Solução Salina Balanceada

HALEX ISTAR INDÚSTRIA FARMACÊUTICA SA

Atualizado em 16/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Solução Salina Balanceada Halex Istar
cloreto de sódio + cloreto de potássio + cloreto de cálcio di-hidratado + cloreto de magnésio hexaidratado + acetato de sódio tri-hidrato + citrato de sódio di-hidratado
Solução Oftálmica

APRESENTAÇÕES

Solução Oftálmica
Caixa com 30 bolsas plásticas transparentes de 250mL ou de 500mL.
SISTEMA FECHADO - SOLUFLEX® (PP)

VIA DE ADMINISTRAÇÃO: INTRAOCULAR E EXTRAOCULAR
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO

Cada mL da Solução Salina Balanceada Halex Istar contém:

cloreto de sódio (D.C.B.: 02421) 6,371 mg
cloreto de potássio (D.C.B.: 02415) 0,746 mg
cloreto de cálcio di-hidratado (D.C.B.: 02370) 0,515 mg
cloreto de magnésio hexaidratado (D.C.B.: 02400) 0,305 mg
acetato de sódio tri-hidratado (D.C.B.: 00088) 3,950 mg
citrato de sódio di-hidratado (D.C.B.: 02183) 1,670 mg
excipiente q.s.p. 1 mL

Excipiente: água para injetáveis.

Conteúdo eletrolítico/Osmolaridade1:

sódio 155 mEq/L
potássio 10 mEq/L
cálcio 7 mEq/L
magnésio 3 mEq/L
acetato 29 mEq/L
citrato 17 mEq/L
cloreto 129 mEq/L
Osmolaridade1 328,58mOsm/L

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Este medicamento é destinado ao tratamento e profilaxia nos seguintes procedimentos: Irrigação durante as intervenções cirúrgicas dos olhos2, ouvidos, nariz3 ou garganta4.

Irrigação da câmara anterior5 durante cirurgia de catarata6. Irrigação da câmara anterior5 durante cirurgias intraoculares.

Irrigação do excesso de alfa-quimotripsina da câmara anterior5 durante zonulólise enzimática. Irrigação durante cirurgias oculares externas.

Irrigação do sistema lacrimal.

Irrigação após aplicação de fluoresceína no saco conjuntival. Irrigação de corpos estranhos do saco conjuntival.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Solução Salina Balanceada é uma solução fisiológica7, estéril e isotônica8 aos tecidos oculares. É isenta de partículas, contendo os íons9 essenciais ao metabolismo10 celular normal: sódio, potássio, cálcio e magnésio.

É usada para irrigação extra e intraocular.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

A Solução Salina Balanceada para irrigação intraocular é isosmótica com os fluidos aquosos normais, não contém conservantes, não podendo, portanto, ser reutilizada.

Este medicamento deve ser utilizado com cautela em pacientes diabéticos que estejam sendo submetidos à vitrectomia, pois, modificações no cristalino11 durante a cirurgia têm sido observadas.

Recomenda-se não adicionar qualquer medicação a esta solução, pois isto pode resultar em danos ao tecido12 intraocular. Existem relatos de turvação da córnea13 ou edema14 de córnea13 após cirurgia ocular, na qual esta solução foi utilizada como solução de irrigação. Como em todas as intervenções cirúrgicas, devem ser tomadas medidas apropriadas para minimizar os traumas para a córnea13 e outros tecidos oculares.

Categoria de risco C. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

A esterilidade15 da bolsa só pode ser assegurada se não houver violação da mesma. Não usar se houver turvação da solução.

O produto não deve ser injetado ou usado por infusão intravenosa. A embalagem deve ser aberta somente em condições assépticas.

Informar ao médico os medicamentos que estiverem sendo usados antes e durante o tratamento com Solução Salina Balanceada.

Não há relatos de interações com exames laboratoriais, com a utilização de Solução Salina Balanceada durante intervenções cirúrgicas.

