somente sua intensidade, afetando todo o aparelho digestivo ou parte dele.
43 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
44 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
45 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
46 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
47 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
48 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
49 Tumefação: Ato ou efeito de tumefazer-se. Em patologia, significa aumento de volume em algum tecido do corpo; tumor, intumescência, inchação.
50 Parótida: A maior das três glândulas salivares pares, situada atrás do arco ascendente do maxilar inferior, sob a orelha.
51 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
52 Hipotensão arterial: Diminuição da pressão arterial abaixo dos valores normais. Estes valores normais são 90 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 50 milímetros de pressão diastólica.
53 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
54 Bloqueio cardíaco: Transtorno da condução do impulso elétrico no tecido cardíaco especializado, manifestado por uma diminuição variável da freqüência dos batimentos cardíacos.
55 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
56 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
57 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
58 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
59 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
60 Eritemas: Vermelhidões da pele, difusas ou salpicadas, que desaparecem à pressão.
61 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
62 Torpor: 1. Sentimento de mal-estar caracterizado pela diminuição da sensibilidade e do movimento; entorpecimento, estupor, insensibilidade. 2. Indiferença ou apatia moral; indolência, prostração. 3. Na medicina, ausência de reação a estímulos de intensidade normal.
63 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
64 Neuropatia periférica: Dano causado aos nervos que afetam os pés, as pernas e as mãos. A neuropatia causa dor, falta de sensibilidade ou formigamentos no local.
65 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
66 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
67 Disartria: Distúrbio neurológico caracterizado pela incapacidade de articular as palavras de maneira correta (dificuldade na produção de fonemas). Entre as suas principais causas estão as lesões nos nervos centrais e as doenças neuromusculares.
68 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
69 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
70 Galactorréia: Secreção mamária anormal de leite fora do período de amamentação. Pode ser produzida por distúrbios hormonais ou pela ação de medicamentos.
71 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
72 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
73 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
74 Midríase: Dilatação da pupila. Ela pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
75 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
76 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
77 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
78 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
79 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
80 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
81 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
82 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
83 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
84 Acidose metabólica: A acidose metabólica é uma acidez excessiva do sangue caracterizada por uma concentração anormalmente baixa de bicarbonato no sangue. Quando um aumento do ácido ultrapassa o sistema tampão de amortecimento do pH do organismo, o sangue pode acidificar-se. Quando o pH do sangue diminui, a respiração torna-se mais profunda e mais rápida, porque o corpo tenta liberar o excesso de ácido diminuindo o volume do anidrido carbônico. Os rins também tentam compensá-lo por meio da excreção de uma maior quantidade de ácido na urina. Contudo, ambos os mecanismos podem ser ultrapassados se o corpo continuar a produzir excesso de ácido, o que conduz a uma acidose grave e ao coma. A gasometria arterial é essencial para o seu diagnóstico. O pH está baixo (menor que 7,35) e os níveis de bicarbonato estão diminuídos (<24 mmol/l). Devido à compensação respiratória (hiperventilação), o dióxido de carbono está diminuído e o oxigênio está aumentado.
85 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
86 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
87 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).

Tem alguma dúvida sobre NEO AMITRIPTILIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.