BUFEDIL

ABBOTT

Atualizado em 03/06/2015

Composição de Bufedil

comprimido revestido de 150 mg: cloridrato debuflomedil 150 mg; excipiente q.s.p. 1 comprimido. Comprimido revestido de 300 mg: cloridrato de buflomedil 300 mg; excipiente q.s.p. 1 comprimido. Comprimido revestido de 600 mg: cloridrato de buflomedil 600 mg; excipiente q.s.p. 1 comprimido. Ampola de 5 ml: cloridrato de buflomedil 50 mg; água para injeção1 q.s.p. 5 ml.

Posologia e Administração de Bufedil

a dose oral recomendada é de 150 mg (1 comprimido revestido ou 1 ml), 3 a 4 vezes ao dia ou 300 mg (1 comprimido revestido de 300 mg ou 2 ml) 2 vezes ao dia, ou ainda 600 mg (1 comprimido revestido de 600 mg uma vez ao dia). Estudos farmacocinéticos mostraram que, duplicando a dose, aumenta-se o pico da concentração plasmática (Cmáx) e prolonga-se a duração da concentração plasmática, o que justifica a administração de 300 mg a cada 12 horas. No caso do comprimido de 600 mg, a liberação é controlada por um período de até 16 horas, permitindo que a liberação final prolongue o efeito farmacológico até a 22ª ou 24ª hora. A via intravenosa é indicada nos casos de maior gravidade ou quando a administração oral for difícil ou impossível, sendo a dose neste caso de 50 a 400 mg diários, por injeção1 ou infusão intravenosa de 500 ml de solução glicosada ou salina isotônica2, por um período de 2-3 horas. A via intramuscular pode ser usada como alternativa para administração intravenosa, tendo perfis farmacocinéticos semelhantes e a dose recomendada neste caso é de 50 mg (1 ampola), em injeção intramuscular3 profunda, 3 vezes ao dia, até um máximo de 14 dias, devendo após continuar-se o tratamento por via oral. Não se deve esperar um efeito terapêutico adicional com o aumento da dosagem. - Superdosagem: superdosagem pode ocasionar taquicardia4, hipotensão5 e convulsões. Na compilação de 26 casos de reações tóxicas agudas, devidas a superdosagem de cloridrato de buflomedil (doses até 9 g), provenientes de centro especializado em intoxicações, os seguintes sintomas6 foram relatados: vasodilatação periférica, taquicardia4 sinusal, vômitos7, sonolência, coma8 estágio I-II, agitação, convulsões. No caso de superdosagem, medidas de suporte devem ser tomadas. Caso ocorra excitação mental ou convulsões, a administração de benzodiazepínicos deve ser considerada. Um dos casos relatados de convulsões teve rápida recuperação com a administração IV de 10 mg de diazepam. Nesses casos deve-se tomar os cuidados habituais, devido ao potencial de depressão respiratória dos benzodiazepínicos administrados intravenosamente.

Precauções de Bufedil

insuficiência renal9 pode levar a excessiva acumulação sistêmica do fármaco10; portanto, nessas condições o medicamento deve ser administrado com cuidado e em doses menores do que as usuais. Uso durante a gravidez11: a segurança do uso do Bufedil durante a gravidez11 e lactação12 não foi estabelecida. Estudos teratológicos realizados em animais não demonstraram ação prejudicial ao feto13. Não é recomendada sua administração durante a gestação, especialmente no primeiro trimestre, ou durante a lactação12. Uso em pediatria: não existem experiências clínicas em pacientes abaixo de 18 anos. - Interações medicamentosas: até o momento não foram relatadas interações de outros fármacos com o cloridrato de buflomedil.

Reações Adversas de Bufedil

Bufedil apresenta um baixo índice de reações adversas. Efeitos colaterais14 relatados são de pequena intensidade e por ordem decrescente de freqüência são: distúrbios gastrintestinais, vertigem15, cefaléia16 e prurido17. Em administração parenteral rápida pode manifestar-se raramente hipotensão5 ou rubor cutâneo18.

Contra-Indicações de Bufedil

pós-parto ou em presença de sangramento arterial severo.

Indicações de Bufedil

distúrbios circulatórios, principalmente a nível de microcirculação, devidos a aterogênese vascular19 ou a fenômenos vasoespásticos. Esses distúrbios circulatórios incluem úlceras20 ou distúrbios tróficos da pele21, insuficiência22 vascular19 periférica acompanhada de claudicação intermitente23, insuficiência22 cerebrovascular e vasculopatias diabéticas. Esses quadros manifestaram-se em patologias, tais como, aterosclerose24, arterite, doença de Raynaud25, síndrome26 de Raynaud, eritrocianose, doença de Buerger, livedo reticular27, diabetes28. Embora os sinais29 de melhora possam aparecer rapidamente, o mais comum é que ocorram de maneira gradual, após semanas de tratamento.

Apresentação de Bufedil

150 mg: embalagens com 30 comprimidos revestidos. 300 mg: embalagens com 30 comprimidos revestidos. 600 mg: embalagens com 15 comprimidos revestidos. Injetável: embalagens com 5 ampolas.


BUFEDIL - Laboratório

ABBOTT
Rua Nova York, 245 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04560-108
Tel: 11-5536-7000
Fax: 011-5531-7205
Site: http://www.abbottbrasil.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ABBOTT"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.
3 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
4 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
5 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
8 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
9 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
10 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
13 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
14 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
15 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
16 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
17 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
18 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
19 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
20 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
21 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
22 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
23 Claudicação intermitente: Dor que aparece e desaparece nos músculos da perna. Esta dor resulta de uma falta de suprimento sanguíneo nas pernas e geralmente acontece quando a pessoa está caminhando ou se exercitando.
24 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
25 Doença de Raynaud: Condição hereditária, não associada a outras doenças (Raynaud primário), que afeta o fluxo sanguíneo nas extremidades do corpo humano quando submetido a baixas temperaturas ou estresse. Ocorre pela redução do suprimento de oxigênio. A pele fica esbranquiçada, empalidecida, fria e pode ficar dormente. Quando o oxigênio é totalmente consumido pelas células, a pele começa a adquirir uma coloração azulada ou roxa (chamada cianose). Estes eventos são episódicos, com duração variável de acordo com a gravidade da doença. No final do episódio, a pele é aquecida e volta a ficar avermelhada por vasodilatação. Na variação mais comum da doença de Raynaud há três mudanças de cores (branca ou pálida; azul, roxa ou cianótica; e avermelhada ou rubra). Alguns pacientes não apresentam todas as fases de mudanças de cores.
26 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
27 Reticular: Dar formato de rede a alguma coisa ou guarnecer de retículo ou retícula.
28 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
29 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre BUFEDIL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.