Dexacobal - União Quimica

UNIAO QUIMICA

Atualizado em 08/12/2014

Dexacobal
Cloridrato de tiamina - Cloridrato de piridoxina
Cianocovalamina - 21 - acetato de dexametasona

- FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO
Solução injetável - Embalagem com 3 ampolas de 2 ml contendo vitaminas e 3 ampolas de 1 ml contendo a dexametasona.

USO adulto

Composição de Dexacobal - União Quimica

Cada ampola de 2 ml (ampola II) contém:Cloridrato de tiamina (Vitamina1 B1)....................100 mg
Cloridrato de tiamina (Vitamina1 B6)....................100 mg
Cianocobalamina (Vitamina1 B12)....................5.000 mcg
Cada ampola de 1 ml (ampola I) contém:
21 - acetato de dexametasona....................4 mg

Informações ao Paciente de Dexacobal - União Quimica

Conserve o medicamento em lugar fresco, ao abrigo da luz.
Prazo de validade e lote vide cartucho.
Não uso qualquer medicamento após o vencimento do prazo de validade.
Informe seu médico a ocorrência de uma gravidez2 durante o tratamento.
Siga corretamente as indicações de seu médico. Não desaparecendo os sintomas3 ou no caso de aparecimento de reações diferentes ou desagradáveis consulte seu médico.
"TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS".
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE4.
DEXACOBAL DEVE SOMENTE SER APLICADO POR VIA INTRAMUSCULAR.

Informações Técnicas de Dexacobal - União Quimica

Indicações de Dexacobal - União Quimica

Quando a administração de tiamina (Vitamina1 B1), piridoxina (Vitamina1 B6) e cianocobalamina (Vitamina1 B12) for útil em associação com o efeito antiinflamatório da ação glucocorticóide da dexametasona.

Contra-Indicações de Dexacobal - União Quimica

a) Relativas ao uso da Dexametasona
INFECÇÕES5 SISTÊMICAS (VIRÓTICAS, BACTERIANAS E FÚNGICAS6), DIABETES7, ÚLCERA PÉPTICA8, PSICOSES, PSICONEUROSES SEVERAS, FALÊNCIA RENAL9 AGUDA E CRÔNICA, OSTEOPOROSE10, UREMIA11, FALÊNCIA CARDÍACA, HIPERTENSÃO12, GRAVIDEZ2 E LACTAÇÃO13.
b) Relativas ao uso de vitaminas do complexo B
HIPERSENSIBILIDADE CONHECIDA AOS COMPONENTES, PRINCIPALMENTES À TIAMINA (VITAMINA1 B1), GRAVIDEZ2 E LACTAÇÃO13.

Precauções de Dexacobal - União Quimica

DEXACOBAL DEVE SER USADO SOMENTE POR VIA INTRAMUSCULAR.A ADMINISTRAÇÃO CONCOMITANTE DE BARBITÚRICOS, FENILBUTAZONA, DEFENILHIDANTOÍNA OU RIFAMPICILINA PODE REDUZIR OS EFEITOS DO CORTICOSTERÓIDE.
A RESPOSTA A ANTICOAGULANTES14 PODE SER REDUZIDA PELO USO DE CORTICOSTERÓIDE.
PODEM OCORRER REAÇÕES ANAFILÁTICAS15 DEVIDAS À HIPERSENSIBILIDADE, PRINCIPALMENTE À TIAMINA (VITAMINA1 B1) (CHOQUE16 TIAMÍNICO) QUANDO ADMINISTRADA POR VIA PARENTERAL. OS EFEITOS DESEJADOS DA LEVODOPA SOBRE ADOENÇA DE PARKINSON PODEM SER REDUZIDOS PELO USO DA PIRIDOXINA (VITAMINA1 B6). O DIAGNÓSTICO17 CORRETO DEVE SER ESTABELECIDO ANTES DO INÍCIO DO TRATAMENTO, UMA VEZ QUE A CIANOCOBALAMINA (VITAMINA1 B12) PODE MASCARAR UM QUADRO DE ANEMIA PERNICIOSA18.

