EXCEDRIN

NOVARTIS

Atualizado em 08/12/2014

         EXCEDRIN®

paracetamol e cafeína

         Rápido alívio para dores de cabeça1

Uso oral.

Analgésico2

Apresentação de Excedrin

EXCEDRIN® é apresentado em embalagens com 5 ou 50 blísters com 4 comprimidos revestidos.

USO ADULTO.


- COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de EXCEDRIN® contém 500 mg de paracetamol, 65 mg de cafeína e os seguintes  ingredientes inativos: amido de milho, celulose microcristalina, estearato de magnésio, suspensão de revestimento vermelho e cera de carnaúba.


- INFORMAÇÕES AO PACIENTE

Ação esperada do medicamento: EXCEDRIN® tem sua ação no alívio temporário de dores de cabeça1, sinusites, resfriados, dores musculares, cólicas3 menstruais, dores de dente4 e dores artríticas de baixa intensidade.

Cuidados de armazenamento: Manter o medicamento em temperatura ambiente (entre 15º e 30ºC) e protegido da umidade.

Prazo de validade: vide cartucho. Este medicamento não deve ser utilizado se o prazo de validade estiver vencido.

Procure orientação médica nos seguintes casos : gravidez5 ou amamentação6; aparecimento de sintomas7 adversos como a ocorrência de vermelhidão ou inchaço8; superdosagem acidental, uso concomitante deste produto com outros medicamentos.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA  DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE9.


INFORMAÇÕES TÉCNICAS


         - DESCRIÇÃO

Paracetamol é um analgésico2 que produz  alívio rápido e eficaz da dor; age através da inibição da síntese de prostaglandinas10. A cafeína é um estimulante suave do sistema nervoso central11 que contribui para o alívio de alguns tipos de dores de cabeça1. A associação de cafeína e paracetamol promove  ação mais acelerada e eficaz do analgésico2. EXCEDRIN®  pode ser usado mesmo em presença de problemas gastrintestinais. É apresentado em comprimidos revestidos que facilitam a ingestão.


Indicações de Excedrin

EXCEDRIN® é indicado como analgésico2.
Para o alívio temporário de dores de cabeça1, sinusites, resfriados, dores musculares, cólicas3 menstruais, dores de dente4 e dores artríticas de baixa intensidade.

- ADVERTÊNCIAS

No caso de superdosagem acidental, procure a assistência de um médico, mesmo não havendo qualquer sinal12 ou sintoma13.  

Como com qualquer medicamento, o médico deve fornecer orientação adequada em caso de gravidez5 ou lactação14 antes de o paciente usar este produto.

Este produto não deve ser utilizado para dor por mais de 10 dias ou para febre15 por mais de 3 dias, a não ser a critério médico. Procure o médico se a dor ou a febre15 persistir ou piorar, ou se aparecer novos sintomas7 ou ocorrer vermelhidão ou edema16; estes podem indicar sinais17 de uma situação grave.
Em caso de dor-de-dente4,  o dentista deve ser consultado .


         

Posologia de Excedrin

Adultos: 2 comprimidos de 6 em 6 horas enquanto persistirem os sintomas7 ou a critério médico. Não ingerir mais  de 8 comprimidos em 24 horas.

Crianças com menos de 12 anos de idade: a critério médico.

Superdosagem de Excedrin

A acetilcisteína18 é o antídoto19 para superdosagem de paracetamol. O paracetamol é rapidamente absorvido no trato gastrintestinal superior20. Os picos plasmáticos ocorrem entre 30 e 60 minutos após doses terapêuticas, normalmente dentro de 4 horas após superdosagem. A substância original  não tóxica  é metabolizada extensamente no fígado21, formando principalmente os conjugados de sulfato e glicuronida, que também não são tóxicos e são excretados rapidamente na urina22. Uma pequena fração da dose ingerida é metabolizada no fígado21 pela função mista oxidase do citocromo P-450 para formar um metabólito23 intermediário reativo potencialmente tóxico, que se conjuga de preferência com a glutationa hepática24 e forma derivados não-tóxicos de cisteína e ácido mercaptúrico, excretados pelos rins25. Doses terapêuticas de paracetamol não saturam o sistema de conjugação glicuronida/sulfato e não resultam na formação de metabólito23 reativo suficiente para depletar as reservas de glutationa . Entretanto, após a ingestão de altas doses (150 mg/kg ou mais), as vias de conjugação glicuronida/sulfato ficam saturadas resultando em grande fração de droga sendo metabolizada através da via do citocromo P-450. O aumento da formação de metabólitos26 reativos pode depletar as reservas hepáticas27 de glutationa, com subseqüente ligação dos metabólitos26 a moléculas protéicas dentro dos hepatócitos, resultando em  necrose28 celular. A acetilcisteína18 demonstrou reduzir a extensão do dano ao fígado21 após superdosagem por paracetamol. Os sintomas7 iniciais de superdosagem potencialmente hepatotóxica podem incluir: náuseas29, vômitos30, diaforese31 e mal-estar geral. Evidências clínicas e laboratoriais de toxicidade32 hepática24 podem não ser aparentes até 48 a 72 horas após ingestão. Em adultos e adolescentes, independentemente da quantidade de paracetamol ingerida, deve-se administrar acetilcisteína18 imediatamente. A terapia com a acetilcisteína18 deve ser iniciada e continuada por um ciclo completo de tratamento. Sua eficácia depende de quão precoce for a sua administração, com resultados benéficos principalmente em pacientes tratados até 16 horas após a superdosagem.  Se a dosagem plasmática de paracetamol não for acessível e se a dose estimada de paracetamol ingerida exceder a 150 mg/kg, a terapia com a acetilcisteína18 deve ser iniciada e continuada por um ciclo completo de tratamento.
Não esperar pelos resultados das análises dos níveis de paracetamol para iniciar o tratamento com a acetilcisteína18. Os seguintes procedimentos adicionais são recomendados: o estômago33 deve ser esvaziado imediatamente por lavagem ou indução de vômito34 com xarope de ipeca. O exame sorológico de paracetamol deve ser obtido o mais rápido possível, mas não antes das 4 horas seguintes da ingestão. Devem-se obter relatos sobre a função hepática24 no início e em intervalos repetidos de 24 horas.


ATENÇÃO :

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR. NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS7 PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.


EXCEDRIN - Laboratório

NOVARTIS
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04706-900
Tel: 55 (011) 532-7122
Fax: 55 (011) 532-7942
Site: http://www.novartis.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "NOVARTIS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Cabeça:
2 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
3 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
4 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Inchaço: Inchação, edema.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
11 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
12 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
13 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
15 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
16 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
17 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
18 Acetilcisteína: Derivado N-acetil da cisteína. É usado como um agente mucolítico para reduzir a viscosidade das secreções mucosas.
19 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
20 Trato Gastrintestinal Superior: O segmento do TRATO GASTROINTESTINAL que inclui o ESÔFAGO, o ESTÔMAGO e o DUODENO.
21 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
22 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
23 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
24 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
25 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
26 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
27 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
28 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
29 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
30 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Diaforese: Sudação, transpiração intensa.
32 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
33 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
34 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.

Tem alguma dúvida sobre EXCEDRIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.