Preço de BICALUTAMIDA em Houston/SP: R$ 778,09

BICALUTAMIDA

EUROFARMA

Atualizado em 03/06/2015

BICALUTAMIDA


Medicamento genérico Lei n°9.787, de 1999


Oral


Comprimido revestido


USO ADULTO

Forma Farmacêutica e Apresentação da Bicalutamida

Embalagem com 30 comprimidos contendo 50 mg de bicalutamida.

bicalutamida.......................................................................... 50 mg

excipientes q.s.p.......................................................... 1 comprimido

Excipientes: lactose1 monoidratada, amidoglicolato de sódio, povidona, crospovidona, estearato de magnésio, hipromelose, macrogol e dióxido de titânio.


- INFORMAÇÕES AO PACIENTE

AÇÃO ESPERADA DO MEDICAMENTO

Bicalutamida inibe o estímulo androgênico2, resultando assim na regressão dos tumores prostáticos.


CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO

Manter os comprimidos em sua embalagem original. Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C).


PRAZO DE VALIDADE

Desde que observados os devidos cuidados de conservação, o prazo de validade da bicalutamida é de 24 meses, contados a partir da data de fabricação impressa em sua embalagem externa.


NÃO USE MEDICAMENTOS COM O PRAZO DE VALIDADE VENCIDO.

GRAVIDEZ3 E LACTAÇÃO4

Bicalutamida não deve ser administrado a gestantes e a mulheres que estejam amamentando.



CUIDADOS DE ADMINISTRAÇÃO

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.


INTERRUPÇÃO DO TRATAMENTO

Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.


REAÇÕES ADVERSAS

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

Durante o tratamento com 50 mg ao dia de bicalutamida podem ocorrer as seguintes reações adversas: ondas de calor, hipersensibilidade das mamas5, náuseas6, vômitos7, diarréia8, coceira e fraqueza. Durante o tratamento com 150 mg ao dia de bicalutamida podem ocorrer as seguintes reações adversas: hipersensibilidade das mamas5, ginecomastia9, ondas de calor, coceira, dor abdominal, fraqueza, depressão, náuseas6, vômitos7, queda de cabelos, ressecamento da pele10, diminuição do desejo sexual e presença de sangue11 na urina12 e alterações nos pulmões13.



TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.


INGESTÃO CONCOMITANTE COM OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Enquanto estiver em tratamento com bicalutamida, não tome nenhum outro medicamento sem o consentimento de seu médico, principalmente anticoagulantes14 orais (medicamentos que impedem a coagulação15 sanguínea).


CONTRAINDICAÇÕES E PRECAUÇÕES

O uso deste medicamento é contraindicado em caso de hipersensibilidade conhecida a bicalutamida e/ou demais componentes da formulação. Bicalutamida não deve ser administrado para mulheres e crianças.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.


Efeitos sobre a capacidade de dirigir autos e operar máquinas: Não há evidências de que a administração de bicalutamida resulte em comprometimento da capacidade de dirigir automóveis ou operar máquinas.


NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE16.

Informação Técnica da Bicalutamida

Características Organolépticas da Bicalutamida

Bicalutamida é um comprimido circular, biconvexo, de revestimento branco.


  • Farmacodinâmica

Bicalutamida é um antiandrogênio não-esteroidal, destituído de qualquer outra atividade endócrina. Ele se liga aos receptores androgênicos17 sem ativar a expressão gênica e, assim, inibe o estímulo androgênico2. A regressão dos tumores prostáticos resulta dessa inibição. Clinicamente, a descontinuação da dose de 150 mg ao dia de bicalutamida pode resultar na síndrome18 de retirada do antiandrógeno em alguns pacientes.

Bicalutamida é um racemato, sendo que sua atividade antiandrogênica é quase que exclusivamente atribuída ao enantiômero-R.


A eficácia de bicalutamida 150 mg ao dia como tratamento para pacientes19 com câncer20 de próstata21 localizado ou localmente avançado (T1 - T4, com ou sem comprometimento linfonodal, M0) foi avaliada em uma análise combinada de três estudos controlados com placebo22 em 8113 pacientes, onde o fármaco23 foi administrado como terapia hormonal imediata ou como adjuvante à terapia de intenção curativa. Na análise global, o tratamento com bicalutamida 150 mg ao dia foi associado com diminuição significativa do risco de progressão de doença e desenvolvimento de metástases24 ósseas, mas não foi observada diferença na sobrevida25.