Reações Adversas de Dexacobal - União Quimica

Dexametasona
RETENÇÃO DE SÓDIO E ÁGUA COM EDEMA19 E HIPERTENSÃO12, ALCALOSE20 HIPOCALÊMICA, OSTEOPOROSE10 E FRATURAS ESPONTÂNEAS, DEPLEÇÃO21 DE NITROGÊNIO, HIPERGLICEMIA22, AUMENTO DE APETITE, RETARDO DE CICATRIZAÇÃO, FACILIDADE À INFECÇÃO23, "MOON- FACE24", HIRSUTISMO25, RUBOR, GIBA DE BÚFALO, ESTRIAS, ACNE26, ÚLCERA PÉPTICA8, DOR NO LOCAL DA INJEÇÃO27.
Tiamina (Vitamina1 B1)
REAÇÕES TÓXICAS TÊM SIDO PRODUZIDAS POR INJEÇÕES DE 50 MG E "MORTE SÚBITA" TEM SIDO RELATADA EM SEGUIDA À INJEÇÃO27 INTRAVENOSA DE 100 MG DE TIAMINA, ALTAS DOSES TAMBÉM PODEM INTERFERIR COM O METABOLISMO28 DE OUTROS COMPONENTES VITAMÍNICOS DO COMPLEXO B E PODEM PRECIPITAR OS SINTOMAS3 DE OUTROS ESTADOS DE DEFICIÊNCIA EM PACIENTES MAL NUTRIDOS.
A TIAMINA INJETADA ISOLADAMENTE POR VIA INTRAVENOSA É CAPAZ DE  INDUZIR REAÇÕES ALÉRGICAS. ESTE RISCO É NEGLIGENCIÁVEL SE A INJEÇÃO27 FOR DADA COM OUTRAS VITAMINAS DO COMPLEXO B, MESMO QUANDO DOSES TÃO ALTAS QUANTO 100 MG FOREM ADMINISTRADAS.
O RISCO DE CHOQUE ANAFILÁTICO29 AUMENTA COM A ADMINISTRAÇÃO REPETIDA PELA VIA PARENTERAL.
Piridoxina (Vitamina1 B6)
REDUZ OS EFEITOS DA LEVODOPA.

Posologia de Dexacobal - União Quimica

Agitar a ampola de 1 ml e aspirar a mesma seringa30 o conteúdo de cada ampola, injetar unicamente por via intramuscular, uma vez ao dia ou a critério médico.

Dexacobal - União Quimica - Laboratório

UNIAO QUIMICA
Rua Cel. Luiz Tenório de Brito, 90
Embu-Guaçu/SP - CEP: 06900-000
Tel: SAC 0800 11 1559

Ver outros medicamentos do laboratório "UNIAO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
7 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
8 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
9 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
10 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
11 Uremia: Doença causada pelo armazenamento de uréia no organismo devido ao mal funcionamento renal. Os sintomas incluem náuseas, vômitos, perda de apetite, fraqueza e confusão mental.
12 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
13 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
14 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
15 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
16 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
17 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
18 Anemia Perniciosa: Doença causada pela incapacidade do organismo absorver a vitamina B12. Mais corretamente, ela se refere a uma doença autoimune que resulta na perda da função das células gástricas parietais, que secretam ácido clorídrico para acidificar o estômago e o fator intrínseco gástrico que facilita a absorção da vitamina B12.
19 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
20 Alcalose: Desequilíbrio do meio interno, produzido por uma diminuição na concentração de íons hidrogênio ou aumento da concentração de bases orgânicas nos líquidos corporais.
21 Depleção: 1. Em patologia, significa perda de elementos fundamentais do organismo, especialmente água, sangue e eletrólitos (sobretudo sódio e potássio). 2. Em medicina, é o ato ou processo de extração de um fluido (por exxemplo, sangue) 3. Estado ou condição de esgotamento provocado por excessiva perda de sangue. 4. Na eletrônica, em um material semicondutor, medição da densidade de portadores de carga abaixo do seu nível e do nível de dopagem em uma temperatura específica.
22 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
23 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
24 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
25 Hirsutismo: Presença de pêlos terminais (mais grossos e escuros) na mulher, em áreas anatômicas características de distribuição masculina, como acima dos lábios, no mento, em torno dos mamilos e ao longo da linha alba no abdome inferior. Pode manifestar-se como queixa isolada ou como parte de um quadro clínico mais amplo, acompanhado de outros sinais de hiperandrogenismo (acne, seborréia, alopécia), virilização (hipertrofia do clitóris, aumento da massa muscular, modificação do tom de voz), distúrbios menstruais e/ou infertilidade.
26 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
27 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
28 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
29 Choque anafilático: Reação alérgica grave, caracterizada pela diminuição da pressão arterial, taquicardia e distúrbios gerais da circulação, acompanhado ou não de edema de glote. Necessita de tratamento urgente. Pode surgir por exposição aos mais diversos alérgenos.
30 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.

Tem alguma dúvida sobre Dexacobal - União Quimica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.