CENALFAN

SIGMA PHARMA

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Cenalfan

cada comprimido revestido contém: acetato de retinol (vitamina1 A) 25000 UI; ácido ascórbico (vitamina1 C) 500 mg; acetato de tocoferol (vitamina1 E) 20 mg; excipiente q.s.p. 1 comprimido.

Posologia e Administração de Cenalfan

adultos: 1 a 2 comprimidos ao dia. Crianças acima de 12 anos: 1 comprimido ao dia. Superdosagem: as manifestações toxicológicas dependem da idade do paciente, da dose administrada, da duração do tratamento e da habilidade do fígado2 em armazenar e secretar vitamina1 A. Caso ocorram sinais3 de superdosagem, suspender imediatamanete a medicação e consultar o médico. Como não existe tratamento específico, utilizar medidas sintomáticas. Alguns sinais3 e sintomas4 desaparecem em uma semana, outros podem persistir durante várias semanas ou meses.

Precauções de Cenalfan

se durante o tratamento de mulheres férteis não ocorrer a menstruação5, o uso de Cenalfan deverá ser imediatamente suspenso. A quantidade de vitamina1 A consumida através da alimentação e drogas (automedicadas ou prescritas) deve ser avaliada, especialmente a administração prolongada de doses que excedem 25000 UI/dia. A eficácia de elevadas doses sistêmicas de vitamina1 A no tratamento do acne6 não foi estabelecida e deve ser evitada devido à potencial toxicidade7. Atenção especial é recomendada em crianças e idosos, pois estes desenvolvem mais facilmente os sinais3 de toxicidade7 da vitamina1 A quando são administradas altas doses e/ou sob uso prolongado. Pacientes com problemas de mal-absorção, causados por quantidades insuficientes de secreção biliar, devem tomar concomitantemente sais biliares. O uso prolongado de altas doses de ácido ascórbico (1 g/dia) pode causar precipitação de oxalatos no trato urinário8 em pacientes com doença renal9, especialmente aquelas em hemodiálise10 ou em pacientes com história de cálculos renais. Interações medicamentosas: contraceptivos hormonais: podem aumentar a concentração plasmática de vitamina1 A. Colestiramina, colestipol e óleo mineral: podem interferir com a absorção de vitamina1 A. Etretionato, isotretionina: devido aos potenciais efeitos adversos aditivos, deve-se evitar o uso concomitante de vitamina1 A. Tetraciclina: o uso concomitante com 50000 UI/dia de vitamina1 A tem sido descrito causar hipertensão11 intracraniana benigna. Suplemento de cálcio: a ingestão excessiva (mais que 25000 UI/dia) de vitamina1 A pode estimular a perda de massa óssea, podendo causar hipercalcemia. Vitamina1 E: o uso de vitamina1 E pode facilitar a absorção, armazenagem hepática12 e utilização da vitamina1 A. Além de reduzir a toxicidade7 da vitamina1 A. Doses excessivas de vitamina1 E podem depletar os estoques de vitamina1 A. Vitamina1 C e E: altas doses interferem no efeito hipoprotrombinêmico de anticoagulantes13. Ferro: altas doses diárias de ferro podem aumentar as necessidades de vitamina1 E.

Reações Adversas de Cenalfan

as reações adversas aparecem somente em caso de toxicidade7 (hipervitaminose A). Os sintomas4 de toxicidade7 aguda manifestam-se da seguinte maneira: hemorragia14 gengival; irritabilidade; cefaléia15; sonolência ou vertigem16; visão17 turva; secura, rachadura ou descamação18 da pele19; aumento da pigmentação da pele19; diarréia20, vômito21; náusea22. Sintomas4 de toxicidade7 crônica : crescimento lento dos ossos; descalcificação; fraturas; mal-estar, cefaléia15; diurese23, irritabilidade; anorexia24; alopecia25; cólica gastrintestinal; fadiga26; vômito21; hepatotoxicidade27; hipertensão11 intracraniana, hipomenorréia; hipertensão11 portal; hemólise28 e anemia29; fechamento prematuro das epífises30 em crianças.

Contra-Indicações de Cenalfan

durante a gravidez31 e em casos de hipervitaminoses A, C, E. As contra-indicações devem ser avaliadas, considerando o risco-benefício da prescrição do medicamento, quando existirem problemas como alcoolismo crônico32, cirrose33, hepatite34 viral, função hepática12 prejudicada, deficiência renal9 crônica, deficiência de glicose35 6-fosfato desidrogenase, talassemia36, hemocromatose37, hiperoxalúria, oxalose, história de presença de cálculos renais, anemia29 por deficiência de ferro, hipoprotrombinemia por deficiência de vitamina1 K, sensibilidade a vitamina1 A, C ou E.

Indicações de Cenalfan

profilaxia e tratamento das deficiências das vitaminas A, C e E, acompanhadas ou não de nictalopia, xeroftalmia38, ceratose, escorbuto39. Como suplemento alimentar e profilático.

Apresentação de Cenalfan

cartucho contendo 30 comprimidos revestidos.


CENALFAN - Laboratório

SIGMA PHARMA
Rodovia SP 101, Km. 08
Hortolândia/SP - CEP: 13186481
Tel: (19) 3887 9800
Fax: (19) 3887 9515
SAC: 0800 191914/ 0800 191222

Ver outros medicamentos do laboratório "SIGMA PHARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
3 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
6 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
7 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
8 Trato Urinário:
9 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
10 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
11 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
12 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
13 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
14 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
15 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
16 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
17 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
18 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
19 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
20 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
21 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
22 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
23 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
24 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
25 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
26 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
27 Hepatotoxicidade: É um dano no fígado causado por substâncias químicas chamadas hepatotoxinas.
28 Hemólise: Alteração fisiológica ou patológica, com dissolução ou destruição dos glóbulos vermelhos do sangue causando liberação de hemoglobina. É também conhecida por hematólise, eritrocitólise ou eritrólise. Pode ser produzida por algumas anemias congênitas ou adquiridas, como consequência de doenças imunológicas, etc.
29 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
30 Epífises: Extremidade dilatada dos ossos longos, separada da parte média pelo disco epifisário (até o crescimento ósseo cessar). Neste período, o disco desaparece e a extremidade se une à parte média do osso.
31 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
32 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
33 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
34 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
35 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
36 Talassemia: Anemia mediterrânea ou talassemia. Tipo de anemia hereditária, de transmissão recessiva, causada pela redução ou ausência da síntese da cadeia de hemoglobina, uma proteína situada no interior do glóbulos vermelhos e que tem a função de transportar o oxigênio. É classificada dentro das hemoglobinopatias. Afeta principalmente populações da Itália e da Grécia (e seus descendentes), banhadas pelo Mar Mediterrâneo.
37 Hemocromatose: Distúrbio metabólico caracterizado pela deposição de ferro nos tecidos em virtude de seu excesso no organismo. Os locais em que o ferro mais se deposite são fígado, pâncreas, coração e hipófise.
38 Xeroftalmia: Distúrbio caracterizado pelo ressecamento excessivo das mucosas que recobrem o olho. Produz a sensação de ter um corpo estranho ou areia no mesmo, juntamente com dor e irritação ocular. Pode ser produzido por doenças locais ou que afetam também outros órgãos.
39 Escorbuto: Doença aguda ou crônica causada pela carência de vitamina C, caracterizada por hemorragias, alteração das gengivas e queda da resistência às infecções.

Tem alguma dúvida sobre CENALFAN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.