Em adição a esta primeira análise, foram realizadas análises de subgrupo. Em termos de sobrevida25 livre de progressão, houve um benefício significativo para pacientes19 com doença localmente avançada independente da terapia primária recebida (ex.: radioterapia26, prostatectomia radical ou “observação vigilante” (watchful waiting); entretanto, não foram vistos benefícios significativos para pacientes19 com doença localizada. Em termos de sobrevida25 para pacientes19 com doença localizada que receberam a dose de 150 mg de bicalutamida imediatamente (observação vigilante), houve uma tendência de diminuição da sobrevida25, comparado com pacientes com placebo22. Para os pacientes com doença localmente avançada, houve uma tendência para melhora da sobrevida25 com bicalutamida 150 mg ao dia, comparado com placebo22.

Observou-se uma melhora da sobrevida25 em pacientes com doença localmente avançada que receberam bicalutamida 150 mg ao dia como terapia adjuvante à radioterapia26. Não houve diferença significativa de sobrevida25 no grupo de pacientes que receberam a dose de 150 mg de bicalutamida adjuvante à prostatectomia radical como terapia primária.

Em um programa separado, a eficácia de 150 mg ao dia de bicalutamida para o tratamento de pacientes com câncer20 de próstata21 localmente avançado não metastático, para os quais terapia hormonal imediata é indicada, foi demonstrada em uma análise combinada de dois estudos, os quais envolveram 480 pacientes portadores de câncer20 de próstata21 não metastático (M0) e não tratados previamente. Este estudo mostrou que não houve diferença estatisticamente significativa na sobrevida25 [RR = 1,05 (IC 0,81 a 1,36) p=0,699] ou no tempo para progressão de doença [RR =1,20 (IC 0,96 a 1,51) p=0,107], quando a taxa de mortalidade27 era de 56%, comparando-se 150 mg ao dia de bicalutamida e castração28.

Houve uma tendência a favor de 150 mg ao dia de bicalutamida, comparado à castração28, em termos de qualidade de vida, com benefícios estatisticamente significativos para interesse sexual (p=0,029) e atividade física (p=0,046) em pacientes avaliáveis.

A eficácia de 150 mg ao dia de bicalutamida para o tratamento de pacientes com câncer20 de próstata21 metastático foi demonstrado em uma análise combinada de dois estudos com 805 pacientes com doença metastática29 (M1) e sem tratamento anterior. A dosagem de 150 mg ao dia de bicalutamida demonstrou ser inferior à castração28 em termos de sobrevida25 (RR = 1,30, p=0,0246), quando a taxa de mortalidade27 era de 43%, embora a diferença numérica no tempo estimado para óbito30 tenha sido de apenas 42 dias (6 semanas).

Houve tendência geral a favor de bicalutamida na dose diária de 150 mg em relação à qualidade de vida, com vantagens estatisticamente significativas para o interesse sexual (p=0,041) e a capacidade física (p=0,032) em pacientes avaliáveis. A análise da resposta subjetiva mostrou vantagem significativa a favor de 150 mg ao dia de bicalutamida, demonstrando melhor controle dos sintomas31 que a castração28 (p=0,046).

Os resultados da análise combinada dos dois outros estudos comparando 150 mg ao dia de bicalutamida em monoterapia com o bloqueio androgênico2 combinado (contendo aproximadamente 93% e 50% de pacientes M1) mostrou tendência de vantagem para 150 mg ao dia de bicalutamida, em relação à sobrevida25 [HR 0,858 (IC 0,61 a 1,20), p=0,37].


  • Farmacocinética

Bicalutamida é bem absorvido após administração oral. Não há evidência de efeito clinicamente relevante dos alimentos sobre sua biodisponibilidade.

O enantiômero-S de bicalutamida é rapidamente depurado em relação ao enantiômero-R, sendo que a meia-vida de eliminação plasmática deste último é de aproximadamente uma semana.

Com a administração diária de bicalutamida, o enantiômero-R se acumula cerca de 10 vezes no plasma32, como conseqüência de sua longa meia-vida.

