Preço de COVERSYL em Fairfield/SP: R$ 87,72

COVERSYL

SERVIER

Atualizado em 08/12/2014

COVERSYL

2 e 4 mg

Perindopril

Uso adulto

Forma Farmacêutica e Apresentações de Coversyl

Caixa com 30 comprimidos de 2 mg. Caixa com 30 comprimidos de 4 mg.

Composição de Coversyl


Cada comprimido de 2 mg contém: Perindopril, sal de terc-butilamina, 2,00 mg. Excipientes: Celulose microcristalina, lactose1, sílica coloidal hidrófoba, estearato de magnésio q.s.p um comprimido de 45,00 mg. Cada comprimido de 4 mg contém: Perindopril, sal de terc-butilamina, 4,00 mg. Excipientes Celulose microcristalina, lactose1, sílica coloidal hidrófoba, estearato de magnésio q.s.p um comprimido de 90,00 mg.

Informações Técnicas de Coversyl

Propriedades de Coversyl

O perindopril é um inibidor da enzima2 de conversão (IEC) da angiotensina I em angiotensina II.

Farmacocinética de Coversyl


A absorção do perindopril por via oral é rápida (pico de concentração em uma hora) e importante (biodisponibilidade: 65% a 70%). O perindopril é transformado em perindoprilato, metabólito3 ativo. A meia-vida plasmática do perindopril é de uma hora. A taxa de biotransformação em perindoprilato é de aproximadamente 20%. O pico de concentração plasmática do perindoprilato é atingido em 3 a 4 horas. A alimentação diminui a transformação em perindoprilato e, portanto, a sua biodisponibilidade. O volume de distribuição é próximo de 0,2 l/kg para o perindoprilato livre. A fixação às proteínas4 é pouco importante, inferior a 30%. Além do perindoprilato ativo o perindopril tem 5 metabólitos5 inativos. O perindoprilato é eliminado por via urinária e a meia-vida da sua fração livre é, em média, de 3 a 5 horas. A dissociação da ligação do perindoprilato à enzima2 de conversão da angiotensina conduz a uma meia-vida de eliminação efetiva de 25 horas. Após administração repetida, não se observa acúmulo de perindopril e a meia-vida do perindoprilato, após administrações repetidas, corresponde à sua meia-vida da atividade, conduzindo a um estado da equilíbrio em 4 dias. A eliminação do perindoprilato é diminuída nos idosos, na insuficiência cardíaca6 e na insuficiência renal7. Uma adaptação posológica é desejável em função do clearance da creatinina8. O clearance de diálise9 do perindopril é de 70 ml/min.

Farmacologia10 de Coversyl

A enzima2 de conversão ou cininase, é uma exopeptidase que permite por um lado a conversão da angiotensina I em angiotensina II vasoconstritora e, por outro lado, a degradação da bradicinina11 vaso-dilatadora em heptapeptídeo inativo. O perindopril age por intermédio de seu metabólito3 ativo, o perindoprilato, sendo os outros metabólitos5 inativos.

Farmacologia10 Clínica de Coversyl


Os estudos em duplo-cego, utilizando métodos que permitem objetivar e quantificar a atividade de COVERSYL sobre a inibição da enzima2 da conversão da angiotensina, promovendo a melhora da hipertensão arterial12, confirmaram as propriedades farmacológicas deste medicamento no homem.

Clínica de Coversyl

Os estudos realizados em duplo-cego colocam em evidência a atividade terapêutica13 de COVERSYL no tratamento da hipertensão arterial12: a dose habitual e eficaz na hipertensão arterial12 de leve a moderada é da 4mg por dia, administrados em uma tomada; a eficácia mantém-se durante todo o nictemero. O pico de efeito anti-hipertensivo é obtido 4 a 6 horas após uma tomada única de perindopril; a baixa da pressão com a administração diária de 4 mg, ocorre, nos pacientes que respondem, da seguinte forma: 65% de efeito máximo sobre a pressão diastólica14 são obtidos em 11 dias, 78% deste efeito são atingidos em 1 mês e, depois, se mantém sem perda de eficácia; a parada do tratamento não é acompanhada de rebound effect as propriedades vasodilatadoras e restauradoras da elasticidade15 dos grossos troncos arteriais, tanto quanto a redução da hipertrofia16 ventricular esquerda, estão confirmadas no homem; a associação de um diurético17 potencializa o efeito antihipertensivo.

Indicação Terapêutica13 de Coversyl

Hipertensão arterial12.

