SULFADIAZINA

NEO QUIMICA

Atualizado em 09/12/2014

Composição da Sulfadiazina

cada comprimido contém: sulfadiazina 500 mg.Excipientes: amido de milho, manitol, glicolato amido sódico, povidona, croscarmelose sódica e estearato de magnésio.

Posologia e Administração da Sulfadiazina

crianças de 2 meses a 5 anos: a critério médico. Crianças de 5 a 12 anos: 1/2 comprimido a cada 12 horas ou 1 comprimido ao dia. Adultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido a cada 12 horas ou 2 comprimidos ao dia. Os comprimidos devem ser ingeridos sem mastigar e no intervalo das refeições. A posologia adequada deve ser determinada pelo médico de acordo com o quadro clínico e a idade do paciente. - Superdosagem: nestes casos recomenda-se a indução de vômitos1 ou lavagem gástrica2 e tratamento sintomático3.

Precauções da Sulfadiazina

durante o tratamento os pacientes devem ingerir grandes quantidades de líquidos. A alimentação pode diminuir a velocidade da absorção, sem contudo afetar a extensão da absorção, ainda assim aconselha-se a administração das doses nos intervalos das refeições. Durante tratamento prolongado os pacientes devem ser submetidos periodicamente ao teste de hemograma. Pacientes intolerantes a diuréticos4 tiazídicos, furosemida, sulfoniluréias5, inibidores da anidrase carbônica ou outras sulfonamidas podem também apresentar intolerância à Sulfadiazina. Pacientes idosos (acima de 65 anos) só devem fazer uso de Sulfadiazina sob acompanhamento médico. O uso de Sulfadiazina pode ocasionar alterações hematológicas indicativas da deficiência de ácido fólico, alterações estas que são reversíveis com a administração concomitante de uma dose diária de ácido fólico. - Interações medicamentosas: com metenamina aumenta os riscos de cristalúria; potencializa os efeitos da fenilbutazona; reduz os efeitos dos anticoncepcionais orais que contenham estrogênios; interfere com os efeitos bactericidas das penicilinas; pode aumentar ou prolongar os efeitos ou a toxicidade6 dos anticoagulantes7 cumarínicos, anticonvulsivantes hidantoínicos, antidiabéticos orais8, antiinflamatórios não esteróides, diuréticos4 tiazídicos e metotrexato; com probenecida têm as suas concentrações séricas totais aumentadas e mais prolongadas.

Reações Adversas da Sulfadiazina

as mais comuns relatadas são estomatites e diarréia9. Podem ocorrer com menor freqüência alterações hematológicas, tais como, agranulocitose10, anemia11 aplástica, trombocitopenia12 e leucopenia13. Existem raros relatos de pacientes que apresentaram dor de garganta14 ou dificuldade para deglutir15, dores nas juntas e músculos16, epiderme17 pálida, hepatite18, fotossensibilidade, bolhas ou descamação19 da pele20 e síndrome de Stevens-Johnson21.

Contra-Indicações da Sulfadiazina

pacientes portadores de insuficiências hepática22 e renal23, porfiria24, asma25 brônquica, discrasias sangüíneas26, deficiência da glicose27-6-fosfato desidrogenease (G-6-PD), gravidez28 e lactação29, hipersensibilidade e crianças menores de dois meses de idade.

Indicações da Sulfadiazina

tratamento das diversas infecções30 causadas por microorganismos sensíveis.

Apresentação da Sulfadiazina

caixa com 20 envelopes de 10 (200 comprimidos).


SULFADIAZINA - Laboratório

NEO QUIMICA
Rua VPR 1, Quadra 2-A, Mód. 4
Anápolis/GO - CEP: 75133600
Tel: (62 )316-1055
Fax: (62 )316-1022

Ver outros medicamentos do laboratório "NEO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
2 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
3 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
4 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
5 Sulfoniluréias: Classe de medicamentos orais para tratar o diabetes tipo 2 que reduz a glicemia por ajudar o pâncreas a fabricar mais insulina e o organismo a usar melhor a insulina produzida.
6 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
7 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
8 Antidiabéticos orais: Quaisquer medicamentos que, administrados por via oral, contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais. Eles podem ser um hipoglicemiante, se forem capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados, ou um anti-hiperglicemiante, se agirem impedindo a elevação da glicemia após uma refeição.
9 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
10 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
11 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
12 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
13 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
14 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
15 Deglutir: Passar (o bolo alimentar) da boca para o esôfago e, a seguir, para o estômago.
16 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
17 Epiderme: Camada superior ou externa das duas camadas principais da pele.
18 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
19 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
20 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
21 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
22 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
23 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
24 Porfiria: Constituem um grupo de pelo menos oito doenças genéticas distintas, além de formas adquiridas, decorrentes de deficiências enzimáticas específicas na via de biossíntese do heme, que levam à superprodução e acumulação de precursores metabólicos, para cada qual correspondendo um tipo particular de porfiria. Fatores ambientais, tais como: medicamentos, álcool, hormônios, dieta, estresse, exposição solar e outros desempenham um papel importante no desencadeamento e curso destas doenças.
25 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
26 Discrasias sangüíneas: Qualquer alteração envolvendo os elementos celulares do sangue, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.
27 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
28 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
29 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
30 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.

Tem alguma dúvida sobre SULFADIAZINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.