Concentrações plasmáticas de equilíbrio de aproximadamente 9 mcg/ml do enantiômero-R são observadas durante administrações diárias de 50 mg de bicalutamida. No estado de equilíbrio, o enantiômero-R predominantemente ativo representa 99% dos enantiômeros totais circulantes. A farmacocinética do enantiômero-R não é afetada pela idade, por comprometimento renal33 ou comprometimento hepático leve a moderado. Existem evidências de que em indivíduos com comprometimento hepático grave, o enantiômero-R é eliminado mais lentamente do plasma32.

Bicalutamida possui alta taxa de ligação às proteínas34 (racemato 96% e R-bicalutamida 99,6%) e é extensivamente metabolizado (oxidação e glicuronidação). Seus metabólitos35 são eliminados pelos rins36 e bile37 em proporções aproximadamente iguais.

Em um estudo clínico, a concentração mediana de R-bicalutamida no sêmen38 de homens tratados com bicalutamida 150 mg ao dia foi de 4,9 μg/ml. A quantidade de bicalutamida potencialmente transferida às parceiras durante o coito é menor e equivale a aproximadamente 0,3 μg/kg. Isto está abaixo do requerido para indução de alterações na prole de animais de laboratório.


Dados pré-clínicos

Bicalutamida é um antiandrogênio potente e um indutor da enzima39 oxidase de função mista em animais. Alterações nos órgãos-alvo, incluindo indução de tumores em animais, estão relacionadas com essas atividades. A indução enzimática não foi observada em humanos. Nenhum desses resultados dos estudos pré-clínicos é considerado relevante para o tratamento de pacientes com câncer20 avançado da próstata21.


- INDICAÇÕES

Câncer20 de próstata21 avançado (metastático)

Tratamento de câncer20 de próstata21 avançado em combinações com o tratamento com análogos do LHRH ou castração28 cirúrgica.

Tratamento de câncer20 de próstata21 metastático em pacientes nos quais a castração28 cirúrgica ou medicamentosa não está indicada ou não é aceitável.

Vide item Posologia e Modo de Usar.

Câncer20 de próstata21 não-metastático

Tratamento de câncer20 de próstata21 não metastático localmente avançado em pacientes nos quais o tratamento hormonal imediato é indicado.

Vide item Posologia e Modo de Usar.

Contraindicações da Bicalutamida

Bicalutamida está contraindicado para mulheres e crianças.

O uso deste medicamento é contraindicado em caso de hipersensibilidade conhecida a um e/ou demais componentes da formulação. Bicalutamida não deve ser administrado a qualquer paciente que tenha demonstrado reações de hipersensibilidade ao seu uso.


Precauções e Advertências da Bicalutamida

Bicalutamida é extensamente metabolizado pelo fígado40. Os dados sugerem que a sua eliminação pode ser mais lenta em indivíduos com comprometimento hepático grave e isso pode levar a um acúmulo aumentado de bicalutamida. Portanto, deve ser usado com cautela em pacientes com comprometimento hepático moderado ou grave.

Controles periódicos de função hepática41 devem ser considerados face42 à possibilidade de alterações.

Raramente, algumas alterações hepáticas43 graves e insuficiência hepática44 foram observadas com bicalutamida (ver item Reações Adversas). Se as alterações forem graves, a terapia deve ser descontinuada.


Uso durante a gravidez3 e lactação4

Bicalutamida é contraindicado para mulheres e não deve ser administrado a gestantes ou mulheres que estejam amamentando.


Interações Medicamentosas da Bicalutamida

Não há evidência de interações farmacocinéticas ou farmacodinâmicas entre bicalutamida na dose de 50 mg ao dia e análogos do LHRH.

Estudos in vitro demonstraram que o R- bicalutamida é um inibidor da CYP3A4, com menor efeito inibitório sobre a atividade de CYP 2C9, 2C19 e 2D6.

Embora estudos in vitro terem sugerido o potencial da bicalutamida para inibir o citocromo 3 A 4, os números dos estudos clínicos mostraram que a magnitude para qualquer inibição é improvável para significado clínico.

Estudos in vitro demonstraram que bicalutamida pode deslocar o anticoagulante45 cumarínico varfarina do seu sítio de ligação protéico. Recomenda-se, portanto, que ao se iniciar o tratamento com bicalutamida em pacientes que estejam recebendo anticoagulantes14 cumarínicos, o tempo de protrombina46 seja monitorizado cuidadosamente.