Gravidez16 

Categoria de risco C – Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais17 no feto18, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez16.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

O produto deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30ºC), protegido da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Após aberto, usar imediatamente, pois este medicamento é de caráter estéril, não podendo em hipótese alguma guardar e conservar as soluções utilizadas, devendo as mesmas serem descartadas. Antes de serem administradas as soluções devem ser inspecionadas visualmente para se observar a presença de partículas, turvação na solução, fissuras19 e quaisquer violações na embalagem primária. Não utilizar se detectado partículas ou algum tipo de precipitado. Este medicamento é um líquido, límpido, incolor e inodoro. Isento de partículas estranhas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Via de administração: intraocular e extraocular.

Uso Adulto e pediátrico.

Usar seguindo o procedimento padrão a cada tipo de intervenção cirúrgica.

  • Retirar o invólucro plástico protetor somente em ambiente estéril.
  • Perfurar o diafragma20 do terminal da bolsa plástica com a cânula do equipo.
  • Permitir o fluxo removendo o ar do tubo antes do início da irrigação.

Duração do tratamento a critério médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Não ficou estabelecida a relação entre o uso da Solução Salina Balanceada e a ocorrência dos casos abaixo:

  • Reações inflamatórias pós-operatórias;
  • Incidentes21 de edema14 corneano;
  • Descompensação corneana;
  • Quando o endotélio22 corneano estiver anormal; irrigação ou qualquer outro trauma pode levar a ceratopatia bolhosa.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não há casos relatados de superdosagem na aplicação de Solução Salina Balanceada.

Na verdade, em casos de superdosagem ocular em decorrência de outros medicamentos, recomenda-se lavar o (s) olho23 (s) com a solução salina.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


USO RESTRITO A HOSPITAIS
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

Reg. M.S. Nº: 1.0311.0096
Resp. Técnico: Lígia Marly Zanatta Gonçales CRF-GO n° 5223

HALEXISTAR
C.N.P.J.: 01.571.702/0001-98 – Insc. Estadual: 10.001.621-9
Br 153, Km 3 Chácara Retiro, Goiânia- GO,
CEP: 74775-027
Indústria Brasileira


SAC 0800 646 6500

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Osmolaridade: Molaridade de uma solução que exerce a mesma pressão osmótica que uma solução ideal de uma substância não dissociada. É uma medida indireta da concentração somada de todos os solutos de uma determinada solução.
2 Olhos:
3 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
4 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
5 Câmara Anterior: Espaço localizado no olho, preenchido com humor aquoso, limitado anteriormente pela córnea e uma pequena porção da esclera, e posteriormente por uma pequena porção do corpo ciliar, pela íris e pela parte do cristalino que se apresenta através da pupila.
6 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
7 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
8 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.
9 Íons: Átomos ou grupos atômicos eletricamente carregados.
10 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
11 Cristalino: 1. Lente gelatinosa, elástica e convergente que focaliza a luz que entra no olho, formando imagens na retina. A distância focal do cristalino é modificada pelo movimento dos músculos ciliares, permitindo ajustar a visão para objetos próximos ou distantes. Isso se chama de acomodação do olho à distância do objeto. 2. Diz-se do grupo de cristais cujos eixos cristalográficos são iguais nas suas relações angulares gerais constantes 3. Diz-se de rocha constituída quase que totalmente por cristais ou fragmentos de cristais 4. Diz-se do que permite que passem os raios de luz e em consequência que se veja através dele; transparente. 5. Límpido, claro como o cristal.
12 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
13 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
14 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
15 Esterilidade: Incapacidade para conceber (ficar grávida) por meios naturais. Suas causas podem ser masculinas, femininas ou do casal.
16 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
17 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
18 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
19 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
20 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
21 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
22 Endotélio: Camada de células que reveste interiormente os vasos sanguíneos e os vasos linfáticos.
23 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos

Tem alguma dúvida sobre Solução Salina Balanceada?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.