Contra-Indicações de Coversyl


Crianças: Não foram desenvolvidos estudos pediátricos. No estado atual de conhecimento, o perindopril é contra-indicado a crianças. Gravidez18: Em doses elevadas no rato e no coelho, existe uma maternotoxicidade com fetotoxicidade nas doses mais fortes. Não foram encontradas nem embriotoxidade nem teratogenicidade. Os estudos efetuados no macaco não mostram maternotoxidade nem fetotoxicidade. Não existe até o momento, qualquer dado relativo ao perindopril na espécie humana. Na espécie humana, nos pacientes tratados pelos inibidores de enzima2 de conversão, foram observados: alguns casos de retardo da crescimento no útero19, de prematuridade e de persistência do canal arterial20, sem que fosse possível determinar qual a exata responsabilidade do medicamento e da patologia21 de base; raros casos de anúria22 neonatal irreversíveis quando associados um diurético17 na mãe. Amamentação23: No animal, o parindopril passa pouco para o leite materno. Não dispomos de dados na espécie humana.

Cuidados a Serem Tomados de Coversyl

Risco de hipotensão arterial24 e/ou insuficiência renal7: uma depleção25 hidroasódica importante (regime sem sal estrito e (ou) tratamento diurético17) ou uma estenose26 das artérias27 renais provocam uma estimulação do sistema renina-engiotensina; o bloqueio deste sistema por um inibidor de enzima2 de conversão pode então provocar, sobretudo por ocasião da primeira tomada e durante as duas primeiras semanas do tratamento, uma queda brusca de pressão arterial28 e/ou, se bem que raramente e num prazo mais variável, uma insuficiência renal7 funcional que por vezes é aguda. Quando se inicia o tratamento, nestas situações particulares, convém observar as seguintes recomendações: 1. Na hipertensão arterial12, em caso de tratamento diurético17 anterior, é conveniente: interromper o diurético17 pelo menos três dias antes da introdução do perindopril, para reintroduzi-lo em seguida, caso necessário; se isto não for possível, é conveniente começar o tratamento com uma dose inicial de 2 mg. 2. Na hipertensão29 renovascular, é conveniente se começar por uma dose pequena de 2 mg. 3. Recomenda-se dosar e creatinina8 plasmática antes do tratamento e no primeiro mês de tratamento.

Precauções de Uso de Coversyl

Insuficiência renal7: Em casos de insuficiência renal7, a posologia do penindopril deve ser ajustada ao grau da insuficiência renal7. Nestes pacientes, a prática médica normal compreende um controle periódico do potássio e da creatinina8. As seguintes posologias podem ser recomendadas:


    Clearance                            Posologia recomendada
           de creatina

     entre 30 e 60 ml/min                               mg por dia

     entre 15 e 30 ml/min        2 mg dia sim, dia não

          < 15 ml/min                            2 mg no dia da diálise9

Hipertensão29 renovascular: O tratamento da hipertensão arterial12 renovascular é a revascularização. Entretanto o parindopril pode ser útil para pacientes30 que apresentam uma hipertensão29 renovascular à espera da intervenção corretora ou nos casos em que esta correção não é possível. O tratamento deverá então ser instituído com precaução e deverá ser exercida uma vigilância da função renal31. No indivíduo idoso, recomenda-se iniciar o tratamento com a posologia de 2 mg por dia, em uma tomada, e avaliar a função renal31 antes de prosseguir tratamento. Intervenção cirúrgica: Em caso de anestesia32 para uma intervenção importante, ou em anestesias praticadas com agentes potencialmente hipotensores, o perindopril pode provocar uma hipotensão33 que será corrigida por expansão volêmica.

Interações Medicamentosas e Outras Interações de Coversyl

1. Associações desaconselhadas: A associação do perindopril a sais de potássio ou a diuréticos34 retentores de potássio expõe ao risco de hipercalemia35, principalmente nos casos da insuficiência renal7. Não se associa um medicamento hipercalemiante a um inibidor da enzima2 de conversão, exceto em casos de hipocalemia36. Entretanto, se esta associação for necessária, ele será prescrito com precaução, com vigilância freqüente da calemia. 2. Associação que justifica um cuidado especial: Em determinados pacientes que já estejam recebendo diuréticos34 e, em particular, nos tratamentos iniciados recentemente, a diminuição da pressão arterial28, quando se institui o tratamento com perindopril, pode ser excessiva. O risco de hipotensão33 sintomática37 pode ser reduzido suspendendo-se o diurético17 alguns dias antes do início do tratamento com perindopril. 3. Associações a serem levadas em conta: Como para todos os hipotensores, a associação a um neuroléptico38 ou a um antidepressivo imipramínico aumenta o risco de hipotensão33 ortostética.