Reações Adversas da Bicalutamida

A ação farmacológica de bicalutamida pode originar certos efeitos adversos os quais incluem:


Uso em combinação com castração28 para câncer20 de próstata21 avançado (metastático):


1. Pode ser reduzida com castração28 concominante.

2. Alterações Hepáticas43 são raramente severas e frequentemente passageiras, podem ser solucionadas ou melhoradas com terapia contínua ou cessar com terapias seguintes (ver item Precauções e Advertências).


Além disso, as reações adversas descritas a seguir foram relatadas nos estudos clínicos (como possíveis reações adversas à droga, na opinião dos médicos investigadores, com freqüência maior ou igual a 1%) durante o tratamento com 50 mg ao dia de bicalutamida, associado ao análogo do LHRH.

Nenhuma relação causal entre essas reações e o tratamento foi estabelecida, e algumas das experiências relatadas são aquelas que comumente ocorrem em pacientes idosos.

Sistema Cardiovascular47: insuficiência cardíaca48.

Sistema gastrointestinal: anorexia49, boca50 seca, dispepsia51, constipação52 e flatulência.

Sistema Nervoso Central53: tontura54, insônia, sonolência e diminuição da libido55.

Sistema respiratório56: dispnéia57.

Aparelho urogenital58: impotência59 e noctúria.

Hematológico: anemia60.

Pele10 e anexos61: alopécia62, erupções cutâneas63, sudorese64 e hirsutismo65.

Metabolismo66 e Nutrição67: diabetes mellitus68, hiperglicemia69, edema70 periférico, ganho de peso e perda de peso.

Gerais: dor abdominal, dor no peito71, cefaléia72, dor, dor pélvica73 e calafrios74.


Uso em monoterapia para câncer20 de próstata21 não metastático:

Muito comum (≥ 10%)

Ginecomastia9, hipersensibilidade mamária. A maioria dos pacientes recebendo bicalutamida na dosagem de 150 mg ao dia como monoterapia apresentam ginecomastia9 e/ou dor nas mamas5. Nos estudos, esses sintomas31 foram considerados graves em até 5 % dos pacientes. Ginecomastia9 pode não ser resolvida espontaneamente após a interrupção da terapia, particularmente após tratamento prolongado.

Comum: ≥ 1% E < 10%

Ondas de calor, prurido75, astenia76, alopécia62, crescimento de cabelo77, pele10 seca, diminuição da libido55, impotência59 e ganho de peso.


Outros efeitos adversos observados incluem:

Comum: ≥ 1% E < 10%

Náusea78.

Alterações hepáticas43 (níveis elevados de trasaminases e icterícia79), raramente graves, foram observadas com bicalutamida na dosagem de 150 mg ao dia. As alterações foram freqüentemente transitórias, desaparecendo ou melhorando ainda durante o tratamento ou após o seu término (ver item Precauções e Advertências).


Incomum: ≥ 0,1% E < 1%

Dor abdominal, depressão, dispepsia51, hematúria80, doença pulmonar intersticial81, reações de hipersensibilidade, incluindo edema70 angineurótico e urticária82.


Rara: ≥ 0,01% E < 0,1%

Insuficiência Hepática44.


Posologia e Modo de Uso da Bicalutamida

Câncer20 de Próstata21 Avançado (Metastático)

- Tratamento de câncer20 avançado da próstata21 em combinação com o tratamento com análogos do LHRH ou castração28 cirúrgica:

Adultos (inclusive idosos): 1 comprimido de 50 mg uma vez ao dia.

O tratamento deve ser iniciado ao mesmo tempo que o tratamento com o análogo do LHRH ou a castração28 cirúrgica.

  -Tratamento de câncer20 de próstata21 metastático em pacientes nos quais a castração28 cirúrgica ou medicamentosa não está indicada ou não é aceitável:

Adultos (inclusive idosos): 3 comprimidos de 50 mg uma vez ao dia.


Câncer20 de próstata21 não-metastático

Adultos (inclusive idosos): 3 comprimidos de 50 mg uma vez ao dia.


Crianças

Bicalutamida é contraindicado para crianças.


Comprometimento renal33

Não é necessário ajuste de dose de bicalutamida para pacientes19 com comprometimento renal33.


Comprometimento hepático

Não é necessário ajuste de dose de bicalutamida para pacientes19 com comprometimento hepático leve. Pode ocorrer acúmulo em pacientes com comprometimento hepático moderado a grave (ver item Precauções e Advertências).


- SUPERDOSAGEM

Não há experiência com superdosagem em humanos. Não há antídoto83 específico e o tratamento deve ser sintomático84. Uma vez que bicalutamida possui alta taxa de ligação às proteínas34 e não é recuperado inalterado na urina12, o procedimento de diálise85 pode não ser útil. Cuidados gerais de suporte, incluindo monitorização freqüente dos sinais vitais86, são indicados.


Uso em Pacientes Idosos da Bicalutamida


Vide posologia.


Lote, data de fabricação e validade: vide embalagem externa.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

M.S.: 1.0043.1055

Farm. Resp.: Dra. Sônia Albano Badaró – CRF-SP 19.258.


EUROFARMA

LABORATÓRIOS LTDA.

Av. Ver. José Diniz, 3.465

São Paulo - SP

CNPJ: 61.190.096/0001-92

Indústria Brasileira

BICALUTAMIDA - Laboratório

EUROFARMA
Av. Ver. José Diniz, 3465 - Campo Belo
São Paulo/SP - CEP: 04603-003
Tel: 0800-704-3876
Email: euroatende@eurofarma.com.br
Site: http://www.eurofarma.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "EUROFARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Androgênico: Relativo à androgenia e a androgênios. Androgênios são hormônios esteroides, controladores do crescimento dos órgãos sexuais masculinos. O hormônio natural masculino é a testosterona.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
5 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
6 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
7 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
8 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
9 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
10 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
11 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
12 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
13 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
14 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
15 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
16 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
17 Androgênicos: Relativos à androgenia e a androgênios. Androgênios são hormônios esteroides, controladores do crescimento dos órgãos sexuais masculinos. O hormônio natural masculino é a testosterona.
18 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
19 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
20 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
21 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
22 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
23 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
24 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
25 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
26 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
27 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
28 Castração: Anulação da função ovariana ou testicular através da extirpação destes órgãos ou por inibição farmacológica.
29 Doença metastática: Câncer que se espalhou do seu local de origem a outras partes do organismo.
30 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
31 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
32 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
33 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
34 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
35 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
36 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
37 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
38 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
39 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
40 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
41 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
42 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
43 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
44 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
45 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
46 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
47 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
48 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
49 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
50 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
51 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
52 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
53 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
54 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
55 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
56 Sistema Respiratório: Órgãos e estruturas tubulares e cavernosas, por meio das quais a ventilação pulmonar e as trocas gasosas entre o ar externo e o sangue são realizadas.
57 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
58 Urogenital: Na anatomia geral, é a região relativa aos órgãos genitais e urinários; geniturinário.
59 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
60 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
61 Anexos: 1. Que se anexa ou anexou, apenso. 2. Contíguo, adjacente, correlacionado. 3. Coisa ou parte que está ligada a outra considerada como principal. 4. Em anatomia geral, parte acessória de um órgão ou de uma estrutura principal. 5. Em informática, arquivo anexado a uma mensagem eletrônica.
62 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
63 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
64 Sudorese: Suor excessivo
65 Hirsutismo: Presença de pêlos terminais (mais grossos e escuros) na mulher, em áreas anatômicas características de distribuição masculina, como acima dos lábios, no mento, em torno dos mamilos e ao longo da linha alba no abdome inferior. Pode manifestar-se como queixa isolada ou como parte de um quadro clínico mais amplo, acompanhado de outros sinais de hiperandrogenismo (acne, seborréia, alopécia), virilização (hipertrofia do clitóris, aumento da massa muscular, modificação do tom de voz), distúrbios menstruais e/ou infertilidade.
66 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
67 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
68 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
69 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
70 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
71 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
72 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
73 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
74 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
75 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
76 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
77 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
78 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
79 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
80 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
81 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
82 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
83 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
84 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
85 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
86 Sinais vitais: Conjunto de variáveis fisiológicas que são pressão arterial, freqüência cardíaca, freqüência respiratória e temperatura corporal.

Tem alguma dúvida sobre BICALUTAMIDA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.