Reações Adversas de Coversyl

Os efeitos relatados são raros e benignos. As queixas mais freqüentes são encontradas no início do tratamento, quando a pressão arterial28 ainda está mal-controlada: cefaléia39, distúrbios do humor e (ou) do sono, astenia40. Os distúrbios digestivos são pouco específicos; foram relatados distúrbios do paladar41, vertigens42 e cãimbras. Algumas erupções cutâneas43 localizadas foram mencionadas. Uma tosse é por vezes observada: geralmente ela incomoda pouco. Trata-se de uma tosse seca, irritativa e alta. Alguns outros sinais44 foram relatados, sem grande especificidade, por ocasião de associações terapêuticas: distúrbios sexuais e secura da boca45. No plano biológico, pode ser observada uma discreta diminuição da hemoglobina46, que aparece no início do tratamento. Uma discreta elevação da calemia foi observada; com uma eventual associação a um diurético17 hipocalemiante isto volta ao normal. Podemos também observar uma elevação da uremia47 e da creatininemia, reversíveis com a parada do tratamento.

Posologia e Modo de Administração de Coversyl

Hipertensão arterial12: A posologia recomendada é de 4 mg por via oral, em uma única tomada pela manhã, podendo, se necessário, ser aumentada para 8 mg, em uma única tomada, após um mês de tratamento. No idoso, recomenda-se iniciar o tratamento com a dose de 2 mg por via oral pela manhã, podendo ser aumentada, se necessário, para 4 mg após um mês de tratamento.

Superdosagem de Coversyl


Nenhum caso de superdosagem foi relatado até o momento. Os sinais44 e sintomas48 esperados serão ligados a uma hipotensão33. Além da lavagem gástrica49, aconselha-se iniciar rapidamente, por via endovenosa, e perfusão de uma solução salina isotônica50. O perindopril é dialisável (70 ml/min).

Atenção de Coversyl

Este produto é um novo medicamento e, embora as pesquisas realizada tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis, ainda não descritas ou conhecidas. Em caso de suspeita de reação adversa, o médico responsável deve ser notificado.

SERVIER.

COVERSYL - Laboratório

SERVIER
RUA MARIO PIRAGIBE, 23
RIO DE JANEIRO/RJ - CEP: 20720320
Tel: (021 )289-2832
Fax: (021 )593-0774

Ver outros medicamentos do laboratório "SERVIER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
3 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
4 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
5 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
6 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
7 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
8 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
9 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
10 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
11 Bradicinina: É um polipeptídio plasmático que tem função vasodilatadora e que se forma em resposta à presença de toxinas ou ferimentos no organismo.
12 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
13 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
14 Pressão Diastólica: É a pressão mais baixa detectada no sistema arterial sistêmico, observada durante a fase de diástole do ciclo cardíaco. É também denominada de pressão mínima.
15 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
16 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
17 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
18 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
19 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
20 Canal Arterial: Vaso sangüíneo fetal que conecta a artéria pulmonar à aorta descendente.
21 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
22 Anúria: Clinicamente, a anúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas.
23 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
24 Hipotensão arterial: Diminuição da pressão arterial abaixo dos valores normais. Estes valores normais são 90 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 50 milímetros de pressão diastólica.
25 Depleção: 1. Em patologia, significa perda de elementos fundamentais do organismo, especialmente água, sangue e eletrólitos (sobretudo sódio e potássio). 2. Em medicina, é o ato ou processo de extração de um fluido (por exxemplo, sangue) 3. Estado ou condição de esgotamento provocado por excessiva perda de sangue. 4. Na eletrônica, em um material semicondutor, medição da densidade de portadores de carga abaixo do seu nível e do nível de dopagem em uma temperatura específica.
26 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
27 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
28 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
29 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
30 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
31 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
32 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
33 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
34 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
35 Hipercalemia: É a concentração de potássio sérico maior que 5.5 mmol/L (mEq/L). Uma concentração acima de 6.5 mmol/L (mEq/L) é considerada crítica.
36 Hipocalemia: Concentração sérica de potássio inferior a 3,5 mEq/l. Pode ocorrer por alterações na distribuição de potássio (desvio do compartimento extracelular para intracelular) ou de reduções efetivas no conteúdo corporal de potássio por uma menor ingesta ou por perda aumentada. Fraqueza muscular e arritimias cardíacas são os sinais e sintomas mais comuns, podendo haver também poliúria, polidipsia e constipação. Pode ainda ser assintomática.
37 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
38 Neuroléptico: Medicamento que exerce ação calmante sobre o sistema nervoso, tranquilizante, psicoléptico.
39 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
40 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
41 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
42 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
43 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
44 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
45 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
46 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
47 Uremia: Doença causada pelo armazenamento de uréia no organismo devido ao mal funcionamento renal. Os sintomas incluem náuseas, vômitos, perda de apetite, fraqueza e confusão mental.
48 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
49 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
50 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.

Tem alguma dúvida sobre COVERSYL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.